História Just A Shot - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink, K.A.R.D
Personagens Jennie, Jisoo, Lisa, Rosé
Tags Blackpink, Drama, Investigação, Jenlisa, Jennie, Jensoo, Jisoo, Jiwoo, Jseph, Kard, Lisa, Romance, Rose, Somin
Visualizações 49
Palavras 2.073
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Orange, Romance e Novela, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem, minha segunda fanfic na vida, boa leitura

Capítulo 1 - Aquela Mulher


P.O.V Lalisa Manoban

E é no meu trabalho que começa toda a minha rotina. Nada de especial, foi o que eu consegui arrumar, até terminar meu curso de fotografia, em Seul. Trabalho em uma cafeteria de manhã até o fim da tarde. A noite me dedicava totalmente ao meu curso.

No fim voltava para o apartamento que dividia com minha melhor amiga Park Chaeyoung, alta, muito bonita, longos cabelos castanhos. Ela já está acostumada a quase não me ver em casa durante a semana, mas mesmo assim é sempre preocupada com minha saúde e bem-estar. O tempo todo me mandando mensagens de preocupações;

Rosé: Lisa você, já comeu, se não quando chegar em casa vai ter comida pronta. Não se esquece de comer por favor. Bj te amo

Rosé: Lisa o tempo está bem ruim agora, toma cuidado quando você estiver voltando a noite.

Eu realmente amo a Rosé mais as vezes essa preocupação toda chegava a me irritar um pouco.

Faltava um ano para terminar meu curso de fotografia. É claro que mesmo ainda trabalhando na cafeteria, eu corria atrás de oportunidades para colocar em pratica meu talento e ter muitas novas experiencias.

Vez ou outra, pessoas me davam oportunidades de ser fotografa em seus casamentos, festas de aniversário. Mas eu sempre queria mais, queria ser reconhecida ter as próprias exposições das minhas fotos tiradas da minha perspectiva, mostrar minhas paixões para o mundo.

Todas as fotos que eu tirava com minha câmera demonstrava a paixão que eu tive captando aquele momento. Momentos que precisam ser guardados de uma só maneira, as belezas naturais, sem esforços, sem fingimento.

                                     ...

Em um dia comum limpando as mesas, entrara uma bela mulher pela porta, mas não se via o rosto dela, vi que era bela pelo seu maldito corpo sexy, exposto por usar calças colada e um top. Senti um arrepio na minha espinha que chegou a minha nuca. Provavelmente fez uma parada na cafeteria em meio a sua corrida matinal. 

Ela também podia estar se escondendo. Pelo simples fato de estar usando boné e mascara em um dia tão quente. “Ou simplesmente ela está doente LALISA”

Era morena, mesmo com o boné podia ver seus cabelos atravessado. E aí vem o lugar que mais prestei atenção enquanto ela vinha caminhando em direção, a mesa que eu limpava. Seus olhos. Aqueles olhos definitivamente, me perdi neles. Mas talvez eu devesse sentir medo pelo jeito que ela me encarava. Era tão intimidador, tão sexy. Mas eu só sentia arrepios por todo meu corpo a desejando. Loucura pensar isso sobre uma pessoa que nunca havia visto antes.

Uma coisa normal do trabalho várias pessoas aleatórias vão passando pela cafeteria. Umas ou outras vão chamar mais sua atenção como foi essa mulher.

Ela me olhou de cima a baixou, me afastei da mesa para que ela pudesse sentar. Ela se sentou – Eu vou querer Capuccino, para viajem e uma garrafa de agua, por favor eu estou com pressa – me pareceu um pouco arrogante, mas sua voz soou suave pelos meus ouvidos, eu simplesmente ignorei isso. E anotei seu pedido.

Enquanto ela ficava esperando, eu a olhava tentando descobrir algum detalhe seu, que eu não havia notado ainda, que me fizesse descobrir o tipo de pessoa que ela seria. Talvez esteja se escondendo por ser famosa? Ou será uma procurada da polícia? Ou talvez seja da polícia! Ela olhava o tempo todo pela janela enquanto esperava, e para o celular, estava muito concentrada no celular também.

- Seu pedido – Ela me olha nos olhos enquanto levanta, deixando o dinheiro na minha mão. Ela não era tão alta. Me deu uma gorjeta bem generosa. Quando finalmente saiu pela porta e me deu uma piscada com um olho só. Todos meus arrepios e meu coração finalmente se acalmaram. O que aquela mulher fez comigo?

                                      ...

- Lisa o que você está fazendo em casa essa hora? – Chaeng me perguntou depois de me ver sentada no sofá, assistindo a tv, após chegar do trabalho.

- Ah hoje acabou mais cedo, vai entrar em período de férias, eu vou ter trabalho para fazer, espero ir a bons lugares e tirar fotos incríveis – Bufo já pensando no cansaço que isso iria me causar, mas provavelmente vai ser incrível.

- Você sempre tira boas fotos, não esquenta. Nós vamos viajar? –

- A gente precisa Chaeng. Rotina de mais fode com a cabeça. Amanhã vou ver se consigo tirar férias do trabalho. Tenho minhas economias das festas que eu fui fotografa. Nada pode me atrapalhar –

- Você parece bem feliz agora Lisa aconteceu alguma coisa hoje? -

- Porque? Eu sou triste ultimamente é? -

- Não triste e sim um robozinho programado para trabalhar e aprender sobre fotografia, e esquecer da minha existência as vezes –

- Para de drama Park Chaeyoung, eu nunca me esqueço de você – Ela pega o celular e mostra as mensagens que eu não havia respondido hoje – Ah – falo surpresa comigo mesma por ter feito isso com ela. – Desculpa eu realmente me distraí hoje no trabalho, tinha aquela mulher... –

Me interrompi diminuindo o som da minha voz, focando na tv – Olha Chaeng, esse drama maravilhoso que vai passar –

Eu nunca entendi muito bem do que Chaeyoung trabalhava. Acho que era na TV, o importante era que, ela recebe bem o suficiente para nós duas podermos bancar um bom apartamento, com dois quartos, uma cozinha um tanto que grande, diria mais espaçosa para podermos cozinhar, a sala era dívida pela cozinha americana.

Chaeng tomou o controle da minha mão e desligou a TV – Lisa o que você disse? – se sentou perto de mim no sofá esperando minha resposta.

- Não é nada Chaeng eu provavelmente nem vou vê-la outra vez. Ah.... Odeio esse emprego. Acho que encontrei o amor da minha vida, mas nem peguei o número. –

Ela sorri e bate no meu ombro – Você é uma idiota Lalisa –

- Eu sei. Uou... Chaeng você precisava ter visto ela, era como se eu fosse explodir, eu só via ela naquele lugar, não conseguia tirar os olhos, isso porque era tão curioso, a forma como ela estava vestida –

- hm? Como ela estava vestida? – Chaeyoung perguntou um tanto confusa.

- Ah... era tão sexy, parecia no meio de uma corrida matinal, suas calças coladas e o top, deixava a barriga amostra, uau... era tão bem definido o abdômen. E a melhor parte Chaeyoung. OS OLHOS. Aquele olhar deve ter tanta história para contar – Viajando em minhas lembranças noto que a Chaeng nem estava mais do meu lado – Chaeng? –

- Oi, estou ouvindo suas declarações, para um completa estranha – ela respondeu da cozinha

Suspirei – Ela não é uma estranha. Só... não sei o nome dela – só de pensar que talvez eu não a veria de novo, me dava agonia, mas por quê? Eu nem a conheço. A última coisa que me vem à cabeça, é pensar que aqueles olhinhos podem ser psicóticos ou algo pior.

 

P.O.V Jennie Kim

- É só mais um caso idiota de traição. Jisoo, você devia arrumar coisas mais emocionantes, para gente trabalhar –

- Me desculpa, mas você precisa de dinheiro, para me pagar, sua única funcionaria –

Olhei pela câmera que estava apontada para o quarto do prédio do outro lado, aguardando.

- Jisoo eu acho que é agora, são casos bobinhos, mas não deixa de ser divertido – disse antes de desligar o telefone.

Foi então que apareceram duas pessoas, trocando beijos e se agarrando. – Peguei vocês, foi fácil demais – levei um bom tempo tirando aquelas fotos da traição, ah como eu odeio esse tipo de pessoa, acho tão desprezíveis. Pior são as pessoas que amam e acreditam que nunca seriam traídas, e é claro que se as pessoas traem é porque querem. Mas não tem sentido algum, se vai trair, porque simplesmente não se divorcia ou se separa.

O idiota de que eu tirava as fotos, é rico, sua mulher provavelmente será rica no lugar dele com essas fotos. Ou talvez nem seja mulher, pode até ser outra amante, querendo vingança. Amor, é tão estupido.

De qualquer maneira, eu não me importava muito a verdade, como sempre, a verdade deve ser dita e exposta, não importa a maneira.

Tinhas as fotos tiradas, mas apenas do quarto, e pelo jeito demoraria bastante. Precisava esperar eles saírem para ter uma visão melhor dos dois juntos quando saíssem.

Peguei o telefone discando uns números;

- Jisoo, vou ter que dar uma volta e esperar até que eles desçam, não vou ficar aqui assistindo essa merda, não sou nenhuma pervertida –

- Tá, tá, tá, só toma cuidado coloca um boné e uma máscara pra ninguém ver você –

- Jisoo, hoje é um dia muito quente, eu preciso mesmo? –

- Sim –

- Meu corpo tudo bem eu mostrar? –

- O QUE? VOCÊ VAI SAIR NUA? –

- Jisoo, estou desligando – Desliguei o telefone antes que ela dissesse mais besteiras. Olho para o apartamento do outro lado e vi que o fluxo ainda era intenso. O relógio marcava 9h10 da manhã. Aquele filho da puta deve usar a desculpa do trabalho para a mulher dele, a idiota pelo jeito caia direitinho, são 5 anos de casado, pelo menos era o que dizia a ficha preenchida por ela, que eu deixei em cima da cabeceira.

Era um dia realmente quente, notei muito quando sair para correr. Quase sempre correr me ajuda a pensar nas minhas investigações ou eu simplesmente corro, por correr. Me dava a sensação de liberdade.

Voltei a olhar para o relógio. 9h50. Avistei uma cafeteria, que ficava bem em frente ao hotel. Eu não corri para longe somente pelo quarteirão em volta aos hotéis. Resolvi entrar na cafeteira, para descansar um pouco. Quando entrei, algo bem estranho aconteceu. Não tenho ideia de como explicar. Só lembro de uma linda garota, com um belo sorriso e pelo jeito eu a assustei com meu olhar, ou será que era a máscara? Ela se levantou tão rápido quase não me olhou nos olhos.

Fiz o meu pedido tentando não olhar para ela, mas era quase que impossível. Pelo menos vi seu nome no crachá, LISA, que belo nome. Estou tão nervosa e tímida que acho que fui rude pedindo o café e minha água. “O que você está fazendo Jennie Kim?”

Ah sim minha investigação idiota de traição. O hotel era do outro lado da rua então eu podia checar, o tempo todo... Mensagem da Jisoo.

Jisoo: Pronto conseguiu as fotos?

Jennie: Ainda não, pelo jeito a coisa parece boa lá em cima :P

Jisoo: a mulher está aqui querendo elas já

Jennie: O que como assim? Você não disse pra essa idiota que a gente ligaria quando estivessem prontas?

Jisoo: Acho que esqueci

Jennie: Melhor assistente.

Meu café chegou, eu vou dar uma boa gorjeta pra Lisa não pensar que eu sou uma idiota qualquer. “O que Jennie, por que isso importa?”

Eu estava corando? Ainda bem que estava de máscara, sentia minhas bochechas explodirem de tão quentes que estavam ficando. Minha respiração um pouco ofegante mais não pela corrida.

Ah sim, eu tinha que sair da cafeteria rápido, justo agora, eles resolveram sair do hotel. Sai pela porta, antes dei uma última olhada na Lisa e pisquei com toda a coragem que me restava, tentando parecer o menos desprezível possível. Espero vê-la de novo outra vez. “O que foi que eu acabei de fazer, estraguei tudo com certeza”

Jisoo me ligou bem na hora que sai;

- Jennie ela não quer ir embora –

- A culpa é toda sua – Disse já pegando minha câmera de bolso, que guardei em meu top. – Você falou pra ela que revelar as fotos leva um tempinho? –

- Jennie, ela é um tanto louca, acho que loucos não escutam muito bem quando estão bravos ou sedentos por vingança –

- Que saco Kim Jisoo, eu tenho que fazer tudo – Desliguei o telefone. Caminhei até um beco do lado do restaurante, me espreitei na parede. Tomei a garrafa d’agua e tive que jogar o café fora na primeira lixeira que vi. E lá estava o casal do dia, entrando no carro. Tirei as fotos flagrando os dois juntos. Aquela mulher que o acompanhava com certeza é amante. Ela aparentava ter em torno de 20 a 25 anos. Eu sinceramente nunca vou entender porque as pessoas traem. E porque os homens são sempre os que dão o primeiro passo?

De qualquer forma, eu nunca fiquei tanto tempo com uma pessoa para descobrir. 


Notas Finais


opa chegou até aqui, obg por ler, não vou demorar muito pra postar o proximo, essa tem jensoo tambem, jenlisa e jensoo sao meus otpzao kkkkkkkkk, e vai ter muita treta loca só aguardem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...