História Just Mine - Capítulo 53


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Lemon, Yaoi
Exibições 216
Palavras 1.437
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem pela demora, eu estava em semana de prova e aconteceu umas coisas aqui em casa que me deixaram triste demais pra escrever, espero que gostem do capítulo

Capítulo 53 - Lisa and Jennie


JUNGKOOK ON.

Acordei e logo senti o doce cheiro de Jimin, ele estava com o rosto contra meu peito, minha camisa estava molhada de lágrimas e meu rosto estava em contato com sua cabeça.

Tirei deu cabelo da frente de seus olhos e olhei a hora, era 11:50, eu tinha quimioterapia às 15:00.

— Jimin. — Chamei e ele acordou.

— Bom dia Jungkook. — Seus olhos estavam vermelhos.

— Você chorou a noite toda, não é?

— Sim. — Ele disse e passou a mão em meu rosto. — Não quero te perder.

— Não vai, eu prometo que vou fazer tudo direitinho, não irei faltar na quimioterapia nem um dia, não vou deixar você aqui sozinho, sem seu anjo da guarda. — Beijei sua testa.

— Que bom que pensa assim, se você morresse eu não sei o que faria.

— Certamente se mataria.

— Talvez, ou me cortaria até o dia da minha morte.

— Também.

Abracei ele e sussurrei em seu ouvido:

— Mas eu não vou morrer.

— O que acha de irmos pro hospital agora? Assim teremos o resto do dia para ficarmos juntos.

— Pode ser.

Fomos para o hospital e Jimin decidiu entrar comigo, o processo me deixava um tanto cansado, Jimin não possuía carteira mas precisava dirigir até em casa.

Chegamos lá e eu fui para o quarto, Jimin me deitou na cama e começou à fazer cafuné em mim, fechei os olhos e sorri em apreço, eu estava feliz, até eu notar que cinco fios soltaram.

— Não chora Jungkook.

— Eu não quero ficar careca.

— Você não quer e nem vai, você tem muito cabelo aí, seu câncer não é grave então não precisa se preocupar, está soltando de pouquinho em pouquinho.

— Espero que não fique.

— Você careca ou não, eu continuarei te amando.

Sorri e Abracei ele, Jimin era realmente confortador.

— Posso confiar em você, sempre? — Perguntei.

— Sempre. — Sorriu de volta.

— Estou com fome.

— Novidade. — Disse sarcástico.

— Pelo que parece, — Fiquei em silêncio de três à quatro segundos. — Ainda estão dormindo, não estou ouvindo nada.

— Ótimo, ninguém pra nos perturbar.

Levantamos e estava frio, Jimin pegou um dos meus casacos, vestiu e botou um short curto.

— Por que meu casaco? — Perguntei sorrindo com a visão magnífica que eu tinha de suas pernas.

— Porque são grandes, eu gosto. — Pegou na minha nuca e beijou meu pescoço.

— Mas você tem os seus grandes.

— Eu sei, mas os seus tem seu cheiro, — Ele disse e cheirou o casaco. — e eu gosto.

Sorri novamente e descemos, Jimin pegou uma faca e fingiu ser um assassino.

— Eu vou te matar. — Ele disse sorrindo.

— Aí que medo! — Levantei os braços como se estivesse me rendendo.

— Venha aqui! — Ele levantou a mão e eu peguei a faca. — Me devolve! — Levantei o braço e ele começou à pular na inútil tentativa de pegar.

— Te devolvo se… — Pensei. — Me der um beijo.

Jimin me beijou rapidamente e gritou:

— Me dá!

— Não vá se cortar em. — Falei e Jimin ficou em silêncio. — O que foi?

— Nada. — Botou a faca em cima da mesa e foi para a sala.

Eu sabia que o que eu tinha dito atingiu Jimin, mas eu não havia me referido à se auto-mutilar, e sim se cortar acidentalmente.

Terminei de lavar as mãos e fui até ele.

— O que houve?

— Nada.

— Diga Jimin.

— Não foi nada, eu juro. — Sorriu.

— Jimin…

— Aí tá, eu me lembrei de quando eu me cortava.

— Eu me referi à você se cortar acidentalmente.

— Ah…

— Burro. — Sorri e beijei sua testa.

— Vamos para a quimioterapia?

— Vista uma calça, eu já tô com a roupa.

— Ok.

Ele subiu e desceu alguns minutos depois de calça, fomos para o hospital e desta vez, ele entrou comigo.

— Fique calmo. — Jimin falou. — Lembre-se de que eu estou aqui.

Como sempre, fiquei sonolento após o processo.

— Não vamos para casa. — Jimin sorriu e seus olhos fecharam, eu realmente amava isso.

— Mas eu estou com sono. — Fiz bico.

— Não perguntei. — Beijou minha bochecha.

Perguntei aonde iríamos mas Jimin não falava.

— Feche os olhos.

Jimin me tirou do carro e me levou ao que eu deduzi, ser a praça da cidade, ele ficou na ponta dos pés, colocando o rosto em cima do meu ombro e disse:

— Eu vou retribuir tudo que você fez por mim. — Disse e tirou a mão de meus olhos.

A praça estava com… Se eu não me engano 300 buquês de flores espalhados por toda sua área, eram minhas flores favoritas, violetas, lírios, jasmins, margaridas e girassóis.

— Ai meu deus! Jimin. — Botei a mão na frente da boca, sorrindo e abracei ele.

— Gostou? — Ele disse retribuindo o sorriso, e seus olhos fechando, como eu tanto amava.

— Eu amei! — Coloquei a mão sobre seus ombros. — De onde tirou tanto dinheiro?

— Eu dei meu jeito, e tem outra coisa.

— O que é?

— Seu sonho é ser modelo, certo?

— Sim.

— Podem vir! — Ele disse e uma equipe de fotografia apareceu.

— Jimin, o que é isso?

— Não está óbvio? — Ele aumentou o sorriso. — Você vai ser modelo.

— Aí meu Deus! — Voltei à abraçá-lo enquanto beijava todo seu rosto.

— De nada. — Retribui os beijos.

Jimin sentou no banco que havia ali perto, enquanto me maquiavam, pediram para eu deitar no meio das flores e eu fiz isso, começaram à me fotografar, eu estava muito feliz e Jimin sorria toda vez que eu olhava para ele.

— Você é muito lindo Jungkookie! — Uma das maquiadoras chamada Jennie Kim disse.

— Verdadeiramente maravilhoso. — Outra maquiadora chamada Lisa falou.

Jimin se emburrou e se encolheu no banco.

Eu fiz amizade rapidamente com Jennie Kim e Lisa, as duas eram legais, Jimin parecia não estar gostando, mas obviamente, eu iria explicar tudo e ele iria entender.

— O que vocês acham de irem lá em casa? — Perguntei para as duas.

— Seria legal. — Jennie respondeu.

— Só vamos terminar de checar o Photoshop, espere um segundo. — Lisa respondeu.

— Ok. — Disse e fui até Jimin. — Elas são legais, não acha?

— Não gostei de nenhuma das duas.

— Ora Jimin, eu também posso ter amigas, você tem que parar com esse ciúme.

(N/A: inspiro o ciúme do Jimin no meu kjkkj mas eu sou pior)

— Vai reclamar com a Jennie e a Lisa, suas amigas. — Ele disse e eu notei que não adiantava discutir.

— Se eu fosse hétero eu ia. — Falei e dei um fim à discussão.

— Já podemos ir. — Lisa apareceu sorrindo com Jennie ao seu lado.

— Ótimo, Jimin, vai dirigir?

— Me recuso à levar essas vadias lá pra casa, vou de ônibus. — Levantou e foi até o ponto de ônibus.

— Nossa… — Jennie falou.

— Não se preocupe, ele é ciumento, muito mesmo, depois passa.

— Mas… Nós somos lésbicas... — Lisa disse.

— E namorados.

— Nossa, sério?

— Sim.

— Depois eu explico pra ele.

— Não, espere, você é a primeira pessoa que sabe disso, o dono da empresa de fotografia é homofóbico e vai nos demitir se ficar sabendo disso, deixe que nós mesmas contamos.

— Ah, ok.

Entramos no carro e fomos para casa, Jimin chegou uma hora depois, parecia com medo.

— Jeon Jungkook! — Gritou logo que entrou na casa.

— O que foi?

— Por que não atendeu minhas ligações?!

— Meu celular estava no quarto, o que houve?

— Um assaltante fez os passageiros de reféns! E eu era um dos passageiros!

— Por que não ligou para o Hoseok?

— Eu queria falar com você!

— Mas você está bem?

— Não é óbvio? — Disse e subiu.

— Pelo que parece, ele está com mais raiva por nossa causa do que por você não ter atendido. — Jennie disse.

— Acha melhor nós irmos embora, Jungkook? — Lisa perguntou.

— O que?! Não! Daqui à no máximo, uma hora ele tá aqui conversando conosco.

— Se você diz…

Continuamos conversando até eu decidir ir ver Jimin.

— Jimin?

— Uh? — Ele pareceu se assustar e se encolheu na cama.

— Vamos descer amor, eu não quero ficar sozinho lá em baixo.

— Você está com a Jennie e a Lisa.

— Mas prefiro ficar com você.

— Sai Jungkook.

— Eu não vou sair daqui até você vir junto.

— Me deixe sozinho.

— Não Jimin. — Coloquei seu cabelo para trás. — Vamos descer.

Consegui convencê-lo, descemos e Jennie e Lisa disseram:

— Jimin, precisamos falar uma coisa.

— Estão interessadas no Jungkook e ele sente o mesmo, beleza.

— Não porra! — Falei. — Adiante.

— Nós somos lésbicas e namoramos.

— Por que não falaram antes?

— Precisávamos ter certeza de que você é confiável, o dono da empresa é homofóbico, seremos demitidas se descobrirem.

— Entendi.

— Então... Amigos? — Jennie estendeu a mão.

— Amigos. — Jimin sorriu e apertou a mão da mesma.


Notas Finais


Oi oi pra quem shippa Jensa ❤

Vai ter Blackpink sim e se reclamar vai ter AoA e Seventeen

(Certamente eu vou adicionar mais alguns grupos de kpop aqui)

Então... Eu entrei de férias e vou tentar atualizar todo dia.

Ps: alguém me ajuda, meu amor pelo Jimin tá chegando ao psicopatismo, EU REALMENTE AMO MUITO PARK JIMIN VOCÊS NÃO TEM NOÇÃO

Shippem jimiliana (o shipp que meu amigo criou pra mim e pro Jimin) mas mantenham jikook como otp.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...