História Just Another Love Story: Moon - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hizashi Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Kiba Inuzuka, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Hinaneji, Naruto, Neji X Hinata, Nejihina, Romance
Exibições 42
Palavras 1.415
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Harem, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem a demora, tive dificuldades para postar esse capítulo, mas aqui está. ^^
Espero que gostem.

Capítulo 6 - A Realidade Nunca Favorece o Amor


Neji POV On

-Hey, Tenten. – Chamei sua atenção.

-O que? – Ela arqueou uma sobrancelha e corou levemente ao notar que eu olhava fixamente em seus olhos.

-Você já beijou alguém? – E se os meus sentimentos por Hinata fossem apenas fraternais? Se talvez eu beijasse outra pessoa com a qual me preocupo talvez eu pudesse ser capaz de comparar...

-Não... e eu já falei para escolher melhor as pala... – Ela parou de falar, nossos rostos estavam próximos.

-O que acha de... experimentar...? – Perguntei enquanto me aproximava lentamente dela, se eu beijasse Tenten, eu saberia se existe diferença entre o que sinto por Hina e amor fraternal... ou eu apenas pretendia usar minha amiga para esquecer a dor que sentia pelo que Hinata disse?

-Eh? ... eu... eu... – Tenten começou a gaguejar, seu rosto se mostrou irritado mesmo com a coloração vermelha e então ela cedeu. Apenas fechou os olhos e esperou os nossos lábios se tocarem.

Sacudi a cabeça vendo a imagem de nós dois nos beijando desaparecendo nas profundezas da minha mente. Eu não podia fazer aquilo, sem contar que sempre que eu acabo planejando algo em minha cabeça nunca dá certo. Cobri meu rosto com a mão para que a garota de coques não notasse que eu estava corado. Que droga! Porque eu tive que me imaginar beijando Tenten? Nós brincamos juntos desde pequenos, eu não consigo vê-la dessa forma, ela é como uma irmã para mim! Irmã.... Irmã! É isso! Eu vejo Tenten como uma irmã! É um sentimento fraternal e mesmo assim, é completamente diferente do que sinto por Hinata.

-O que foi Neji? – Tenten perguntou, já irritada por eu não ter dito nada depois de chamar sua atenção.

-Hã? Ah.... É realmente tão errado eu me sentir assim em relação a minha prima? – Perguntei levando a mão ao peito.

-Eu acredito que o amor não é errado... independente da raça, do sexo e até da relação sanguínea. Não acho que é errado, mas não é assim que a sociedade pensa. – Ela cruzou os braços, bufando ao terminar a frase.

-Entendi... obrigado. – Abri um sorriso para ela, vendo-a corar um pouco e sorrir da mesma forma.

-Hey... Neji. – Ela se aproximou rapidamente. – Se quiser eu posso...

-Você é o irmão da Hinata, não é? – Uma voz interrompeu o que Tenten ia dizer, ao encarar a direção de onde ela veio vi um loiro que se aproximava de forma irritante. – Soube pela Sakura que ela passou mal... está tudo bem com ela?

-Primo.

-Oi? – Perguntou confuso.

-Eu sou primo dela. – Completei a frase.

-Ah, desculpa. – Ele coçou a cabeça constrangido por ter se confundido.

Olhei ele da cabeça aos pés, se vestia mal, era magro demais além de ter essa cara de retardado. Que ódio. O que ela viu nele? O encarei com meu olhar mortal e ele recuou, até o idiota do meu "inimigo de infância" era mais corajoso que isso, como alguém assim poderá protege-la? Não. Nem pensar. Eu não vou confiar a minha Hinata a esse garoto! Mas... que direito eu tenho? Não importa o que eu fale, não vale a pena começar uma briga com ela porque eu não quero aceitar o garoto que ela... que ela... ama.

-Eu fiz alguma coisa para você? – Ele perguntou assustado, estava suando.

-Nei-Kun? O que houve com seu rosto? – Tenten perguntou assustada olhando para mim.

-Faz tanto tempo que não uso meu olhar mortal que agora não consigo desfazê-lo... – Respondi de forma séria e recebi um beliscão na bochecha.

-Nii-san! – Meus olhos se arregalaram. Era Hina? O que ela estava fazendo aqui?

Só que, ao olhar a direção de onde veio a voz eu vi uma garota de longos cabelos loiros com uma marca de nascença no rosto muito familiar. Demorei muito para notar que ela não estava falando comigo, Naruto a encarou com um olhar preocupado, como se seus olhos dissessem que ela não podia continuar correndo em nossa direção. Era irmã dele? Ele tinha uma irmã?

-WAAAH! – Ela gritou ao me ver e caiu desajeitada no chão, seu rosto ficou vermelho de uma forma assustadora, e logo depois disso ela se levantou e correu para trás do loiro.

-Kurama... – Naruto estapeou a própria face. – O que está fazendo aqui?

-Eu estava passeando com umas amigas e vi você de longe, de qualquer forma porque está conversando com Hyuuga-Senpai? – A voz bem baixinha saiu de trás do garoto e eu me surpreendi por ter conseguido discernir tudo que ela disse. Espera, ela disse Senpai?

-Acho que ela é do seu fã-clube. – Tenten sussurrou para mim.

-Eu tenho um fã-clube? – Sussurrei de volta.

-Vai dizer que não sabia? – A de coques perguntou.

-Porque eles estão tão próximos? Porque eles estão tão próximos? Porque eles estão tão próximos? – A voz atrás de Naruto me impediu de responder Tenten.

-Etto... eu vou levar Kurama para casa, desculpem por isso... – Ele a agarrou pela mão e começou a andar, mas eu ignorei o que ele disse.

-O seu nome é Kurama, certo? É um prazer. – Eu sorri para ela e vi seu rosto ir de rosado para completamente vermelho.

-K-K-Kurama U-Uzumaki.... P-prazer..... – E com isso ela saiu correndo.

Então é assim que as garotas se comportam perto de quem elas gostam? Rangi os dentes ao lembrar que Hinata agiu da mesma forma quando encontrou ontem com Naruto. Sim, ela mesma disse, não foi? Que o amava. Se as coisas continuarem assim ela vai se casar com ele... ou eu estou indo longe demais ao pensar assim? Mas Tenten mesmo disse que era improvável que fosse apenas uma paixão passageira. Ele não é popular, tem péssimas notas e é horrível em esportes, porque você se apaixonou por ele Hina? Porque logo agora?

Acabei me despedindo de Tenten e voltando para casa, porém, eu me surpreendi ao notar que o carro do meu pai estava estacionado na entrada, ele veio me ver? Foi a primeira vez que ele veio, desde que me mudei. Entrei e tirei os sapatos caminhando até a cozinha, o copo e a chaleira com chá verde em cima da mesa, a maleta de trabalho e o terno cuidadosamente dobrado sob o sofá. Só faltava ele naquela sala, me servi um pouco do chá em outro copo e me sentei na extremidade oposta da mesa, esperando ele voltar.

-Olá filho. – A voz grave veio de trás de mim e após tomar um gole do chá amargo eu respondi:

-Bem-vindo de volta Otou-sama.

-Fez um ano ontem desde que você se mudou, não foi? – Perguntou.

-Sim. Foi por isso que veio? – Não sei ao certo quando nossas conversas ficaram assim, mas de certa forma eu já tinha me acostumado.

-Não, na verdade Hiashi está precisando de ajuda na clínica daqui. – Ele se sentou e logo abriu uma pasta começando a ler os documentos lá guardados enquanto bebia do seu chá.

-Fiquei sabendo que recebemos uma oportunidade de expandir as corporações Hyuuga para os estados unidos... pretendem aceitar? É uma oportunidade única, mas seria complicado monitorar unidades do outro lado do mundo... – Perguntei sério.

-Sobre isso... Bom, é provável que alguém seja enviado para cuidar da administração das unidades de lá.

-E já escolheram essa pessoa? – Voltei a dar um gole no chá.

-Na verdade isso é bem complicado, eu e Hiashi somos os únicos membros de confiança da corporação que falam inglês fluentemente, só que Hiashi não pode sair da capital e eu não poderei passar mais de dois anos fora, já que sou encarregado de monitorar o projeto de adicionar várias clínicas nas cidades do interior e também tenho que cuidar do atendimento a estrangeiros, como quase ninguém se dispôs a monitorar o projeto é possível que encarregar outra pessoa possa ser problemático...

-Então decidiu congelar o projeto por dois anos e cuidar das clinicas nos EUA até que alguém adequado seja escolhido para monitorar tudo lá? – Perguntei.

-Na verdade, eu queria que você fosse comigo. – Ele disse me surpreendendo.

-Eu? Porque? – Perguntei assustado.

-Porque não? Você finalmente está interessado nos assuntos da empresa, se fizer o ensino médio lá, pode aproveitar para melhorar seu inglês e fazer estágio na empresa até se formar em alguma faculdade de qualidade, então você poderia se encarregar do cargo de monitorar as unidades na américa. – Ele disse com a voz inexpressiva de costume. Gelei, não queria ir para América, não queria ir para longe de Hina, se o fizesse quem iria cuidar dela? Naruto? Me recuso a aceitar! 

Porque a realidade nunca favorece meu amor por Hina?


Notas Finais


E então? Gostaram? Desgostaram? Digam o que acharam nos comentários, isso me ajuda muito, afinal, é muito melhor postar quando você sabe o que seus leitores estão achando da história, conto com vocês! :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...