História Just Pink - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Marshall Lee, Principe Chiclete
Tags Gumlee
Exibições 116
Palavras 1.000
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


+18 só por causa das regras, fic totalmente fofinea.
Espero que gostem, é um meu pedido de desculpa pela demora de Mapa Para As Estrelas e Time After Time.
Agradeço a Kiriaki pelas lindissimas capinhas, obrigada meu doce <3

E você, espero que goste <3
Foi escrita com o coração :3

Capítulo 1 - Rosa céu


Fanfic / Fanfiction Just Pink - Capítulo 1 - Rosa céu

 

Just Pink

Ele sorria levemente, o rosto carregava nas bochechas forte tom avermelhado, mais tomado para o rosa. Porém, a cor da timidez só conseguia deixá-lo ainda mais bonito. Eu só conseguia encará-lo e exibir o sorriso mais sacana que eu conseguia. As vezes, os olhos cor de violeta buscavam os meus, mas logo se desviavam, e então as bochechas ganhavam novamente aquela linda coloração.

Rosa.

Já fazia algum tempo que estávamos ali no banco do parquinho sentado juntos. Aconteceu que, o Gumball era a criatura mais doce e amável da face da terra e eu me encantei por ele por isso e mais uma infinidade de qualidades que ele conseguia trazer naquele corpinho fino e cabecinha de giríco que tinha. Inteligente demais, esperto demais, bondoso demais. Tudo aquilo havia me cativado. Logo eu, o cara mais errado da escola, o cara que nunca tava nem ai pra nada, o cara que rodou dois anos na mesma série e tava pouco se lixando se entraria em alguma faculdade, ou não. 

Mas, por causa daquela criaturinha, muita coisa em mim mudara. Inclusive a ideia de que eu não era nada. Gumball me mostrou o contrário disso, na verdade ele me mostrou o contrário de muita coisa, me mostrou coisas em mim que eu nem sabia que tinha. Como, o fato de poder gostar de alguém.

De poder gostar de verdade de alguém.

Já fazia algum tempo que nós estávamos tendo algo, entretanto, eu não sabia o que era, não sabia se poderia ir adiante, eu só sabia que não queria mais ficar longe dele, não queria dividir ele com ninguém mais. 

O sol estava se pondo naquela tarde, nós saímos da escola mais cedo e fomos caminhar pela cidade, tomamos sorvetes, fomos a uma loja de cds, namoramos alguns vinis e depois fomos a uma livraria onde eu tive que segurar o rosadinho pra não comprar metade da sessão cientifica. Mas, sabem, aquelas coisas só me faziam ter muito orgulho dele.

- O que foi? - finalmente ele falou depois de tanto tempo em silêncio, no qual se manteve absorto em observar os variados tons de rosa no céu vasto. 

- Nada. - eu exclamei, voltando a exibir meu sorriso. 

Uma vez, ouvi Gumball dizer para uma amiga que amava meu sorriso, o achava bonito  e um pouco sexy. Confesso que inicialmente fiquei chocado por ele colocar meu nome e a palavra sexy na mesma frase, mas cá entre nós, aquilo inflou meu ego demais.

E desde então, faço questão de sempre sorrir quando estou com ele.

Sei que ele gosta.

Sei como agradá-lo.

Ele então, voltou a fitar o céu. 

Eu passei a língua pelos lábios, sentindo minhas mãos começarem a suar levemente e meu estômago borbulhar de borboletas. Por razões desconhecidas - na verdade, bem conhecidas por mim sim -, eu estava ficando bem nervoso. Pigarreei e quando abri a boca pra falar, ele me cortou, e eu mentalmente agradeci por isso.

- Os tons de rosa do céu me lembram tantas coisas. - começou, olhando cada tom. - O tom rosa mais escuro, me lembra de quando eu era criança, minha primeira lembrança é de estar coberto por um edredom dessa cor. 

Sua mão se ergueu e o dedo indicador apontou para o tom mais escuro de rosa no céu, e eu, só pude sorrir bem abobalhado ao imaginá-lo como bebê, enrolado numa coberta cor de rosa.

- Aquele tom, - apontou para o rosa claro, que chamavam de rosa bebê. - Lembra do meu sorvete favorito.

E então ele foi falando, de cada tom de rosa de tudo que o rosa representava pra ele. A cada vez que ele me apresentava um tom e me presenteava com uma lembrança sua, eu me achegava mais, tanto que na última lembrança que havia sido naquele exato dia e justamente comigo, eu já estava abraçando-o pelos ombros e a boca colada em sua testa.

- Eu tenho um tom de rosa favorito também. - eu disse, fazendo ele erguer os olhos e me olhar com toda incredulidade estampada em seu rosto perfeito.

- Pensei que gostasse de azul. - ele revelou, sua mão - que logo perceber estar tão suada quanto a minha, tocou a minha, entrelaçando os dedos nos meus.

- Também gosto de azul, mas o rosa... - ele olhou pro céu, achando talvez que eu fosse mostrar ali o meu tom preferido, mas eu apontei para suas bochechas. - Esse é meu rosa preferido.

Então ele quase explodiu de vergonha.

- Rosa Bubba. - eu sorri e ele abaixou o rosto sorrindo, mordendo os lindo lábios que até então eu não tinha tido a honra de provar., mas já sonhara muito com o saber que eles poderiam ter.

Parecia ser bem doce.

Ergui seu rosto com o indicador.

- Olha pra mim. - seus olhos encararam os meus. 

- To com vergonha. - ele riu, ficando ainda mais rosado.

Então, eu simplesmente o beijei. E não foi um beijo de língua, ou aqueles bem libidinosos, foi um beijo puro, um selinho, mas que continha tanto carinho que eu pude sentir quando para de mim, para ele. Suas mãos apertaram as minhas e logo se afastou.

E lá estava o meu tom de Rosa Bubba.

Passei a mão por seu rosto e ele me olhou.

Eu quis dizer o quanto o amava, mas, achei que ainda não era hora.

Em vez disso, apenas o beijei de novo.

Quantos tons de amor existem por ai? O meu tom de amor, tem cabelos rosas e lábios sabor chiclete. O meu mundo agora tem um tom de rosa que preenche meus dias, que me faz sorrir de verdade.

E mesmo quando o sol se poe e eu penso que tudo vai ficar escuro e vazio, então vem os meus tons de rosa e me mostram que tudo pode simplesmente ser lindo se eu admirar a beleza do amor.

E eu admiro agora.

Ei, você, qual é o tom do seu amor?
 


Notas Finais


Então? Perdoem pelos errinhos basicos. <3

O que acharam? <3

Beijos doces!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...