História Just a Nightmare - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Originais
Visualizações 16
Palavras 2.144
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi!
...
Não sei o que dizer

Capítulo 3 - Ohayou Senpai!


_Nossa! Como ela fez isso?_ Jessie não conseguia acreditar na historia que acabou de ouvir.

_Estou te falando, Jessie! Ela não é uma garota normal!_ Disse Star, nem um pouco contente por se lembrar dos fatos.

_Mas você tem que pelo menos reconhecer, né! Ela ajudou vocês dois a não pararem em um hospital!_ Jessie tentou ver o ponto de vista da outra, percebendo que Star estava exagerando um pouco.

_Eu não ligo! Prefiro ficar internada do que ser "ajudada" por alguém como ela!_ Ela teimava. Preferia mil vezes ser morta do que ficar do lado da gata.

_Se é assim, acho que nem deveria ter ajudado._ De repente, Bonnie aparece atrás de Star.

Por conta do susto que a loba acabou de levar, deu um pulo atrapalhado parando bem atrás de Jessie, depois, se escondendo atrás da mesma.

_Que isso, gata?! Quer me matar do coração?!_ Gritou saindo de trás da menor, borbulhando em raiva.

_Desculpa, eu ouvi meu nome, então vim ver do que se tratava._ Deu de ombros. _Então essa é a prima que você tinha falado? Pelo visto nem tudo o que você disse era mentira.

_Para de mudar de assunto! Estamos falando de você ficar se metendo onde não deve! Você já deu o troco agora para de me perseguir!

_Tá, calma. Bem que um "obrigado" não seria mal não é?_ Ela sorriu de canto, debochando.

_Você me tira do sério! Eu não te devo nenhum agradecimento! Você me bateu também!_ Rosnou em fúria.

_Bem, era o único jeito, mas já que você não vai me agradecer, eu já vou._ Deu as costas.

_É melhor ir mesmo! Volta pro seu amiguinho nerd que é o melhor que você faz!

Jessie, que até agora só via tudo como uma expectadora, decidiu agir:

_Ei, garota!_ Chamou Bonnie. A mesma parou e a olhou, confusa. _Obrigado por ajudar minha prima. Desculpa pelo jeito grosso dela, ela não sabe ser muito delicada!

_Bem, er..._ Por essa ela não esperava, ficou muito surpresa e um pouco constrangida. _De nada._ Voltou a andar.

Com essa atitude, Star sentiu uma vontade enorme de estrangular Jessie. A observou de canto enquanto a outra sorria satisfeita. Demorou um pouco, mas a raposa logo percebeu o olhar fulminante da maior.

_O que foi?_ Ela não entendeu.

_Como você ousa fazer isso?! Ficar do lado dela?! Como pode?!_ A loba estava incrédula.

_Precisa ser mais grata às coisas, Star! Ela te ajudou!_ A menor teimava.

_…_ Estava se esforçando bastante não saltar em Jessie e quebrá-la toda agora. _Suma daqui antes que eu te parta ao meio.

_Mas…_ Foi interrompida.

_AGORA!_ Gritou, fazendo Jessie se assustar e correr para o mais longe dali.

A raiva de Star é incomparável agora. Ela precisava de paz, precisava ficar sozinha, precisava pensar. Por que isso estava acontecendo? Quem é essa gata? Pensou em espioná-la mais uma vez, mas sabia que a outra descobriria. Não sabia a que mais recorrer, a não ser…

_É ISSO!!!_ Gritou em comemoração. Saiu correndo para botar o seu novo plano em prática.

Enquanto isso, Bonnie estava sentada em um dos bancos do pátio enquanto ouvia músicas em seus fones de ouvido. Estava começando a passar mal por usar algo que não deveria. Sabia das consequências de usá-lo, dos problemas que causaria se perdesse o controle. Esse era um dos seus segredos que nem tão cedo queria que os outros descobrissem. Teria que aguentar até o resto da aula suportando tudo. É bem óbvio que não era um trabalho fácil.

Bruno se aproximava da amiga enquanto trazia um pacote de biscoitos. Sentou-se ao lado dela e tentou puxar algum assunto:

_Como esta sendo o seu primeiro dia aqui, Bon?

_…_ olhou de canto, em seguida tirando um lado de seus fones. _Tá bem empolgado, aquela loba que tinha escutado nossa conversa se meteu em encrenca e eu acabei entrando, então tive que socar a cara dela e de um outro lá._ Falou como se fosse já normal para a mesma.

_Como é que é?!_ Se engasgou enquanto comia os biscoitos. _Bonnie você acabou de entrar e já está criando inimigos?! Por quê?! Não deveria andar com aquela garota, ela só vai te botar em furada!_ Ele começou a dar sermão nela.

_Não quero ser amiga dela nem nada. Eu… acho que só fiz o que é certo. E também, você não é meu pai pra me dizer o que eu devo ou não fazer._ Respondeu fria.

_Mas eu me preocupo com você! Sou seu amigo, não vou deixar que você simplesmente saia agredindo quem bem entender e sofrer depois. Principalmente numa escola cheia de seres bem perigosos!

_Mas eu sou mais._ Se ajeitou no banco, cruzando as pernas e botando os braços atrás da cabeça, ficando de um jeito bem preguiçoso e sorriu confiante.

_Para de graça, Bonnie! Estou falando sério! Aliás, quem era o outro?_ Era de suma importância saber com quem Bonnie se meteu. É sempre melhor prevenir do que remediar.

_Era um guaxinim loiro com casaco vermelho. Acho que ele é da nossa sala._ Ao ouvir isso, Bruno gelou.

_E-era o L-Lucas?_ O seu tom de autoridade antes passou a ser um tom de pavor.

_É, eu acho que é esse aí mesmo!

_B-Bonnie, e-ele não é q-qualquer u-um não! E-ele vai q-querer se v-vingar e… n-não vai p-parar até que v-você esteja caída no c-chão 10x pior que ele!

_Se ele ousar fazer isso faço a vida dele um inferno!

_Ok, depois não diz que eu não te avisei.

A conversa se cessou aí, o resto do recreio continuou normal para todos desde então. Mais uma vez chegou a hora da aula, todos foram para as suas salas e sentaram-se para esperar a aula começar. Até que, de repente, Star resolve se levantar.

Ela caminhou em direção a Bruno, com uma expressão confiante e determinada, já o mesmo se assustou com isso.

_Hey, Bruno! Você e eu, no final da aula, combinado?_ Perguntou se apoiando em sua mesa, dando um sorriso estranho que deixou o outro muito desconfortável.

_Er… Ok._ Respondeu, tentando ignorar esses atos estranhos vindo dela.

A loba soltou outro sorriso, desta vez um misterioso, que atiçou bastante a curiosidade do menor. Seguiu-se novamente a sua cadeira e se sentou, fazendo muito suspense.

Quebra de tempo

Após a aula terminar, Star saiu às pressas fazendo muito Bruno estranhar, mas deu de ombros, talvez a morena esteja querendo pregar uma peça nele. Terminou de arrumar as coisas e iria seguir o mesmo caminho da outra. De repente, Bonnie o impediu.

_Aonde vai?_ Seu olhar era sério.

_Tenho que ver uma coisa, pode ir sem mim, sua mãe deve já estar te esperando._ Ele continuou andando.

_Então tá. Qualquer coisa, me chame._ Ela deu de ombros e foi embora.

Ele continuou seu percurso, e então, encontrou a outra nos fundos da escola com uma outra garota. Ele não gostava desse lugar.

_Star, o que…_ Do nada, Star agarrou seu pescoço e o arrastou até uma das salas inutilizadas da escola. Assim que chegou, o prendeu na parede. _MAS QUE PORRA É ESSA STAR?! ME SOLTA!!!

A mesma ficou de cabeça baixa, apenas o encurralando. O cervo começou a ficar assustado, tentou gritar por ajuda, mas ela tapou a sua boca no mesmo instante. Aí ela resolveu encará-lo, olhos demonstrando raiva e fúria e mostrando dentes terrivelmente afiados. Tudo que ele pode fazer é começar a chorar de desespero.

_Me diga, O QUE É AQUELA GAROTA?!_ Gritou com o menor, ele ficou paralisado com horror nos olhos.

_S-Star… P-por que está fazendo isso?_ Lágrimas continuavam a cair, querendo que aquilo tudo não passasse de um sonho.

_NÃO É ÓBVIO, SEU IDIOTA?! AQUELA GAROTA ESTÁ QUERENDO TOMAR O MEU LUGAR DE ALFA, MAS ACHA QUE EU VOU DEIXAR?!_ Ódio era só o que ela tinha agora.

_Star, não precisa fazer isso…_ Ele começou a se debater e resistir, desesperado.

_Me. Diga. Tudo. Sobre ela._ Ela estava fora de si, apertou mais o pescoço dele.

_Tá, eu falo!_ Vendo que não tinha nenhuma saída, desistiu. _Bonnie costuma ser uma garota bem humorada, sempre com um sorriso no rosto; é bem sensível também, qualquer coisinha, ela pode chorar; é muito tímida, tem vergonha de ser ela mesma; destesta ser subestimada, se alguém fazer isso, ela faz questão de provar o contrário; é raivosa, quando a provocam ela vira uma fera; odeia ficar sozinha e sem amigos, quando fica, perde a cabeça; é bastante pura e inocente, nunca levou nada na maldade; é bastante brincalhona, inteligente e… acho que é só.

_Sério?! Porque nada do que você diz bate com o que eu vi dela!_ Isso deixou ela mais raivosa.

_É sério, eu juro! Mas…_ Ele hesitou.

_Mas o que?!_ Insistiu.

_Ela mudou completamente! Teve um tempo que a gente parou de se falar, aí chega hoje, uma Bonnie completamente diferente da que eu conhecia! Ela é fria, não demonstra emoções, não tá nem aí pra nada e toda vez que eu tento puxar assunto com ela parece que eu estou apenas irritando cada vez mais ela! Eu nem sequer conheço mais ela!

Ela o soltou, deixando-o tomar ar em seus pulmões de novo, ele se acalmou um pouco. Star abaixou a cabeça novamente, o outro só queria saber o que iria acontecer a seguir.

_MERDA!!! EU NUNCA VOU CONSEGUIR DERROTÁ-LA!!!_ Gritou em frustração socando um armário que tinha ali.

A outra garota que estava com eles tinha ficado pra trás assim que foram para esta sala. Então, ela acabou por entrar no mesmo instante que Star gritou, assustando-a.

_O que foi que aconteceu?!_ Ela perguntou desesperada, chegando pra mais perto, revelando ser apenas Jessie.

_Nada, Jessie! NADA!!!_ Star falou sem paciência.

Os olhos da raposa se direcionaram ao garoto jogado que estava apenas observando. Ela começou a sentir algo estranho, mas deixou isso de lado correu para ajudá-lo.

_Ai, céus! Você parece muito mal! Deixa eu te ajudar!_ Ela o ajudou a se levantar, pronto para levar para a enfermaria.

_Vão logo embora daqui! Saiam!_ Star os expulsou, depois entrando novamente na sala, mas parou no meio do caminho. _O que aconteceu aqui vai ficar por aqui. Se eu souber que você contou pra alguém eu te mato!_ Fechou a porta com força e depois trancando.

Depois disso, Jessie correu com ele até a enfermaria. Tudo correu bem, nada do que causou foi grave, só tiveram que passar uns remédios para amenizar a dor e uns poucos curativos.

Assim que essa loucura terminou, Bruno acabou por ir junto com Jessie a caminho de sua casa já que Star não deu mais as caras.

Afim de agradecer sua salvadora, Bruno quis quebrar o enorme silêncio que se formou durante o trajeto.

_Er… Menina, obrigado por me ajudar a me "salvar" da Star._ Tentou ser o mais simpático o possível, mas meio desajeitado, pois não era de se falar com as pessoas.

_Não foi nada! É sempre um prazer ajudar! Ah, pode me chamar de Jessie!_ Sorriu, mas do nada, pareceu triste. _Desculpa pela minha prima, ela não anda muito bem depois da chegada da aluna nova…

_A Star? Ela é sua prima? Não tem problema! Eu é que devo desculpas pela Bonnie. Ela também anda estranha ultimamente._ Seu humor também decaiu ao lembrar da amiga.

_Heh, parece que nós dois vamos ter muitos problemas. Qual seu nome?_ Tentou mudar de assunto, este realmente não estava lhe agradando.

_É Bruno._ Deu-lhe um sorriso carinhoso. _De que série você é? Eu nunca te vi lá na escola.

_Sou do 7° ano. E você?

_Do 1° ano, sou adiantado.

_Oh, incrível! É da mesmo ano da minha prima, Bruno-senpai!_ Se alegrou, até lembrar que nem todo mundo gosta de animes.

_…_ Ele estava em confusão. O que diabos ela falou? _Senpai? O que é isso?

_Er, bem..._ Parou pra pensar. _É um termo japonês. É pra se referir a alguém que é mais velho ou mais experiente do que você.

_Legal! Você sabe falar japonês?_ Ele parecia empolgado, não é todo dia que encontramos alguém que sabe falar uma língua tão diferente das mais conhecidas.

_Não, só sei algumas palavras mesmo…_ Ela se decepcionou consigo mesma.

_Acha isso pouco?! Já é uma grande coisa! Eu nem sei nada dessa língua!

_…_ Ela ficou de frente pra ele e encarou seus olhos, pequenos olhos azuis brilhando com o grande elogio e uma sensação estranha maravilhosa._ O-obrigada._ Gaguejando e corada, abaixou a cabeça.

_Termo japonês... Interessante._ Falou pra si mesmo, continuando o trajeto junto a ela. Sentia-se bastante feliz por ter aprendido.

_(Bem… também serve pra referir a alguém que você gosta…)_ Sussurrou mais pra si mesma do que para explicar ao outro.

_O que?_ Ele não ouviu.

_Eu disse… ah, deixa.

 O caminho continuou, mal se conheceram e já se consideram muito bons amigos. Sentiam-se extremamente felizes com a presença um do outro, mas tiveram que se separar e cada um foi para a sua casa, o bom é que finalmente terão um bom descanso desse dia louco.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...