História Just Friends? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel, Lysandre, Personagens Originais, Professor Faraize, Rosalya
Tags Castiel, Friends, Lysandre, Megan, Oneshot, Rosalya
Exibições 204
Palavras 3.087
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Fluffy, Hentai, Shoujo (Romântico), Shounen
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Já deixo avisado que essa one tem um hot mais pesado e uma linguagem mais imprópria que as outras que eu fiz.
Agora com o cast! Se divirtam 💗

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Just Friends? - Capítulo 1 - Capítulo Único

- Eu odeio esse professor. Sério, ele não transa. Ele é maluco de passar um trabalho com um peso daqueles para entregar apenas em duas semanas? - Rosalya retocou seu batom.

 - Você não presta. - ri e balancei a cabeça negativamente.

 - Mas nem tudo está perdido né amiga, o Castiel está no nosso grupo. - Sorriu para mim.

 - É... - reprimi um sorriso. Nós dois somos "amigos coloridos", ou seja, pegação sem compromisso. Na nossa relação não tinha nada de romântico, uma noite com ele significava três dias sem andar direito. Mas eu gostava muito disso, e ele provavelmente também, já que nunca abria mão dos nossos encontros. Se eu não colocasse limites, pra ele seria sexo todo dia.

 - Voltando para aquele assunto... Você é muito boba de não perceber que ele gosta de você. - Rosa disse seriamente. 

 - Castiel? Gostando de alguém? Principalmente de mim? Puff.. aquele ali só vai se apaixonar quando seu cabaço voltar. - Rosalya me deu um tapa e eu ri com isso.

 - Você que sabe... Mas claramente você está começando a ter sentimentos. Você está até agradando ele. A Megan de cinco meses atrás nunca usaria uma calça colada dessas. - Rosalya deu um tapa na minha bunda. 

 - Vamos. - disse rindo, puxando ela pra fora do banheiro. 

 Caminhamos no corredor até que Rosalya cutucou meu braço e susurrou. 

- Olha quem está ali. - apontou com os olhos. Castiel sentado em um banquinho super distraído com fones no ouvido.

 Decidi irritar ele um pouquinho. Cheguei por trás, puxei seu cabelo e tirei seus fones. Ele já virou super puto. 

 - Quem fez iss... - Olhou pra mim.

 - Oi. - dei um abraço forte nele e fui muito bem correspondida.

 - Vou indo, vou tentar achar o Lysandre. - Rosa saiu acenando para nós dois.

 - Como está minha tábua preferida? - disse passando a mão pelos minhas ondinhas nas pontas do meu cabelo.

 Eu odiava essa maldito apelido.

 - Não poderia estar melhor, Cassy. 

Castiel olhou para mim com sua cara mais rabugenta possível.

 - Eu já disse que detesto esse apelido. 

 - Desculpa. - fiz uma cara de inocente e um biquinho. Fui em direção ao seu ouvido e disse da forma mais sensual possível. - Daddy..

 Castiel se remexeu na cadeira, suspirou e soltou aquele típico sorriso de cafajeste para mim.

 - Vamos brincar um pouco hoje... - disse com uma voz manhosa e baixa.

 - Meu ovo esquerdo.

 - Qual? Você tem?

 - Tenho.

 - Engraçado, pelo que eu me lembre.. - disse pensativo com um dedo no queixo. - Aí em baixo não tem nenhum ovo. Mas tem uma coisa bem rosa, que puta que pariu, é delici... 

Interrompi dando um tapa na sua nuca e Castiel gargalhou. Estava mais vermelha que nunca.

 No mesmo momento, um grupo de garotas passou comendo o Castiel com os olhos. Tá, tudo bem, ele era muito gostoso, mas pra quê isso?


 Até que uma morena gostosona passou uma mão em sua coxa, Castiel piscou para ela, e ela saiu rebolando.

 Não tive como conter meus ciúmes. Não tive como esconder que estava chateada.

 - Vou indo. Tchau. - saiu mais grosseiro do que percebi, peguei minha bolsa e fui em direção ao terraço com passos fundos e largos. Escutei Castiel me chamar, mas nem olhei para trás. 

Esse era o único ponto que me incomodava na nossa relação. Sim, eu sei que não deveria ligar para quem o Castiel pega ou deixa de pegar, porque nós não temos nada. Mas quando é ao contrário, as vezes por muito menos, ele dá um ataque de ciúmes. Ele pode ter quem quiser, mas eu não? Chega disso.

 Me sentei no chão e observei a cidade. Era muito bonita a vista daqui de cima. Senti o vento e me permiti relaxar. Não me importava de matar a aula seguinte. Depois de alguns minutos, senti uma presença do meu lado. Era Castiel sentando no chão. 

 - Precisamos conversar. - não respondi nada e continuei olhando para frente.- Você está exagerando Megan.

 - EU exagerando? Logo eu? 

 - Sim, está. Eu só pisquei pra ela. 

 - Quando um garoto sequer olha para mim, você dá um chilique. Não acha que isso está meio injusto? - nós dois já estávamos meio alterados.

 - Mas é claro que nã.. - não o deixei terminar. 

 - Mas sabe porque eu não me preocupo com isso? - sentei bruscamente no colo dele de frente para ele, as duas pernas em volta de seu quadril. - Porque eu sei que nenhuma outra garota que você fica ou vai ficar. - dei uma pausa e puxei seus cabelos de um modo meio grosso e fui em direção ao seu ouvido. - Vai te satisfazer do jeito que eu sei. Vai te deixar louco do jeito que eu deixo. Vai te fazer gozar do jeito que eu faço. - levantei do colo dele e fui em direção a porta. - Passar bem, Castiel.

 Fui andando e quando coloquei a mão na maçaneta, Castiel me virou e me prensou na porta. Estávamos a centímetros longe do outro.

 - Você tem total razão sobre o que disse. E me beijou intensamente. Eu sentia raiva desse efeito que ele tinha sobre mim. Tudo o que eu falei para ele, valia o mesmo para mim. Eu não resistia a nada vindo dele. Nos beijávamos com muita vontade, nossas línguas estavam em uma verdadeira batalha. Arranhava seu pescoço e Castiel mordia meu lábio. Nem me dei conta e ele já tinha me pegado no colo, estava com as duas pernas em volta de seu corpo e ele apertava minhas coxas com força. Eu já estava excitada e sentia que Castiel também estava, já que seu membro estava batendo na minha bunda. Me dei conta do que estava fazendo, desci do colo dele e o empurrei.

 - Não Castiel, não. - ele tinha uma expressão totalmente indignada no rosto.

 - Chega. Enquanto você não decidir o que quer, acabou com isso.

 Nem dei chance dele responder e sai praticamente correndo dali.

                       ..... 

Hoje é sábado, e é o dia em que vamos fazer o trabalho. Infelizmente, a única casa que seria mais acessível pra gente fazer o trabalho seria a casa do Castiel. É um lugar enorme, ele praticamente mora sozinho porque os pais só vão lá algumas vezes por mês.

 Sim eu sei desses tipos de detalhes porque eu já passei umas boas noites naquela casa.

 Já se passaram quatro dias desde aquele ocorrido. Eu só falava o necessário com ele. Castiel estava visivelmente abalado, pensativo demais e passando muito tempo conversando com o Lysandre.

 Enfim, já está na hora de ir. Coloquei uma roupa qualquer, um cropped e um short de cintura alta (imagem do capítulo). Só iria fazer um trabalho e voltar. Mas confesso que estava afim de dar uma provocada nele. 

Peguei o necessário e esperei Rosalya chegar. Ele iria sair, então ela me ligou de última hora falando que o pai ia nos levar de carro. 

 Escutei a buzina do carro e sai de casa. Entrei e cumprimentei o pai dela e logo depois Rosalya. 

 - Megan do céu. - me olhou de cima a baixo e falou baixo. - Quer matar o Castiel?

 Ri e ignorei ela. Depois de alguns minutos chegamos na casa dele e nos despedimos do pai da Rosa. 

Tocamos a campainha e ele apareceu com uma bermuda jeans e uma regata preta que ficava larga nele. Estava gostoso até demais. Imediatamente me veio a mente imagens nossas nos momentos mais íntimos possíveis.

 Controle Megan, controle.

 Castiel me olhou de cima a baixo e engoliu em seco. - Podem entrar meninas. O Lysandre está lá na sala. 

Entrei junto com Rosalya e sentamos no sofá. Lysandre estava no chão organizando um monte de livros e folhas. É, parece que teríamos muito o que fazer.

 Castiel apareceu e nos levou para o quarto dele. Nós dividimos o que cada um ia fazer e começamos a trabalhar. 

 - Vamos dar o nosso melhor! Não aceito nota menor que a máxima. - Disse determinada. Eu tinha muita implicância com minhas notas. 

 - Sempre assim. - Castiel disse com um sorriso maravilhoso que me fez enfraquecer. Dei um sorrisinho de volta para ele e voltei aos meus afazeres.

                          .... 

 Passou muito tempo e nós ainda estávamos fazendo o trabalho. 

 - Meu Deus! Eu já ia esquecendo! Lysandre, pode me levar na sua casa? Eu marquei com o Leigh e já estou atrasada. - Rosa disse já pegando suas coisas e saindo do quarto. 

 - E o trabalho? - perguntei a ela.

 - Só falta imprimir três folhas da última parte. 

 - A minha parte eu termino em casa e mando pra vocês. - Lys disse com aquela sua calma invejável. 

 - Tchau gente! - e deixou nós dois aqui sozinhos.

 "As vezes parece que ela faz isso de propósito", pensei. Bufei e fui imprimir as folhas que faltavam. Enquanto esperava, Castiel sentou do meu lado de pegou na minha mão. 

 - Nós podemos conversar, Meg? Respire fundo e decidi dar uma chance para ele.

 - Sim, podemos.

 - Olha, você sabe que eu sou muito cabeça dura, mas tudo aquilo que você disse é verdade. Eu tentei ficar com outras garotas, mas simplesmente não conseguia. Sabe porque? Nenhuma delas conseguem ter o mesmo efeito que você tem sobre mim. Eu ainda estou meio confuso sobre esse negócio de sentimentos, mas eu quero te pedir um tempo pra pensar. Mas quero que você saiba que nada que nós fizemos passou despercebido por mim. Na verdade, foram as melhores experiências da minha vida. - Sorriu pra mim. Tinha como resistir a aquilo?

 - Eu me encontro na mesma situação que você. Estou bastante confusa ainda. Mas por enquanto, somos amigos coloridos com exclusividades. - Disse rindo para ele.

 - E quais exclusividades seriam essas? - disse com um tom de voz extremamente sexy me fazendo arrepiar dos pés a cabeça. 

 - Depois. To com fome, vem, vamos fazer algo pra comer. - Disse puxando Castiel que só fazia resmungar.

 - Quero comer bolo. - disse revirando a cozinha procurando pelos ingredientes necessários. Achei e coloquei tudo em cima da mesa. 

 - Vai me ajudar ou vai ficar aí admirando minha beleza?

 - Se eu pudesse, sim eu ficava. - Fiquei vermelha. Comecei a preparação do bolo com ele me ajudando. Abri a geladeira e achei um chantilly ali dentro. 

Peguei e taquei chantilly na cara dele.

 - Euem, garota doida. - disse Castiel pegando um papel e passando no rosto enquanto ria de mim. Estava devorando o chantilly, eu amava aquilo.

 Ele pegou a garrafa e colocou chantilly em seus dedos e passou no meu queixo. Tirei o que tinha ali e chupei o chantilly no meu dedo indicador. Castiel olhava para mim com um desejo que estava até me assustando.

 Então ele me empurrou para o balcão da cozinha e começou a me beijar. De início foi só um selinho, mas ele pediu passagem com a língua e eu correspondi. O beijo estava ficando cada vez mais faminto. Ele me pegou no colo e me colocou em cima do balcão ficando entre minhas pernas. Passou os dedos pela parte de trás do meus pescoço e puxou meus cabelos me deixando louca. Antes que isso tomasse outro rumo, desci do balcão.

 - Vamos parar antes que a gente se empolgue demais.

 - Estava tão bom! Porra Megan.

 - Sorry. - sorri e pisquei pra ele. - Vou lá em cima pegar minhas coisas, só vou comer o bolo e ir embora. 

 Comecei a subir as escadas e Castiel veio atrás. Quando estávamos na metade da escada, algo inesperado aconteceu. Ele me prensou na parede levantando meus pulsos e prendendo com suas mãos. Só que eu ainda estava virada de costas. Empinei mais minha bunda e Castiel passou a mão e deu um tapa forte. Sentia seu membro encostar. 

- Esse shortinho só está facilitando as coisas... desde que pus meus olhos nessa bunda quase de fora, meu saco tá doendo de tão duro que você me deixou. - disse e mordeu o lóbulo da minha orelha me fazendo estremecer.

 Sinto que minha calcinha está encharcada. Não aguentei, puxei a mão dele, terminamos de subir a escada e fui puxando ele para seu quarto.

 Empurrei ele na cama, subi em cima dele e comecei a beijá-lo. Castiel logo colocou suas mãos na minha blusa para tirar a mesma. Parei de beijá-lo e me levantei de cima dele, ele soltou um suspiro frustado mas quando percebeu o que eu ia fazer, soltou um sorriso malicioso.

 Comecei a tirar meu short lentamente, observando suas reações. Virei de costas e tirei minha calcinha, dando a Castiel a total visão da minha bunda.

 - E aí? 

 - Totalmente gostosa. Puta que pariu. - fui em cima dele de novo, só que Castiel foi mais forte e ficou por cima de mim. Tirei sua blusa e arranhei suas costas enquanto ele beijava meu pescoço. 

O filha da puta estava dando chupões que ficariam marcados por semanas, mas eu não me importava. Desceu os beijos para meus seios. Eu tinha uma sensibilidade muito nessa área e Castiel sabia disso. Mordeu meu mamilo e chupou o mesmo olhando para mim. Gemi e isso pareceu motivá-lo mais ainda.

 Desceu os beijos por toda a minha extensão da minha barriga e afastou minhas pernas com as mãos.

 - Hm.. Já tá toda encharcada... Tudo o que eu mais quero é foder essa bocetinha até você não conseguir andar mais. Mas eu quero sentir seu gosto delicioso de novo.

 Enfiou dois dedos e eu arqueei minhas costas. Castiel se inclinou e sussurrou no meu ouvido.

 - Pode gritar o quanto quiser.. gostosa. - mordeu meu lábio inferior e desceu para ali de novo. 

 Enfiou mais um dedo e aumentou a velocidade dos seus dedos. Passou a língua por toda a extensão e parou no clitóris fazendo movimentos circulares com a língua.

 - Porra Castiel.. - gemi alto, segurando os lençóis com muita força. Ele alternava entre sugar meu clitóris e lamber o mesmo, aumentando a velocidade aos poucos. Eu gemia tão alto que provavelmente vou ficar rouca no dia seguinte. 

 - Eu vou gozar... - isso saiu mais como um gemido do que como um aviso. Castiel sorriu e balançou a cabeça positivamente. Ele aumentou a velocidade dos seus dedos e de sua língua e me desmanchei. Acho que nunca tive um orgasmo tão forte. 

 Castiel tirou seus dedos de mim e colocou na minha boca. Chupei como se estivesse chupando seu pau, sentindo todo o meu gosto. Quando ele tirou seus dedos, troquei as posições e fiquei em cima dele.

 - Minha vez. - dei um sorriso malicioso e o beijei com vontade. Mordi seu lábio inferior e desci os beijos para seu pescoço. Afastei seus cabelos ruivos do local e dei chupões e mordidas fazendo o mesmo gemer baixinho e apertar minha bunda com força. Desci os beijos por todo seu abdômen maravilhoso e dei de cara com seu membro duro como pedra. Tirei sua calça e depois sua cueca.

 - Nossa... - falei e mordi o lábio inferior. - Gostoso como sempre. 

 E lambi desde a base até a cabeça. Castiel suspirou e arqueou suas costas levemente me fazendo ficar louca. Continuei lambendo vendo suas reações, então coloquei tudo na boca. Fiz movimentos de vai e vem o acariciando com a língua.

 - Puta merda Megan... - e colocou suas mãos no meu cabelo me ajudando com os movimentos. Relaxei minha garganta e coloquei até o final mesmo. Castiel soltou um gemido alto. Chupei mais rápido, e percebi que ele estava prestes a gozar quando ele começou a gemer mais rápido e seu pau se contraiu na minha boca. Senti vários jatos na minha boca e engoli, lambendo o que tinha ficado pra fora em seu pau.

 - Continua com uma boca maravilhosa. Quando que vou poder ganhar um boquete desses todos os dias? 

 Ri e me joguei na cama do lado dele. - Acha que acabou? - Castiel se levantou e sentou na minha frente. - Minha filha, se prepara pra nunca mais poder andar.

 Afastou minhas pernas e as colocou em seus ombros e estocou forte. Era esse o jeito do Castiel que eu tanto gostava, forte e bruto. O barulho alto de colisão entre nossos corpos ecoava naquele quarto. Eu arranhava suas costas com muita força enquanto ele bombava muito rápido na minha boceta. 

 - Cavalga pra mim Megan. - Castiel falou com muita dificuldade. 

 Então fiz o pedido. Ele se sentou e eu sentei em seu pau. Comecei a quicar loucamente e Castiel chupou meu mamilo esquerdo. Meu Deus do Céu, acho que eu vou morrer de tanto prazer. Nós dois gemiamos alto. Essa posição pedia um pouco de esforço, então eu fui diminuindo os movimentos enquanto tentava acalmar.

 - De quatro. Agora. Quero sentir você gozando no meu pau.

 Nunca fiz nessa posição, mas talvez eu gostasse. Já ouvi relatos de mulheres que fazem, e elas aprovam e recomendam. Então fiquei de quatro, ficando mais inclinada possível.

 Castiel soltou uma risadinha e disse pra mim. - Nossa. É tão fácil assim? Você é uma safada na cama. MINHA safada.

 - M-me come logo.. 

 - Com todo prazer do mundo. - Castiel estocou de só uma vez. Eram quase brutais seus movimentos. Seu pau estava atingindo pontos que eu nem sabia que existia. Então deu um tapa na minha bunda me fazendo ficar mais excitada ainda. 

 - Gostosa. Tão apertada. - puxou meu cabelo por trás e aumentou a velocidade e a força de seu pau em mim. Depois de alguns segundos eu gozei, soltando um grito que ecoou pelo quarto inteiro. Castiel ficou ainda mais excitado e gozou dentro de mim, não me preocupei porque tomo anticoncepcional e sei me cuidar em relação a isso.

 Castiel saiu de mim e eu caí de bruços na cama.

 - Essa foi definitivamente a melhor foda que já tivemos.

 - Concordo. - e Castiel fez algo meio raro, e me puxou para um abraço, fazendo nós ficarmos de conchinha. Sentimos um cheiro de queimado vindo da cozinha. 

 - MEU DEUS O BOLO TÁ QUEIMANDO. - sai correndo para a cozinha e Castiel veio atrás. Desliguei o forno e encarei ele na minha frente. 

 - Pra que comer bolo se eu posso comer você?

 - Cala a boca, Cassy. - disse o beijando.       


Notas Finais


COMENTEM GALERO! É muito importante pra gente saber o que estão achando 💗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...