História Just Imagine With EXO - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo M, Exo-k, Hentai, Imagine, Licantropia, Romance, Wolf
Exibições 453
Palavras 1.344
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drabs, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Hentai, Josei, Lírica, Luta, Mistério, Misticismo, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Lay - Is it a dream?


Fanfic / Fanfiction Just Imagine With EXO - Capítulo 7 - Lay - Is it a dream?

 

 

Hoje foi dia de prova e eu adoro ficar no mundo da lua depois de uma. Estava tão distraída que apenas “acordei” quando o professor Yixing me chamou me avisando que a aula já havia acabado. Percebo que havia apenas eu e ele na sala, então me pus a guardar meu material. Quando terminei o professor pediu se eu poderia ajuda-lo apagando o quadro, que continha apenas exercícios de fixação dos próximos conteúdos, enquanto ele arrumava as provas em sua bolsa.

 

Peguei o apagador em cima de sua mesa e comecei a apagar o quadro. Quando terminei entreguei o apagador para o professor e o ajudei carregando as provas que não couberam em sua bolsa até a sala dos professores. Depois disso, fui dispensada com aquele lindo sorriso que só ele podia me dar.

 

Professor Yixing é um amor de pessoa. Carinhoso, atencioso e cuidadoso com os alunos, digno de um irmão mais velho. Porém eu fui um pouco mais além, e hoje em dia tenho uma certa paixão platônica pelo mesmo. Também vale ressaltar que além de ser um cavalheiro, ele é um verdadeiro deus-grego em termos de aparência. Quando sorri aparecem suas covinhas, seu corpo é bem formado ao ponto de se perceber por cima das roupas, sua voz calma, seus lábios carnudos... Ah, é uma tentação de homem!

 

Dizem que sonhar faz bem, então o que que custa? Já havia saído do colégio e andava por um beco que cortava caminho pra minha casa, e como sempre sou tão dispersa, não havia notado que hoje havia alguns caras no final do beco. Ainda estava perdida em pensamentos com o professor que apenas notei a presença dos mesmos quando uma mão me puxou.

 

Fui prensada contra a parede daquele beco e ainda não conseguia identificar quem eram os caras, pois estavam de capuz e não tinha muito iluminação. Eu até pensaria em gritar, se um deles não tivessem quase quebrando o meu pescoço. Eu já estava tão sem ar ao ponto de ter alucinações, então em um movimento rápido apenas vejo os dois homens caídos no chão com um lobo em cima deles e depois tudo ficou escuro.

 

 

Acordei sobre uma cama que não era minha. Havia um pano morno sobre minha testa e então logo vejo uma das portas do quarto se abrir, revelando o professor Yixing, sem camisa, apenas com uma calça moletom enquanto o mesmo secava os cabelos em uma toalha que estava sobre os ombros. Ele nota que eu acordei e sua expressão era de preocupação.

 

- Você está bem? – apenas movo a cabeça em concordância, pois meu pescoço ainda estava um pouco dolorido. – Desculpa, eu não queria te acordar. Na verdade, eu nem queria que você tivesse passado por aquilo. – ele se sentando ao meu lado na cama com uma expressão de culpa.

 

- N-não foi c-culpa sua... – minha voz saiu baixa e meio rouca.

 

- Na verdade, foi sim. – ele diz sem me encarar, então ele respira fundo e me explica o que aconteceu.

 

- M-mesmo assim.... V-você não é c-culpa... – ele me interrompe.

 

- Não, (s/n). Você não entende. Eles estavam atrás de você porque era a mim que eles querem, mas você... – ele falou mais alto de início, mas depois parou e então alisou meu rosto com as costas da mão. Fechei os olhos apreciando o carinho. Ele continuou falando, porém desta vez mais calmo e baixo. – é a minha fraqueza, porque eu te amo. – ele diz e depois suspira se levantando e saindo pela outra porta do quarto, que julgo ser a saída para o corredor.

 

Eu ainda estava em choque com a informação recém adquirida. Professor Yixing também gosta de mim? Então eu sou correspondida? Será eu não bati minha cabeça muito forte? Ou será que isso é um sonho? Estava tão perdida em pensamentos que nem notei que Yixing já havia voltado. Apenas notei quando ele começou a rir. O encarei curiosa.

 

- Realmente, isso tem tudo para ser um sonho, mas quer que eu te prove que não é? – ele diz ainda entre risos. Ele havia comentado que aquele lobo era ele, mas eu não havia levado a sério, até agora. – Sim, isso é um poder que nós temos. Pode ir se acostumando. – ele diz se sentando novamente na cama. Ainda estava risonho. – Você quer que eu te prove que isso não é um sonho? – ele pede e eu assinto. – Ótimo. – ele diz me puxando para sentar em seu colo e logo me beijando.

 

Demorei um pouco para corresponder devido ao susto, mas logo correspondi. O beijo era calmo e carinhoso, suas mãos apertavam levemente minha cintura e meus braços pendiam sobre seus ombros, uma mão bagunçando seus cabelos e a outra segurando seu rosto. O beijo começou a ficar cada vez mais quente e então Yixing desceu vagarosamente suas mãos para a minha bunda enquanto eu fui mais ousada e comecei a rebolar em seu colo.

 

       Yixing arfava e gemia baixo a cada rebolada que eu dava sobre o seu colo enquanto ele, vez ou outra, simulava uma estocada por cima das roupas fazendo ambos arfarmos. Cansado da tortura, ele se apressa em tirar minha blusa e meu sutiã enquanto eu apenas mordia seu lábio inferior para provoca-lo. Depois que meu tronco já se encontrava todo despido, ele me encarou por breves segundos antes de me deitar carinhosamente sobre a cama.

 

       Não demorou muito para seus beijos descerem do meu pescoço até meus seios. Enquanto sugava e beijava aquela região, uma de suas mãos o ajudavam a estimular meus seios enquanto a outra se ocupava de tirar a minha saia juntamente com a calcinha. Depois que conseguiu retira ambas, seus dedos começaram a fazer movimentos em minha intimidade encharcada.

 

       Eu apenas gemia e arfava enquanto arranha as costas de Yixing. Vez ou outra eu escutava um pequeno gemido ou arfar sair de seus lábios. Não demorou muito e mesmo estava em cima de mim enquanto tentava, desajeitadamente, tirar a própria calça. Quando conseguiu seus braços enlaçaram minha cintura me abraçando firmemente enquanto seus lábios abandonaram os meus para deixar mordidas e leves sucções em meu pescoço. Abracei seu pescoço enquanto deslizava lentamente minhas unhas em suas costas e em seguida enlacei minhas pernas na sua cintura, percebendo que Yixing já havia tirado até a cueca.

 

       Ele gemeu com o contato repentino de nossas intimidades, assim como eu. Um de seus braços se soltou de minha cintura e deslizou pelo meu corpo até que conseguisse ajeitar seu membro em minha intimidade, não tardando a começar a me penetrar lentamente, em seguida utilizando a mão desocupada para apertar fortemente minha coxa, iniciando assim a penetração.

 

       No início foi um pouco incomodo, mas à medida que os movimentos ganhavam velocidade e profundidade tudo ficou magico. Yixing gemia rouco ao pé do meu ouvido e juro que poderia gozar a noite inteira só de ouvir aquilo.

 

       - (s/n) ... Como... V-você é a-apertada... – seu timbre de voz era carregado de tesão. – E-eu poderia... f-ficar assim.... pra s-sempre... Ah (s/n) .... – explodi em um forte orgasmo ao ouvi-lo gemer de maneira tão pecaminosa no meu ouvido.

 

       - Ah... Yixing.... Ah... – eu já não tinha folego para gemer.

 

       - M-me chama de Lay... – ele diz entre gemidos. Em um breve momento, percebo que seus olhos estão de outra cor. Começo a gemer apenas o seu apelido ao pé de seu ouvido, fazendo Lay urrar de tesão as vezes. Chego ao meu ápice novamente, enquanto Lay precisa dar mais algumas estocadas e depois se desfaz dentro de mim.

 

       Lay havia caído sobre mim, mas não tardou em girar o corpo para o lado para deitar sobre a cama. Ficamos bons minutos apenas tentando recuperar o folego perdido. Sendo assim, quando nos recuperamos Lay me abraçou delicadamente, me trazendo para deitar a cabeça sobre seu peito. Podia ouvir as batidas aceleradas de seu coração e então soube que aquilo não era fantasia e sim, a mais pura realidade.

 

       - Eu te amo muito (s/n) .... – e com essas palavras tive ainda mais certeza sobre a minha afirmação.


Notas Finais


Fazer curta-metragem e escrever fanfic ao mesmo tempo não dá certo. Enfim, agora que entreguei o trabalho acho que vai ser mais sossegado.
Esse capitulo já tava pronto desde domingo, mas a internet só colaborou na postagem hoje então... <3
Amanhã provavelmente tem mais
XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...