História Just Imagines - Capítulo 4


Escrita por: ~

Exibições 175
Palavras 3.018
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello!

Está é minha primeira série de imagines, estou abrindo com todo o carinho do mundo e muita ilusão. Espero que gostem...

Esse imagine foi um pedido da leitora @Clios, então espero que gostem

Beijinhos ^^ Divirtam-se!

Nos vemos lá em baixo ^^ <33

Capítulo 4 - Every Afternoon (Imagine Ren)


Fanfic / Fanfiction Just Imagines - Capítulo 4 - Every Afternoon (Imagine Ren)

A loucura não me consumia antes de conhecer você. Nos encontramos para curar minha suposta loucura, mas apenas me tornei louco quando possuí você

 

 

Cá estou eu em um extenso elevador com seu espelho refletindo não apenas minha face, mas também minha alma. Estava indo a uma consulta com uma psicologa recomendada por meu amigo Aron, o mesmo insiste em me levar a milhares de psicologo pois acha que estou sofrendo de depressão, e que a causa desta suposta doença é o término de meu antigo relacionamento. Para ser sincero, eu não me sinto estranho ou muito menos estou agindo de forma estranha, sempre fora um homem caseiro que gosta de estar sentado no sofá, assistindo meus filmes favoritos e acompanhado de um balde de pipoca, algo normal para um solteiro, não ? 

Assim que cheguei ao andar da ala de psicologia, fora atendido por uma das recepcionista que me guiou até o consultório da psicologa, agradeci por sua gentileza com uma breve reverência e um sorriso gentil, mas a mesma apenas assentiu com a cabeça e se afastou rapidamente. Será que ela pensa que sou mesmo louco ? Quando entrei na sala não havia ninguém, observei a grande poltrona de descanso de veludo azul escuro, mas assim que olhei para o canto da sala, estava uma mulher com sua saia preta colada ao corpo com um pequeno corte lateral, que revelava um pouco de sua coxa esquerda, uma blusa na cor vinho com um decote que deixava seus seios fartos livres para serem admirados quando a mesma se curvava, seus cabelos estava presos a um coque mal feito deixando alguns fios enfeitando seu rosto delicado. 

Dei algumas batidas na porta, fazendo com que aquela deslumbrante mulher levantasse o olhar em minha direção, em seguida fez um sinal para que eu adentrasse de um vez a sala, assim fiz. Sentei-me na maior poltrona esticando meus pés sobre ela e tentando me forcar naquela sessação sem sentido para ser iniciada, até que fora tirado de meus pensamentos pela psicologa que se aproximava com sua poltrona e deixando seu decote chamativo me distrair, mas assim que a mesma voltou a se sentar normalmente em sua pose elegante :

- Bom dia, senhor... - A mesma encarou a prancheta que possuí em mãos - Choi Min Ki, certo ?

- Sim, mas pode me chamar apenas de Ren, é assim que todos me chamam. E a senhorita é ? - Perguntei a fitando.

- Sou a doutora ______, prazer em conhecê-lo - Ela esticou sua mão em minha direção e apenas aceitei seu gesto delicado.

- Prazer é todo meu! - Indaguei esboçando um sorriso amigável nos lábios.

- Então, Ren qual é o seu problema ? - Perguntou me encarando enquanto deslizava a caneta de sua bochecha até entre seus dentes, mordendo a ponta de forma sensual, fazendo com que eu me distraísse com seu gesto - Senhor Choi Min Ki, está me ouvindo ? 

- O quê ? Sim, sim estou ouvindo - Disse voltando a olhar em seus olhos.

- Bom, vamos começar a sessão com algumas atividades para testar sua mente, tudo bem ? - Perguntou com uma voz suave que me deixava relaxado.

- Tudo bem.

- Olhe para os objetos a sua frente, por favor - Pediu apontando para âncora com uma corda amarrada em sua ponta, um quadro com a pintura de um pôr-do-sol e um quadro pintado na cor preta, apenas encarei os três objetos esperando ouvir novamente as voz delicada de _____ para me dar mais instruções - Agora, diga-me qual deles lhe atraí mais ? - Perguntou.

- A âncora - Disse encarando a corda que o objeto possuía, pensando em como seria ótimo amarra-lá. Mergulhei tanto em meus pensamentos que acabei me esquecendo de ____, apenas balancei levemente minha cabeça e voltei a olhar para ela.

- Pode pega o objeto, por favor ? 

- Sim - Me levantei caminhando em direção a âncora e a pegando, assim que voltei a me sentar na enorme poltrona _____ apenas olhava para mim, como se estivesse tentando encontrar algo dê errado comigo. 

- Por quê este objeto lhe agradou tanto ? - Perguntou de forma curiosa.

- Por causa da corda que possuí - Disse enquanto deslizava gentilmente a corda entre meus dedos, enquanto observava lentamente o corpo da mulher.

- Bom, preciso que você coloque este objeto no lugar de sua escolha - Instruiu fazendo com que suas palavras ecoassem em minha mente, deixando que eu imaginasse novamente como seria amarra-lá e possuí-lá. 

- Qualquer lugar ? - Perguntei olhando para ____.

- Qualquer lugar que desejar - Ela afirmou. Me levantei da poltrona, em seguida retirei a prancheta das mãos de _____, amarrando seus pulsos gentilmente com a corda e voltando a me sentar na poltrona, mas desta vez de frente para a psicologa, que me olhava de forma estranha - Por quê escolheu meus pulsos ? - Perguntou.

- Só achei que ficaria melhor em você, deixando-a frágil - Após deixar que tais palavras escapassem entre meus lábios, me julgava por dentro por dizer tamanho absurdo para ____, alguém que acabara de conhecer e não pretendia assustar. Assim que olhei para a mesma esperando ouvir xingamentos de todos os tipo e ate mesmo um tapa em meu rosto, mas a mesma apenas me encrava de forma curiosa e sedutora, como se levasse aquilo como um jogo.

- Então gosta de mulheres frágeis ? - Perguntou me fitando.

- Gosto de vê-las frágeis enquanto as toco - Indaguei mal acreditando em minhas palavras, poderia estar louco por dizer aquilo para uma mulher da classe de _____ ? Ou apenas querendo atraí-la ? Seja qual for meu objetivo ela parecia estar se interessando.

- Quando se toca uma mulher frágil, ela costuma se confortar nos braços do homem. Acha que sou este tipo de mulher ? 

- Você deveria me dizer. Estou aqui apenas para ser avaliado

- Então, vamos levar isso como uma avaliação - ____ disse de forma sedutora enquanto se curvava apoiando seus cotovelos em seus joelhos, encarando meus olhos e alternando seu olhar entre eles e meus lábios - Como já colocou a âncora onde gostaria, preciso que se sinta confortável com esta situação. Imagine que esta em sua casa, sentado em seu sofá, o quê faria nesta situação casual ? 

- O quê faria ? - Perguntei e a mesma assentiu esperando minha reação. Me levantei da poltrona enquanto abria os botões de minha camisa social branca, deixando a aberta e voltando a me sentar de frente para ela, encarando seus olhos que estavam analisando meu tronco á mostra.

- Bom, agora vamos imaginar a seguinte situação. Você está com seus amigos em um dia qualquer, vocês teriam três opções, poderiam sair para se divertirem em algum clube, ficar em casa tomando drinks e conversando sobre assuntos aleatórios, ou poderiam apenas conversando sobre mulheres em um bar perto de sua casa. Qual deseja escolher ? - Perguntou apoiando seu rosto nas palmas de suas mãos. 

- Diria que tenho uma consulta com minha nova psicologa, pois seria mais interessante ficar na companhia dela - Disse me aproximando devagar de _____.

- Então vamos imaginar que não estamos em meu consultório, que é apenas um dia casual onde somos vistos um pelo outro como amigos e não como paciente e psicologa. O quê gostaria de fazer ? - Perguntou de forma sedutora aproximando seu rosto lentamente do meu.

- Preciso demonstrar ou deixaremos isso apenas na teoria ? - Perguntei observando a mesma morder levemente seu lábios inferior, fazendo com que um sorriso lateral se formasse em meus lábios. 

- Assim como as outras situações, preciso que faça uma demonstração - Ela disse como se estivesse fazendo um covite tentador, enquanto apoiava suas costas na poltrona e cruzava delicadamente suas pernas, como se quisesse me provocar. Acho que a mesma sabia que estava funcionando seu jogo de manipulação. 

Levantei da poltrona puxando os pulso de ______ pela corda, fazendo com que a mesma se levantasse ficando próxima de mim, desamarrei seus pulso de forma gentil enquanto encarava seus olhos, os mesmo eram castanho escuros carregavam um certo brilho e me hipnotizavam de uma forma única. Assim que desamarrei os pulso dela, guiei a mesma até sua mesa e a sentei em cima do móvel :

- Depois o quê você faria ? - _____ perguntou de forma deliciosamente sedutora, observando levantar meu olhar para encara-lá, em seguida mordeu novamente seus lábios. 

- Não gostaria de saber oque faria em seguida - Indaguei. Ela apenas esboçou um sorriso lateral em seus lábios como se estivesse se divertindo com esta "atividade", para testas minha mente, mas no momento meus pensamentos estavam sendo ocupados por ela e por minha vontade de possuir seu corpo em cima desta mesa.

- Como você mesmo disse, esta apenas aqui para ser avaliado - Sussurrou contra os meus lábios, provocando meus instintos que estavam sendo contidos por um tempo, mas assim que fechei meus olhos, imaginei como seria ceder aos convites dela. Quando abri meus olhos, me via beijando minha psicologa, algo que estava apenas em meus pensamentos, deixando-me cada vez mais excitado e desejando beijar este lábios, que após prova-los possuíam gosto de morango por estarem marcados por um gloss do respectivo sabor, que não me deixou escolha ao não ser morder levemente o lábio inferior de ____ e puxa-lo devagar, para atiça-la.

- Não permita que minha imaginação torne-se realidade - Pedi tentando conter meus impulsos, mas acabei ouvindo apenas um riso nasal como se a mesma estivesse levando isso mais para um jogo de sedução, e deixando a avaliação dê lado. ____ apenas colocou seu indicador em baixo de meu queixo, levantando meu rosto e fazendo com que eu a encarasse. A mesma aproximou seus lábios até meu ouvi mordendo o lóbulo de minha orelha, fechei meus olhos esperando a mesma me dizer oque fazer.

- É a sua imaginação que precisa ser avaliada, sem a demonstração de seus pensamentos, não poderei cumprir minha parte - Sussurrou em seguida mordeu a cartilagem de minha orelha - Imagine que sou apenas mais uma garota frágil, e me mostre como trataria alguém como "eu" - Fez aspas com os dedos e os deslizou de meu rosto até o cós de minha calça. Aquela era a gota d'água.

- Você não está sendo justa comigo... - Olhei para _____, e a mesma olhava no fundo de meus olhos - Não tem outros pacientes para atender ? - Perguntei com a voz ofegantes, mas ela apenas colocou suas pernas envolta de minha cintura puxando meu corpo para colar ao dela. 

- Eu prefiro ficar aqui - Disse roçando nossos lábios - E ver do que você é capaz - ______ me beijou colando mais nossos corpos ainda bloqueados por nossas roupas, mas para meu "azar" minha camisa social estava aberta, deixando caminho livre para que _____ arranhasse meu abdômen, arrancando gemidos abafados de meus lábios.

- ______, eu não posso, sou apenas mais um paciente - Sussurrei com a voz ofegante, enquanto ela beijava e chupava meu pescoço - Eu...

- Você pode dizer que não, mas vai negar que não quer me foder em cima desta mesa ? - Perguntou olhando em meus olhos, enquanto abria o zíper de sua saia preta, levantando seu quadril e retirando a peça - Leve isso apenas como uma atividade, entre psicologa e paciente.

- Eu... - Coloquei minhas mãos em seus ombros e deslizei as alças de sua blusa vinha, deixando-os á mostra - Eu quero... - Comecei a rasgar a peça e retirando-a do corpo de ______, passando minhas mãos levemente por seu colo, ouvindo ela gemer contra meus lábios - Eu quero... - Rocei nossos lábios e cheguei perto de seu ouvido - Quero foder você em cima desta mesa - Sussurrei aceitando seu jogo.

Beijei _____, sentindo a mesma arranhar minhas costas enquanto retirava minha camisa social, ataquei o pescoço da mesma fazendo-a arfar, mas ela puxou meu cabelo fazendo com que a encarasse e em seguida voltou a me beijar. Senti suas mãos desabotoando minha calça, empurrando a peça com seus pés e tirando minha Calvin Klein preta junto. Peguei ______ no colo, permitindo que a mesma senti-se minha ereção roçar contra sua intimidade, fazendo com que _______ desejasse mais :

- Desce! - Ordenei, ela apenas acatou minha ordem - Deite-se!

Após deitar-se na mesa de frente para mim, fiquei por cima de seu corpo, deixando minhas mãos deslizarem e explorarem suas costas, assim abrindo o fecho de seu sutiã tomará que caia, retirando a peça. Levantei _____ voltando a deita-lá na mesa. Fiquei ao seu lado, observando e deslizando meus dedos por seu corpo, chegando até as meias pretas que faziam parte de sua lingerie branca. Sorri :

- Lingerie de renda ? - Perguntei retirando as meias com a boca, deixando minha respiração perto de sua virilha excita-lá. Estava funcionando - Gostei!

Peguei uma das meias amarrando as mãos de ______ acima de sua cabeça, puxei a mesma pela meia, virando-a e obrigando a se deitar de costas para mim, deslizei minhas mãos pelas laterais de sua calcinha, descendo a mesma. Dei leves tapas em sua bunda fazendo-a gemer baixo, não iria dar o que ela queria tão rápido.

Deixei-a sentir meus dedos no interior de suas coxas, chegando perto da entrada da minha vagina de _______, então comecei a estimula-la, fazendo movimentos circulares com o dedo indicador. Ela decidiu me provocar, então evitou gemer e mordeu seu lábio inferior, segurando os gemidos, obrigando-me a dar mais alguns tapas em sua bunda, fazendo _____ arfar novamente :

- Quero ouvir você gemer! - Sussurrei em seu ouvido. 

Me deitei por cima do corpo de ______, mas não coloquei muito peso contra a mesma, rocei novamente meu membro na entrada de sua vagina, fazendo seu corpo estremecer, podia sentir a vagina da mesma pulsar por atenção. Percebendo sua excitação e vontade para me sentir dentro dela, decidi usar isso ao meu favor. Segurei meu membro, esfregando o mesmo em sua intimidade, era uma verdadeira tortura para _______, não poder tocar-me, aquilo a irritava, mas estava gostando do jeito que as coisas estavam indo.

________ acabou gozando em meu membro, deixando sua intimidade ainda mais úmida. A mesma olhou por cima de seus ombros, observando eu me masturbar, olhei para ela e sorri, então decidi puni-lá por olhar para mim. Penetrei um dedo dentro dela, começando a movimenta-lo com muita velocidade e fundo, _______ não conseguiu mais segurar seus gemidos :

- Ren... - Gemeu alto, então cobri sua boca. 

- Você decidiu não gemer quando mandei, agora vai ficar calada e vai ser uma boa menina! - Coloquei a outra meia em sua boca, amarrando a ponta no espaço que havia entre suas mãos, amarrando as meias uma na outra. 

Peguei ______ no colo colocando-a sentada em sua poltrona, abriu suas pernas apoiando uma em cada lado dos braços do estofado, deixando-a totalmente exposta. Eu olhava para ela enquanto sorria, me agradava vê-la exposta daquela maneira, apenas para mim. 

 Me ajoelhei na frente de ________, olhando para ela e esboçando um sorriso malicioso nos lábios, passei a linguá em sua intimidade, olhando-a de uma forma tão intensa. Penetrei a linguá na entrada da mesma, fazendo com que erguesse as costas. O prazer estava consumindo-a naquele momento. Pressionei seu clitóris com um dos dedos. Percebi que ela queria gemer, mas não poderia, desejava me tocar mas era impossível. Depois que acabei de tortura-lá,  peguei ______ no colo e a penetrei sem aviso, coloquei-a em cima da mesa deixando uma de suas pernas apoiada no chão e a outra segurou na lateral de minha cintura.

Meus movimentos eram rápidos e fundos, percebi por suas expressões que seu segundo orgasmo próximo chegando, peguei ______ no colo novamente, segurando-a pelas coxas, controlando seus movimentos, fazendo com que subisse e descesse em meu membro. Ela desejava gemer, mas por não poder, decidiu esconder seu rosto na curva de meu pescoço, deixando um riso baixo escapar em meio aos meus gemidos abafados, eu estava me divertindo em vê-la sofrer.

A tirei de meu colo, voltando a coloca-la na mesa, deitando a mesma de costas para mim novamente. Penetrei _______ novamente, desta vez com força e rapidez, fazendo com que gozasse pela segunda vez. Apenas sorri com aquilo, comecei a ir mais rápido e fundo. Assim que sai de dentro de ______ e gozei em suas costas. Me abaixei pegando minha camisa e limpando suas costas. Virei ela de frente para mim, sentando-a na mesa e retirando as meias de suas mãos e de sua boca. _____ se sentiu aliviada por poder tocar-me. Iniciou um beijo, sorrindo durante o mesmo, nos separamos por conta do ar que estava faltando, percebi que a mesma olhava para mim, fazendo-me sorrir :

- Após está atividade, minha conclusão sobre sua saúde mental não é muito boa - Ela disse colocando os braços em volta de meu pescoço. Apenas mordi meu lábio inferior e a encarei.

- Então, qual foi sua conclusão ? - Perguntei com um sorriso divertido esboçado nos lábios.

- Que você é completamente louco. Então, para que possamos trabalhar melhor no seu caso, preciso que venha me ver mais vezes

- Quantas você sugere ?

- Quando você quiser, estarei aqui lhe esperando para repetirmos a sessão - ____ indagou, enquanto me dava alguns selares.

- Como sou um louco segundo você, vou precisar vir muitas vezes - Disse inciando outro beijo - Então terei que tomar todo o seu tempo. Como ficarão os outros pacientes ?

- Eles não precisam com urgência da minha ajuda - Ela disse, apenas a peguei novamente em meu colo e voltei a penetra-lá. _____ gemeu contra meus lábios enquanto sentia meu membro invadi-lá por completo outra vez.

- Como meu caso é tão urgente, outra sessão não fará mal a ninguém, não é mesmo ? - Perguntei sorrindo maliciosamente, enquanto me movia devagar.

- Louco... - Sussurrou me beijando com urgência.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, comentem oque acharam deste terceiro imagine com o Ren ?

Se quiserem ter seus pedidos realizados, deixe-os no capítulo anterior, onde está explicado como deve fazer.

Quem estiver interessada, e for criar e/ou tem alguma fanfic, poderia dar uma olhada em meu blog. Estou construindo um blog para personalizar capas, banners de capítulo e entre outras coisas. Quem se interessar, o link está aqui : http://cutedesignfanfiction.blogspot.com.br

Beijinhos ^^
Até o próximo imagine ^^
Annyeong ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...