História Just a Wish - ( Satzu ) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7, Seventeen, TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jackson, Jihyo, Junghan "Jeonghan", Jungyeon, Mark, Mina, Momo, Nayeon, Sana, Tzuyu
Tags 2yeon, Dahmo, Markson, Michaeng, Satzu
Visualizações 125
Palavras 5.714
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiii pessoinhas
Desculpa a demorar pra postar, meu pc tava tudo bugado...
Enfim, aos Michaeng shippers: Se acalmem que a Mina vem!
Beijos.
Boa leitura

Capítulo 3 - Just Kids


Chaeyoung se aproximou deles com um sorriso largo. Logo os três estavam indo para casa, quando chegaram lá Momo havia deixado um bilhete dizendo que havia ido para a clínica.

- Mia, a porta está trancada. - Tzuyu disse esticando a chave para a filha que já estava indo para a escada. A pequena voltou correndo e pegou a chave. Tzuyu e Chaeyoung se sentaram no sofá. - Obrigado. - Tzuyu disse olhando para a baixinha em seu lado.

- Disponha. - Chaeyoung respondeu colocando as pernas em cima do sofá e encostando a cabeça na mão. - Como foi?

- Estranho e incrível. - Tzuyu disse. - Eu senti falta da voz dela.

- Você a ouviu cantar ontem.                          

- Senti falta de ouvi lá falar comigo e sorrir pra mim.

- Conseguiu arrumar os papéis dela?

- Ela já tem tudo. O caso dela virou prioridade agora, ok?

- Tudo bem... - Chaeyoung revirou os olhos.

- Segunda feira eu vou passar o dia fora. - Tzuyu disse.

- E Mia? - Chaeyoung perguntou franzindo.

- O computador da Irene travou. Vamos trocar o sistema. O que vai me custar uma fortuna e instalar Notebooks lá, que é mais fácil de trabalhar... E eu vou falir desse jeito. - Tzuyu reclamou. - A Irene pode ficar com a Mia e leva-la pra fazer compras ou para onde Mia quiser.

- E você vai aonde?

- Ver o Seungkwan.

- Com ela? - Chaeyoung inclinou a cabeça

- Sim.

- Isso sim é um avanço. - Chaeyoung sorriu. - Eu vou trabalhar lá no quarto e depois eu vou sair para jantar com a Yeri.

- Estão se acertando?

- Sim, estamos tentando.

- Espero que consigam.

- Nós esperamos que o mesmo aconteça com você.

- Chae com tudo de maluco que já aconteceu... Você acha possível que eu tenha visto alguém do futuro? - Tzuyu perguntou ao se levantar.

- Não duvido mais de nada. - Chaeyoung disse.

- Eu acho que eu vi a filha da Sana...

- Que filha? - Chaeyoung franziu.

- É isso que eu quero saber.

- Quando você a viu?

- Hoje de manhã. Eu tava saindo do banheiro depois do banho e ela apareceu.

- Como ela era? - Chaeyoung parecia interessada na resposta. - O que ela disse?

- Ela tinha cabelos compridos, olhos escuros, um nariz muito certinho, mas a boca era a mesma e tinha aquele sorriso que só a Sana consegue dar. Ela disse que minhas decisões poderiam mudar o curso de vida de uma família inteira. E que me amava,mas as vezes que eu era insuportável. - Tzuyu disse rápido.

- Como eu disse... Não duvido mais de nada. - Os cantos dos lábios de Chaeyoung subiram em um sorriso.

- Eu vou ver a Mia. - Tzuyu disse subindo a escada e encontrando um monte de sacos e papéis de presente rasgados. - Mia cadê você?

- Aqui em cima. - Ela disse do sótão.

Tzuyu subiu meio encurvado para não bater a cabeça e encontrou Mia no meio de um monte de ursinhos e dos pufes perto da televisão.

- Está tudo bem? - Tzuyu disse do sótão.

Wendy está muito mal. - Mia disse. - Ela quase não consegue falar mais.

- Como seu pai está?

- Não muito bem. Eu estou com medo de perder ela. - Mia brincava com o minion que estava ao seu lado.

- Querida, eu vou fazer de tudo pra poder ajudar, ok? - Tzuyu puxou Mia delicadamente para si e a abraçou.

Ficaram em silencio por um breve tempo e depois Mia se afastou um pouco.

- Você que comprou essas coisas?

- Não. - Tzuyu negou. - Eu só dei dinheiro. A tia Momo comprou, mas ela está uma fera porque eu deixei-a trancada dentro de casa.

- Onde ela está? - Mia perguntou.

- Lá na clínica dela. - Tzuyu sorriu.

- Ela vai demorar?

- Acho que não. Só que ela está mais assustada do que eu com essa história. Ela psicóloga e isso meio que contradiz algumas coisas na cabeça dela. - Tzuyu explicou.

- O que vamos comer? - Mia perguntou.

- O que você quer comer?

- Pizza. - Mia disse sorrindo.

- Ok. - Tzuyu sorriu. - Amanhã a gente almoça fora?

- Sim. - Mia sorriu. - A gente pode usar a piscina?

- Pode sim, mas amahã ok?

- Ok.

- Vamos lá para baixo? Eu vou te dar o panfleto de sabores ai você pergunta pra tia Chaeyoung o que ela quer enquanto eu me troco e depois a gente compra. - Tzuyu disse levantando.

- Vamos. - Mia assentiu e arrastou o bichinho de pelúcia junto.

Tzuyu recolheu a sujeira do quarto dela, jogou no lixo e deu o panfleto para ela quando foi para o quarto. Colocou uma camiseta, uma calça, ficou descalço e saiu se sentando no sofá.

- A tia Chaeyoung disse que a tia Yeri vai comer aqui então vão querer uma Pizza doce. - Mia disse saindo do escritório de Chaeyoung.

- Seu pai me disse que você está com dificuldade na escola. - Tzuyu disse quando Mia se sentou ao seu lado.

- Eu odeio matemática. - Mia resmungou.

- Eu vou te ensinar um pouco depois. - Tzuyu informou.

- Tá. - Mia disse a contragosto.

Tzuyu pediu quatro Pizzas, e se sentou na frente da TV enquanto Mia assistia Wild Girl no Boomerang. A pequena se sentou no colo de Tzuyu enquanto assistia e deitou com a cabeça no ombro. Momo e Yeri chegaram juntas e entraram na casa vendo os dois assistindo.

- Oi Mia. - Yeri disse sorrindo para a garotinha.

- Tia Yeri! - Mia pulou do colo de Tzuyu e correu para Yeri se jogando nos braços dela.

- Que susto. - Tzuyu disse observando as duas. Momo olhou para ele e sorriu. - Desculpa pela chave. - Tzuyu se levantou.

- Tudo bem. - Momo disse tirando a bolsa do ombro.

- Mia, essa é minha irmã Momo. - Tzuyu disse para Mia.

A garota olhou para sua tia e sorriu segurando na cintura de Tzuyu.

- Oi. - Mia disse tímida.

- Você se parece bastante com sua mãe. - Momo se abaixou e abriu os braços para Mia.

A pequena sorriu e caminhou até a tia e a abraçou.

- Oi amor. - Chaeyoung disse saindo do escritório e vendo Yeri.

- Oi. - Yeri disse com um ótimo humor e grudou seus lábios no da baixinha por breves segundos.

A campainha tocou e Tzuyu foi pegar a carteira para pagar as pizzas. Depois estavam todos sentados na cozinha comendo e conversando. Mia começou a bocejar com frequência depois de comer o terceiro pedaço de Pizza.

- Você está com sono? - Tzuyu perguntou.

- Uhn-uhn. - Mia negou bocejando.

Aquilo arrancou uma gargalhada de todos.

- Vem. - Tzuyu disse limpando as mãos no guardanapo. Pegou Mia no colo que parecia não pesar nada.

A  pequena prendeu as pernas na cintura de Tzuyu e deitou a cabeça no ombro.

- Você vai dormir assim? - Tzuyu perguntou para Mia enquanto subia a escada?

- Eu tenho que colocara o pijama e escovar os dente. - Mia disse soltando o ar pelo nariz com força.

- Com quem você vai dormir? - Tzuyu perguntou apontando para os ursinhos e colocou Mia sentada na cama.

- Com você. - Mia bocejou novamente e abriu a mala pegando o pijama.

- Tem certeza? - Tzuyu perguntou.

- Sim. - Mia disse indo para o banheiro.

- Escolhe o ursinho quando sair, eu vou estar te esperando. - Tzuyu disse.

Mia não demorou muito no banheiro e acabou pegando o minion que estava perto do pé da cama.

- É esse? - Tzuyu perguntou.

- Sim. - Mia assentiu sonolenta.

Tzuyu pegou a mão de Mia e desceu junto com ela para seu quarto.

Arrumou a cama e ligou a TV em algum canal de desenho e viu Mia deitar de bruços com o bichinho embaixo do braço. Cobriu a filha e depositou um beijo no meio dos cabelos claros.

- Eu amo você princesa. - Tzuyu sussurrou.

- Também te amo. - Mia respondeu sussurrando e fechou os olhos.

Tzuyu fechou a porta e se sentou a mesa enquanto as três conversavam.

- Ela nem vai ser mimada né? - Momo perguntou sorrindo.

- Olha a família que ela tem. - Tzuyu disse puxando outro pedaço de pizza para seu prato.

- Você não tem fundo? - Chaeyoung perguntou.

- Acho que não. - Tzuyu disse.

- Ela é linda. - Momo disse.

- Foi a melhor coisa que a vida me deu. - Tzuyu disse.

- Acha que ela vai aceitar bem a história? - Yeri perguntou e mordeu um pedaço de Pizza doce.

- Ela ficou meio incomodada com o fato de ter outra ''garota'' na minha vida, mas eu conversei com ela sobre isso e ela aceitou um pouco melhor. - Tzuyu disse e sentiu seus olhos começarem a pesar.

- Eu vou ler. - Momo disse se levantando e colocando o prato na pia. - Boa noite meninas. - Ela disse para Chaeyoung e Yeri.

- Boa noite Momo. - Yeri respondeu e Chaeyoung sorriu.

- Boa noite, maninho. - Momo beijou a cabeça de Tzuyu e foi para o quarto.

- Boa noite. - Tzuyu sorriu. - Eu vou para o meu quarto também. Quero curtir minha filha linda que está dormindo lá e, por favor, menos barulho.

- Pode deixar capitão! - Chaeyoung disse piscou.

Tzuyu entrou no quarto, foi para o banheiro escovar os dentes. Depois de terminar se deitou na cama e ficou observando Mia até cair de sono. Momo deu uma olhada no quarto de Tzuyu antes de sair e encontrou Mia e Tzuyu dormindo de bruços, Tzuyu tinha um braço sobre Mia e a pequena tinha o braço sobre o ursinho. Dormiam profundamente como se dividissem o mesmo sono.

Mia ainda estava dormindo quando Tzuyu acordou, se levantou tomou banho e foi ligar para JungKook.

- Oi? - JungKook disse ao atender.

- JungKook, é a Tzuyu. Acho que a gente precisa conversar. - Disse se sentando, ainda com o celular na orelha.

- Aconteceu algo com Mia? - JungKook perguntou estranhando a voz rouca e grossa de Tzuyu, mas deu de ombros tinha conversado com Chae.

- Não. Com Mia nada.

- Com você eu sei que aconteceu a Chaeyoung falo por cima.

- Também não é sobre isso, embora queira matar ela por falar mais do que deve.

- É sobre o que?

- Wendy. - Tzuyu disse.

O silencio se instalou na conversa.

- Eu não sei o que fazer. - JungKook disse finalmente quebrando o silencio. - Eu estou no hospital com ela, ela não quer falar com a Sana, não quer Mia por perto...

- Quando ela descobriu isso? - Tzuyu perguntou.

- Faz uns dois meses. - JungKook disse

- E qual é o problema?

- O câncer está comendo as cordas vocais de Wendy e logo vai acabar com a garganta dela. - JungKook disse com a voz falha.

- E o tratamento? - Tzuyu apoiou o cotovelo na perna e a cabeça na mão.

- Não vai funcionar. - Um suspiro engasgado saiu da boca de Ian e chegou até o ouvido de Tzuyu.

- E como eu vou contar pra Mia isso? - Seu estomago revirava pensando em Mia e em Sana.

- Nós vamos. - JungKook garantiu.

- Quando tempo a Wendy tem?

- O médico não disse ainda.

- Como você está?

- Com medo, é claro.

Silencio novamente e esse mais pesado do que o anterior. Tzuyu hesitou algumas vezes até que perguntou.

- JungKook você não acha que deve contar para Sana?

- Ainda não, quem tem que falar com ela é a mãe dela. - Jungkook disse suspirando. - Eu vou convencê-la.

- Qualquer coisa que precisar pode contar comigo. - Tzuyu disse

- Eu sei Tzu. - JungKook disse. - Eu vou desligar.

- Me liga para dar informações.

- Pode deixar.

Tzuyu segurou o telefone entre as mãos e levantou a cabeça vendo Yeri encostada na pilastra.

- Você não parece bem. - Ela disse se aproximando.

- Muita coisa acontecendo no mesmo tempo. - Tzuyu deu espaço para Yeri se sentar ao seu lado.

- Chaeyoung disse que amanhã você vai sair se quiser eu fico com a Mia. Eu não trabalho na segunda e eu adoro aquela menininha.- Yeri sorriu.

- Obrigado. - Tzuyu sorriu.

- Agora respira e se acalma que tudo vai se resolver. - Yeri disse.

- Tá bom. - Tzuyu assentiu. O relógio já marcava 1PM. - Vocês vão sair?

- Não. - Yeri disse.

- Assim a Momo não me mata. - Tzuyu sorriu.

- Bom dia tia Yeri. - Mia disse saindo do quarto de Tzuyu. - Bom dia papai.

- Boa tarde filha. - Tzuyu deu risada.

- Boa tarde lindinha. - Yeri disse.

- Tarde? - Mia franziu coçando o olho.

- É uma da tarde já. - Tzuyu disse se levantando. - Está com fome?

- Um pouco. - Mia assentiu. - Vamos sair?

Tzuyu assentiu.

- Eu a ajudo. - Yeri disse esticando a mão para Mia.

Tzuyu foi para a cozinha e viu uma folha com a letra de Momo. Encheu uma xícara de café e bebeu enquanto lia.

Tzuyu

Ontem eu entendi um pouquinho do que aconteceu durante esses dez anos.

Eu entendi o porquê você deixou Mia e o porquê você abandonou tudo, pela escola e porque você é.

Eu realmente invejo você nesse quesito. Você não tinha uma família em casa, então buscou uma fora, você se decidiu sobre o amor e ele te consome até hoje, sinceramente eu acho que Sana não merece seu amor, mas é você quem escolhe isso e não eu, nem o papai ou a mamãe.

A Mia é linda, ela é você todinha quando você tinha essa idade. Deve ter sido difícil entregar Mia quando ela era um bebe, mas como eu disse você construiu uma família e dentro dela incluía a mãe adotiva de Mia e seu ex.

Eu não sei se tudo isso tá me deixando mais paranoica do que o normal, mas ainda é muita informação para minha cabeça e eu estou admirada pelo fato de que você está conseguindo conviver com isso. Acho que você nasceu para ser camaleão, desde novinha você se adapta com as mudanças da vida facilmente.

Lembro quando o papai disse que íamos mudar e você não reclamou, apenas deu adeus a quem tinha que dar juntou suas coisas e o seguiu sem dar um pio, diferente de mim.

Eu tenho certeza que o papai se orgulha de você, sei que ele te admirava porque ele falava muito de você. Eu era a preferida como você gosta de dizer, mas você era a princesinha. Mesmo com todos os seus ''defeitos''.

Saí pra pensar um pouco e escrever. Depois eu vou para a clínica terminar de arruma-la para abrir.

Eu senti sua falta.

Beijos

Momo     

Tzuyu sorriu após terminar.

- Anda jogando seu charme em cima da minha namorada é? - Chaeyoung estava apenas com uma camiseta e Tzuyu demorou seus olhos na perna da mesma.

- Não. - Pigarreou. - Minha filha talvez.

- Chou Jeon Mia... Essa garotinha tem de tudo para seduzir o mundo. - Chaeyoung resmungou pegando a xícara da mão de Tzuyu.

- É. Os pais dela são foda. - Tzuyu piscou dobrando a folha e enfiando no bolso da calça. - Eu vou usara seu carro. Pode usar o meu se quiser e se for sair leva a chave para Momo.

- Aonde você vai? - Chaeyoung perguntou.

- Levar a Mia pra comer. - Tzuyu disse.

Chaeyoung observou Tzuyu, sabia que a sua melhor amiga estava desconfortável dentro daquele corpo, mas sabia que ela estava se divertindo o máximo que podia. Yeri abraçou a cintura de Chaeyoung por trás depositando um beijo na bochecha dela e Mia ficou olhando para Tzuyu.

- Bom almoço pra vocês. - Yeri disse.

- Obrigada. - Mia e Tzuyu disseram em uníssono.

Tzuyu e Mia se sentaram em uma cabine para dois de um restaurante mediano. Enquanto comiam, Mia contava sobre a escola e as peças que havia feito.

- Você gosta de atuar? - Tzuyu perguntou.

- Muito. - Mia assentiu.        

- Eu vou colocar você em aulas de teatro então, tudo bem?

- Sério? - Os olhos de Mia brilharam e ela sorriu.

- Sim, muito sério. - Tzuyu assentiu.

Um pouco de silêncio e Mia terminou o suco de seu copo, então olhou para Tzuyu.

- A tia Yeri disse que eu vou ficar com ela amanhã. - Mia disse.

- Sim, eu vou junto com uma cliente da tia Chaeyoung ver o garotinho que ela vai adotar. - Tzuyu disse rapidamente.

- Quantos anos ele tem? - Mia perguntou.

- Um ano e alguns meses. - Tzuyu sorriu.

- Você vai levar algo para ele?

- Você quer que eu de algo para ele?     

- Sim. Todas as vezes que eu venho para cá ou você vai para lá, você me leva presentes. - Mia assentiu.

- Mas você é minha filha. - Tzuyu apoiou os dois braços sobre a beira da mesa.

- Ele ainda não tem família. Seria legal ganhar algo de alguém. - Mia parecia muito mais madura do que Tzuyu imaginava que ela era.

- Você quer me ajudar a escolher?

- Sim. - Mia assentiu terminando.

Tzuyu pediu a conta e pagou, levando Mia para escolher algo para o garotinho.

- O que você mais gosta? - Tzuyu perguntou enquanto eles entravam na loja de brinquedos.

- Pelúcia. - Mia disse franzindo o nariz com um sorriso e depois abriu os lábios em um sorriso enorme e contagiante.

- Acha que podemos dar a ele um bichinho de pelúcia? - Tzuyu caminhava pela prateleira vendo milhões de pelúcia e Mia babando em cima de algumas.

- Sim, mas qual? - Mia parecia estar no paraíso da infância.

- Faz assim... - Tzuyu disse se abaixando e olhando-a. - Você escolhe três pra você. Eu acho algo para ele, ok?

- Sim!! - Mia se jogou em cima de Tzuyu e seus braços o envolveram.

Tzuyu estava em um extremo do corredor e Mia no outro com duas pelúcias grandes no braço. Tzuyu estava achando aquilo uma missão impossível, mas tudo se desfez quando viu o linguado médio no meio de um monte de Nemo, era aquele.

- Escolheu princesa? - Tzuyu caminhou até a filha.

- Sim. - Mia estava com um Sullyvan, um Mike Wazowsky e um Pluto no braço.

- Vamos levar a Disney pra casa. - Tzuyu sorriu.

- Papai, você não tem problemas com dinheiro? - Mia perguntou depois de hesitar umas duas vezes.

- Não muito, por quê? - Tzuyu franziu.

- O papai JungKook disse que eu não posso ficar abusando do seu dinheiro se não você vai ficar com problemas. - Mia disse bem baixinho.

- Digamos que o papai gosta de guardar dinheiro e que ele só gasta bastante quando certa princesinha está envolvida, mas ele não liga. - Tzuyu sorriu diante da curiosidade da garota.

Mia sorriu e observou o bichinho na mão de Tzuyu.

- Ele vai gostar. - Disse baixinho.

- Espero que sim.

Passaram no caixa pagaram e depois foram tomar sorvete perto da casa e depois voltaram para casa, Tzuyu ficou observando Mia nadar enquanto bebia um pouco do conteúdo da garrafa perto da espreguiçadeira.

Momo chegou algumas horas depois e viu Tzuyu na varanda e Mia brincando na piscina. Chaeyoung e Yeri estavam sentadas no sofá da varanda conversando e sentindo a noite calma e quente de Seul.

- Oi. - Momo disse entrando na varanda.

- Tia vem nadar comigo? - Mia pediu antes que alguém falasse.

Momo sorriu feliz por ter ouvido aquilo.

- Claro querida. Deixa só eu...

Tzuyu puxou Momo pela mão e se jogou na piscina junto com ela.

- ARGH! - Momo disse olhando a roupa após submergir e agradeceu mentalmente o fato de deixar o celular sempre dentro da bolsa.

Yeri, Chaeyoung, Mia e Tzuyu estavam rindo.

- Isso não tem graça. - Momo disse.

- Tem sim. - Tzuyu riu. - Lembra-se do verão em que viajamos para o Hawaii?

- Sim, eu estava na minha fase patricinha insuportável e você me empurrou para dentro da piscina com raiva da minha atitude. - Momo assentiu sorrindo.

- Vocês já viajaram bastante? - Mia perguntou subindo nas costas de Tzuyu.

- Bastante. - Momo assentiu.

- Eu vou te levar para Paris, em breve. - Tzuyu disse para Mia.

- Promete?

- Prometo.

A noite ia ser longa, todos entraram enquanto Momo e Mia se arrumavam Tzuyu, Chaeyoung e Yeri cozinhavam e depois do jantar se sentaram na sala.

- Vem filha eu vou te mostrar uma coisa.

Chaeyoung bufou e viu Mia e Tzuyu se afastarem para o quarto da pequena garota.

- Eu não vou ficar aqui segurando vela. - Momo disse saindo.

Foi para a varanda e sentindo a brisa enquanto seus pés balançavam dentro da água da piscina. Mia se sentou no chão do quarto enquanto Tzuyu colocava três ursinhos no chão e mantinha alguns no braço.

- Você não gosta de matemática, certo? - Tzuyu perguntou se sentando de frente para Mia, mas com os ursinhos no meio.

- Certo! - Mia assentiu.

- Mas você gosta de comprar ursinhos. - Tzuyu disse. - Quantos ursinhos tem aqui?

- Três. - Mia respondeu.

- Tira um, fica?

- Dois.

Tzuyu começou a mexer nas pelúcias, colocá-las e retirá-las para ajudar Mia.

- Coloca dois?

- Quatro.

- Menos três.

- Um.

- Mais cinco?

- Seis.

- Vezes dois?

- Doze ursinhos? - Mia franziu.

- Sim. - Tzuyu assentiu com um sorriso. - Isso é fazer contas querida. Você tem que usar o que você gosta ao seu favor.

- De novo. - Mia disse.

Ambos ficaram meia hora brincando com os ursinhos enquanto mai decorava facilmente como fazer contas.

- Posso dormir com você hoje? - Mia perguntou coçando o olho.

- Eu vou sair bem cedo. Você não acha melhor dormir aqui na sua cama? Você vai dormir mais e vai ter menos barulho.

- Na verdade. - Yeri disse entrando no quarto. - Eu ia levar a Mia lá pra casa.

- Deixa papai? - Mia olhou para ele que estava cheio de ursinhos nos braços.

- Eu a ajudo em tudo que precisar. - Yeri disse.

- Claro. - Tzuyu assentiu, não gostava de Yeri namorando Chaeyoung... Mas não tinha nada contra a pessoa em si.

Mia e Yeri começaram a decidir o que iam levar e o que fariam durante o dia seguinte. Tzuyu observou as duas enquanto se decidiam.

- Ela é linda. - Yeri disse sorrindo enquanto Mia pegava as coisas no banheiro.

- Ela é... Demais.

- Você está bem?

- Apesar de tudo, eu estou sim.

- Terminei tia Yeri. - Mia disse vindo com a mochila nas mãos.

- Vamos então? - Yeri disse olhando para Mia.

Mia passou por Tzuyu que franziu e cruzou os braços.

- Hey, você não está esquecendo-se de me dar tchau, não? - Disse franzindo.

- Desculpa. - Mia disse ficando vermleha e voltando para se airar nos braços de Tzuyu.

- Se comporta princesa, te vejo amanhã a noite, não durma tarde. - Tzuyu disse. - E nada de açaí, nem Coca- Cola pra essa garotinha, certo Yeri?

- Pode deixar. - Yeri piscou e esticou a mão para Mia.

- Boa noite mamãe. - Mia sussurrou para Tzuyu antes de r para Yeri. Ela se sentia bagunçada na hora de atribuir o masculino e o feminino para Tzuyu, mas não importava... O sentimento era o mesmo.

- Boa noite princesa.

Tzuyu deu tchau para as duas observou Chaeyoung e Yeri trocarem algumas palavras e depois foi para seu quarto, arrumando o alarme para despertar 5 horas.

- Momo. - Tzuyu bateu na porta do quarto dela.

- Entra. - Momo disse tirando os óculos e os olhos dos livros.

Tzuyu entrou no quarto e sentou na cama.

- Me ajuda com isso aqui? - Tzuyu apontou para a barba.

- Vai tirar? - Momo arqueou as sobrancelhas.

- Tenho a leve impressão de que se tirar vou ficar com cara de moleque. Então quero só limpar. - Tzuyu disse fazendo gracinha.

Momo ensinou Tzuyu a fazer a barba paciente e Tzuyu tomou cuidado para não se cortar. Depois que terminou sorriu para a irmã.

- Eu não acho que você tem que ter nada do que disse de mim. Você tem sua vida e ela é demais. Sempre invejei sua liberdade, mas nunca desmereci o que me prendia. Você só tem que se aceitar. - Tzuyu piscou para a irmã.

Momo abraçou aquele corpo diferente que Tzuyu tinha e sentiu os braços ao redor de si.

- Você se importa se eu viajar? - Momo perguntou.

- Voce vai voltar antes do Halloween?

- Sim.

- Então não. Vai pra França? - Tzuyu arqueou as sobrancelhas.

- Sim. Vou voltar lá e tentar ser corajosa. Se importa de me levar no aeroporto tipo agora?

- Agora?

- É agora.

- Ok. Eu vou trocar a calça e colocar uma camisa e a gente vai. - Tzuyu disse saindo do quarto.

Olhou no relógio eram aproximadamente dez horas da noite

- Chae, eu vou levar a Momo no aeroporto e já volto. - Tzuyu disse colocando apenas a cabeça para dentro do escritório de Chaeyoung.

- Ok. - Chaeyoung levantou os olhos das folhas que estava lendo - Eu já conversei com o caro do novo sistema e já pedi um novo note, eu vou descontar da poupança empresarial, ok?

- Sim, dessa mesma. - Tzuyu pensou um pouco. - Depositou o dinheiro da pessoal?

- Sim. E tirei o extrato também. - Chaeyoung assentiu. - Onde a Momo vai?

- Pra casa dela...

- Você acha que ela vai...

- Acho que sim. - Tzuyu sorriu entrando na sala pegando o extrato e colocando a folha que estava no bolso da calça na mesa de Chaeyoung. - Depois que ler coloca no meu quarto.

Tzuyu saiu de dentro da sala e foi para o aeroporto com Momo que só conseguiu um voo para duas da manhã. Tomou um energético e aguardou pacientemente até o avião partir, quando chegou a casa já era quase três horas, se deitou, mas o sono não vinha então ficou pensando, no minuto que fechou o olho o celular despertou em sua orelha.

Levantou-se tomou banho e lavou o rosto com água gelada. Colocou uma calça jeans branca, uma camiseta polo de manga comprida azul marinho e tênis de cano alto. Passou a mão no cabelo o arrumando e pegou o ursinho e a chave do carro de Chaeyoung. Deixou a chave de seu carro e um bilhete perto da cafeteria.

Saiu de casa e olhou o relógio em seu pulso eram seis e dez, torcia para que os carros não estivessem trafegando pelas avenidas principais. A radio estava ligada, mas entrava por seus ouvidos e se perdia no meio dos pensamentos Lion Heart tocava logo cedo, o rádio estava baixo. Seus dedos batucavam suavemente no volante do carro.

Sana estava na frente do teatro com um vestido azul marinho de alcinhas finas e bem leve, tinha uma bolsa no braço e seu cabelo estava voando ao vento e grudando em seus lábios. Tzuyu estacionou tinha exatamente três minutos para tirar o carro dali, abriu a porta rapidamente e pulou para fora. Sana sorriu reconhecendo Jeonghan e achando ainda mais interessante ver ele sem aquele terno. Ele olhou o relógio.

- Pontual. - Disse rapidamente. - Bom dia.

- Bom dia. - Sana sorriu e foi surpreendida por um beijo na bochecha.

- Vamos? - Ele abriu a porta do carro para Sana.

- Claro. - Ela assentiu e olhou ao redor vendo que não tinha nenhum paparazzi.

Entrou no carro, Tzuyu deu a volta meio embasbacado e ainda sentindo o cheiro de Sana. Entrou no carro e arrancou rápida e silenciosamente.

- Como foi seu final de semana? - Perguntou assim que saíram da principal.

- Intenso e até mesmo triste. Mas se tudo der certo eu vou ser a pessoa mais feliz do mundo. - Camila disse dando aquele sorriso.

Tzuyu se perdeu no sorriso pela sua visão periférica e apertou suavemente o volante.

- Eu vi sua ultima apresentação. - Disse casualmente.

- Eu sabia que já havia visto você. - Sana disse - E eu vi quando saiu.

- Eu não estava bem e eu tinha que receber uma ligação da Tzuyu; - Mentiu confortavelmente, sobre isso poderia mentir tão bem que nem se assustava.

Sana ficou em silencio e indicou as ruas com as mãos.

- Ela está bem? - Perguntou depois de um longo tempo.

- Não sei... Essa é uma pergunta que ela nunca me responde. - Deu de ombros. - Faz quanto tempo que está tentando adotar Seungkwan?

- Não muito. Um mês só. - Sana suspirou aliviada pela mudança de assunto, Jeonghan retirou a mão da marcha e coçou a bochecha. - Isso não te incomoda?

- Não. O meu rosto que coça a barba não. - Olhou para encontrar Sana o encarando. - Como conheceu Seungkwan?

- Eu costumo cantar em casas para idosos, orfanatos e clínicas psiquiátricas. - Sana disse. - Seung estava em uma dessas clínicas, e ele é tão indefeso e pequeno.

- Sei como é olhar para uma criança e no exato momento não poder fazer nada além de transmitir amor a ela. - Tzuyu disse olhou para a janela de seu lado lembrando-se de quando viu Mia no berçário.

Sana decidiu não comentar apenas absorveu as palavras, era como se Tzuyu estivesse ali falando com ela sobre Mia e aquilo fez seu estomago revirar. O carro parou na frente da clínica

- Chegamos. - Sana disse baixo.

Tzuyu abriu sua porta e saiu dando a volta e abrindo a de Sana que só abria por fora.

- Que isso? Porta feita para cavalheirismo? - Sana arqueou as sobrancelhas.

- Sim, Chaeyoung é meio maluca ás vezes. - Tzuyu respondeu sorrindo e abriu a porta de trás pegando a pelúcia. - Acha que ele vai gostar?

- Você comprou isso para ele? - Sana analisou.

- É... Sim. - Tzuyu assentiu com receio.

- Isso é fofo. - Sana disse.

- Vamos? - Perguntou.

Os dois andaram até a porta, Tzuyu admirava a bela estrutura da clínica e acompanhava Sana sentindo o cheiro de morango emanar de seu cabelo graças ao vento.

- Bom dia Senhorita Minatozaki. - A médica disse a vê-la.

- Bom dia Jihyo. - Sana sorriu dando um neijo em cada lado do rosto da Doutora e olhou para Jeonghan. - Esse é Chou Jeonghan, um amigo que está aqui para conhecer Seungkwan, e ele tambpem trabalha com a advogada que está no caso.

- É um prazer Sr.Chou. - A mulher esticou a mão para ele.

- O prazer é meu. - Respondeu apertando a mão dela.

- Ele já acordou? - Sana perguntou.

- Já sim. - A doutora sorriu. - Vamos.

Sana parecia um astro vivo cheio de luz própria, ela andava pelo corredor rapidamente. Alguns barulhos de crianças rindo. Tzuyu ouviu um palavrão e viu uma adolescente sentada no banco que ergueu o dedo do meio para ele.

- Sejeong, seja educada. - A doutora disse.

- Eu quero ir embora! - Sejeong disse.

- E porque não vai? - Tzuyu perguntou franzindo.

- Ela está com uma pulseira no braço que irá dar um choque nela caso ela saia.

Tzuyu franziu, sorriu para a garota e parou na frente dela. - Eu sou Jeonghan, muito prazer Sejeong. - Disse para a garota e deixou Sana '' andar'' para longe.

- Ah, legal... - A garota o observou.

- Quantos anos você tem? - Perguntou rapidamente.

- 16. - Ela inclinou a cabeça para o lado com um bico.

- Minha irmã ficou grávida aos quinze e teve uma filha com dezesseis anos. - Tzuyu contraiu os lábios se agachando.

- O que aconteceu com elas? - Sejeong pareceu interessada.

- Tzuyu é uma ótima advogada, mas teve seu coração partido porque o amor nem sempre vem de forma fácil. - Disse rapidamente. - Mas ela tem Mia, que é a melhor coisa que aconteceu na vida dela.

- Ela parece ser uma pessoa legal. - Sejeong disse.

- Você teria que a conhecer para dizer isso. - Jeonghan arqueou as sobrancelhas - O que você faz aqui?

- Eu fui abusada sexualmente, depois começou a traficar, minha mãe me vendeu... E mataram ela... - Sejeong disse desinteressada dando de ombros.

- Sabia que aqui existem pessoas que se importam com você?

- Ninguém se importa.

- Eu me importo.

- Você não me conhece.

- Você acabou de me fazer conhecer você um pouco. - O sorriso no rosto de Jeonghan era lindo e contagiante. - Não brigue com essas pessoas, elas só querem ajudar você.

- Hmmm... Oi? - Sejeong disse olhando para trás de Jeonghan.

- Oi. - Sana disse baixo acenando.

Sejeong olhou para o homem á sua frente. - Você veio junto com ela?

- Sim. - Jeong se levantou.

- Você é legal Jeonghan. - Sejeong disse.

- Você também é. - Ele sorriu para ela.

- Vamos? - Sana chamou.

- Claro. - Jeonghan disse olhando para Sana pelo ombro e depois sorriu para a menina. - Eles só querem ajudar. - Disse para Sejeong e seguiu Sana.

- É verdade o que disse? - A japonesa perguntou.

- Depende do que estamos falando. - Tzuyu disse.

- Coração quebrado...

- É feio ouvir a conversa dos outros. - Jeonghan a repreendeu.

- Desculpa. - Sana disse, parecia envergonhada.

 

*


Notas Finais


O que será que a Momo foi fazer na França....?
Espero que tenham gostado
Até breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...