História Just belive in our light - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Romance, Viagens
Visualizações 12
Palavras 1.377
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 10 - Home again...


3 meses... sim já passou esse tempo todo e finamente a minha barriguinha começou a aparecer,  a lou estava louca por ela, sempre pedia para escutar ela e ela falava com ela, eu estava tão empolgada como ela e só me dei conta disso quando dei por mim faando com o meu bebé com um sorriso bobo no rosto.

Hoje eu iria viajar para visitar a minha linda melanie que já nasceu!!!
Como eu não pode ir visitá-la eu assisti ao parto por skype!!! sim gente, eu assisti tudo e estive sempre falando palavras para encorajar o Steven e a Rosalyn, foi tão lindo e estranho, foi... estranhamente lindo!!

A lou iria viajar comigo pois segundo ela, eu e o meu bebé não podíamos ficar sozinhos nem um segundo!

  - não acredito que finalmente vamos visitar a sua família! Nossa será que eles vão gostar de mim? Ou vão me achar chata demais? Ou pior tagarela?
  - você é tagarela mesmo- falei rindo e ela me olhou assustada- calma eles vão amar você, eu amo você como uma irmã e eles vão amar você como uma filha, pode escrever o que eu te digo.
  - espero que sim, sabe eu gostava muito que isso acontecesse, o tio Ben é muito bom, mas eu gostava de ter pais sabe, como você.
  - eu sei- a abracei, os pais da lou tiveram um acidente quando ela era bebé e desde então o tio Ben cuida dela, mas sei que ela quer ter uma figura maternal, ter irmãos, ter um pai de verdade!
 
O voo até londres foi bem tranquilo, eu estava com tanto dono que dormi o tempo todo, desde que estou grávida o sono se tornou meu companheiro, tal como a má disposição e a rabugisse.

Assim que aterramos, vesti um moletom bem folgado e quentinho, estava um frio de rachar!

  - filha- a voz do meu pai ecoou nos meus ouvidos mas eu ainda não o tinha visto, olhei em volta e lá estava ele!
  - pai- abracei-o bem forte e logo os bracinhos finos da minha mãe nos rodearam e também a abracei.
  - que saudades que eu tive- disse chorando- que merda de hormonios.
  - ah vê como é horrivel- olhei para a rosalyn, que estava fantástica! A abracei como nunca e o chorinho de bebé soou, olhei para trás e vi o Steven segurando a Mel!
  - aiii me deixa ver o meu anjinho- peguei nela que logo parou de chorar e me olhou com os olhinhos azuis iguais aos da mãe.
  - nossa ela gosta de você- a lou disse vindo para o meu lado.
  - ela sempre parava de chutar quando ouvia a voz da liv- a rosalyn disse sorrindo- você vai ser uma ótima mãe.
  - é... eu espero que sim.
  - bom é melhor irmos indo para casa, não podemos ficar no frio por muito tempo- a minha mãe disse e pegou na mel, abracei o Steven.
 

O caminho para casa foi tranquilo, fiquei o tempo todo vendo a Mel dormir, ela era simplesmente perfeita, era a mistura do Steven e da Rosalyn na perfeição, os olhinhos da mãe, o narizinho e boca do pai e o cabelo era da mãe, o ruivo clarinho mais lindo que eu já vi.

  - é maravilhoso não é?- Steven perguntou- por vezes nem acredito que eu fui um dos responsáveis por esta beleza, tão pequena e frágil.
  - é- sorri- penso o mesmo quando me dou conta que tenho um bebé dentro de mim, tão pequeninho e frágil, por vezes tenho medo, medo de não ser capaz de ser mãe.
  - não se preocupa, você mesma viu, a Mel é um bebé muito choram, mas calou assim que  ouviu a sua voz.
  - talvez você tenha razão- deitei a cabeça no seu ombro.
  - você devia contar para ele, ele tem direito de saber que vai ser pai- olhei para ele indignada.
  - direito?! Ele perdeu todos os direitos quando me excluiu da sua vida, quando preferiu partir e não me falar nada, ele me esqueceu então eu o vou esquecer.
  - mas...
  - não tem mas Steven- ainda bem que tinhamos acabado de chegar, pois eu sai disparada do carro e fui para dentro nem queria saber das minhas malas, todos sabiam que eu odiava falar disto, mas por alguma razão sempre ficavam a falar sobre ele.
  - ethan?!
  - liv, o que aconteceu? Porque você está chorando? Quem machucou você? Se você quiser eu vou já para aí.
  - não é preciso, eu só queria falar com você- a porta se abriu e a Lou entrou- a Lou está aqui desculpa ter ligado eu só... eu só... nem sei o que eu quero mais.
  - não faz mal liv, eu só não quero você triste ouviu, se for preciso eu vou para ai.
  - eu sei obrigado, te amo.
  - também te amo, beijo.

  - por que você saiu assim do carro?- a lou perguntou assim que eu desliguei a ligação.
  - o Steven falou que eu tinha que falar para o Dylan, disse que ele tinha direito de saber que vai ser pai, eles não entendem o quanto eu estou sofrendo, ele me excluiu da sua vida!
  - eu sei liv, você tem razão- ela me abraçou e eu desabei.
  - o que eu fiz de mal Lou? O que eu fiz para merecer tanto sofrimento?
  - às vezes é preciso cair de cara no chão para aprendermos uma lição muito importante e talvez seja esse o caso.
  - não sei não- olhei para ela- os meus pais te adoraram.
  - como você  pode dizer isso eles mal falaram comigo- riu.
  - eu os conheço, eles te adoram e estão  agradecidos por vocês cuidar de mim.
  - eu adoro você e adoro este bebézinho, eu vou sempre estar aqui para você, minha irmazinha- ela me abraçou.
  - irmazinha- ri.

Ficámos a conversar durante horas eu acho, mas como tudo o que é bom dura pouco logo a tia lety chegou e veio me cumprimentar, eu estava com medo de abraçar e ela notar, mas não aconteceu nada, foi tudo normal, ela perguntou como eu estava no trabalho, me perguntou se eu estava namorando e quando eu ia voltar definitivamente, mas nem eu sabia isso.

A noite estava perfeita, me sentia feliz por estar com a minha família, não que os Cooper's não me tratassem bem, eles tratavam, mas não era igual e a Lou percebeu isso, ela estava adorando tudo, estava gostando da emoção de estar rodeada de pessoas, estavam cá todos, a milena, a alexa, a rosalyn, o steven, os meus pais e os do Dylan e claro o Jason que como sempre estava de olho na Lou, ele sempre esteve de olho nela mas nunca teve coragem de chegar na frente.
  - quando é que o Jason vai perder esse orgulho todo e me beijar de jeito- a lou perguntou olhando para ele, foi impossível não rir, ela também já tinha dado conta, na verdade só um cego que não perceberia o óbvio não é.
  - eu vou lá dar um empurrão nele- pisquei para ela.
  - oiii- abracei ele que retribuiu na mesma ora.
  - então como é que a mãe do ano está indo- falou acariciando a minha barriga mas logo tirou antes que alguém percebesse.
  - muito bem, mas então quando é que você se vai chegar à frente e beijar a lou de jeito- ele me olhou como se eu fosse louca.
  - tá doida e se ela não quiser- perguntou intrecalando o seu olhar entre eu e ela.
  - acredita em mim ela quer.
  - sério?- acenti, ele me olhou duvidoso mas foi ter com ela e meia hora mais tarde já tinha rolado até pedido de casamento, brincadeirinha, mas eles estavam bem ,como ei de dizer, felizes.
  - eu vou lá- a minha mãe disse assim que a campainha tocou, estávamos todos à mesa almoçando.
  - James vem aqui- a minha mãe o chamou em um tom de preocupação.
  - o que está acontecendo- a lou perguntou e eu dei de ombros eu não sabia o que estava acontecendo.
  - o Dylan está aqui- a minha mãe disse e foi como se o mundo parasse....


Notas Finais


Desculpem por qualquer erro gente, espero que tenham tido uma boa leitura e fico esperando pelos vossos comentários hein, beijos e até ao próximo cap!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...