História Just Friends Forever - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais, Pretty Little Liars
Personagens Caleb Rivers, Hanna Marin, Personagens Originais
Tags Ação, Amigos, Amizade, Aventura, Azuis, Depressão, Drama, Hanna, Impossível, Orfanato, Perda, Proibido, Romance, Sexo, Suícidio, Tragedia
Exibições 22
Palavras 1.369
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Mistério, Misticismo, Poesias, Policial, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hanna, uma pequena jovem de pequeno porte, cabelos loiros e com belos olhos azuis claros vivia em Nova Iorque com sua família, sua mãe chamada Isabel e seu Pai Michael, sempre viveram neste local, Hanna era uma das garotas mais conhecidas da cidade, todos a sua volta a admiravam, sempre tinha um belo sorriso em seu rosto que deixava qualquer um feliz, seus cabelos castanhos ao vento deixavam qualquer um deslumbrado, mas tudo isso mudou após um triste acontecimento na vida desta garota.

Capítulo 1 - Capítulo I - I Miss You...


Fanfic / Fanfiction Just Friends Forever - Capítulo 1 - Capítulo I - I Miss You...

Livro: Just Friends Forever
             Capítulo I – I Miss You...

 

Hanna, uma pequena jovem de pequeno porte, cabelos loiros e com belos olhos azuis claros, vivia em Nova Iorque com sua família, sua mãe chamada Isabel e seu Pai Michael, sempre viveram neste local, Hanna era uma das garotas mais conhecidas da cidade, todos a sua volta a admiravam, sempre tinha um belo sorriso em seu rosto que deixava qualquer um feliz, seus cabelos castanhos ao vento deixavam qualquer um deslumbrado, mas tudo isso mudou após um triste acontecimento na vida desta garota.

Era um dia chuvoso na cidade, todas as pessoas iam de carro para o trabalho, poucos estavam caminhando nas ruas alagadas, os pássaros haviam sumido nesse dia, só se ouvia a chuva batendo nas telhas e escorrendo para o chão, Hanna estava deitada em sua cama enquanto os sons da chuva a deixavam cada vez em um sono profundo, até ouvir seu pequeno despertador começar a tocar, ela levantou sua mão e bateu no botão de desligar sem nem tirar a cara do travesseiro.

— Hanna, querida seu pai está te esperando lá fora, ele terá que te levar hoje, está chovendo muito, mas desça logo. — Falou Isabel aos pés da escada tentando acorda-la

— Ok... Mãe.... Já vou, só mais cinco minutinhos...

— Mais cinco Minutos e o seu pai já vai ter saído, sai dessa cama preguiçosa, desce logo, anda. — Retrucou Isabel batendo palmas para tentar acelera-la

— To indo... — Respondeu Isabel jogando suas cobertas e se sentando na cama enquanto observava seu quarto totalmente bagunçado

Hanna havia parado de tentar arrumar seu quarto a um bom tempo, suas roupas estavam mais fora do armário do que dentro, sua mochila estava tacada ao lado da cadeira com os livros caídos para fora, parecia que um grande furacão havia passado lá, ela se levantou e foi até a pilha de roupa que estava amontoada fora do armário, puxou uma blusa preta e uma calça jeans, e seguiu para o banheiro, chegando lá foi até a bancada e se olhou no espelho, começou a se pentear e logo após a passar maquiagem e continuou se arrumando.

Após alguns minutos ela estava pronta, saiu do banheiro e pegou sua touca jogada em cima da cômoda, botou-a e foi até a cozinha, chegando lá se deparou com Isabel e Michael se brigando, mas ela não ouvia direito do que se tratava o assunto, ela se agachou atrás do balcão da cozinha e ficou tentando ouvir a discussão.

— Isabel, eu não posso contar a nossa filha que o médico achou uma doença que vai me causar a morte em poucos anos, por favor, se controle, não fale alto, se ela ouvir vai ficar preocupada... — Falou Michael tentando acalmar Isabel que já estava em crise quase chorando

— Não posso, você vai morrer daqui uns anos e nossa filha ainda vai ficar sem saber? Como você quer fazer isso Michael, ela tem que entender, você adquiriu Câncer, não há como ser evitado a não ser com tratamento, então por favor conte-a nossa filha hoje no caminho da escola, ela merece a verdade... — Falava Isabel sendo abraçada por Michael secando suas poucas lágrimas em seu ombro

— Ok... Ok.... Eu contarei, mas fica quieta, vou chamar ela lá, espero que não tenha ouvido nada. — Retrucou Michael parando de abraça-la e saindo da cozinha, mas logo se deparou com Hanna já sentada no sofá o esperando

— Achei que não ia ficar pronto hoje, vamos? — Falou Hanna dando-lhe um sorriso falso

— Sim... vamos... temos que conversar no caminho, se prepare para uma longa conversa. — Retrucou Michael pegando as chaves e indo para o carro acompanhado dela

Com os dois já sentados no carro Michael deu a partida e começou a sair da garagem, ele dirigia pelas ruas vazias do bairro, mas hoje estava em uma velocidade além do normal, Hanna olhava para a janela encarava a chuva escorrendo no vidro enquanto as árvores balançavam e o vento levantava as folhas caídas, e seu pai não falava nada, só olhava para frente e continuava dirigindo, até se sentir desconfortável com a situação.

— Filha, eu tenho que te contar uma coisa...

— O que, que você tem Câncer e vai morrer daqui uns anos se não fizer o tratamento? Eu já ouvi tudo... — Retrucou Hanna sem ao menos deixa-lo terminar

— Sim, filha, me desculpe, eu devia ter-lhe contado antes... — Disse Michael com os olhos já vermelhos

— Agora já era pai, você morre, a mamãe fica viúva e eu fico perdida no mundo, parabéns por não ter se tratado quando pode, parabéns só tenho isso a te dizer. — Continuou retrucando sem ao menos olha-lo

— Hanna, eu não queria te deixar triste, perder o pai aos quatorze anos como você não é uma coisa fácil, então por favor, não tente piorar as coisas, deixe eu aproveitar os últimos tempos da minha vida em paz com você e sua mãe, por favor. — Implorou Michael a olhando

— Eu vou pensar pai.... Agora presta atenção no transito, fica implorando para eu te perdoar depois, só quero chegar na escola logo... — Pediu Hanna enquanto botava os fones e ligava a música no seu Smartphone

— Você pode parar de me ignorar e me tratar como seu pai, Hanna? — Retrucou Michael levando o tom de voz, mas sendo totalmente ignorado — Abaixa essa música, Hanna eu estou mandando, eu ainda sou se pai, me obedece! — Berrou Michael puxando os fones dos ouvidos dela

— Puta que pariu, feliz? Arrebento meus fones novos, parabéns, você realmente é um bom pai...

— Olha como fala comigo, eu tenho uma doença séria ainda minha própria filha quer me matar do coração... — Respondeu Michael já tremendo com suor escorrendo em sua testa enquanto acelerava um pouco o carro

— Da para ir devagar, quero chegar viva na escola...

— Filha, para de me tratar assim, o que eu fiz para merecer isso, olha como você me deixou eu estou quase tendo um infarto depois disso que você fez, pode ao menos pedir desculpas? — Retrucou Michael enquanto encarava ela

— Está bem, Pai!!! O Caminhão olha para o trânsit... — Dizia Hanna ao ser interrompida por algo

Alguns dias depois...

— Aonde... eu esto...ooo.oou...? — Perguntou Hanna tentando abrir seus olhos, mas tendo dificuldade

— Filha, ainda bem você acordou, está tudo bem? — Falou Isabel se levantando da poltrona ao lado da cama

— Acho que sim... aonde eu estou...

— Você está internada no hospital a uns quatro dias filha, você teve um acidente sério de carro, te encontraram desacordada já dentro do carro após um caminhão bater em vocês... — Respondeu Isabel pegando nas mãos de Hanna enquanto escorriam lágrimas de seus olhos

— Eu lembro de ter visto o caminhão vindo do lado do papai, por acaso... cadê o papai, ele foi para outra sala?

— Hanna... seu pai não está mais entre nós...

— Como assim, mãe?

— Ele partiu, filha, o caminhão levou a vida de seu pai na mesma hora, quando foram socorrer ele já estava falecido... — Respondeu Isabel abraçando Hanna

— Não pode ser.… e agora mãe...

— Filha, você será mandada ao orfanato da cidade... eu não tenho condições para te sustentar, seu pai que trabalhava, eu tenho muitos problemas psicológicos já, ainda mais agora... mil perdões filha...

— Como assim, você irá me mandar para um orfanato, e minha vida aqui? Terei que ser mandada para um lugar de pessoas sem família, eu tenho você ainda mãe...

— Filha, não temos outra escolha, a assistente social irá vir te buscar hoje, mil perdões, espero que no futuro você me perdoe por essa decisão, eu te amo Hanna. — Respondeu Isabel largando a mão de Hanna e saindo do quarto chorando sem olhar para trás

— Mãe... por favor, volta!!

— Médicos, vão lá por favor.... Ela precisa disso mais do que nunca... — Disse Isabel para os médicos de plantão no corredor

Os dois médicos entraram na sala e chegaram perto dela, um segurava uma agulha com algum líquido estranho dentro.

— O que vocês vão fazer comigo, por favor, traga minha mãe de volta aqui... — Berrava Hanna se debatendo na cama,mas sendo segurada pelos médicos

— É um sedativo, vai fazer você dormir profundamente, quando acordar já estará no orfanato, me desculpe garota. — Respondeu um dos médicos injetando o medicamente em seu braço — Durma com os anjos, garota...

— Mã...ee...eeeee...

 

Fim do Capítulo I


Notas Finais


Espero que gostem, comentem e favoritem, obrigado :))


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...