História Just Mine ¤ Jikook - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jihope, Jikook, Kookmin, Namjin, Vhope, Yoongi Forever Alone
Exibições 346
Palavras 1.441
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Lemon, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Slides and more slides


Estava indo ao ginásio pois estava no horário de educação física, ou seja, escutar os gritinhos irritantes das garotas direcionadas para o verme que é Jung Hoseok. Estava atrás de todos que se direcionavam para o ginásio também, observava todos eles silenciosamente quando escuto algo caindo, ninguém se deu ao trabalho de voltar para ver o que havia acontecido, então eu mesmo fui. Voltei até o corredor dos banheiros, esse lugar geralmente é vazio neste horário, então eu vi o novato ajoelhado no chão pegando alguns cacos de vidro, provavelmente ele esbarrou em alguns deles

          - Ei você está bem? - perguntei me abaixando para ajudá-lo, se fosse outra pessoa alí no lugar dele eu teria ignorado, mas ve-lo fazendo aquilo sozinho esmagou meu coração.

          - S-sim, eu estou bem foi só que… - parou de falar do nada.
          - O que aconteceu? - porquê estou preocupado?
          - N-nada! Não foi nada eu esbarrei alí no vaso ele caiu! - falou desviando o olhar, ele estava mentindo protegendo alguém para não causar problemas.

          Foi então que percebi sangue escorrendo por seus braços, o rastro que o líquido vermelho fez quase me fez salivar

           - Você está com os braços cortados! Vamos cuidar disso logo antes que infeccione ou algo do tipo! - falei o puxando para o banheiro masculino.

          Coloquei seus braços em baixo da água vendo o sangue e sua bela cor esvair-se por completo, era com toda a certeza um grande desperdício me perguntava qual seria o gosto de seu sangue. Peguei um dos kits de primeiros socorros do banheiro e comecei a fazer curativos, quando passei o remédio neles Jimin soltou um gemido de dor. Merda! Não se excita Jeongguk! Terminei de colocar os curativos.

           - Pronto. Agora…. Você pode me dizer o que aconteceu? - a idéia de terem machucado ele me dava vontade de cometer homicídio, afinal ele é meu só eu posso feri-lo.

           - Eu….. Já disse… - falou sussurrando e novamente desviando o olhar.

           Segurei seu rosto levatando-o fazendo o mesmo me fitar

           - Tente olhar nos meus olhos quando for mentir novamente. Agora por favor, me diga quem fez isso? - perguntei ainda segurando seu rosto.

           - F-foi uma garota da nossa sala. - agora sim uma verdade.

           - Podes descreve-la para mim?

           - Ela é menor que eu e tem cabelos negros. - Sohyun, então foi ela que machucou meu Jimin. - Ela disse que era para mim ficar longe do Hobi e dos outros se não seria pior, então ela pegou o vaso e jogou na parede, então acabou pegando em mim. - ele começou a chorar não tive reação, eu nunca confortei muito menos ajudei alguém como eu faço isso?

           Abracei ele com receio por não saber o que fazer

           - Não chore meu pequeno. Está tudo bem. - falei afagando seus cabelos. - Vamos sair do banheiro. Vem. - ele colocou o seu rosto na curvatura do meu pescoço e eu o peguei no colo.

           Ignorei completamente o fato de estar em horário de aula e levei ele para o jardim que ficava atrás da escola, quase ninguém ia para lá muito menos em horário de aula, então ele era o mais calmo na minha opinião. Sentei em baixo de uma das grandes cerejeiras plantadas alí com ele ainda no meu colo.

           - Q-qual o seu nome? - perguntou fazendo movimentos circulares onde ficava o meu coração.

           - Jeon Jeongguk, mas para você é kookie. Se sinta honrado nunca deixei ninguém me chamar por nenhum apelido! - disse…. Com um leve sorriso no rosto. Ainda é difícil admitir o que ele faz comigo.

           Ouvi ele rir de leve

           - Kookie….
  
           - Sim?

           - Obrigado por me ajudar com os machucados.

           - Não tem problema chimchim.

           - Chimchim? - perguntou olhando para mim curioso.

           - Sim. É fofo igual a você. - falei apertando seu nariz. Céus, eu realmente não conheço ele nem a vinte e quatro horas, mas ele faz eu me sentir bem, ele faz eu me sentir vivo.

           Ele corou fortemente

           - Isso me deixa com vergonha hyung! - falou tampando o rosto com suas mãozinhas gordinhas. Senti uma leve fisgada no meu baixo ventre com o seu tom de voz manhoso.

           - Não precisa ficar com vergonha chimchim.

           - M-mas isso é vergonhoso! - tirei suas mãozinhas de seu rosto, mas logo fiquei sério novamente.

           - Chimchim me responde uma coisa?

           - Sim hyung!

           - Na realidade está mais para uma promessa.

           - Não tem problema.

           - Pode me fazer o favor de não ser amigo do Hoseok?

           - Hm? Do hobi-hyung? Por que? - então o Hoseok já tem apelido é?

           - Bem, você já deve saber que ele não é flor que se cheire. - falei tentando manter minha paciência.

           - Mas eu gosto do hobi-hyung! - aquilo foi a gota d'água.

           - O que eu estou falando é para o seu bem Park Jimin! - falei com um tom de possessividade. Mas logo acabei percebendo o que eu fiz quando ele tentou se soltar dos meus braços com os olhinhos arregalados. - Desculpe! Eu…. É que eu não quero que ele faça com você o que ele faz com os outros, pequeno me desculpe! - falei apertando mais seu corpo ao meu. Eu estou me sentindo arrependido, nem quando eu matei o cachorro do meu pai eu senti isso.

           - Eu desculpo o kookie-hyung…. Também prometo não ser próximo do hobi…. - o olhei surpreso. - O Kookie-hyung estuda aqui a mais tempo que eu, então você os conhece melhor do que eu, eu acredito em você kookie! - falou selando minha bochecha, logo se aconchegou no meu colo ele parecia um gatinho manhoso, meu gatinho manhoso. - E eu também tenho um pouco de medo deles. - você deveria ter medo de mim. Selei seus cabelos e ficamos alí até a hora de irmos às nossas respectivas casas.

           Esperei ele sair primeiro para depois segui-lo sem que ele percebesse, eu queria garantir que ele chegaria até a sua casa em segurança e foi o que aconteceu. Depois cheguei na minha

           - Filho! Chegou mais tarde hoje! Aconteceu alguma coisa? - perguntou sorrindo, feliz, ela estava feliz demais.

           - Não, Nada. - respondi a ignorando.

           - Então vá se arrumar! - falou meu pai aparecendo da sala de estar.

           - Para?

           - Meu filho, você esqueceu o jantar?!

           - O…. Jantar? Ah, é mesmo. Eu esqueci. - falei subindo as escadas.

           - Então vá se arrumar! Eles já estão chegando! - gritou meu pai do andar de baixo.

          
           Revirei os olhos e subi as escadas, entrei no meu quarto e me direcionei ao closet. Peguei uma calça jeans preta com rasgos e um simples blusão de algodão branco, arrumei meus cabelos de forma mais rebelde e coloquei um timberland preto. Escutei risadas no andar de baixo, então eles já chegaram afinal, quando cheguei no sala de jantar vi uma cena maravilhosa, Sohyun estava ali, então é ela que eu tenho que conhecer, ri internamente, afinal as coisas vão ser mais fáceis se ela supostamente namorar comigo. Vamos Jeongguk, pense em um jeito, afogar, esfaquear, asfixiar, morte por envenenamento, suicídio, queimando-a viva? São tantos jeitos. Mas isso não importa por enquanto, mas ela vai pagar por machucar meu jiminie eu realmente não me importo de sujar minhas mãos.

           - Oh! Esse é seu filho então? - perguntou quem eu supus ser o amigo dele.

           - Sim! Ele mesmo!

           - É um garoto muito bonito. - falou animado, bonito é o que eu vou fazer com a sua filhinha.

           - Olá, meu nome é Jeon Jeongguk. - falei apertando sua mão, percebi que Sohyun não tirava os olhos de mim, era um olhar de desejo até porque eu sou muito atraente para alguém da minha idade.

           - Esta é minha filha, Sohyun apresente-se!

           - Olá! Eu sou Sohyun! - diz mordendo os lábios.

           - É um prazer conhece-la. - peguei sua mão e dei um leve selar, retribuindo o olhar de desejo. Desejo em cortar sua garganta no meu caso. Ela trajava uma roupa extremamente curta, tão ridícula.

          
           Estávamos jantando sem pressa alguma, ela conversava comigo animada e eu fingia que me importava, afinal eu estava pensando em como eu iria mata-la, foi então que uma lâmpada acendeu na minha cabeça. Perto da praça a três quadras daqui tem uma fábrica abandonada, era uma fábrica de carne, ou seja, lâminas e mais lâminas tive que me segurar para não dar um sorriso diabólico alí mesmo na mesa. Então é isso Sohyun, eu espero que você não seja vegetariana porque a carne agora vai ser você.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...