História Just You And Me II - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~JoMosAss

Postado
Categorias Candice Accola, Ian Somerhalder, Joseph Morgan, Nina Dobrev
Personagens Candice Accola, Ian Somerhalder, Joseph Morgan, Nina Dobrev
Tags Candice Accola, Ian Somerhalder, Jodice, Joseph Morgan, Nian, Nina Dobrev, Romance
Exibições 45
Palavras 2.275
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá little babys, como vão?
Hoje quem veio trazer o capítulo sou eu; Ana! õ/
Já era para mim ter postado há alguns dias atrás, mas não deu.
Bom, na verdade era para a Lovah estar aqui, porém, ela não conseguiu postar e pediu para mim. E aqui estou eu trazendo um capítulo novinho para vocês, escrito pela diva.
Viram como ela é rápida? E olha que faz uma semana que ela terminou hein kkkkkkk
Bom, o capítulo está MARAVILHOOSO como sempre né?
Esperamos que gostem. Boa leitura <3

Capítulo 9 - E Gravando...


Fanfic / Fanfiction Just You And Me II - Capítulo 9 - E Gravando...

Alguns dias depois...

 

- É tudo uma grande farsa ! Nos fizeram de idiotas, nos expôs ao ridículo que droga ! Acabou, tudo acabou. - Ele esmurrou a mesa com força.

- Sam, espere, acalme-se. Então é isso ? Você vai dar as costas às pessoas que acreditaram em você ? E daí que o programa é uma farsa ? Viemos com um propósito à Miami e não vamos parar no meio do caminho. - ela se alterou também.

- Você não entendeu ? Acabou ! eles enganaram à todos, o "Apenas Dance" é uma fraude, você ouviu junto comigo o diretor e o produtor falando isso na sala de reuniões, que droga Jessie ! Não existe prêmio, turnê, nada, absolutamente nada ! - ele cerrou os punhos, fazendo com que as veias do braço pulsassem de raiva.

- Eu sei, eu sei, mas parar agora ? Não Sam, a gente não é assim, o grupo não é assim, viemos em busca do prêmio para levantar um estúdio de dança, mas não vai dar, sinto muito por isso, mas vamos dançar, vamos fazer a máscara deles caírem. Vamos deixar o programa ser um fracasso, enquanto nós seremos o sucesso dele ! - ela o olhou misteriosa se aproximando do rapaz .

- O que você tem em mente ? - a puxou pela cintura, fazendo com que ela se achegasse mais.

- Só confia. - ela o beijou.

 

-E corta ! - o diretor falou, fazendo Candice e Rick se separarem. - Pra quem disse que não decorou o script, Candice você está muito bem ! - o estúdio aplaudiu a moça que ficara envergonhada.

- Obrigada gente. - ela sorriu, correndo o olhar doce e sereno para cada pessoa que a aplaudia, fixou os olhos que agora brilharam quando viram seu marido ao lado do câmera que à filmava. Braços cruzados, sorriso de lado e olhar tentador sobre o corpo da amada. Ela andou em direção à ele que logo desprendeu os braços para poder abraça-la.

- Oi meu amor. - ela disse o abraçando forte, inalando profundamente o aroma gostoso do pescoço dele. 

- O que foi essa cena hein ? - ele sussurrou baixo ao pé da orelha da mulher, fazendo com que ela se estreita-se em seus braços, assim que recebera um leve puxão no cabelo. - Devo dizer que senti ciúmes. - ela riu ao ouvir tais palavras e mordiscou o pescoço de Joseph.

- Nenhum puxão na cintura ou beijo que eu der em meu trabalho, se iguala aos seus meu amor. - ela olhou bem nos olhos dele, recendo um sorriso de orelha à orelha do mesmo com as belas palavras da loira. - Se fosse o rei de New Orleans Niklaus Mikaelson ali. - ela apontou para onde estava contracenando minutos atrás. - Eu posso te garantir que o diretor teria que dizer umas mil vezes "corta" por que eu não te largaria tão cedo. - ela correu os olhos no peito coberto pelo casaco grosso que ele usava, e ao chegar no cós da calça, deixou a mão escapar e "sem querer" deslizar sobre o volume exposto. Sem pudor. E sem vergonha nenhuma. Joseph adorava. Candice exalava malícia, e Joseph começara à gostar do jogo. - Venha, vou te apresentar para os meus colegas de trabalho. - ela o puxou pela mão, fazendo ele dar os primeiros passos cambaleando. O senhor Scott Speers o qual mencionou o meu nome naquela materia que você leu, lembra ? - ela me olhou e eu assenti. - Esse é Joseph Morgan, meu marido. - o peito encheu de orgulho ao pronunciar isso.

- É uma honra conhecê-lo Sr. Morgan. Vi seus trabalhos. Sensacionais. - Scott estendeu a mão e Joseph logo apertou sorrindo agradecido.

- A honra é toda minha Sr. Speers agradeço pelos elogios. - JoMo piscou.

- Sua esposa é uma atriz maravilhosa ! Ficar dois anos afastada e voltar com o gás que ela chegou, é maravilhoso, contagiou todos nós. - ele bebeu do café que estava em suas mãos.

- Candice é maravilhosa. - ele encarou a esposa que agora sorria sem jeito ao sentir a mão do marido, passear pelas suas costas. Ele sorriu e voltou à olhar o homem a sua frente que agora era chamado por uma moça ruiva com várias pastas nas mãos. 

- Bem, fique à vontade, vou resolver problemas. - ele riu, se despedindo do casal e Candice logo puxara Joseph novamente.

- Não saio daqui com os dois braços inteiros. - ele falou rindo, quando chegata em um grupo de pessoas que discutia algo referente as cenas.

- E esses são os dançarinos, ou seja, o grupo que a Jessie e o Sam comanda. - Candice falou e todos olharam para Joseph. - Marie, John, Becca, Adam, Joseph e Alice. - Candice apontou para cada um ao dizer os nomes e Joseph cumprimentou modesto.

- Eu amei o final de TVD, shippo muito Klaroline e indo pela lógica, amo vocês como um casal na vida real. - Marie a morena "tagarela" como foi apelidada pelos colegas de trabalho, disse e ficou admirando Joseph, era um efeito universal que ele surtia nas mulheres, Candice claro, entendia,

- Obrigado. - Joseph sorriu de lado. - Candice meu amor, vamos. - Joseph falou olhando no relógio.

- Já vamos amor, mas antes... - ela falou, caminhando junto à ele em direção ao companheiro de cena. - Rick ! - ela o chamou, e o rapaz virou-se em direção a voz que o chamava. 

- Eu pensei que de costas eu escaparia. - ele brincou, fazendo eles rirem.

- Cheio das graças né. - ela respondeu e Rick fez uma careta brincalhona. - Joseph queria te cumprimentar antes de irmos. - Candice falou, fazendo Joseph encará-la ao ouvir tal comentário. Ele riu.

- Olá Malambri. - ele saudou estendendo a mão.

- Morgan. - Rick sorriu e apertou a mão do homem. - Veio assistir as gravações ? - ele perguntou colocando as mãos no bolso da calça.

- Vim buscá-la, mas pude ver algumas cenas do filme. - Joseph respondeu fazendo com que o rapaz entendesse claramente o que dizia. - Vamos ? - o loiro perguntou à Candice que concordou com a cabeça. Um tumulto foi gerado atrás deles, que percebendo se viraram para entender o que acontecera, eles logo riram ao ver Martin correndo em disparado para perto deles e Angel o acompanhando cuidadosamente caso ele caísse.

- Papai, Mamãe ! - ele gritou alegre e Joseph abaixara para pegá-lo no colo.

- Não íamos fazer surpresa pra mamãe ? - Joseph perguntou à ele, fazendo um carinho na cabeça.

- Suplesa mamãe ! - ele ergueu os braços e Candice riu o pegando.

- Oi meu filhote, deixa a mamãe dar um beijo em você. - ela falou o apertando entre seus braços e o beijando. - Obrigada pela surpresa. - ela agradeceu à Joseph que assentiu e beijou o ombro da amada. - Rick esse é Martin, Martin esse é o Rick. - a criança correu o olhar do homem grande que Candice apontara e sorriu tímido.

- Oi lick. - ele falou querendo sair do colo. Candice o pousara no chão e dentre segundos ele começara à correr pelo estúdio, curiando tudo que seus olhinhos via.

- Eu tentei segurá-lo sra Morgan, mas o Martin correu. - Angel falou ofegante tentando de certa forma, fazer seus pulmões expandirem com mais calma.

- Sabemos bem como ele é Angel. - Joseph falou. - Martin ! - Joseph o chamou quando vira o pequeno tocar na câmera. Martin correu rindo alto em direção as pessoas que o chamava.

- Candice seu filho é lindo. - Scott Speers elogiou bagunçando os cabelos do garoto. - A cópia do pai. - ele falou, olhando para Joseph que concordou.

- Literalmente ! - Candice respondeu.

- Bom, vamos meu amor ? - Joseph verificou as horas no relógio e seu olhar caiu sobre Martin que recebia um pirulito da ruiva que chamara o diretor minutos atrás. - Martin vem. - o pai babão o chamou e o menino veio devagar tentando abrir a embalagem do doce. - Agradeceu ? - JoMo perguntou e Martin fez um "sim" com a cabeça. - Deixa que o pai abre pra você. - ele se abaixou ficando na altura do filho e abriu com muita facilidade, entregando o pirulito de volta para Martin, que logo colocou na boca. Joseph pegou na mão vaga do menino, e caminhou com ele para a saída se despedindo das pessoas à sua volta. Candice agarrou o braço do marido e caminharam juntos se divertindo com Martin e o pirulito que era maior que a boca dele.

- Angel, está dispensada ! Vá se divertir com seu namorado. - Joseph sorriu ao falar assim que chegaram no carro. - E amanhã nada de aparecer lá em casa, lembre-se é sua folga. - ele a alertou e ela assentiu alegre, se despedindo deles e pegando o celular, ligando possivelmente para seu noivo.

- Para onde ? - Joseph perguntou colocando seus óculos de sol e destravou o carro.

- Bem, podemos tomar um sorvete. - Candice respondeu e Martin se animou entrando no carro. - E depois, os três fazerem o jantar. - ela falou olhando sapeca para Martin que concordava com tudo aquilo e Joseph bem, esse sorria abertamente para quem quisesse ver. Ele abriu a porta para a esposa que logo entrou e acenou para os colegas que também saíam do estacionamento.

 

[...]

 

Pov Candice

 

- Como as fatias de pepino estão meus cozinheiros favoritos ? - perguntei à Joseph e Martin que finalizavam a salada que ía ser o acompanhamento do jantar.

- Tão fininhas mamãe, do zeito que a sinhola pediu. - Martin acompanhava atentamente com o olhar o pai cortar os pepinos.

- Quer uma rodela campeão ? - Joseph perguntou colocando uma na boca dele e entregando outra para Martin, que aceitou no mesmo minuto que lhe fora oferecido.

- Eu também quero JoMo. - falei manhosa me aproximando do meu marido e roubando o pedaço que ficara para fora da boca dele.

- Papai, a mamãe roubou a sua talada. - Martin me acusou recebendo vários beijos de mim, que agora o abraçava e o enchia de carinho. - Faz cótegas mamãe... - ele encolheu o pescoço fazendo Joseph e eu rir, e Pusch latir ao ouvir o menino rir alto.

- Quer carinho também Pusch ? - Joseph perguntou se abaixando e pegando o brinquedo do cachorro, fazendo o mesmo se animar e querer de imediato que seu dono jogasse o bichinho para ele pegar. E foi o que Joseph fez.

- Pega Pus, pega Pus... - Martin bateu palmas para o cachorro que corria atrás do brinquedo e logo abocanhou, brincando. - Quelo blincar com o Pus papai, me desce. - Martin estendeu os braços em direção ao seu pai que logo o retirou do balcão que estava sentado e saiu em disparado para a sala onde o seu amiguinho de pêlos estava.


- Ele está cada dia maior. - comentei com Joseph que também o olhava. - Parece que foi ontem, que tive ele nos meus braços pela primeira vez. - na minha cabeça passava um filme do meu filho.
- E você pensa que é a única ? - Joseph perguntou retirando o avental de cozinha e me puxando para perto dele, ficando assim de frente pra ele. - Todo dia eu passo no quarto dele para deixar o beijo que ele sempre me pede antes de trabalhar, e toda vez me vem esse pensamento na cabeça. - Joseph falou acariciando minha cintura que sempre relaxava com seus toques. - Eles crescem rápido meu amor, por isso, vamos aproveitar bem essa fase dele. Por que já já vem escola, faculdade enfim. - ele riu, me fazendo rir também, limpei o canto do meu olho que claro marejou enquanto Joseph falava.
- Temos que começar à tentar outro meu amor. - eu falei e ele sorriu de lado e olhou rapidamente para Martin.
- Se ele não estivesse tão por perto, a gente poderia começar à tentar aqui na cozinha. - senti as mãos dele descerem para a minha bunda e apertá-la.
- É uma proposta tentadora senhor Morgan. - brinquei com o colar que ele usava.
- Eu sei que é. - ele depositou um selinho na minha boca e mordeu meu lábio o puxando. - Mas não podemos. - ele se afastou me deixando cheia de tesão. Foi para o fogão, retirando do forno a travessa de batatas gratinadas que fizemos.
- Vai me deixar assim mesmo Joseph. - falei manhosa, me debruçando na mesa, fazendo com que a camisa soltinha que eu usava, mostrasse meus seios.
- Candice, Candice... - ele pousou a travessa na mesa e ficou encarando meus seios. - Por mais que a visão esteja maravilhosa, vou pedir infelizmente para que você se arrume, por que Martin vem aí. - ele me avisou olhando atrás de mim, virei para trás e acompanhei Martin vindo em nossa direção e Pusch ao seu lado.
- Tô com fome papai. - Martin mostrou a barriguinha gordinha dele para Joseph que logo riu.
- Vamos lavar a mão filhote, aí a gente come. - ele pegou Martin pela mão e o levou até a pia. - E depois continuamos aquele assunto Candice. - o tom da voz dele tornou-se malicioso e eu estalei os lábios, rindo com a situação que meu marido me deixou. Teria volta. Ah, Teria sim.
 


Notas Finais


E ai o que acharam? Nos digam nos comentários.
E só para deixar vocês cientes, as coisas irão mudar nos próximos capítulos kkkkk
Vocês não esqueceram de quem somos nós, não é? KKKKKKKKKKKKKKK
Enfim, amamos vocês e o próximo capítulo eu vou dar um jeito de postar rápido igual a lovah.
XoXo, Ana & Gabs :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...