História Just Wright - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Sting Eucliffe
Tags Drama, Fairy Tail, Romance
Exibições 217
Palavras 3.196
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ecchi, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


E ai meus amoreeeees...
Volti o mais rápido que consegui u.U
Mais um capítulo para acalmar os coraçõezinhos de vocês.
Boa leitura.

Capítulo 13 - Chuva


Muitos minutos já se passaram desde que fiz aquela pergunta. Natsu não respondeu. Eu não sabia se insistia na pergunta ou se aceitava que não se tratou de nada importante. A segunda opção me pareceu melhor.

_ Vamos embora? _ eu sorri e me levantei da grama. _ nem tomamos um café da manhã.

_ Hã.. claro _ ele disse meio desorientado pela minha mudança de humor. Se levantou e me seguiu em silêncio, eu não tentei falar com ele. Na verdade estou morrendo de vergonha de ter dito o que disse. Não entendo de onde saiu aquilo. Mas acho que mereço uma resposta, olhei para o céu, ele havia escurecido quase tanto quanto meu estado de humor, eu tenho certeza de que vai chover logo.

Nós conseguimos fugir da chuva até perto da saída do parque, depois disso ela nos pegou sem nenhum pingo de pena.

Uma chuva forte, com vento e tudo o que ela tinha direito, em menos de um minuto já estávamos ensopados.

Eu olhei para Natsu que estava rindo e não resisti em acompanha-lo.

_ A sua cara de ultraje quando começou a chover foi impagável._ ele apontou para mim rindo.

_ Idiota, não achei que fosse chover tão cedo._ reclamei tentando me cobrir em vão. Senti minha mão ser puxada e Natsu apontou para o outro lado da calçada onde havia uma lanchonete aberta.

Entramos embaixo do toldo, e respiramos com dificuldade,devido a corrida,enquanto olhávamos um para o outro. Os olhos dele estavam com aspecto brilhante, como se ele estivesse empolgado, divertido. Eu estava sorrindo também enquanto tentava recuperar o fôlego de nossa pequena corrida.

Estávamos totalmente molhados eu sentia meu cabelo pingando nas costas, e via os cabelos dele grudados no rosto. Ele já não estava mais apenas sorrindo, estava rindo livremente, uma gargalhada gostosa daquelas que nos faz querer rir junto. Nós dois ficamos algum tempo ali rindo sozinhos. Até que a chuva começou a adentrar o toldo que nos cobria.

_ Quer tomar um café aqui?_ ele perguntou apontando com a cabeça para a lanchonete.

_ Claro. _ o segui para dentro. Quando entramos e sacudimos a água foi que percebi que ainda estávamos de mãos dadas. Corei e soltei a mão dele, seu sorriso diminuiu um pouco, mas pode ter sido impressão minha. Escolhemos uma mesa ignorando os olhares curiosos em cima de nós.

_ E aí, o que vai ser?

_ Um pão de batata com requeijão, e um cappuccino de chocolate com bastante chantilly. _ Eu respondi sentindo meu estômago roncar.

_ Você vai comer só açúcar e gordura. _ ele disse antes de chamar a garçonete. _ Bom dia, vou querer um pão de batata com requeijão e um cappuccino de chocolate com bastante chantilly pra ela, e um pão com manteiga na chapa com um suco natural pra mim. _ ele para a garota que nos atendeu e que parecia prestes a ter um ataque pela forma como as mãos dela tremiam.

_ Ok, hã… Sr. Dragneel? _ ela o chamou e ele olhou para ela.

_ Pois não.

_ Será que o senhor pode tirar uma foto comigo? _ ela pediu abaixando a cabeça, e confesso que fiquei um pouco incomodada. _ Se a sua namorada não se importar, claro. _ acrescentou em seguida me olhando envergonhada.

_ Eu não s..._ comecei a falar e Natsu me interrompeu.

_ Ela não se importa, não é amor? _ idiota, levantei a sobrancelha para ele.

_ Não docinho. _ falei irônica e a garota sorriu abertamente ao pegar seu celular.

_ Ah que demais, sabe, que não gosto de incomodar os outros, mas é que eu adoro a sua história e trajetória, é uma grande inspiração pra mim._ ela começou a falar empolgada e só fez pausa para sorrir para a foto. _ Algum dia eu também vou conseguir realizar meu sonho assim como o senhor.

_ E qual é o seu sonho? _ Natsu pareceu interessado. Eu já começava a me sentir fria nas minhas roupas molhadas.

_ Eu faço ginástica artística. _ Ela sorriu.

_ Isso é demais, Boa sorte, sei que vai conseguir.

_ Sim, talvez _ ela pareceu desanimar._ vou buscar o pedido de vocês, com licença.

Assim que a garota saiu Natsu pegou o celular que estava em uma bolsa que ele perdia no braço junto com o contador de calorias.

_ Já volto amoreco _ ele riu para mim é saiu da mesa. Eu estava sorrindo como uma boba do que ele disse. Ele foi até o lado de fora onde ainda chovia e falou algumas coisas no telefone antes de voltar. Nessa altura eu já estava tremendo de frio, tenho que ir ao banheiro e tentar me secar o máximo possível, vou ficar gripada se continuar assim. Natsu se sentou na mesa e me olhou parecendo preocupado._ Lucy você está com a boca roxa, está tudo bem?

Apenas assenti com a cabeça e pedi licença para ir ao banheiro. Entrei e por sorte estava vazio. Torci meu cabelo na pia o máximo que consegui, antes de prender ele e fazer o mesmo com minha camiseta e minha calça, depois tirei as meias e repeti todo o processo, coloquei várias bolas de papel dentro de meus tênis. E agradeci mentalmente quando vi o secador de mãos na parede, não pensei duas vezes ao colocar minha cabeça ali embaixo na esperança de secar meu cabelo pelo menos um pouco.

Quando me senti menos gelada sai do banheiro e fui até a mesa novamente. Natsu ficou me observando, eu ainda estou com os braços arrepiados de frio, e minha boca provavelmente ainda está roxa, mas não estou tremendo como antes.

_ Está melhor?

_ Estou, obrigada.

_ Acho que é melhor irmos embora, você vai ficar doente.

_ Eu não vou ficar._ ele ia dizer mais alguma coisa, mas a garçonete voltou com nossos pedidos.

_ Senhorita, eu tenho um moletom no meu armário se a senhora quiser usar ele para não se resfriar. _ a garota disse sorrindo amigavelmente para mim, ela parecia tão nova. Tinha cabelos rosa e um rosto infantil, estava sorrindo e me oferecendo provavelmente sua única blusa de frio para ir embora hoje.

_ Como te chamo?

_ Cheria.

_ Obrigada Cheria, mas eu estou bem _ sorri para ela.

_ Tudo bem, se precisarem é só me chamar.

_ Espera! _ Natsu a chamou quando ela fez menção de sair de perto, ela pareceu surpresa por um minuto antes de se recompor e olhar curiosa para Natsu assim como eu enquanto belisco meu pãozinho de batata._ Eu queria saber se você tem um lugar onde faz os treinos.

_ Ah, tenho, não é um lugar muito grande mas dá pra tentar.

_ Anote esse número então. _ Natsu pediu para a garota e passou um número de telefone que me era familiar. _ Ela está esperando você ligar.

_ Obrigada, do que se trata?

_ vai descobrir quando ligar _ ele piscou pra ela que corou e em seguida saiu da mesa rápido, acho que ela já está ligando. Olhei curiosa para Natsu que não disse sequer uma palavra sobre o assunto. Vou ter que perguntar, terminei de comer em silêncio, já não estava mais com tanto frio, era um lugar aconchegante onde estávamos.

Terminamos nossos cafés e após ele pagar a conta, saímos do restaurante onde a chuva ainda caía, embora com menos intensidade. Ele me olhou parecendo preocupado.

_ Acho que devemos esperar um táxi.

_ Acho que vai demorar mais assim, vamos andando mesmo, são só alguns quarteirões.

_ Você vai se molhar mais ainda.

_ Já estou molhada a essa altura não faz tanta diferença._ eu sei risada para ele é e me joguei na chuva correndo no caminho de casa. Natsu foi correndo ao meu lado com o rosto preocupado.

Chegamos em casa e as garotas não estavam lá , Erza trabalhava com outros atletas, Wendy tinha escola e vários cursos, e Grandine tinha uma loja de roupas no Centro ( roupas bem caras diga se de passagem). Entramos ensopados, tiramos os tênis ainda na porta e Natsu tirou a camiseta também, eu estava de top então segui seu exemplo. Percebi quando ele ficou um tempo me olhando de canto, mas ignorei, tenho principios que me impedem de permitir que posso, talvez, lá no fundo, ter uma quedinha por ele. Não vou fazer nada além do meu trabalho aqui.

_ Bom… foi uma ótima corrida _ falei ironicamente subindo as escadas.

_ Foi bem produtiva, mas acho que na próxima nós devemos ver a previsão do tempo antes de sair.

_ Vou me lembrar disso na próxima._ eu sei risada e entrei em meu quarto, a mão dele me impediu de fechar a porta.

_ Tome um bom banho e vista algo quente, não quero que fique doente.

_ Eu sou a doutora por aqui, não se preocupe.

_ Não consigo não me preocupar, você parece o tipo de pessoa que cuida de todo mundo menos de si mesma._ ele tirou a mão e me deixou fechar a porta. O que ele sabe pra dizer uma coisa dessas? Tá que eu gosto de deixar todo mundo feliz, mas eu cuido de mim também.

Entrei na água quente que parecia ótima naquele momento, eu estava muito fria, minha pele branca parecia ainda mais clara ali. Tomei um banho demorado e fiz o que ele pediu, vesti uma calça de moletom e uma camiseta de mangas compridas.

Quando sai do meu quarto já podia ouvir vozes na cozinha. Erza estava preparando algo para comer no almoço.

_ Olá _ Eu eu disse entrando ali, e me sentei perto de Natsu que estava com uma roupa quase igual a minha.

_ Olá _ ele e Erza disseram em uníssono.

_ Por que estão com a roupa igual? _ ela perguntou rindo e colocou algumas coisas na mesa.

_ São roupas de casal _ Natsu disse naturalmente.

_ Não são não. _ Eu disse vermelha.

_ Eu já imaginava mesmo. Você não está grávida né Lucy ?

_ O que? Não.. Nós dois não temos esse tipo de relação. Não mesmo. Somos só amigos.

_ Não vamos assumir nem pra minha irmã amoreco?

_ Cala a boca _ Eu disse rindo.

_ Vocês até que ficam fofos juntos._ Erza comentou.

_ Você devia conhecer minha amiga Levy, iam se dar bem.

_ Porque? Ela é fofa como eu?

_ Hã.. Não. Ela fica me dizendo isso que você disse agora.

_ Então temos mais apoio?_ Natsu riu pra mim.

_ Acho que devíamos marcar nosso casório. _ Eu respondi levantando a sobrancelha.

_ Certo pombinhos! Arrumem a mesa pra eu colocar o almoço._ Erza disse batendo palmas em nossa frente. Nós nos levantamos e fizemos o que ela pediu. Quando começamos a comer Wendy e Grandine chegaram e se sentaram conosco à mesa.

_ Já avisou ele? _ Wendy pergubtou para Erza durante o almoço.

_ Ah, é mesmo eu tinha esquecido _ ela olhou para Natsu._ vou voltar para o meu apartamento, e a mamãe também vai voltar pra casa dela com a pirralha, agora que você está melhor não precisa de um monte de babás.

_ Hã… vocês vão embora?

_ Isso

_ Não , fiquem.

_ Natsu, eu trabalho, e a mamãe também, temos nossas casas.

_ Querido eu nós vamos vir aqui sempre que possível, e você sempre viveu sozinho aqui e nunca se importou.

_ Mas agora eu não vou ficar exatamente sozinho.

_ Lucy não vai fazer nada que você não queira, certo querida._ a essa altura eu já queria um buraco abrindo sob meus pés, porque elas estão fazendo isso? É impressão minha ou estão mesmo me jogando pra cima dele. De qualquer forma acenei com a cabeça tentando esconder meu rosto corado.

Depois do constrangimento pelo qual passei, fui a primeira a terminar o almoço e saí da mesa. Fiquei no meu quarto olhando os prontuários novos que recebi de Levy , ela e Áries precisavam da minha opinião com alguns pacientes. Peguei meu celular.

_ Alô? _ Levy atendeu minha ligação.

_ Olá, pode falar agora?

_ Oi Lu, estou meio enrolada aqui, ppde me ligar mais tarde?

_ Posso tentar, queria falar dos prontuários que me mandou.

_ Ah sim, vamos tomar um café amanhã, pode ser?

_ Pode, no lugar de sempre?

_ Isso, eu chego umas 09h30.

_ Ok, tchau.

_ Tchau. _ Ela ela esqueceu de desligar e eu ainda consegui ouvir ela falar com alguem sobre agulhas e vacinas em postos. Ri sozinha, sinto falta daquele lugar, mas gosto do que estou fazendo aqui.

Sem que eu percebesse meus pensamentos mudaram de foco. Gosto de trabalhar com o Natsu, ele deixa o ambiente leve, ao mesmo tempo qie me tira do sério, ele é calmo, mas explosivo, não há uma forma de descrever ele. E o que ele disse para a garota hoje cedo, ele vai ajudar ela de alguma forma? E porque agora começou com essas brincadeiras comigo? Droga, gosto dele, eu diria até que gosto dele mais do que eu devia, nunca estive em conflito dessa forma. O mesmo que gosto dele é o quanto eu gosto do loirinho. E isso nunca aconteceu antes, nunca cheguei a esquecer Sting por causa de outro cara porque os outros caras não seguiam adiante. E agora tem também o Leo, não sei o que fazer com ele, bem ou mau ele é o unico que realmente está demonstrando interesse em mim. Natsu faz brincadeiras e depois fica sério, me deixa confusa. Sting não me deixa em paz, mas também não me deixa chegar perto, sempre que tentamos ele estraga tudo.

_Porque tudo é tão confuso assim? _ resmunguei colocando as mãos no rosto e deitando na minha cama, estava com algumas dores no corpo e senti minha garganta começando a me incomodar, ainda tenho 15 minutos antes de descer para treinar Natsu, acho que hoje já podemos fazer algo mais pesado, e na próxima semana pretendo levar ele para uma quadra. Comecei a espirrar. Não devia ter tomado chuva, minha saúde não é frágil, mas eu tenho rinite, qualquer mudança repentina de temperatura ou cheiros fortes, me incomodam. Mas passa logo.

~°~

 

_ Lucy acho melhor você ir descansar por hoje, eu faço mais algumas coisas e depois subo também._ Natsu me pediu pela terceira vez. Já faz algumas horas que estamos aqui treinando, peguei bem pesado com ele, mas ele já está acostumado com treinos intensos, é um atleta afinal. E eu passei as últimas horas espirrando e coçando os olhos, senti meu rosto inchado, será que eu comi alguma coisa que não devia? Bom eu sei que como, o cappuccino, mas foi só uma coisinha, não pode ter atacado minha alergia tão fácil.

_ Eu..._ soltei mais um espirro forte, já estou me sentindo exausta e meus olhos estão doendo pelo esforço de ficar abertos, sinceramente mal estou enxergando._ eu to bem é só a minha rinite.

_ Vai deitar então, essa sua cara de bolacha vermelha já está me assustando, sem falar que seus olhos estão muito vermelhos. _ suspirei e fui ao banheiro lavar o rosto - de novo - e vi meu reflexo no espelho, estou mesmo horrível, vou precisar do antialérgico e de uma bolsa de gelo para diminuir esse inchaço nos olhos, eles estão até arroxeados.

_ Então… vou subir para o meu quarto, tudo bem?

_ Tudo bem..._ ele respondeu levantando os pesos que lhe apontei. Assenti com a cabeça, agora estava bem difícil de respirar, e as dores pelo corpo se intensificaram. Me virei e fui em direção á escada fazendo o máximo para que ele não perceba que estou péssima, não fui bem sucedida. No meio do caminho minha cabeça dolorida começou a girar, senti ânsia e achei que estava caindo, segurei em algo, mas não voltei ao normal, minha visão turva, apagou completamente.

Não acredito que vou desmaiar justo agora.

_ Lucy..._ ouvi Natsu me chamando, acho que ainda não apaguei._ Lucy, abre o olhou, eu to te segurando. _ Foi quando eu percebi, eu não apaguei, eu fiquei com uma tontura e fechei os olhos pensando que ia cair, o lugar onde me segurei era o braço dele. Abri os olhos devagar. Estou inteira. Natsu está com o rosto preocupado a centímetros do meu, ele está praticamente me carregando na escada, minhas unhas estão encravadas em seu braço, enquanto o outro braço está a minha volta.

_ Me deu tontura.

_ Você me assustou.

_  Desculpe.

_ Não precisa se desculpar._ ele disse me ajudando a levantar. Fiquei em pé ainda com a cabeça girando e me segurei no corrimão fechando os olhos para me equilibrar._ vou te ajudar a ir para o quarto.

_ Não precisa _ sou muito sortuda, assim que disse isso escorreguei um degrau. Ouvi uma risada dele e em seguida os degraus sumiram._ Ahh! Me põe no chão!

_ Vou te levar até o seu quarto.

_ Eu consigo andar sozinha!

_ Eu sei.

_ Então me desce.

_ Hã.. Não, fica quieta._ ele me segurou como uma princesa enquanto subia as escadas, meu coração foi a mil, saímos da sala de ginástica e ele subiu o outro lance de escadas sem demonstrar cansaço, eu não devo ser tão leve assim. Entramos em meu quarto e ele me colocou na cama, minha cabeça ainda dói, e meus olhos continuam pesados.

_ Obrigada. _ Eu eu disse com sinceridade.

_ Não por isso, você cuidou de mim mas nas últimas semanas, agora vou cuidar de você. O que você tem?

_ Eu já disse, é rinite, acontece às vezes.

_ Tem remédio?

_ Naquela primeira gaveta, numa caixa rosa. _ apontei com o dedo e ele trouxe a caixa para mim. Peguei e olhei meu último comprimido do anti alérgico. Engoli ele e me encolhi nos travesseiros, Natsu deitou do meu lado.

_ Vou tomar um banho e depois trago alguma coisa pra você comer.

_ Não sabia que você sabia cozinhar.

_ Tem muita coisa que não sabe sobre mim._ piscou o olho e saiu. Adormeci no instante seguinte.

~°~

Acordei sentindo um calor anormal, e me sentindo muito confortável, abri os olhos e entendi porque estava tão bom ali, havia um par de braços enrolados em mim e um rosto respirando preguiçosamente em minha nuca. Será que finjo estar dormindo até ele acordar? Não. Me virei com calma e fazendo o possível pra ele não acordar. Seu rosto tão calmo dormindo me fez sorrir, passei os dedos por seus rosto. Porque ele está aqui comigo? Cheguei mais perto, o cheiro dele era perfeito, sua pele tão quente na minha, toque seus cabelos de leve.

_ Você nem faz ideia do que está fazendo comigo Dragneel._ eu sussurro baixo e toco sua testa com meus lábios. Tentei me levantar devagar mas quando me sentei na cama seu braço me puxou de volta.

_ Me conta mais sobre o que eu tô fazendo com você._ ele disse em meu ouvido antes de me virar para si. O que eu faço agora Meu Pai? 


Notas Finais


E ai? O que estão achando?
Eu acho que pode rolar uns amassos, ou não hsubsisnsisj
Espero seus comentários❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...