História Just Your Body ( Long Imagine - Jimin) - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Personagens Originais, Suga
Tags Bts, Jimin
Visualizações 184
Palavras 1.848
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 21 - All That Things


CHAPTER 22

 

                             > Karma: Você entenderá o dano que causou quando sofrê-lo.

 

 

[...]

Depois de quase uns quinze minutos caminhando, já sentia meus pés doerem por conta do all-star um pouco apertado que ficava incomodo quase sempre, mas eu poderia esquecer essa dorzinha por um momento pois lembrava quem me presenteou. Jimin, Jimin... Ah Jimin.

 

– Jimin! – Falei alto parando em sua frente com cara de brava. – Esta demorando, onde é esse lugar afinal? – Questionei o encarando de cabeça erguida. Talvez ele tenha crescido alguns centímetros esse tempo todo.

– Estamos quase lá, pra que a pressa? – Respondeu calmamente.

 

– Não estou com pressa... Só estou curiosa pra saber o que você ta aprontando... – Falei cerrando os olhos e ele riu. Aproximou-se do meu rosto e deu um beijinho na ponta do meu nariz me fazendo sorrir novamente.

 

– Só hoje você me fez sorrir tantas vezes... – Abaixei a cabeça e pensei em algo.

 

– E eu pretendo fazer você sorrir muito mais – Falou levantando meu rosto segurando meu queixo. – Até você sentir sua boca alargar de tanto que você vai sorrir, pequena.

 

O abracei forte, mas tão forte que senti que podia o espremer, mas e daí? Quem sabe quando terei essa chance de novo?

 

Caminhamos um pouco mais até que me dei conta onde estávamos chegando.

– Mas aqui... – Virei de frente para ele – Aqui é...

 

– Sim, o lugar onde você percebeu que eu gostava de você.

Era a floresta onde foi seu aniversário, no dia era escuro e triste, mas hoje há flores, as árvores cresceram e estão grandes e fortes, o chão está com a grama verdinha e um ventinho gostoso se alastrava ali.

 

Fechei os meus olhos sentindo o vento em meu rosto, como uma ar que limpa tudo que tem por dentro de você e tira todas as coisas ruins. Enquanto sentia a brisa que vinha em minha direção senti braços pousarem sobre mim e me aconchegar de uma forma tão acolhedora, tão quente, tão confortável.

 

– Eu nunca mais quero sair dos seus braços, nunca.

 

– E não vai, juro que não vai.

 

.

.

 

–... mas então o Hoseok falou tipo ‘’maninha você não sabe porque as garotas ficam tão bravas no fim do mês?’’, mano, eu só sabia rir! – Falei meio atrapalhada sobre Hoseok e sua nova namorada, não que fosse durar muito esse novo relacionamento mas...

 

Jimin recuperava-se das longas risadas que demos sentados ali debaixo daquela árvore.

 

– Mas __, você não vai me contar o que aconteceu? Quando você sumiu e porque você sumiu... Eu não sei absolutamente de nada.

 

Engoli seco. Hesitei um pouco mas logo me preparei para jogar tudo a mesa.

 

– Okay. – Sorri amarelo. – hora ou outra você precisaria ficar sabendo.

 

Flashback ON

Naquele momento parecia estar tudo errado, eu jurava que fosse apenas um pesadelo ruim, mas infelizmente não era, tudo o que estava acontecendo era real.

 

– Taehyung... Por que... Porque fez isso... – Perguntava-me sentada naquela sala de espera a quase uma hora apenas para saber o resultado de tudo isso. Ao meu lado estava mamãe e a mãe de Jimin, que mentia ter alguma preocupação com seu filho.

 

Quando vimos um doutor sair dali levantamos no exato momento, esperançosas de receber boas noticias mas a expressão do doutor não era das melhores, naquele momento já senti meu mundo cair pela milésima vez naquele dia.

 

– Olá, estão bem? – Perguntou o doutor sendo educado.

 

– Se eu estou bem? Eu quero saber se meu filho está vivo! Oras, você é um doutor ou que?! Que irresponsabilidade é essa?! Onde já se viu alguém tão rud...

 

– Srta. Park, poderia se acalmar, por favor? Nós temos boas notícias! – Disse o doutor interrompendo a senhora escandalosa.

 

No momento que ouvi aquilo, prestei atenção com cautela no doutor.

– Felizmente o alarme nos avisou rápido e a quantia de remédio que injetaram não se alastrou por todo sangue, então conseguimos conter isso. Ele precisará de uma doação de sangue e precisará de um longo repouso. Se quisermos bons resultados precisamos sempre ter calma. – Disse sorrindo.

 

– Meus céus... Como isso foi acontecer?! Tenho certeza que foi essa garota problemática que não largava do pé do meu garoto! – Srta. Park disse com mil pedras a mão.

 

– Mas o que!? Como a senhora tem coragem de apontar os dedos para minha filha assim?! Você perdeu o juízo? – Mamãe protestou.

 

– M-Mãe... Ta tudo bem, vamos embora, por favor! – Exclamei chorosa. Minha mãe encarou com cara feia e deu meia volta indo a caminho do nosso carro.

[...]

 Ao chegar em casa, não me sentia nem ao direito de comer algo, um grande peso estava sobre mim, sem contar todas as preocupações que eu estava com Taehyung e Jimin. TaeTae... Onde que você foi se meter... seu idiota!

 

Chorava baixo em meu travesseiro. Cacei meu celular pela cama, disquei o numero do Tae e esperei, hesitei então apaguei todo o numero novamente bloqueando a tela.

Tae, depois do que aconteceu, apenas sumiu, claro envolveram a policia em tudo isso mas não fazem idéia de quem fez isso, e até por Jimin estar bem, vão esquecer isso rápido... Não que seja uma coisa ruim, mas me sinto culpada pelos dois lados.

 

Perdida em meus pensamentos ouço meu celular vibrar e o pego rapidamente.

 

          TAETAE sz

<< atender  desligar>>

 

Arregalo os olhos ao ver aquele nome e deslizo para atender.

 

–_-__? Ta ouvindo?

Ele estava ofego.

 

– T-Tae... O-onde você ta? Ta tudo bem? Eu estou tão preocupada pabo-ya!

 

– Você pode sair aqui? Estou na frente da sua casa.

 

Após ouvir isso pulo da cama pegando um casaco qualquer e corro até a frente da minha casa, mas há apenas escuridão e sereno caindo, olho para um lado e nada, para o outro e nada.

– _-__!

 

Ouço aquela voz tão familiar e corro em direção a ela.

 

– T-TAE?! Onde você ta?

 

Sinto alguém segurar minha mão, sua mão era fria. Ele vestia um casaco preto com capuz e calças no mesmo tom. Sua cabeça se ergueu e pude ver seu rosto machucado.

 

Pensei que ele iria chorar, ou pedir um abraço, mas ele apenas sorriu, sorriu como um louco.

 

– V-Você... Por que fez isso? O que aconteceu com seu rosto?!

 

– Não vai me convidar para entrar? Esta frio aqui fora.

 

Ri sem graça e segui até minha porta.

 

Minha mãe nunca deixaria alguém que tentou matar algum conhecido dormir em nossa casa, então apenas menti que era um amigo distante que estava sem onde ficar, ela concordou na hora apenas porque achou Taehyung bonito...

 

Dei algumas roupas do Hoseok para Tae tomar um banho e o esperei ansiosa para saber tudo que estava acontecendo.

 

Tae saiu rapidamente do banho e sentou em minha frente com uma expressão triste.

 

– Okay... Você pode... Me dizer com calma. Eu irei ouvir tudo e entender os dois lados.

Ele inspirou fundo e me encarou.

 

– L-Lembra que... Eu disse pra você que a cafeteria não ia bem? – Respirou, ele estava contendo seu choro. – Eu precisava dar um jeito, me expulsaram do apartamento porque atrasei muitos pagamentos do aluguel, eu estava sem chão.

Disse sem me encarar agora, encarava seus dedos enquanto fazia algum tipo de movimento estranho com as mãos.

 

– Foi ai então que minha prima Yura—

– Y-Yura é sua prima?! Não acredito...

– Ela infelizmente é. – Disse soltando um ar pesado. – Então ela me oferecu uma proposta, disse que tinha um trabalho pra mim e que daria muito dinheiro, então eu apenas aceitei porque estava desesperado! Por favor __, não entenda errado. Eu nunca quis fazer mal nenhuma você quanto Jimin, se eu ao menos soubesse...

 

– Se você soubesse que não era Jimin, machucaria outra pessoa? Não posso acreditar Tae... Nunca imaginei que você fosse ser alguém assim. – Falei decepcionada.

 

– M-Me desculpa... – Ele soluçou de cabeça baixa. – Eu nunca queria ter machucado alguém assim, eu sou um monstro. – Disse já em prantos.

 

Me aproximei e o abracei forte, bem apertado, como um abraço de mãe.

 

– Tudo bem. Eu não vou perdoar você agora porque estou em meu limite mas, eu sei que você estava assustado.

 

– Eu só queria ter alguém ao meu lado... Para me ajudar e me dizer o que fazer, só isso. – Dizia soluçando.

 

– Eii, tudo bem. Eu posso ser essa pessoa pra você. Mas só se você seguir o que eu disser. Você devia apenas voltar pra sua cidade e tentar reconstruir tudo que perdeu, sua cafeteria, seu apartamento, tudo Tae, você só precisa confiar em seu potencial. Você é um ótimo cozinheiro! – Falei fazendo-o rir sem graça.

 

– Okay, amanhã eu farei isso. Podemos apenas dormir por hoje? Estou tão cansado.

 

Ri do seu jeito de falar e em seguida deitei ao seu lado. Tae não era criança, sei que ele sabia o que estava fazendo, só precisava de uma mão amiga e aqui estou eu!

 

-- Espera, mas... Seu rosto, o que aconteceu? – Perguntei preocupada deitando de frente para o mesmo.

 

-- Ah... Isso? – Tateava seus pequenos cortes perto da sobrancelha. – Você sabe... quando você falha em algo você é punido.

 

Mordi o lábio e fiz uma expressão triste, aproxime-me e dei em Tae um segundo abraço.

 

-- Vai ficar tudo bem, okay? – Falava alisando suas madeixas lisas.

 

Em meio meus pensamento acabei pegando no sono sem perceber.

 

 

Flashback Off

– Depois de tudo isso, Tae apenas voltou, acredito eu ele esteja indo bem já que não me contatou mais... – Falei para Jimin que estava muito concentrado em minha explicação.

 

– E Yura? – Perguntou curioso e eu abri a boca em sinal de lembrança.

 

– Yura... Eu não sei ao certo, pelo que eu soube pela escola, ela apenas se mudou de cidade. – Falei pouco raivosa.

 

– Essa puta estragou completamente nossas vidas e ainda saiu disso ilesa...

– Tudo bem Jimin, de qualquer forma, você está bem, e eu também. Felizmente tenho JungKook para alegrar os dias que você esteve ausente. Sua mãe é um porre... – Reclamei sentando em seu colo virada para o mesmo.

 

– Pois é... Ela realmente proibiu você de me ver, mas o que importa é que estamos juntos agora, lembre-se disso. – Disse sorrindo e eu sorri de volta selando nossos lábios delicadamente.

 

– Jimin, você ainda tem aquela pulseira que te dei?

 

– Essa aqui? – Perguntou tirando de seu pulso.

 

– Essa! Por que ta tirando?

 

– Por que agora eu estou bem, então você precisa ficar protegida. – Disse colocando a pulseira em mim.

 

Sorri com tal ato.

 

– Mas Jimin, ainda é um pouco perigoso, nós estarmos juntos, desse jeito que queremos.

 

– Por quê? Já esta tudo resolvido. – Diz calmo passando suas mãos em meu rosto.

 

– Eu só... Tenho medo, fico apreensiva de perder você de novo, mas agora pra sempre.

 

-- Shhh! Não fala besteira garota.

 

Enquanto Jimin colocava seu dedo indicador sobre sua boca, uma linda borboleta azul pousou na ponta do seu dedo, encaramos aquilo como sorte, como esperança, talvez um recomeço?

 

Não sei, mas borboletas azuis são um bom sinal.

 

 

‘A trajetória de nossa vida pode ser comparada ao processo da borboleta, nascemos com certas características, passamos por situações que nos propiciam aprendizado e definição de nosso estado e estamos sempre em busca de nos tornarmos melhores , voando em todas as direções com asas multicoloridas.’

 

                                                                           .

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...