História Just Breathe - Drarry - Capítulo 22


Escrita por: ~

Visualizações 348
Palavras 7.212
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capítulo novo amores, leiam também as notas finais.
Em certo momento vai tocar uma música, quem quiser colocar para dar mais emoção, seria muito bom.
Boa leitura.

Capítulo 22 - Sentimentos Expostos


                                                           Harry

 

 

Estávamos nós dois ali, corpo com corpo, boca com boca, língua com língua e coração com coração. Estar beijando Malfoy ali naquele corredor, naquele exato momento era como ser trazido de volta a vida, e puta que pariu, que vida maravilhosa essa. Malfoy estava com as mãos totalmente descontroladas, passando rapidamente por todo meu corpo, chegando finalmente até minha cabeça e a movendo para o lado em busca de deixar meu pescoço livre para que ele pudesse morder; enquanto Draco mordia levemente meu pescoço meu corpo se arrepiava dos pés a cabeça e eu já estava totalmente excitado, e era de uma maneira diferente, uma excitação mais forte que o normal; levei minha mão até a bunda do loiro e a apertei de maneira suave, o que fez com que um arquejo fosse escutado saindo de sua boca, que nesse momento já estava mordendo o lóbulo de minha orelha.

Eu não sabia o que pensar sobre o que significava o que Malfoy havia acabado de dizer, o que será que ele quis dizer, será que foi uma forma de se declarar para mim sem dizer as palavras propriamente ditas? ¨Onde você for, eu vou¨ essas benditas palavras não paravam de ecoar por minha mente, e essas mesmas me faziam sentir completo, como se uma mão quente e confortável acariciasse meu coração, meu estomago tinha borboletas, eu podia sentir, eu estava muito nervoso, mas não de uma maneira ruim, era um nervoso gostoso, desses que nos fazem sorrir como bobos.

Os últimos tempos sem Draco foram incrivelmente torturantes, eu sentia tanta falta dele que não queria quebrar aquele beijo nem mesmo para respirar, eu sentia que se soltasse os cacos de vidros que eram meus sentimentos se quebrariam novamente, e eu não queria isso.

 

- Ai - Eu disse em tom de dor e Draco parou de me beijar no mesmo momento.

- O que foi? - O loiro perguntou - Te machuquei?

- Não, não foi isso - Eu respondi rapidamente tentando me explicar - é que você mordeu meu lábio com força.

- Me desculpa - Draco respondeu se aproximando dos meus lábios e dando um selinho no filete de sangue que escorria, e eu não pude não sorrir - Melhorou?

- Ainda não - Respondi e o loiro olhou com cara de confuso para mim - Mas vai melhorar com mais um beijo.

 

Draco sorriu para mim de uma forma tão doce e ingênua que eu fiz o mesmo, e em seguida nossos lábios já estavam encostados um ao outro, as línguas dançavam com maestria dentro da boca, era um beijo lento e gostoso, eu sentia que havia algo a mais do que apenas atração física naquele momento, tinha algum sentimento que preenchia o ar com faíscas imaginarias, mas eu ainda não sabia o que era exatamente.

 

- Preciso voltar pro quarto - Draco disse quebrando nosso beijo e eu provavelmente fiz uma cara de cachorro abandonado, devido a próxima frase do loiro - Não adianta fazer essa cara de cachorro abandonado, Potter!

- Vamos para a sala precisa? - Eu perguntei praticamente jogando as palavras rapidamente - Por favor.

- Não dá Harry - Draco respondeu sério - Amanhã cedo tenho que ir para Hogsmeade resolver algumas coisas, e logo depois temos aquele interrogatório pelas corujas, sequestro da Luna e tudo mais...

- A gente acorda cedo - Eu disse sussurrando no ouvido do loiro que parecia se derreter com o halito fresco e quente que sai de minha boca e tocava sua orelha - Eu prometo.

- Eu queria - Draco respondeu dando uma pausa para um beijo lento e sem língua - Mas realmente não dá, deixa para uma próxima vez.

- Próxima vez? - Eu perguntei sorrindo e ele sorriu novamente, dando as costas e caminhando através da escuridão lentamente – Então vai ter próxima vez?

- Próxima vez - O loiro respondeu sem nem olhar para trás.

 

 Minha única reação foi dar um grito contido e um pulo que não sei de onde veio, consegui escutar a risadinha abafada do loiro, provavelmente ele devia estar pensando o quanto eu sou bobo, mas eu realmente não me importava, eu só queria que ele soubesse o quanto eu estava feliz, e era um tanto que não existiam números suficientes no universo que poderiam contabilizar aquilo, eu me sentia feliz como a anos não me sentia, e foi com essa felicidade que voltei a meu dormitório e peguei rapidamente no sono.       

 

 

 

 

                                                             Blásio

 

 

Era sábado e eu estava incrivelmente empolgado, eu não fazia ideia o porque, mas eu estava, eu tinha uma boa sensação brotando aqui dentro de meu peito, eu sentia que alguma coisa muito boa iria acontecer hoje, por mais que tivéssemos um interrogatório em algumas horas, eu sabia que estávamos encrencados, mas essa é a vida.

Levantei rapidamente da cama e fui lentamente me deitar ao lado de Theo, eu queria o importunar logo cedo, e assim o fiz. Deitei-me ao lado do moreno e o abracei por trás, ele deu algumas mexidas enquanto dormia até que abriu os olhos e os revirou em forma de tédio ao me ver e eu apenas comecei a rir.

 

- Eu já disse amor - Theo disse em tom de brincadeira - Não podemos nos pegar na frente de Draco.

- Eu tinha esquecido - Respondi rindo e o moreno me acompanhou.

- Vocês são patéticos - Draco disse sentando-se em sua cama e revirando os olhos, mas rindo logo em seguida, então o acompanhamos.

- Você está é com inveja porque somos um casal perfeito - Theo disse brincando e nós caímos na risada.

- É verdade - Eu respondi em tom de brincadeira, dando um leve tapa na bunda de Theo enquanto o mesmo se levantava, nós tínhamos essa brincadeira, mas nos considerávamos irmãos, e o moreno era hetero também.

- Eu? - Malfoy perguntou com um falso desdém - Inveja de vocês? Eu tenho o Potter...

- Como assim? - Theo gritou empolgado e pulando rapidamente para a cama do loiro, o moreno estava apenas com uma samba canção e sem camiseta - Vocês ficaram de novo?

- Ficamos - Draco respondeu rindo e dessa vez foi minha vez de correr até a cama e me sentar ao lado do loiro.

- Conta logo essa história, Malfoy - Eu disse empolgado - Com detalhes.

- A gente foi fazer a ronda e tudo mais... - Draco começou a nos contar.

 

A cada palavra que o loiro dava era um sorriso, o tom de voz dele era de uma felicidade incrível, que jamais havia visto no loiro, ele realmente estava muito contente com aquela situação, e eu realmente estava feliz por ele, confesso que se fosse há alguns meses atrás quando eu ainda era totalmente caído por ele, eu ficaria enciumado, mas dessa vez a felicidade que brotava em mim por vê-lo tão feliz era inexplicável, e isso sem contar que meus olhos já estavam em outro, um tal de... Fui tirado de meus pensamentos com uma batida forte na porta, e logo essa mesma se abriu e Pansy entrou por ela.

A morena estava com os cabelos presos em um coque alto, uma linda camisola de renda e descalça, assim que nos viu todos reunidos na mesma cama já foi se jogando em nosso meio e nos puxando para um grande abraço.

 

- Sobre o que estão falando? - Pansy perguntou e todos olhamos com uma cara de falso desentendimento para ela - Não adianta dizer que não é nada, eu sei que é...

- Estávamos apenas falando sobre como vamos fazer para livrar a nossa pele - Eu respondi tentando soar o mais verdadeiro possível.

- É, e sinceramente está difícil - Theo respondeu complementando o que eu havia acabado de dizer.

- E muito... - Draco finalizou, porém Pansy ainda parecia estar perdida.

- Do que é que vocês estão falando? - Pansy perguntou franzindo o cenho - Alguém pode me explicar?

- Do interrogatório que vamos ter hoje, Pan - Theo respondeu e a garota revirou os olhos e em seguida fez um muxoxo - Não se lembrava?

- Para ser sincera, não! Pansy respondeu se levantando de cima de minhas pernas, essas que a esse momento já estavam dormentes - Mas e ai garotos? Vão para Hogsmeade vestidos desse jeito?

- Eu ia arrasar não é? - Theo perguntou sorrindo e fazendo a fazendo uma cara sexy, é claro que ele apenas fez isso porque estávamos entre amigos.

- Não, não vai - Pan respondeu - A não ser que queira apanhar da Luna.

- Eu com certeza não quero - Theo respondeu, mas então pareceu se lembrar de alguma coisa, algo que o fez expressar malicia em seu rosto angelical - Ou melhor, quero sim.

- Você é nojento Nott - Pansy respondeu rindo - Agora é sério, vamos logo.

 

A morena saiu do quarto e foi se trocar, e nós fizemos o mesmo, nos vestimos rapidamente e em seguida descemos para o salão principal para tomar nosso café e nos sentamos na mesa da Sonserina, mesa essa que Luna veio rapidamente se sentar também, dando beijos no rosto de todos nós e beijando Theo nos lábios rapidamente, e lá ficamos nós, até a hora de ir até Hogsmeade.

 

 

 

 

 

                                                                 Neville

 

 

Ana estava deitada ao meu lado, era incrível a forma como eu ainda a achava bonita, sexy e até mais atraente do que quando ficamos a primeira vez; os cabelos dourados dela me deixavam louco, a forma como eles caiam por cima do ombro, a maneira como suas sobrancelhas era perfeitamente bem feitas e alinhadas, eu simplesmente amava aquela loira da ponta dos pés até o topo da cabeça, amava quem ela era por fora, e mais ainda quem ela era por dentro, era incrível o poder que ela tinha sobre mim, e mais incrível ainda era como aquela garota maravilhosa da Lufa Lufa se interessou por mim, eu queria muito saber o que tinha a feito gostar de mim.

 

- Bom dia amor - Ana disse sorrindo e se aproximando lentamente para me beijar - Dormiu bem?

- Eu dormi muito bem - Respondi sorrindo e em seguida beijando seu ombro nu, passando em seguida os dedos por toda a extensão de suas costas, ela estava de bruços, o que fez com que eu tivesse maior acesso a sua bunda perfeita e em seguida descesse um pouco mais até encontrar sua intimidade, que a essa hora já estava molhada - Mas eu posso acordar melhor do que dormi, não acha?

 

Ana não respondeu nada, apenas virou-se de barriga para cima e em seguida colocou novamente minha mão em sua intimidade. Lentamente eu coloquei a ponta de meu dedo e fui introduzindo cada vez mais, até meu dedo estar dentro dela por completo. Ana arfava baixinho com cada movimento que meu dedo fazia dentro dela.

 

- Põe mais um - Ana implorou, e ouvir aquela voz gemendo para mim me deixou mais excitado do que eu já estava.

 

Lentamente coloquei mais um dedo e a loira gemeu mais ainda, até mais alto do que deveria, se a sala precisa não estivesse com um feitiço anti som com certeza alguém do lado de fora teria ouvido. Continuei masturbando a loira lentamente até que senti quando seu corpo deu leves tremidas, e senti que ela estava chegando lá, continuei introduzindo meus dois dedos e com o polegar em seu clitóris; em poucos segundos a loira se derramava e gemia loucamente, o que fez com que meu pau latejasse de tanta vontade.

 

- A primeira já foi - Eu disse em seus ouvidos e tirando meus dedos de sua intimidade, levando até sua boca e ela os lambeu lentamente - Vamos para a próxima.

- Como assim, o quer... - Ela ia falando, mas eu a interrompi.

 

Comecei a beija-la lentamente e fui descendo esse mesmo beijo, passando por seu pescoço, seus dois seios, seu estomago barriga e finalmente chegando onde eu mais queria. Comecei dando beijinhos por toda a parte interna da loira, e em seguida levando minha língua até sua intimidade, o que fez com que ela jogasse sua cabeça para trás e contraísse as costas; continuei deslizando minha língua por toda sua intimidade, e puta que pariu, como ela era gostosa em minha boca, sentir o gosto dela, sentir enquanto ela segurava meus cabelos com força e implorava por cada vez mais me deixava completamente maluco, quando ela chamava meu nome era o momento que eu ia ao céu e voltava, era incrivelmente excitante escutar meu nome saindo de sua boca.

 

- Eu quero chupar você - Ana disse e eu parei imediatamente meus trabalhos orais nela - Deita ai Longbottom.

 

Obedeci totalmente o que ela dizia, e me deitei; Ana sentou por cima de meu pau e eu arfei, sentir a bunda dela, mesmo com a calça que nos separava era a coisa mais gostosa que eu já havia sentido. A loira se inclinou e me beijou e em segundos já arrancava minha calça junto com a cueca, e eu mesmo havia tirado minha camiseta.

Ana lentamente colocou meu membro em sua boca, e com o menor toque de sua língua eu já estava delirando, a língua dela era quente e extremamente gostosa, ela sabia exatamente como me deixar louco, e usava essas cartas contra mim. Ana colocou mais de meu pau em sua boca e em seguida tirou-o lentamente, repetindo esse mesmo movimento por mais três vezes seguidas; a loira em certo momento colocou todo meu membro em sua boca e segurou por alguns segundos, o que em fez gemer alto e soltar alguns palavrões, o que apenas instigou a loira a colocar sua boca ainda mais fundo e depois tirar lentamente.

Ana então parou de me chupar e se sentou sobre minha barriga, posicionando meu pau bem em sua entrada, o que me fez gemer antes de ao menos estar dentro dela, coisa essas que não demorou, já que a loira sentou rapidamente e com força em meu pau, o que arrancou gemidos de nós dois.  A Lufana então começou a subir e descer lentamente, provavelmente se acostumando com a minha invasão em seu lugar tão secreto, mas em alguns segundos ela já subia e descia de maneira rápida, e a cada estocada em seu fundo eu sentia que estava mais perto de meu ápice do que imaginava, ma eu queria fazê-la chegar ao seu maximo primeiro.

Sai de dentro de Ana e a deitei na cama, me posicionando e a invadindo novamente, eu penetrava aquela garota como se não houvesse amanhã, e cada vez mais ela pedia, ela era indomável, era a garota mais gostosa com quem eu já havia transado. Ana bateu em minha bunda, o que apenas fez com que eu metesse com mais força ainda e eu senti quando ela chegou ao orgasmo, já que segurou minha bunda com força e tremeu por alguns segundos, apesar disso ela implorou para que eu continuasse metendo nela, e foi o que eu fiz, e em ela gemeu, gemeu tão gostoso que eu não consegui dar mais nenhuma estocada e tive que sair rapidamente de dentro dela, me derramando logo em seguida em sua barriga.

 

- Segunda - Eu disse com a respiração ofegante e sorrindo e ela sorriu também, me beijando logo em seguida.

 

Ficamos deitados lado a lado por mais alguns minutos, apenas nos recuperando daquela sensação maravilhosa que ambos haviam sentido. Nos levantamos e tomamos uma ducha rápida, nos vestimos e em poucos minutos já estávamos saindo da sala precisa. Passamos pelo salão principal onde o pessoal da Grifinória nos olhavam, e foi lá que tomamos café, nos preparando para ir a Hogsmeade em pouco tempo.

 

 

 

 

                                                                Ron

 

 

Já estávamos a caminho de Hogsmeade, Blásio e eu, já que todos tinham ido à frente, e apenas o moreno me esperou. O clima estava agradável, o calor do sol esquentava levemente minhas bochechas, eu estava vestido com uma camiseta regata, calça jeans e tênis, Blás estava logo ao meu lado, tagarelando algo que eu não entendia, já que nãoo estava prestando a mínima atenção, eu apenas observava como sua boca se movimentava conforme ele proferia as palavras, e posso dizer que era de forma graciosa. Blás era um homem muito bonito, alto, a pele cor de chocolate, os lábios carnudos e o olhar penetrante, ele era muito atraente, até demais eu posso dizer, eu tinha vontade de pular em seu pescoço e fazer coisas malucas, mas por ora eu devia me controlar, afinal ele provavelmente não daria a menor bola para mim.

 

- E então? - Blás interrompeu meus pensamentos, e pela cara dele, ele gostaria muito de saber minha resposta.

- É claro - Eu respondi sem nem ao menos entender o que havia falado, apenas concordei - Eu concordo totalmente.

- Não escutou uma palavra do que eu disse - Blás falou revirando os olhos e eu pude sentir minhas bochechas esquentando mais - Eu estava dizendo que eu acho que nós...

- Finalmente encontrei você - Hermione disse se aproximando rapidamente e me puxando pelo braço, interrompendo o que quer que seja que o moreno tivesse dito - Eu vou roubar ele um pouco Blás.

- O que foi Mione? - Eu perguntei afoito.

- Eu preciso que me ajude a escolher uma lingerie - Hermione disse e provavelmente minha cara foi de tanto espanto que ela começou a rir imediatamente.

- Por que não pede a uma das meninas? - Perguntei ruborizado.

- Por que elas estão ocupadas - Hermione respondeu - Vamos logo Ronald.

 

E foi assim que em alguns minutos eu estava junto com a castanha em uma loja, esperando do lado de fora do provador, que estava estranhamente vazio e silencioso. Hermione entrou com alguma peças e demorou alguns minutos, até que sua voz soou lá de dentro, pedindo para que eu entrasse, confesso que nesse momento meu coração pareceu sair pela boca, eu não sabia como reagir, então levantei, respirei fundo e entrei, fechando a porta logo atrás de mim. Hermione estava vestida apenas com uma calcinha e sutiã minúsculos de renda, na cor azul, a cor dava um contraste incrível com sua pele e cabelos, ela estava incrivelmente sexy, e eu estava completamente corado, já que meu reflexo no espelho não deixava mentir.

 

- Fecha pra mim? - Hermione perguntou e eu levei um susto.

- O que? - Perguntei suando.

- O sutiã, Ronald - Fecha pra mim.

- Ah, claro - Respondi tentando deixar a voz firme, mas falhando miseravelmente.

 

Me aproximei da castanhas e lentamente comecei a fechar cada fecho daquela peça; o calor que emanava das costas da castanha era reconfortante, sua pele era incrivelmente macia, tão macia que eu não sei o porque eu comecei a passar os dedos por seus ombros, e a castanha apenas mantinha seus olhos fixos nos meus através do espelho. Dei mais um passo e encostei meu corpo no de Hermione, a castanha apenas levou sua mão para trás e tocou a minha, nesse momento eu beijei lentamente seu ombro, chegando até seu pescoço, lugar esse que fez a castanha arfar e fechar os olhos; Hermione virou-se de frente para mim, colocou minhas mãos em sua cintura e me puxou para mais perto, fiquei alguns segundos cheirando seu cabelo, até que ela colocou suas mãos em minha bunda, o que me fez olhar para seu rosto.

 

- Me beija Ron - Hermione disse em um sussurro.

- Tem certeza? - Eu perguntei em seu ouvido.

- Tenho me beija - Hermione respondeu com uma voz quase como se estivesse implorando - Por favor.

 

Olhei novamente para o rosto da castanha, fixei meus olhos nos seus e movi lentamente minha cabeça, indo de encontro a seus lábios, no momento que nossos bocas se tocaram a castanha pediu passagem para sua língua e eu permiti, era um beijo lento e doce, e que deve ter durado apenas alguns segundos, mas que para mim pareceram durar horas, horas torturantes. Quebramos o beijo e nos olhamos por alguns segundos.

 

- Eu acho que você deve levar esse mesmo - Eu disse me referindo a lingerie azul - Ficou lindo em você.

- É - Hermione respondeu bufando - Tem razão, é esse mesmo que vou levar.

- Posso te perguntar uma coisa? - Eu perguntei enquanto saia do provador - Está comprando para ele não é? - Hermione apenas confirmou com a cabeça - Ele vai adorar você deveria dar mais valor a Viktor, Mione ele realmente gosta de você.

 

A castanha não respondeu nada, apenas sorriu tristemente e eu sai fechando a porta logo atrás de mim. Caminhei para fora daquela loja, tentando entender o que havia acabado de acontecer, eu sabia que se fosse há alguns anos, ou até mesmo meses eu estaria completamente animado, entusiasmado e apaixonado, mas eu não havia sentido nada naquele beijo, é claro que tinha sido um beijo bom, mas não tinha amor, não tinha carinho, não tinha sentimento, era como quando dois amigos se beijam, eu naquele momento sabia que tinha deixado de amar Hermione como algo mais que uma amiga, definitivamente.

Enquanto eu passava pelos corredores de Hogsmeade tentando localizar alguém eu ouvi uma movimentação atrás de um PUB e andei lentamente, curioso para saber o que estava acontecendo, assim que me escondi atrás de uma das paredes do bar eu olhei, e o que vi me deixou completamente feliz; Draco e Harry estavam se beijando, de maneira doce. Harry passava as mãos pelo corpo do loiro, e Draco acariciava o rosto de Harry com a mão, eles estavam em um clima tão incrível que eu jamais atrapalharia, Harry havia me dito que na noite passada eles haviam ficado, se beijado e tudo mais, mas eu não imaginava que as coisas estivesse tão bem assim, eu sinceramente estava tão feliz que sorria como um bobo, e foi com esse sorriso que sai silenciosamente dali, não prestando atenção e esbarrando em alguém.

 

- E esse sorriso todo no rosto Weasley? - Blásio perguntou sorrindo e me segurando para que eu não caísse.

- Não é nada Zabini - Respondi me agarrando a única dignidade que ainda me restava.

- Onde foi com a Granger? - Blás perguntou, e por alguns segundos pensei ter percebi um tom de ciúmes em sua voz, claramente algo da minha cabeça.

- Fui ajudar ela escolher uma lingerie - Assim que eu terminei de falar o moreno começou a rir e eu bufei - Para de ser idiota Blásio Zabini.

- Calma ai estressadinho - Blás respondeu levantando as mãos em sinal de rendição - Mas por que ela não chamou o Viktor para ajudar ela?

- Porque a surpresa é para ele - Respondi e o moreno acenou com a cabeça, em claro sinal de entendimento - Mas e você? Onde estava?

- Opa, opa - Blás respondeu dando uma risada sarcástica - Isso que eu estou vendo é ciúmes mesmo?

- Está maluco Blásio - Respondi e sentindo minhas orelhas esquentando - Tem que parar de usar drogas.

- Eu não uso tanto assim - O moreno brincou enquanto caminhávamos para nem um lugar em particular - Mas suas orelhas mais vermelhas que o cabelo não me deixa mentir - Blásio falava de uma maneira tão sínica que eu não pude evitar sorrir - Eu estava na Dedos de Mel, comprando alguns doces.

- E onde estão esses doces? - Perguntei com aspereza e o moreno riu.

- Já comi.

- Sei.

- Já sabe da nova? - Blásio perguntou enquanto parávamos em uma cerca de arame farpado, estávamos em frente a casa dos gritos.

- Não - Respondi olhando em seu rosto.

- A Minerva adiou nosso interrogatório para amanhã - Blás respondeu e eu apenas arqueei uma das sobrancelhas - Ela está super ocupada hoje e todos esse negócios que ser um diretor exige, isso bom não é?

- Sim - Respondi desanimado.

- Algum problema? - Blás perguntou e eu apenas neguei com a cabeça.

- Vamos fazer um jogo? - Eu disse e dessa vez foi a hora do moreno de arquear as sobrancelhas - Funciona assim, cada um de nós diz coisas que sentimos falta, apenas a palavra, e se interessar muito ao outro, podemos entrar em detalhes.

- Eu achei meio idiota - Blás respondeu e eu bufei revirando os olhos - Mas vamos, você começa.

- Dormir muito.

- Comer muito.

- Minha cama em casa.

- Minha geladeira lotada de comidas e cheia de bebidas.

- Minha mãe.

- Meu pai.

- Meus livros.

- Beijar.

- Beijar.

- Caçar.

- Qual é Weasley - Blás disse - Eu sei que beijou a Hermione agora a pouco.

- O que? - Eu estava espantado - Como sabe?

- Calma, relaxa - Blás ria descontroladamente - Eu estava apenas brincando, mas parece que acertei...

- Cala a boca Zabini - Eu respondi.

- Mas e o Krum? -Blás perguntou interessado - Eles não estão namorando?

- Não, eles estão apenas ficando - Respondi - E só pra você saber, eu não gostei do beijo, eu não gosto mais da Hermione, não dessa maneira.

- Posso te falar uma coisa? - Blásio perguntou sério e eu apenas concordei co a cabeça - Qualquer coisa?

- Claro Blás - Respondi - Sem medo.

- Eu realmente gostaria de te beijar - Blásio respondeu e eu fiquei petrificado nesse momento, eu não podia acreditar em meus ouvidos, eu queria com certeza, mas nunca imaginei que isso fosse acontecer entre a gente, e agora estávamos ali, olho no olho, e eu acho que demorei um pouco demais pensando, já que a frase do moreno em seguida não foi muito boa - Tudo bem, me desculpa, séri...

- Não, não - Eu praticamente gritei - Eu também quero, muito.

 

Ficamos apenas mais alguns segundos nos olhando, olho no olho, até que eu decidi tomar coragem e me aproximar, primeiro rocei nossos lábios e em seguida lhe dei um selinho, que foi recebido por outro do moreno e em apenas alguns segundos já estávamos nos beijando; o beijo era lento, mais lento do que eu pensava que seria, de todas as vezes que eu imaginei aquilo acontecendo entre nós era de uma maneira bruta e selvagem, e na realidade foi doce, fofo e reconfortante, e ainda melhor do que eu havia imaginado. Blásio pediu passagem com a língua e eu permiti, no mesmo momento que a língua do moreno encostou na minha eu pude sentir que meu membro ficou rijo, e o dele também, já que roçava no meu através da calça; Blás levou suas mãos até minha cintura, e eu fiz o mesmo, continuamos nos beijando, movendo a cabeça lentamente de um alado para o outro buscando cada vez mais aproximação.

Blás quebrou o beijo para respirar e nesse momento eu abri os meus olhos, e ficamos nos encarando por alguns segundos, até que um sorriso brotou em meu rosto, e no dele também, isso foi mais que suficiente para que eu me movesse e lhe desse um selinho rápido nos lábios. Blásio e eu olhamos novamente para a casa dos gritos por alguns segundos, até que o moreno segurou minha mão com delicadeza, e naquele momento meu coração se encheu de alegria, e aquilo que eu não tinha encontrado no beijo com Hermione, eu havia encontrado no de Blásio Zabini.

 

 

 

                                                                  Theo

 

 

Tinha acabado de me despedir de Luna, dito que a amava e que voltaria para passar aquela noite de sábado com ela, assim que eu saísse daquela maldita detenção. Eu já estava sentado apenas esperando e pedindo para Merlin que mais alguém chegasse naquela sala, não só Helena, mas mais uma vez meus pedidos não foram atendidos, já que a morena entrou sozinha por aquela porta. Helena estava vestida com uma saia tão curta que deixava a mostra boa parte de sua bunda, a morena sentou-se novamente em uma mesa ao meu lado, com tantos lugares vagos, olhou para mim e sorriu maliciosamente.

 

- Boa noite Theo - Helena disse de maneira dissimulada.

- Boa noite senhorita Julian - Respondi educadamente.

- Pra que tanta formalidade Theozinho? - Helena perguntou de maneira sensual - Não precisa me chamar pelo sobrenome, me chama de Helena mesmo, ou até Helo.

- Olha só Helena - Eu tentei não demonstrar nojo em minha voz, mas pronunciar o nome daquela garota já estava se tornando insuportável - Não somos amigos, não temos essas intimidades.

- Ainda não - Helena disse enquanto colocava um pirulito em sua boca e o chupava de maneira sugestiva - Mas podemos ter muita intimidade.

- Eu não quero, obrigado - Eu respondi de maneira rápida e seca - Eu já tenho namorada.

- Posso te perguntar uma coisa? - Helena disse levantando de sua cadeira e se sentando em meu colo.

- Não - Respondi áspero - E sai do meu colo.

- Bom, mesmo você dizendo não, eu vou perguntar - Helena pelo menos obedeceu e saiu de meu colo, mas se ajoelhou de frente pra mim - Eu estou cansada de chupar esse pirulito, quero chupar outra coisa - Eu franzi a testa para ela - Que tal seu pau?

- Olha aqui garota - Eu praticamente gritei e ela até se assustou se levantando no mesmo instante - Eu já disse que eu namoro porra! Eu não quero você, eu amo minha namorada, eu já estou cansado dessas suas insinuações, eu não preciso que ninguém chupe meu pau ou coisa parecida, eu tenho a Luna e com ela tenho tudo que quero, e até mais do que mereço.

- Para de falar da Di-lua como se ela fosse perfeita - Helena respondeu claramente incomodada.

- O nome dela é Luna Lovegood, sua filha da puta - Eu respondi e Helena tentou retrucar - Nunca mais a chame de Di-lua, e sim ela é perfeita, ela nunca precisou se ajoelhar na minha frente e implorar para chupar meu pau, porque ela não é uma cachorra imunda igual você.

- Olha aqui seu idio...

- Cala a merda da boca que quem ta falando aqui sou eu - Eu interrompi a morena - Se você der em cima de mim mais uma vez eu vou contar pra ela, e pior, vou falar pra Minerva, não duvide de mim, você entendeu? - Eu falava de uma maneira tão perigosa que os olhos daquela garota já estavam cheios de lagrimas, e tudo que ela conseguiu fazer foi concordar com cabeça - Fico feliz que tenha entendido.

 

Ficamos ali mais alguns minutos até que a aquela detenção chegou ao fim, eu me levantei teatramente de minha cadeira e fui até a porta, mas não sem dar uma ultima olhada na cara daquela menina, que estava quieta, completamente diferente de como havia entrado há uma hora trás.

 

- Mesmo que eu não estivesse com ela - Eu disse e a garota ouviu atentamente - Eu não pegaria você, eu não gosto de fruta já picada.

 

Sai completamente satisfeito daquela sala, eu sabia que tinha pegado um pouco pesado, mas aquela manina realmente merecia, quem ela achava que era para falar da minha Luna daquela maneira? E ainda dar em cima de mim daquela forma. Fui até o dormitório da Corvinal onde Luna me esperava na porta, nos beijamos rapidamente entramos, prontos para passar aquela sábado a noite rindo, comendo e se amando.

 

 

 

                                                              Draco

 

 

Sábado a noite e ronda, era tudo que eu precisava, assim que aquela ronda acabasse eu iria me trancar imediatamente com Harry na sala precisa, e eu não sabia do que seria capaz de fazer, aquela noite eu não responderia por meus atos.

 

- Tá pronto para ir pra sala precisa? - Harry perguntou chegando atrás de mim e falando em meu ouvido, mordendo o lóbulo de minha orelha logo em seguida.

- Eu estou - Respondei com a voz já embriagada de tesão.

- Então vamos - Harry respondeu enquanto deu um tapinha em minha bunda e eu apenas ri de maneira contida.

 

Entramos pela porta da sala precisa e o que eu vi me deixou completamente perplexo, mas de uma maneira boa; a cama estava com um forro nas cores verde e vermelho, indicando claramente a cor de nossas comunais, ao lado da cama havia varias garrafas de cerveja, não amanteigada, cerveja trouxa, essa bebida que eu tanto tinha gostado em nossa viagem para as Bahamas. A iluminação do lugar era feita por velas, o que deixava o clima acolhedor e relaxante, sentei-me na cama enquanto Harry fazia um feitiço abafador de ruídos, para que ninguém pudesse nos escutar do lado de fora da sala, assim que terminou de fazer Harry veio em minha direção e então tirou sua camiseta rapidamente, deixando seu peitoral a mostra, alguns pelos salpicavam aquele físico que deixava tão louco.

Harry me empurrou para que eu me deitasse e assim o fiz, o moreno se deitou ao meu lado e começou a me beijar lentamente, foi um beijo doce, assim como todos os beijos que havíamos dado aquele dia, lento e totalmente apaixonado, eu sentia que era isso que emanava do contato entre nossas bocas, era paixão, amor, desejo, Harry me beijava como ninguém havia me beijado, eu encontrava paz e alegria naquele gesto tão simbólico, eu me sentia feliz, verdadeiramente feliz.

Harry tirou minha camiseta e a jogou no chão, em seguida começou a beijar meu pescoço e desceu para meu peito, onde lambeu meu mamilo, cada toque de sua língua me fazia arrepiar, o moreno ainda dava leves mordidinhas ali, o que me fazia arfar de tanto desejo. Harry continuou descendo por toda minha barriga até chegar ao cós de minha calça e lá ele parou, olhou para meu rosto e então colocou meu membro em sua boca sem tirar a calça, e mesmo assim eu gemi com o toque. Harry dava leves mordidinhas por cima da calça, até que desceu ela, deixando meu membro livre e colocou a boca lentamente me fazendo gemer alto; Harry me chupava de maneira lenta e torturante, uma tortura doce e sensual, cada toque da língua quente do moreno me arrancava suspiros, ele sabia exatamente o que estava fazendo.

 

- Puta que pariu - Eu disse e o moreno colocou todo o meu membro em sua boca - Chupa meu pau Harry.

 

O moreno segurou por alguns segundos até que foi tirando tudo lentamente de sua boca, me fazendo gemer e implorar por mais.

 

- Você quer mais? - Harry perguntou e eu apenas pude confirmar com a cabeça - Tem que dizer que quer Malfoy, pede pra mim.

- Eu quero, por favor, Harry - Eu dizia sem nem ao menos pensar - Me chupa.

 

Harry colocou novamente meu membro em sua boca, mas dessa vez de maneira mais forte e rápida, além disso, segurou minhas mãos e as colocou em sua cabeça, pedindo para que eu afundasse sua cabeça e foi isso que eu fiz, a cada vez que o moreno me colocava por completo em sua boca eu segurava sua cabeça e depois ia soltando lentamente, e ele estava adorando tudo aquilo tanto quanto eu.

Fiz Harry parar de me chupar e então o deitei na cama, tirando rapidamente sua calça e cueca, o deixando completamente nu, e puta merda, era uma visão linda, ele tinha um corpo incrível, desde os cabelos bagunçados, os olhos marcantes cobertos pelo clássico óculos redondo, a barriga definida, o pau grosso, as pernas torneadas e os pés grandes, Potter era minha loucura. Posicionei-me entre suas pernas e comecei a chupa-lo lentamente, prestando atenção a cada pulsar que o pau dele dava em minha boca, e cada gemido que saia de sua garganta, tudo aquilo só me deixava mais excitado, como se o meu prazer estivesse ligado ao dele. Continuei chupando, mas dessa vez com mais força e intensidade, o moreno gemia e movimentava lentamente sua cintura procurando mais atrito entre seu pau e minha boca, e tudo isso só me deixava mais instigado, eu estava completamente bêbado de excitação.

 

- Draco, posso te pedir algo? - Harry perguntou em meio a gemidos e eu apenas concordei que sim com a cabeça, sem nem ao menos tirar seu membro de minha boca - Eu quero que você me penetre, agora.

- Tem certeza? - Eu perguntei parando imediatamente de chupa-lo.

- Tenho, eu quero - Harry respondeu sussurrando - Muito.

 

Fui um pouco mais para cima, beijei os lábios do moreno e então o virei de bruços, eu sabia que aquela era a primeira vez que Harry estaria naquela situação, e eu queria que fosse memorável e marcante. Passei minhas mãos desde seu pescoço até chegar a sua bunda, e por Merlin, que bunda, fiz carinho por toda a extensão de sua bunda e então comecei a dar beijos, pude sentir sua pele se arrepiando e então coloquei minha língua em sua entrada, lambi lentamente, queria que Harry ficasse umedecido o suficiente, e que sentisse algo diferente antes de finalmente o invadir. Os gemidos do moreno eram de prazer, o que me instigou a continuar aquele beijo grego.

 

- Você está pronto? - Perguntei parando meus serviços orais e indo até seu ouvido.

- Estou - Harry respondeu com a voz calma.

- Tem certeza? - Eu perguntei e então o moreno apenas confirmou com a cabeça.

 

Posicionei-me sobre o moreno e então fiz meu membro roçar em sua entrada, ouvi quando o moreno respirou fundo e então com o pau já devidamente lubrificado comecei a invadi-lo, fui colocando lentamente, vi que o moreno segurou forte os lençóis da cama.

 

- Está tudo bem? - Perguntei e ele apenas confirmou com a cabeça - Se estiver doendo me avisa.

 

Continuei o invadindo até que já estava completamente dentro dele, esperei um tempo para que ele se acostumasse com a minha anatomia, então lhe beijei de lado docemente, o moreno ainda estava com os óculos e parecia não se importar em tira-los e sinceramente isso o deixava ainda mais atraente para mim. Meu celular estava jogado na cama ao meu lado, o peguei e então coloquei uma música, aquela música* da Lana Del Rey - Ride, vi quando Harry sorriu e eu fiz o mesmo. O moreno respirou fundo e então moveu seu quadril, em claro sinal de que ele já estava pronto, comecei a me movimentar lentamente, fazendo com pouca pressão, e eu pude perceber que os gemidos de Harry eram meio doloridos, mas isso era completamente normal, ainda mais que era a primeira vez dele como passivo, continuei lentamente por mais alguns segundos até que percebi que seus gemidos haviam se tornado de prazer.

Harry moveu o quadril com mais rapidez e foi isso que eu fiz, comecei a penetra-lo com mais força e mais rápido, a cada estocada que eu dava era como se eu fosse ao céu e voltasse, Harry era incrivelmente quente e apertado, ele era mais gostoso do que eu sequer tivesse imaginado.

 

- Eu quero ir por cima - Harry disse e então eu sai de dentro do moreno, deitando mais para o lado da cama.

 

Harry se posicionou e se sentou em cima de minha barriga, sentando em meu membro logo em seguida, lentamente, era incrível ver seu rosto enquanto eu o penetrava; o moreno esperou alguns segundos e então começou a se movimentar, subindo e descendo, nesse momento eu senti tanto prazer que cheguei a fechar os olhos. Harry em dado momento já subia e descia de maneira rápida e gemia loucamente.

 

- Você é muito gostoso Harry - Eu disse e o moreno apenas tentou sorrir, mas seu rosto de prazer logo em seguida o atrapalhou - Puta merda.

 

Harry se inclinou e me beijou com voracidade nos lábios, ergui minha cintura e o penetrei lentamente, dando mais algumas estocadas até que senti que chegaria ao meu máximo e então parei.

 

- Qual é o problema - Harry perguntou com a voz mole.

- Nenhum - Respondi - é que vou gozar.

- Goza dentro de mim - Harry respondeu.

- Tem certeza? - Perguntei e o moreno apenas confirmou que sim com a cabeça.

 

Subi e desci o quadril, o penetrando lentamente e no momento que o moreno chegou ao orgasmo e se derramou em cima de mim sem nem ao menos tocar no pau, foi quando eu finalmente cheguei ao orgasmo e foi incrível, eu senti que gozei muito, como jamais havia conseguido, e foi o melhor orgasmo da minha vida. Harry se levantou e se deitou ao meu lado, ficamos ali por alguns minutos, até que fomos tomar banho juntos, foi um banho rápido, e não aconteceu nada mais do que beijos. Nos vestimos e nos deitamos na cama, onde passamos o resto da madrugada rindo, tomando cerveja, comendo, jogando e se beijando, até que em certo momento Harry disse a coisa mais inacreditável do mundo.

 

- Draco, eu preciso te falar algo - Harry disse sério.

- Pode falar Harry - Respondi enquanto o abraçava.

- Eu gosto de você - Harry disse e eu sorri.

- Eu também gosto de você - Respondi sorrindo.

- Eu estou falando sério - Harry disse - Eu gosto tanto de você que meu peito chega a doer, eu não consigo mais imaginar a minha vida sem você, se a gente briga eu me sinto tão pra baixo que sinto que nada mais vai dar certo, eu sei que é bobagem estar te falando isso, mas eu precisava falar.

- Essa foi a coisa mais linda que alguém já me disse - Eu respondi visivelmente emocionado - Eu sinto o mesmo por você Harry, muito, muito, eu amo você - Foi nesse momento que eu percebi que deveria ter ficado calado, eu havia acabado de dizer que o amava, e se ele reagisse mal e estragasse tudo aquilo que havia acabado de acontecer - Me desculpa, eu não quis dize...

- Não se desculpe Draco - Harry disse com a voz terna e acariciando meu rosto - Eu também amo você, muito, mais do que a minha própria vida - Eu quero te pedir uma coisa.

- Pode pedir - Respondi nervoso.

- Draco Malfoy - Eu sentia que meu coração ia parar só de ouvi-lo falando dessa maneira - Você quer namorar comigo?

- Sim - Eu respondi sorrindo com entusiasmo - Eu quero, muito, eu te amo Harry Potter.

- Eu te amo Draco Malfoy - Harry respondeu.

 

Nos beijamos de maneira boba, chegou a ser um beijo engraçado por que nenhum de nós dois conseguíamos ficar mais do que dois segundos sem sorrir, a felicidade era tanta que eu sentia que meu peito ia explodir, naquele momento nos estávamos com os sentimentos expostos e eu nunca havia me sentido tão feliz de estar vulnerável. A música* continuava tocando desde quando ainda estávamos fazendo amor, e foi com essa música que fizemos amor pela segunda vez naquela noite, eu nunca havia estado tão feliz em toda minha vida, eu me sentia completo, eu sabia que o amava, e se fosse por mim, nada iria nos impedir, eu faria qualquer coisa para estar ao lado de Harry.

 


Notas Finais


Música: Lana Del Rey - Ride

O que acharam do capítulo meus amores? Sua opinião é muito importante.
O que acharam do beijo De Hermione e Ron? Realmente acho que não rola mais nada entre eles.
Por outro lado o que acharam do beijo de Ron e Blasio? Finalmente hein.
Neville e Ana? E aquela garota escrota dando novamente em cima do Theo, vocês gostam da Helena, acham que Theo pegou pesado ou foi necessário?
Drarry finalmente estão namorando ahhhhhhhhhhhh o que acharam? E o que acharam do Harry de passivo? Eu tô apaixonada, eles se declarando, dizendo que se amam, o Harry confiando no Draco, o Draco sendo calmo na primeira vez do Harry como P, o que achei de tudo? Comentem e deixem sugestões amores.

Quem quiser entrar no grupo do Whatsapp da fic deixe seu número nos comentários

Ex: 9 8 7 6 (porque se não o Spirit apaga o número)

Beijão meus amores e até semana que vem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...