História Just friends ? - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias Calum Worthy, Dove Cameron, Grace Phipps, Juliana Paiva, Laura Marano, R5, Raini Rodriguez, Vanessa Marano
Personagens Calum Worthy, Dove Cameron, Ellington Ratliff, Grace Phipps, Juliana Paiva, Laura Marano, Personagens Originais, Raini Rodriguez, Riker Lynch, Rocky Lynch, Ross Lynch, Rydel Lynch, Vanessa Marano
Tags Amizade Colorida, Raura, Rinessa, Rocklexa, Romance, Rydellington
Exibições 123
Palavras 1.354
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá gente <3
Um capítulo meio bad, mas necessário.
Meu shipp favorito vai brigar e espero que não me matem por isso. </3
Espero que gostem do capítulo mesmo assim.

Capítulo 42 - Está na hora de resolvemos isso


Fanfic / Fanfiction Just friends ? - Capítulo 42 - Está na hora de resolvemos isso

“Moça, aquilo é um arco-íris. Sabe o que ele significa pra mim? Significa que depois do temporal sempre aparece algo lindo, mesmo que seja passageiro. Aliás, nada dura para sempre.”

 

Laura acordou animada sabendo que sua irmã estava no mesmo país que ela e que não iria embora nunca mais.

Vanessa estava sentada em um banco na cozinha enquanto tomava café com a mãe, Laura chegou animada e deu um abraço por trás da irmã.

- Como senti falta disso – A mãe Marano falou sorrindo vendo as filhas abraçadas.

- Eu também – Laura disse já afastada da irmã e colocando café na sua xicara.

- Bem não precisam ficar melodramáticas. Vou ficar aqui por muito tempo ainda.

- Muito tempo? Você quer dizer para sempre não? – Laura questionou a irmã.

Vanessa mordeu o lábio inferior, não queria discutir com a irmã, mas não podia mentir.

- O para sempre, sempre acaba. – Vanessa falou fazendo a irmã revirar os olhos.

- Ok Cássia Eller. – Laura resmungou bebendo seu café.

- Na verdade é Legião urbana – Ellen corrigiu a filha a fazendo revirar os olhos e Van soltar uma risada fraca.

- Mas porque está dizendo isso? – Laura encarava a irmã.

- Porque é verdade. A Cássia apenas regravou a música em uma versão mais lenta – A mãe explicou e Laura bufou.

- Não você mãe, a Vane. O que você quer dizer com “o para sempre, sempre acaba”?

- Que as coisas não são eternas, às vezes achamos que algo vai durar a vida inteira, mas não chega nem perto disso – Vanessa respondeu sorrindo forçadamente.

- Isso é sobre o Riker? – Ellen perguntou encarando a filha.

- Isso é sobre eu ter recebido três propostas muito boas de emprego, mas todos na Europa – Vanessa respondeu encarando a mãe resolvendo dizer a verdade.

Laura bufou de raiva e Ellen fechou os olhos já sabendo o que iria vim.

- E você vai aceitar? – Laura perguntou tentando manter a calma.

- Não sei, ainda não pensei sobre.

- Então não pense apenas negue. Sei que pode conseguir emprego aqui em LA.

- Não é assim que funciona – Van respondeu sem encarar a irmã.

- E como é que funciona? – Laura perguntou com os braços cruzados em pé encarando a irmã.

- São empregos muito bons.

- Em outro continente.

- E qual o problema? – Vanessa perguntou finalmente olhando para a irmã.

- O problema é que você não se importa com a gente! Tá sempre fugindo.

- Ah claro e você é a rainha do altruísmo – Vanessa respondeu em tom de deboche.

- Meninas acalmem-se – Ellen tentou acalmar as filhas, mas foi ignorada.

- Não sou a melhor pessoa, mas pelo menos não fico fugindo com medo de encarar meus problemas. – Laura falou aumentando seu tom de voz.

- E quem está fugindo aqui? É errado eu querer ter um emprego incrível?

- Você pode ter um aqui.

- Pra que? – Vanessa estava em pé encarando a irmã enquanto Ellen observava a briga sem poder fazer nada.

- Pra que? Para ficar ao lado da sua família! – Laura gritou querendo chorar.

- Como se você desse muita importância a isso.

- Como é?

- Você ouviu. Fica pagando de boa moça que se importa com a família, mas não se importa. Quando estou aqui me ignora por completo, está sempre me trocando, ficamos dois ou três dias de boa e depois nem se importa com a minha existência. – Vanessa jogou para fora o que estava engasgado na sua garganta há anos deixando Laura sem reação – Você fica fazendo drama como se eu fosse a vilã da história, mas você não passa de uma menininha mimada e egoísta! Você quer realizar os seus sonhos, mas não quer que eu realize os meus. Pra você está tudo bem você cancelar uma viagem entre irmã para fazer um filme estupido, mas se eu tenho a chance de realizar o meu sonho e trabalhar em uma grande universidade você faz uma tempestade porque não estarei aqui para cumprir meu papel nesse teatro ridículo de família perfeita que você inventou.

Vanessa encarou a irmã com raiva, Ellen olhava para a filha chocada e Laura se limitou a sair da cozinha correndo enquanto chorava.

A mais nova se jogou na própria cama e pôs-se a chorar, no fundo ela sabia que Vanessa tinha razão em várias coisas, mas não achava errado quer a irmã ao seu lado.

Vanessa sentou na cadeira novamente deixando as lágrimas caírem, Ellen se aproximou da filha e a abraçou.

- Sabe que foi muito dura com a sua irmã não sabe?

- Sei mãe, mas já estava na hora da Laura ouvir umas verdades, ela precisa saber que o mundo não gira ao redor dela.

- Você realmente se sente em um teatro? – Ellen perguntou sentando.

- Sempre que estamos perto ela tira milhões de fotos para mostrar aos fãs que somos unidas, dá entrevistas dizendo que família é a coisa mais importante para ela, mas nunca dá atenção para a gente. Sei que ela e a senhora quase nunca saem ou tem momentos de mãe e filha a não ser quando Laura quer e sempre vão aonde tem vários paparazzi. É como se tivéssemos no teatro de família perfeita da Lau e ela só nos usasse quando quisesse.

- Não queria dizer, mas está certa – Ellen confessou olhando a filha mais velha – Eu vejo minha própria filha me usando e sinto ela se afastar cada vez mais. Nem sei mais quem ela é. Não conheço minha própria filha – A mãe então pôs-se a chorar e Vane a abraçou.

- Vai ficar tudo bem mãe, está na hora de resolvemos isso.

----------------------------------------------------

- Então foi isso que aconteceu. – Vanessa falou se deitando na cama.

- Porque não estou surpresa? – Tracy disse se sentando ao seu lado. – Mas acho que pegou pesado.

- Como? Eu peguei foi leve tem várias coisas que eu ainda quero falar para ela.

- Falar, não gritar. Vane a Laura sentiu mesmo a sua falta, e sabe como ela é. Tem que entender.

- Nunca vou entender uma pessoa que trata a família como fantoche e não vou ficar calada vendo isso acontecendo.

- Não falei para aceitar, falei para entender. É diferente doutora psicóloga. - Vane revirou os olhos – Agora presta atenção. Vocês duas tem que conversar, CONVERSAR não gritar feito duas loucas quem tem razão. Vê o lado dela e explica o que está te machucando e fala para seus pais falarem com ela também, não adianta sua mãe ficar sofrendo em silencio também.

- Tem razão.

- Eu sei que tenho. – Tracy disse jogando o cabelo para trás fazendo a amiga revirar os olhos.

As duas começaram a rir e deitara na cama uma ao lado da outra. Vanessa sabia que Tracy estava certa, estava na hora dela e Laura terem uma conversa. Ela precisava dizer tudo que estava preso em sua garganta antes que se sufocasse.

------------------------------------------------------

Laura estava sentada na cama comendo soverte de chocolate enquanto Ross estava deitado ao seu lado ouvindo todas as suas queixas. Ele sabia que no fundo a sua noiva estava errada, mas ele estava com medo de dizer para ela, então apenas concordava com tudo que Laura falava.

- Como ela pode ser tão egoísta? – Laura falou fazendo Ross suspirar e levantar a encarando, estava na hora dele falar a verdade e por juízo na cabeça da noiva.

- Amor, não queria dizer isso, mas ela não está sendo egoísta. Mas você sim.

- Eu? É egoísmo querer que ela fique perto de mim?

- Sim meu amor, é sim.

- Ross você tem que ficar do meu lado.

- E eu estou, mas não posso apenas concordar com você. A Vanessa recebeu uma proposta incrível, ou melhor três propostas. Você tem que a apoia assim como ela sempre te apoiou.

Ross então levantou e deu um beijo na testa da noiva e foi para sua casa, Laura ficou lá sentada pensando em tudo. Talvez Ross estivesse certo. Agora Laura tinha que fazer algo que seu orgulho não deixava, tinha que pedir desculpas.


Notas Finais


Então minhas sereias e tritões, o que acharam do capítulo?
Não esqueçam de comentar, isso me deixa animada <3
Beijos e um spoiler do próximo capítulo, que é fã de Rocklexa vai sofrer.
♥♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...