História Just like that - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 17
Palavras 1.771
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi gente. Desculpa a demora, tive uns problemas e ai não deu muito tempo de escrever. Boa leitura. ❤

Capítulo 5 - Capítulo 5.


Fanfic / Fanfiction Just like that - Capítulo 5 - Capítulo 5.

                    Jackie. 


  Algum tempo depois de Chloe e Caleb saírem, voltei para dentro de casa e fui fazer alguma coisa para mim comer.

  Fiz umas panquecas e fiz um café na cafeteira. 

  Matthew sentou no balcão da cozinha enquanto eu cozinhava. 

  Ele brigava com a gravata.

  - Engraçado. - falei e ri. 

  - O que? - Matt perguntou, sem entender. 

  - Você nunca consegue fazer o nó na gravata quando está nervoso. - sorri e coloquei algumas panquecas para ele e outras para mim. 

  Depois servi duas xícaras com o café recém feito.

  Café tinha um cheiro muito bom.

   - É meu primeiro dia no trabalho. Naquele prédio gigante de uma empresa mais gigante ainda. - ele falou, tinha um nervosismo na voz. - E eu vou chegar lá e vou ser o praticamente o chefe de varios homens que já trabalham lá a muito tempo e eu tenho cara de ADOLESCENTE! 

  - Calma Matthew Montgomery! Você está tão histérico que parece até eu! - eu gargalhei, depois dei um sorriso fraco - Nossos pais estariam orgulhosos de você. 

  - De você também. - ele sorriu, depois se levantou. - Tenho que ir, você vai ficar bem sozinha? 

  - Vou sim. - falei e tomei mais um gole de café. - Acho que vou ficar em casa arrumando as coisas hoje. 

  - Okay. Se cuida. - Matt me deu um beijo na testa e saiu. 

  Terminei de tomar meu café e fui arrumar as coisas no meu quarto. 

  Coloquei a cama ao lado das portas de vidro da sacada. 

  Com grande esforço e muito trabalho, empurrei uma estante para a parede da direita. Onde arrumei minhas coleções de livros, algumas câmaras fotográficas que eu amava e etc.

  Coloquei minha escrivaninha nos pés da cama de casal e enchi ela com minhas canetas preferidas, cadernos, meu notebook e etc.

  Enchi o closet com minhas roupas e calçados. Mas ainda sobrou muito espaço. O closet era grande demais. E também coloquei algumas toalhas no banheiro e minhas coisas como chapinha, secador de cabelo, maquiagens... 

  Me senti uma rainha com um quarto daquele tamanho. E ri sozinha do pensamento. 

  Como o quarto era enorme, ainda sobrou a parede da esquerda, que era a mais afastada da cama. 

  Onde tive a brilhante ideia de preencher com meus dois skates. (Um normalzinho que eu amava e o outro um Longboard) Meus patins, patins de gelo, e eu também gostaria de colocar minha bike de downhill, mas eu não ia conseguir subir as escadas com ela. 

  Também se juntavam à coleção meu maravilhoso taco de baseboll, que eu mais usava para espancar os valentões da minha última escola, e meu violão. Eu amva tocar violão. 

  No final ja eram quase três horas da tarde, e eu passei o resto do dia arrumando o resto da casa. 

  Agora ela parecia mais com nosso lar. 

  Quando Matt chegou, eu já estava dormindo, exausta. Mas lembro-me de ele me dar um beijo na testa e depois sair do quarto e apagar a luz, que eu tinha esquecido acesa. 

  Não lembro dos sonhos daquela noite, mas pela primeira vez não foram ruins. 

  Quando acordei, eram sete horas da manhã e sai pulando da minha cama para o banheiro. Hoje era o meu primeiro dia de aula. Pura animação.  

  Entrei no chuveiro e tomei um bom banho, depois sai e sequei os cabelos, dando leves pulinhos. 

  Meu cabelo ficou liso e bonitinho, o que era um milagre. Passei delineador como sempre e rímel, e escovei os dentes. 

  Fui pra o closet me vestir, e coloquei uma calça legging azul marinho e um moletom da sorte da Monster Energy preto, que brilhava no escuro. Eu amava coisas brilhantes. 

  Como eu não era nem um pouco normal, calcei meus patins, que tinha duas rodas de cada lado. Ele era lindo.

  Branco e com as rodas azuladas. Amarrei firme os cadarços e joguei um par de tenis dentro da minha mochila para eu trocar na escola. Enchi minha mochila com os cadernos e meu estojo cheio de canetas e etc. Também coloquei dentro da minha mochila alguns documentos que eu talvez precisasse para hoje. 

  Peguei meus celular e os fones e fui para o corredor, patinando devagar. Desci a escada sentada no corrimão e descobri que aquilo era realmente divertido. 

  Fui patinando para a cozinha e pulei para a bancada onde Matt preparava o café. 

  - Bom dia! - gritei animada. 

  - Bom dia! - ele imitou minha animação. 

  - Como foi seu primeiro dia ontem? 

  - Foi bom. Mas descobri que sou um unico cara com cara de adolescente trabalhando lá. - Matt sorriu. 

  - Te aconselho à deixar a barba crescer. - falei e comi uma torrada. - Você fica mais "homem" quando está com barba. 

  Pulei do banco que era alto e peguei a mochila. 

  - Você vai para escola de patins? - Matthew perguntou, arqueando uma sombrancelha na minha direção. 

  - Vou sim. Por que? - perguntei, usando os freios para ficar parada. 

  - Humm duvido que consiga achar um namorado andando por ai com essas coisas. Vão te chamar de louca. - ele riu.

  - Ainda vou achar um namorado. Pode não ser hoje. Nem amanhã. Mas um dia eu vou conseguir! - ri também. - Fui!

  Sai pela porta da frente e dei um salto fácil pelos três degraus da entrada e segui patinando até o asfalto da rua. 

  Coloquei meus fones para ouvir a música "Perfect Strangers" que eu achava muito legal para patinar. 

  Olhei para a frente e vi Chloe e aquele garoto, Caleb, conversando. 

  Caleb parecia irritado e Chloe meio que tentava acalmá-lo. 

  Pensei em ir até lá e tentar "socializar" mas acho que depois de eu ter dado um banho nos dois, eles não gostariam nem de ouvir minha voz. 

  Então continuei patinando, cada ver mais rápido, meus cabelos voavam. 

  A sensação de liberdade era boa. Incrível. Estar sobre rodas era quase como voar. Me sentia até mais alta. 

  Dei um belo giro bem no meio da rua e um salto perfeito. Eu até que era boa naquilo.

  Continuei indo em direção à escola, que não ficava muito longe, passando por lindas casinhas. 

  Assim que cheguei na escola, sentei num banco e tirei os patins e coloquei os tênis. 

  Segurei os patins na mão direita e coloquei a mochila nas costas, e fui caminhando para achar a secretaria. 

  A escola era grande, e parecia com as outras escolas que ja frequentei: populares nos seus carrões. Nerds. Excluídos. Líderes de torcida gostosonas. E etc. 

  Caminhei pelos corredores cheios de adolescentes em seus armários, conversando. E todos me olhavam estranho.

  Talvez por que eu era menor que a maioria deles. Ou por que eu carregava um par de patins. Ou... Sei lá. Sempre fui estranha. 

  Encontrei uma porta com uma placa escrito "diretoria" e entrei. 

  Uma mulher gordinha de óculos me atendeu. 

  - Oi, meu nome é Jackie. Fui transferida para cá. - falei e sorri. 

  - Claro, só preencha essa ficha enquanto eu pego seu horário. - ela sorriu e me entregou uma folha cheia de perguntas que eu respondi. E no final perguntava sobre uma matéria opcional para eu escolher. 

  Elas eram: culinária, teatro, esportes, música, artes, línguas estrangeiras e dança.

  Fiquei meio em duvida sobre qual escolher. 

  - Nessas matérias opcionais, eu tenho que escolher agora ou posso dar uma olhada e depois me inscrever? - perguntei para a mulher. 

  - Pode se inscrever em qualquer uma em qualquer momento do ano letivo. Ai é só conversar com o professor da matéria que você escolheu que ele vai decidir se você pode entrar ou não. 

  - Okay, obrigado. - falei. Ela me entregou a folha dos horários e a senha e o número do meu armário. 

  Sorri e sai da diretoria em fui em busca do meu armário. Demorei um pouco para encontrá-lo, mas quando enfim consegui, guardei minhas coisas e analisei o horário. 

  A primeira aula era de literatura, na sala cinco, e o nome da professora era Morganne. 

  E só o nome dela já me deu arrepios. 

  O primeiro sinal tocou e corri para achar a sala cinco. 

  Quando cheguei, a professora já estava na sala e todos os alunos já sentados em seus devidos lugares. Um arrepio percorreu minha nuca. "Atrasada no primeiro dia, droga"   

  Entrei na sala e todos me olharam. Morganne era uma velha horrorosa. Com óculos redondos e rosto de raposa. 

  - Quem é você? - ela perguntou, e sua voz era fina e estridente. 

  - Jackieline Montgomery, senhora. - falei, e dei um sorriso leve para ver se consquitava sua simpatia. 

  - Ah, a aluna nova. Você é uma graça. Pena que é tão baixinha! - ela falou e eu pude ouvir muitas risadinhas dos alunos. Affs. - Sente aqui na frente, ai talvez você consiga enxergar. 

  Ela apontou para uma classe vazia, o primeiro lugar na fileira que ficava encostada na parede. 

  Suspirei e caminhei até a classe e me sentei, e tirei meu caderno de dentro da mochila. 

  Ela começou a dar a aula e foi totalmente tedioso. 

  As próximas aulas foram suportáveis. E ninguém falou comigo além dos professores. 

  E isso estava meio que me deixando mal. Será que ninguém naquela escola queria ser amigo de uma garota um pouco mais baixa que o normal e com um pouco de hiperatividade? 

  Tentaria sobreviver à hora do almoço, peguei uma maçã, um prato de salada e tomei uma caixinha de suco. Eu não me considerava vegetariana, mas não gostava de comer carne. Só as vezes. 

  Sentei em uma mesa meio afastada e coloquei os fones para ouvir alguma de minhas muitas músicas eletrônicas. Sim, eu era viciada nesse tipo de música.  

  A primeira música que começou a tocar foi Ur On My Mind - DVBBS. 

  Comi e fiquei analisando meu horário. 

  Depois do almoço eu tinha um período livre que deveria ser o período das "matérias opcionais" e depois dois de matemática e um de biologia. 

  De repente me vi pensando em Caleb. Nós estávamos na mesma turma em literatura. E acho que ele foi um dos que riu por causa da piadinha sem graça da professora. 

  Era estranho eu não saber nada dele e ele não sair da minha cabeça.

  Então senti um toque no meu ombro e me virei assustada, já tirando os fones. 

  Tinha um garoto ali. 

  Ele era moreno, com a pele bronzeada e os olhos cor de mel. Muito gato.

  - Oi, você é a Jackie, aluna nova né? - ele falou e sorriu. 

  - Sim, sou eu. - falei e dei um sorriso leve. 

  - Prazer, meu nome é Thommas. 

  


Notas Finais


Sei que esse cap ficou meio sem graça, mas prometo que no próximo melhora. 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...