História Just Married - Capítulo 67


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kurenai Yuuhi, Minato "Yondaime" Namikaze, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Amizade, Amor, Casamento Arranjado, Drama, Hentai, Naruhina, Romance, Sakura, Sasuke, Sasusaku, Sexo, Universidade
Exibições 1.215
Palavras 4.417
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


MENINA JÁ VOLTEI!

Capítulo 67 - Santuário Uchiha


Fanfic / Fanfiction Just Married - Capítulo 67 - Santuário Uchiha

- Sakura… Sakura… - Era uma voz grave e calma que apesar de claramente estar tentando lhe acordar fazia isso de forma suave para que não se assustasse. Sentia também uma mão fazer carinho de sua testa à bochecha. Seu corpo ainda muito cansado estava naquela posição perfeita, cada membro parecia muito bem colocado, a temperatura estava perfeita, nada lhe incomodava, nem mesmo aquela mão, na verdade ela estava deixando as coisas ainda melhores. Sua consciência havia despertado e o cheiro de Sasuke trazia lembranças que faziam valer a pena acordar, mas ainda assim era horrível pensar em se mexer, por isso apenas abriu os olhos piscando várias vezes até sua visão focar naquele rosto. Também valia a pena acordar para ver ele sorrir de canto com dó de acordá-la.

- Dorminhoca.

Sakura franziu o cenho para aquela afirmação. É importante adicionar uma informação sobre Sasuke. Na maior parte do tempo ele era um cara que não dormia muito, sempre tinha algo que precisava terminar e por isso não era o tipo de pessoa que estava na cama no máximo às 23h, acordava cedo e enfrentava mais um dia como qualquer pessoa normal, mas Sakura em seu pouco tempo de casada e principalmente durante a viagem para a Inglaterra percebeu que era difícil existir um ser humano que dormisse mais que Sasuke. Ele deitava e dormia em segundos! E ele era capaz de dormir mais de 10h seguidas e mesmo quando era acordado ainda se dizia “morrendo de sono” e mais! Ele só acordava porque acordavam ele, ficava pensando em algum dia ver até onde ele iria. Fora que ele dormia em posição criminosamente perigosa ao seu pescoço, de bruços com a cabeça totalmente pro lado e sem travesseiro, deitava e assim ficava. Adeus mundo cruel.

Então, aquela pessoa não tinha moral pra falar do sono de ninguém principalmente alguém que passou por uma mudança brusca de fuso horário.

- Acordado? - Foi o que sua preguiça permitiu dizer ainda sem se mexer. Como estava estourada.

- Eu tento não dormir após viagens assim, já falei isso pra você, mas pelo visto você sempre acaba dormindo - Deu uma risadinha - E então? Nossa cama é melhor do que o sofá do hotel? Ou devemos trocar?

Sakura sorria sem dentes fechando os olhos de repente sentindo uma necessidade de esticar os braços pra cima respirando fundo, mesmo saindo da posição perfeita aquela espreguiçada tinha sido maravilhosa, sentiu um pouco mais da maciez da cama e dos lençóis.

- Nada é melhor do que a nossa casa - Mesmo sem abrir os olhos sentiu alguns beijinhos de Sasuke em seu rosto enquanto ele lhe abraçava fazendo ela perceber que a posição perfeita na verdade tinha que envolver ela atracada a Sasuke, logo abriu os braços e enlaçou seu pescoço curtindo o carinho.

- Te acordei porque precisa jantar - Falou o cara que não acorda nem pra comer quando resolve dormir - Mas, antes quero te mostrar algo…

- Hummm - Sakura gemeu dengosa abraçando-o um pouco mais apertado, ouviu ele rir abafado com o rosto na curva de seu pescoço, o corpo dele se moveu ajeitando-se com os joelhos sobre a cama, passou os braços forçando um pouco para que passassem por baixo dela e a ergueu da cama abraçada a ele. Ela gemeu ainda mais reclamando ao sentir-se indo contra a gravidade mesmo que por força de Sasuke e não sua. A posição perfeita incluía estar atracada a Sasuke, mas na horizontal que fique claro.

Acabou se dando por vencida quando ele lhe soltou sentada na cama chamando animado para que levantasse logo, ela cogitava fortemente se jogar de novo, mas ele foi logo puxando-a pelos braços para que ficasse em pé. Não usava pijamas, apenas uma roupa confortável a qual antes ela se importaria de se vestir assim na frente dele. Não que estivessem há muito tempo juntos para já haverem várias verdades da vida cotidiana reveladas um para o outro, mas qual era o grande mal de um shortinho e uma blusa confortáveis de ficar em casa para capotar durante a tarde após uma longa viagem?

Espreguiçou-se mais uma vez e seguiu de mãos dadas com ele, animado demais. Notando isso começou a ficar curiosa e não ser tão lenta durante a caminhada pela casa, quando Sasuke ficava empolgado com alguma coisa era bom preparar o coração, se ela se surpreendia com as coisas normais, imagina com o que ele ficava assim.

- O que é?

- Você vai ver…

- Mas me diz logo o que é.

- Você já vai ver o que é! - Desciam as escadas, agora mais rápido.

- Custa me dizer o que é?

- Mas que garota curiosa, a gente já vai chegar lá… - Ele estava com sorriso enorme estampado no rosto enquanto chegavam a sala e começavam a atravessá-la em direção a saída da mansão.

- Para onde estamos indo?

- Ai que saudade eu estava dessa pergunta…

- Sasuke! - Ela parou segurando a mão dele, fazendo ele dar um passo atrás - Eu não posso sair assim! - Os olhos dele correram por ela displicentes, olhando bem, ele também não estava lá muito arrumado, estava de calça jeans e camisa manga curta vermelha, nem pólo e nem nada, apenas uma camisa, mas usava um tênis estiloso.

- Não tem nada de errado vem logo… - Ele já iria continuar, mas foi segurado de novo.

- Não! Tá doido?! Você tá todo arrumado! - Sasuke olhou para ela desacreditado.

- Eu não tô arrumado - Franziu o cenho - Eu tô normal.

Hum rum tá.

O mal de ser rico demais é que sua roupa de casa é a roupa que as pessoas costumam usar para sair. E você também, o caso é que ele sempre estava pronto. As calças de moletom se limitavam a hora de dormir ou de fazer exercícios.

- De qualquer forma, nós vamos até o jardim, não para uma sessão de fotos - Falou após ver a cara dela de desaprovação. - Vem logo - Deu um puxãozinho e Sakura cedeu incerta sobre se ele a estaria enganando, a enfiaria em um carro e parariam sabe Deus onde.

Mas, não, desceram as escadarias da mansão e foram andando pelo jardim muito bem iluminado e ornamentado como sempre. Sakura começou a ouvir um barulho de água e parou de insistir com perguntas e simplesmente olhou para a frente. Sua boca se escancarou.

- Uaaau

Sasuke riu empolgado andando mais rápido puxando-a pelo braço até chegarem até a beira onde a água da cachoeira se empoçava.

- Sasuke… - Sakura colocava a mão sobre a boca de olhos bem abertos capturando todos os detalhes - Ficou pronta… - De braços cruzados ele olhava sorridente para tudo esperando mais reações dela.

Talvez eu ler “cachoeira”, a pessoa pense algo alto com uma imensa queda d’água, mas não era assim. Haviam algumas pedras posicionadas de uma forma que parecesse desproposital no limite da propriedade, pois atrás ficava o alto muro, mas você não o via pois as pedras davam a impressão de se que se tratava de um monte de pedras que sempre estiveram ali, cobrindo um bom trecho do muro de onde saia água em fluxo constante e satisfatório para escorrer por elas e fazer barulho ao cair na água. Dava pra ficar em baixo e ter as costas massageadas, além de poder nadar livremente pela piscina “natural” que se formava.

- Você é completamente doido - Sakura ainda com as mãos sobre o rosto admirava tudo aquilo.

Sasuke deu um risinho colocando as mãos nos bolsos - Me traz boas lembranças, sempre que eu olhar para cá irei me lembrar de você. Posso dizer que é uma espécie de santuário nosso. - Veio para trás dela devagar envolvendo-a com seus braços e seu corpo sendo mais alto do que ela - Você gostou?

- É maravilhoso…

- Então, valeu a pena.

- Foi muito caro?

- Não estou falando disso - Beijou o rosto de Sakura e voltou a olhar para a frente - Qualquer agrado que eu tente fazer é para lhe causar um sorriso, é para você gostar, se isso acontece então qualquer coisa vale a pena. - Ouvia ela respirar fundo pondo suas mãos sobre as dele.

- Eu não mereço tudo isso.

- Hum?

- Eu desejei tanto não estar aqui, pensei tanto mal de você, praguejei, reclamei de toda a situação da minha vida e apesar dos pesares - Pensou no único canto de sua vida que ainda precisava de solução - Não importa de ângulo eu veja isso a minha mudou completamente, mesmo que eu odiasse isso, mas foi para algo muito melhor do que eu poderia imaginar. - Virou a cabeça para o lado, Sasuke ergueu a sua desencostando da pele dela olhando-a com atenção - As vezes eu paro pra pensar em tudo isso agora e… Eu não consigo imaginar como seria a minha vida se nada disso que eu tanto odiei tivesse acontecido.

Sasuke olhava para ela sério, colocou a mão ao lado de sua cabeça e trouxe-a para beijar sua testa. - Era tudo o que eu queria. Desde o momento que percebi o quanto eu te amava era insuportável te ver daquele jeito - Abraçou-a apertado virando-a de frente para ele e pondo o queixo sobre sua cabeça - Eu queria te fazer feliz, você não sabe o quanto.

- A única lágrima que eu posso ter é essa no meu pescoço não é? - Ela disse abafado com o rosto em seu peito totalmente agarrada a ele, era noite, por isso suas roupas curtas permitiam que ela sentisse algum frio.

- Nunca esqueça disso… Ei… - Chamou, Sakura olhou para cima - Quer ficar comigo? - Ele sorriu de canto relembrando a primeira vez que se beijaram de verdade - Podemos aproveitar um pouco o momento… - Mas dessa vez não esperou uma resposta positiva, apenas se inclinou devagar e tocou os lábios dela com os seus.

Por alguns minutos, apenas o som da água caindo era plano de fundo para eles. O frio já não era algo notável, pois uma fogueira se acendeu no interior de ambos, assim, ainda por cima um aquecia o outro com seus corpos enquanto se beijavam. De início Sasuke foi delicado, mas logo nenhum dos dois se continha, por isso a suavidade foi esquecida pela necessidade de maior contato sanada através de chupões e apertos. A respiração ficou mais forte e a mão de Sasuke mais audaciosa. Mesmo já tendo feito muito mais que aquilo, sempre que Sasuke delineava suas curvas com suas mãos, Sakura sentia um arrepios fluir juntando-se a um pouco de vergonha de sentia por ainda por cima acabar ansiando que ele a tocasse mais. Ela mesmo já apertava demais seu pescoço apertando-se contra ele e trazendo a cabeça dele para mais perto de si como se fosse possível.

- É melhor irmos para o quarto - Ele disse rouco ao se afastar de seus lábios, pegou em sua mão e mais uma vez naquele dia puxou-a para que andasse, mas dessa vez Sakura logo o acompanhou levada ainda mais pela forma como o seu corpo reagia pedindo mais uma vez por ele. - Essa viagem para Atenas foi muito boa - Largou sua mão para abraçar seu corpo enquanto andavam, beijava sua boca e seu pescoço ainda inflamado pela vontade - Sabe, tem uma coisa que eu queria muito ver de novo - Ele disse enquanto atravessavam o jardim.

- O que foi?

- Queria te ver dançando.

Sakura corou arregalando os olhos.

- Mas aquela música, lembra? Que você dançou com aquela senhora - Dessa vez ele quem corou ao lembrar. - Não sei o nome.

- Rabiosa da Shakira.

- Deve ser - Disse beijando-a mais uma vez.

Sakura não sabia em que momento saber que assim que chegasse no quarto faria sexo não era mais algo que a deixava nervosa, mas sim ansiosa, nem pensava mais nos breves momentos de vergonha que sentiria enquanto ele lhe despisse só pensava no momento em que ele…

- Então, o que acha de quando subirmos você lembrar isso para mim?

- Não! - Riu alto muito vermelha - Eu fico com vergonha.

- Hummm… Não estava com vergonha nenhuma de dançar na frente de todo mundo naquele dia - Beijou-a e fez um bico - Tinha vários caras muito interessados nos seus quadris pro meu gosto, fiquei com ciúmes.

- hahahahahaha foi no calor do momento, por isso não senti vergonha.

Subiram as escadas da mansão, mas antes de entrarem, ele parou segurando sua cintura empatando a passagem.

- Se for por isso, eu posso te dar calor em um momento - Sussurrou.

Ali mesmo agarrou-a e beijou-a com toda a vontade que estava tentando segurar até que chegassem no quarto, foi um flash, um relâmpago, logo parou, sorriu de canto vendo ela desnorteada e puxou-a para dentro.

========

toc toc toc

Olhou para um lado para o outro, mesmo após alguns segundos, nada.

Toc Toc Toc

Um pouco mais de força.

-  Itachi-kun! - Bateu na porta colocando a orelha sobre a madeira, parou olhou de cenho franzido - Querido você está aí?! - Ouviu um gemido lá dentro. - Meu Deus esse garoto tá passando mal? - Falou consigo mesma girando a maçaneta mesmo sem ter sido autorizada para escancarar a porta, mas bateu com ela em algo com força.

- AI! tsss - Itachi com a mão na cabeça jogado no chão virava para um lado encolhido com dor.

- Querido você está bem?! - Mebuki se abaixou preocupada - Me desculpe! Por que estava no chão tão perto da porta?! Estava desmaiado?! Está sentindo algo?! - As mãos dela passavam por ele nervosas como se estivesse procurando algo errado.

- Não… - Falava gemendo enquanto se desvirava ficando de barriga pra frente ainda fazendo careta com a mão na cabeça - Okaa-san, por que entrou de repente?

- Eu estava batendo na porta e chamando você! Estava jogado aqui no chão?

- Sim…

- E por que não respondeu? Estava dormindo? Estava desmaiado? - Itachi riu esfregando a cabeça já sentindo a dor passar, ficaria com um galo depois.

- Já disse que não, eu tô bem, só tava jogado aqui com preguiça de falar. - Como se para demonstrar abriu os braços e ficou todo aberto como se fosse fazer um boneco de neve.

- Preguiça de falar?! - Mebuki bateu no braço do rapaz que fez cena dizendo “Au!” - Eu estava chamando você garoto! Fiquei preocupada, aí te vejo jogado no chão e acabo te batendo porque estava com preguiça de falar?! - Bateu de novo - Isso é lugar de ficar jogado quando a sua cama está bem ali?

- O chão é mais reflexivo…

- Seu chão é coberto por tapete!

- Ahahahaahahahaahahahaa - Riu alto ficando sentado - Boa! Mas, então, estou aqui, o que a senhora quer?

- Fala comigo direito.

- O que a excelentíssima senhora deseja?

- Debochado - Mas riu em seguida - Eu estava preocupada, você sumiu, todo mundo nessa casa sumiu. Mal chegaram e já estou sozinha de novo.

- Owwwn - Abraçou Mebuki vendo ela formar um bico fingido quando ele fez isso - Sasuke e Sakura saíram?

- Estão no quarto, não quero que meu neto nasça deformado se eu atrapalhar. Eu vi eles se beijando na porta de entrada de um JEITO - Disse arregalando os olhos ao soltar a fofoca - Aí me escondi quando eles passaram, vi que foram pro quarto e eu vim aqui com você.

- Então eu sou a segunda opção?

- Garoto…

- Eu sei, eu sei, sou o favorito.

- Eu não disse isso!

- Okaa-san, me ajude!

- O que foi?

- Aqui - Apontou para o próprio peito - Tá doendo.

- Meu Deus! Seu braço esquerdo também? - Ela já tocava nele vendo se estava quente.

- Não estou enfartando - Disse pegando a mão dela - Meu coração tá machucado. - Após dizer aquilo, murchou e não foi pra fazer dengo, caramba estava mesmo triste.

Havia ficado a tarde toda jogado no chão encarando o teto assim que entrou sem a menor vontade de se mexer, ficava pensando na viagem, em tudo de bacana que tinha acontecido e em como as coisas foram acabar tão escrotas.

Após a farra e o sexo gostoso que fizeram, com Karin especialmente disposta a tudo, a manhã passou rápido após a sua corrida, na hora do almoço preferiu não mexer com ela para almoçar já que ela devia estar bastante cansada da noite praticamente não dormida. Depois de comer, sem vontade de fazer nada demais achou por bem se jogar no sofá e assistir alguma coisa. Resolveu assistir A lenda de Tarzan que estava para começar e não percebeu quando dormiu. Ao abrir os olhos não viu nada de diferente, foi como se tivesse fechado os olhos por mais de um segundo apenas, passava uma propaganda de escova rotativa da polishop com um nome de efeito. Espreguiçou-se e levantou sentindo-se até mesmo um pouco revigorado. Julgando o filme chato, desligou a TV e foi olhar a varanda.

A vista de lá era linda, olhou para a London Eye e sorriu pensando nos momentos engraçados que teve com ela ali, toda corajosa dizendo que ia, mas claramente assustada ficando dura em seu lugar “sem vontade” de olhar para baixo ou para a vista, foi quando ele praticamente obrigou ela a tirar uma selfie com ele. Tamborilou com os dedos sentindo a brisa agradável e começou a fazer sons sem abrir a boca, apenas com a garganta, se deixando levar. Começou em pensar em alguns comentários mentais que tinha sobre aquele passeio, riu de algumas frases que se formaram em sua cabeça e tentou criar melodia e harmonia entre elas. Bem precisava dar um toque de romance, aquela pitada que sempre dava em qualquer música que compunha, as vezes seus colegas lhe perguntavam como poderia escrever letras sobre amor sendo o safado que era, sua explicação era ser um especialista nisso.

“É sempre melhor quando nós estamos juntos”

Parou e pensou, essa música, já que se tratava de tudo isso e Inglaterra, bem que poderia ser em inglês…

“It’s always better when we’re together”

Balançou a cabeça positivamente como se estivesse escutando o som e aprovando o que ouvia. Estalou os dedos e foi atrás de seu violão, antes que perdesse aquilo, assim o pessoal não ficaria tão chateado com seu desaparecimento, seria sucesso com certeza!

Sentou e começou a passar alguns acordes tentando achar a nota certa para cada palavra, não era nenhum Freddy Mercury, mas podia querer ser como ele. Aos poucos algo foi se formando, ele repetia várias vezes fazendo “rummm.. rum… rumrum” com a garganta com a letra em sua cabeça.

- Itachi? - A voz grave de Karin chamou a atenção dele.

- Ah hey! - Que isso? Estava sentindo um pouco de vergonha, como se tivesse sido pego no flagra - Você acordou, meu Deus você nem comeu nada, sua barriga não tá doendo não? - Perguntou com o violão no colo.

- Eu… - Ela bocejou pondo a mão sobre a boca, vestia um hobie branco de hotel - Acordei e almocei algo por aí, mas vi que ainda era cedo e voltei a dormir.

- Ah sim… Hum… Olha, eu estava compondo uma música, quer ser a privilegiada em ouvir as primeiras palavras?

- SÃO 17:40! - Ela gritou, juntou as mãos como se fosse fazer uma oração.

Itachi olhou para a direção em que ela via o relógio e constatou ser exatamente essa hora.

- Parabéns, você sabe ler as horas - Brincou, mas ela virou para ele com os olhos da cor de seus cabelos.

- EU SEI QUE A RESPONSABILIDADE É MINHA, MAS VOCÊ PODIA TER ME ACORDADO!

- Hum?

- EU DISSE QUE TINHA COMPROMISSO! ERA O CHÁ DAS CINCO COM O SENHOR UCHIHA! - Ela falava colocando a mão na cabeça agoniada - O CHÁ DAS CINCO É AS CINCO!

- Bom que você tem tempo, já que são dezessete - Brincou um pouco mais achando engraçado ela possessa, estava tudo bem ué, pra que escândalo. - Relaxa tá tudo bem. - Baixou a cabeça para o violão em suas mãos ajeitando para voltar a tocá-lo.

- NÃO ESTÁ TUDO BEM! EU PERDI UMA REUNIÃO IMPORTANTE SEU IMBECIL! EU PEDI… DROGA! - Ela entrou no quarto, Itachi acompanhou o som dos barulhos e ela apareceu vestindo a roupa de ontem, com os sapatos nas mãos. -  EU NUNCA MAIS CONFIO EM VOCÊ ENTENDEU?! PORRA ITACHI LARGA DE SER TÃO IRRESPONSÁVEL O TEMPO TODO!

- Quer dizer que a culpa é minha de VOCÊ, ter se atrasado?! - Tirou o violão do colo e pôs ao seu lado no sofá.

- VOCÊ PROMETEU! - Karin parou com as mãos na cintura, sabia que não dava mais tempo, não tinha como se arrumar tão rápido e chegar na região de jardins onde o evento estava acontecendo. Chegar no meio era uma coisa, chegar quando está acabando é humilhante. A culpa era dela e somente dela, quando acordou a primeira vez não devia ter relaxado tanto e começado a se arrumar devagar para sair perfeita dali, mas viu Itachi dormindo e achou que poderia cochilar mais um pouco. Na verdade, todos esses dias só andava fazendo o que Itachi dizia, estava deixando de ser uma mulher adulta e bem resolvida para andar com um adulto mais velho que ela que pensa que ainda tem 18 anos. Gostava de balada, mas jamais acharia que nao teria problema fazer algo assim durante uma viagem de negócios e tantas outras coisas loucas que gostava, mas não fazia quando não era apropriado, tudo perto dele não tinha problema, era só relaxar. - O problema é estar com você… Olha - Levantou o indicador com a expressão séria - Isso acaba aqui, isso nunca mais vai acontecer.

- Isso, é só ter cuidado na próxima vez, mas por hora relaxa ok? - Ele colocou as mãos em seus braços como se a consolasse - Eu falo com o Sasuke e ele vai ficar de boa, é só eu dizer que a culpa foi minha e você é uma pobre garota que o Itachi fez fazer besteira. Ele vai relevar.

- Não! - Ela deu um passo para trás passando a mão na cabeça olhando para o lado - Eu não sou o tipo de garota que alguém faz fazer besteira! - Olhou para ele enfurecida - Eu não sou o tipo de garota que sai com você! Tá tudo errado Itachi, isso não vai mais acontecer! Nem deveria ter acontecido! - Riu com as mãos na cintura - Que insanidade a minha, transar com o irmão do meu chefe! Sair com ele, pirar a cabeça em uma festa, dormir com ele e perder uma reunião! EU NÃO SOU ESSA GAROTA ENTENDEU?! Eu tenho a cabeça no lugar e tenho muita noção de certo e errado e isso está ERRADO! Isso vai parar… Não… Já parou… Encerrou! Eu estou indo… - Inspirou fundo - Com licença Uchiha-sama, mil perdões por tudo isso - Mudou o tom de voz para algo educado e gentil.

- Ficou doida?! Que atuação é essa?! - Itachi colocou as mãos na cintura de cenh franzido.

- Perdão senhor, eu preciso me retirar agora - Ela se curvou como fazia para Sasuke, não olhou em seus olhos e deu alguns passos em direção a porta.

- Que porra é essa Karin?! - Itachi segurou o braço dela, mas não esperneou como ele no fundo esperava, não gritou e nem nada. Ficou parada onde estava olhando para a frente sem dizer nada, esperando que ele lhe soltasse. Itachi encarou-a, mas mesmo assim ela só fitava a porta. Quando ele abriu a mão ela seguiu seu caminho e saiu dali.

Itachi sentou flexionando os joelhos e pôs as mãos juntas sobre ele de frente para Mebuki pensativo.

- Eu acho que eu tô gostando de alguém Okaa-san.

- Ah… Que ótimo - Mebuki disse se ajeitando onde estava no chão para sentar melhor como se desse graças a Deus - Agora não vou ter mais que te obrigar a tomar banho.

========

Sakura batia o dedo indicador na mesa do refeitório da universidade, ou pelo menos a parte que teve que ser reservada para ela por um tempo, até as pessoas entenderam que ela era apenas uma mulher normal esposa de um multibilionário estupidamente lindo. Olhou para a cadeira vazia a sua frente e pensou na única pessoa que poderia estar acompanhando ela ali. Provavelmente ela nunca mais voltaria.

Hinata havia ficado na Inglaterra, a vida acabou se construindo toda sozinha para ela, assim como, tinha sido para Sakura. Apenas ao contrário dela, Hinata tinha se apaixonado por Naruto, aconteceu de ela engravidar e de ser tão amada a ponto de mesmo que não fosse realmente necessário agora, ele querer casar com ela imediatamente para que formassem uma família. Devia ser triste para ela largar os estudos, se bem que ela odiava isso, então nem tanto, e pior ainda ter que largar sua casa, seu país para morar em outro lugar por causa disso. Não havia um ângulo ruim demais mesmo levando em conta essas coisas. Pois, Hinata sempre teve uma situação complicada quanto aos estudos e sua casa. Vivia sobre os mandos de seu pai e não via lá muita luz ao fim do túnel para si mesma. O que estava acontecendo era meio que o que ela sempre disse que seu pai queria para ela, mas agora devia ser um desejo dela também não é? As coisas estavam dando certo, assim tudo ficaria bem e feliz em todas as direções da vida de Hinata. Seu pai estaria satisfeito com ela, e ela achou alguém que ama e a ama e ainda se livrou de toda essa tirania e lá poderia fazer o que quiser! Pelo jeito da mãe de Naruto ela teria todo o apoio para quem sabe engatar uma carreira que lhe agradasse mais. Estava tudo bem afinal, então por quê?

Ainda se lembrava bem de sua expressão em algum momento que conseguiu ficar sozinha com Sakura. Sua expressão nervosa, suas mãos apertando as de Sakura e seus olhos sérios.

- Por favor, me tira daqui.


Notas Finais


Tsc tsc Sakurinha assim você enfraquece a amizade.

Gente eu sou apaixonada por esse Sasuke, sério. Casava com ele.

Ainda sem GRAAANDES reviravoltas, mas sabe eu gosto de deixar a terra pronta pra aguentar o tranco direitinho 🦄

O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...