História Just Love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Flavia Pavanelli
Tags Piconelli
Exibições 5
Palavras 675
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem...
Boa leitura!

Capítulo 1 - Vida Nova


Flávia On

O avião acabou de pousar em Florianópolis. Me levantei da minha poltrona e caminhei pra fora do mesmo da mãos dadas com a Maricota (minha irmã) Assim que entramos no aeroporto vi o nosso guia de longe segurando uma plaquinha escrito "Família Pavanelli" fui até ele e o cumprimentei

Flávia: - Oi, eu sou a Flávia e essa aqui é a Maria Clara. Meus pais já estão vindo também, eles foram pegar as bagagens -sorri simpática para o moço e olhei pra trás rapidamente só pra conferir se meus pais estavam vindo-

Xxxx: - Muito prazer em conhecê-las. Bom meu nome é Matheus, eu vou levar vocês até o local que quiserem ir, vou mostrar as melhores praias, os melhores shoppings, restaurantes, lugares bons para frequentarem -o moço abriu um sorriso e vi seu olhar se erguer mais um pouco, senti alguém colocar as mãos sobre meus ombros e sabia que era meu pai- Olá senhor e senhora Pavanelli, estava explicando para suas filhas sobre como funciona meu emprego

Flávio: - Que bom, mas por favor nos chame pelo nosso nome -soltei uma risadinha ao ouvir meu pai dizer aquilo e o garoto(Matheus) sorriu meio sem graça- Bom a minha esposa se chama Luciana, eu sou o Flávio, essa gatinha aqui é a Flávia e a princesinha é a Maria

Matheus: - Ah tudo bem então, não prometo que vou lembrar de todos os nomes mas vou me esforçar

Após uma longa conversa formal o Matheus que me desculpe mas vou ter que confessar é um tremendo gato, nos levou até a nossa casa. A casa na verdade era mais uma mansão, não tinha dois andares porque a mamãe não queria escadas por causa da Maria que as vezes fica correndo pela casa e vamos confessar que escada é uma coisa perigosa, até pra mim que sou meio completamente desastrada. A porta era definitivamente gigante, comparado ao meu tamanho né, acho que pro papai a porta era normal, ou até pequena. Logo na entrada tinha um espelho com uma mesa que tinha vários tipos de bebidas e enfeites encima. Não que a gente fosse beber aquilo, era mais pra enfeitar mesmo. Andei mais um pouco pro lado e vi a sala, com dois sofás enormes e uma Tv enorme também, logo ao lado tinha uma porta de blindex(vidro) que provavelmente levava até o quintal mas isso eu iria ver depois. Atravessei a sala e vi um grande corredor, acendi as luzes do mesmo e fui andando até achar meu quarto que era o penúltimo do corredor, assim que entrei no quarto um sorriso se abriu instantaneamente em meus lábios. Tudo estava perfeito do jeito que eu queria. Agora sim.... Eu iria descansar um pouco, estava exausta por causa da viagem, abri uma porta e vi o banheiro que era todo de azulejos brancos e tinha um espelho enorme com pequenas luzes em volta do mesmo e logo abaixo a pia.  Entrei no banheiro e fechei a porta, tirei minhas roupas e sem pressa liguei o chuveiro e logo a água estava bem quente, entrei embaixo do mesmo e assim que senti a água escorrer sobre meu corpo soltei um longo suspiro de alívio, fiquei um longo tempo embaixo do chuveiro e assim que terminei meu banho desliguei o chuveiro e enxuguei meu corpo, me enrolei na toalha e sai do banheiro, vi minhas malas em um canto e fui até as mesmas, me abaixei e abri minha mala que tinha todos os meus pijamas e roupas íntimas, peguei uma camisola rosa bebê rendada e fechei a mala novamente, vesti a camisola e assim finalmente me deitei na minha cama embaixo daquelas cobertas.
Amanhã teria aula e eu estava muito ansiosa, como sempre fui. O primeiro dia de aula é um terror pra mim, principalmente porque eu odeio ficar sozinha, mas isso é inevitável no primeiro dia. Só espero que lá tenha pessoas legais, já não é fácil entrar em uma nova escola no meio do ano, seria ainda pior ser rejeitada por todos.


Notas Finais


Essa história também está disponível no wattpad como: Sentimentos Indescritíveis
XOXO: Jéeh


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...