História Justiceiros do Destino - Interativa - Capítulo 18


Escrita por: ~ e ~Duldinhah

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Super Herois Aventura
Exibições 12
Palavras 1.092
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpa pessoal, eu tinha mandado o capítulo errado. Agora está certo haha
Espero que gostem, boa leitura !

~ Duldinhah

Capítulo 18 - Operação: Pega logo esse brinco !


As coisas iam começando a sair do controle sem os Justiceiros. Depois de alguns pequenos roubos, os assaltantes perceberam que eles não apareciam há um bom tempo e a onda de crimes estava ficando intensa.

-----------------------

João passava pela rua normalmente, como todos os dias, até escutar gritos do outro lado da rua. Havia uma roda de pessoas gritando, cercando dois jovens. João pensou em apenas dar uma olhada e se deparou com Phoebe, brigando com um garoto que era uns 10 ou 15 centímetros maior que ela. Phoebe estava lutando sem seus poderes e o garoto era maior e mais forte. Como resultado, ela estava apanhando.

O garoto à segurou pela nuca e bateu a cabeça dela no joelho e depois à atirou no chão.

João não acreditava no que via, ela era maluca o bastante para mostrar seus poderes e esmurrar o garoto, então João interviu. Ele à segurou pelos braços e à tirou da roda, tendo que quase arrastar ela para a escola. Lettícia foi atrás deles, quase chorando.

- O que é que você fez ?

- Por que você se meteu, seu nerd idiota ? Eu poderia ter acabado com ele !

- Com um corte na boca e esses machucados pelo corpo ?

- QUIETO !!

- Nós passamos e ele mexeu com ela. Como esperado, ela não aguentou e foi pra cima dele. - Disse Lettícia, ofegante.

- O que ele disse ?

- Chamou ela de vadia, ou algo do tipo.

- Foi isso mesmo, sabe que eu não tenho paciência com esses idiotas.

- Você é doida ?

- Vamos pra casa, Phoebe.

-- Chegando lá --

- Estão vendo ? A onda de crimes está subindo novamente. - Diz João, indignado.

- Onde estão os Justiceiros ?

- Não sei, mas nós podemos substituir eles por enquanto, né ?

- Está doido é ? Eu nem sei controlar meus poderes direito. - Se assusta, Lettícia.

- E eu não sou tão forte quanto o Gladiador.

- Eu posso ficar aqui e ajudar vocês com estratégias, enquanto lutam...

- Nem pense nisso !

-- Estados Unidos --

O garoto dos papéis estava tomado por ódio, fez uma flecha gigante de papel e pretendia matá-los, mas ficou encarando-os por um bom tempo.

- Vai ! Acaba logo com isso ! - Ordena, Gladiador.

Logo, Máscara de Ferro e Dr. Imaginário, aparecem em cima de um prédio.

- Estou controlando ele. - Afirma, Máscara de Ferro.

Dr. Imaginário transforma seu braço direito em uma foice e parte para o ataque, mas os papéis o defendem. Com a outra mão, Máscara de Ferro consegue soltá-los.

Aspeon tenta prender os papéis e consegue a maioria.

- Vamos ver o quê esse negócio faz... - Gladiador fica curioso.

- Não é óbvio?

Gladiador tira a faixa dele e os papéis voltam ao seu lugar de origem.

- Hora de voltar ?

- Já temos dois artefatos.

- E aquela outra garota ? Pergunta, Ciclone.

- Irei lá mais tarde, agora vamos voltar e descansar.

-- De noite --

- Vou lá !

- Pedófila é crime. - Ironiza, Duda.

- Haha, engraçadinha. Ela é quase da mesma idade que eu.

- Vê se faz algo produtivo.

- Posso ir com você ? - Pergunta Rhyan.

- Isso é um encontro ! Primeiro vou tentar levar na conversa, se não der certo, vai na força mesmo.

- Relaxa Rhyan, vamos escutar tudo pelo transmissor. - Tranquiliza, Matheus.

- Não se eu desligar. Hehehe.

- Você é um idiota ! - Reclama, Duda.

Ele passa, bate a porta e vai em direção à um restaurante bem chique.

A noite em Washington era bem diferente, comparada ao Rio de Janeiro. Se jovens de 12 à 16 anos quisessem se encontrar, iriam em uma festa, ficariam muito loucos e se pegariam até o dia amanhecer... Mas aqui não !

Estava frio e o ar seco, Luiz foi andando até um chafariz.

Rhyan: Câmbio para pedófilo, responda ! - Falavam na escuta.

- Cale a boca, isso é irritante.

Duda: FBI adverte, abusar de garotinhas de 12 anos é crime.

- Vocês não têm o que fazer não ?

Patrick: Cara, é sua chance de... - Foi interrompido.

- Calados, ela está vindo.

Duda: Que fofinho, vocês indo em encontro um do outro !

- Ela está vindo por trás.

Duda: Como você sabe ?

- Dei uma olhadinha...

Ela chega e se senta ao lado dele.

- Frio né ?

- Bastante.

- Posso te perguntar por quê me chamou ?

- Talvez por quê eu goste de você !

Duda: Aanwt, que amorzinho !

- Pensei que fosse por causa dos brincos.

- Se eu quisesse seus brincos, os roubava, não te chamaria pra sair.

Duda: Mentiroso do caralho, está iludindo ela, idiota !

- Bom, acho que é verdade...

Duda: Ela chega a ser mais lerda que você, porra.

- Cala boca!

- O quê disse ?

- Não... não foi com você.

- Então... Ok, vamos lá para dentro ?

- Por mim, tudo bem.

O tempo foi passando e os Justiceiros já estavam ficando irritados, eram quase onze horas e eles só estavam comendo e conversando.

- Agora me diz, o quê te chama atenção em mim ?

Duda: Iih, certeza que quer te dar.

- Tirando o fato que você tem um brinco feito para me matar ?

- Feito para te matar ?

- Eu gosto do seu cabelo, seu modo de agir...

- Huum...

Duda: Pede logo... Vai !

- Então... Não quer provar desse meu jeito?

Duda: NÃO !

Eles vão se aproximando e olhando nos olhos.

Duda: Para cara, é uma armadilha ! Mas tô shippando...

Luiz não ligou para o que ela estava falando e pôs a mão na orelha esquerda dela, sentiu ela se aproximando mais devagar.

Quando ele tentou soltar o brinco, tinham acabado de encostar os lábios superiores, mas ela deu um forte tapa na mão dele e se levantou logo depois.

- Você é só mais um interesseiro !

Duda: Ui.

Saiu andando firme em direção a rua.

- Espere, Jullie !

Ele tentou à seguir, mas ela percebeu.

- Você só quer isso né ? Então toma !

Duda: Vai toma 🎶 ... Ok, parei.

Ela o tirou das orelhas e os jogou no chão. Logo após, foi para casa.

Duda: Soldado ferido, volte para casa.

Luiz pegou os brincos e foi andando cabisbaixo.

-- Quebra de tempo --

- Hahaha, se fudeu. - Implica, Rafael.

- Eu tentei avisar.

- O importante é que você pegou os brincos. - Diz Patrick.

- Eu teria até pena de você, por quê nunca namorou com nenhuma garota, só que como não me escutou...

- Faltam dois, me dê eles aqui.

Luiz os entrega para Matheus e se joga no sofá.

- Eu te entendo, já fui ferido pela lealdade.

- Sem piadas, Rhyan, por favor.

- Tudo bem.

- Tenta falar com ela.

Ele atira em Luiz seu velho Moto G 1.

- Dá um tempo ! Acabou de iludir ela e já quer "fazer as pazes" ? - Aconselha, Duda.

- Deixa cara, eu sou um merda mesmo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...