História Kairos - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Exibições 233
Palavras 2.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Lilo


Fanfic / Fanfiction Kairos - Capítulo 7 - Lilo

P.O.V Camila

Tentava acompanhar tudo o que o senhor Smith, meu professor de Marketing dizia, copiando tudo em meu caderno mas era impossível, já que ele falava incrivelmente rápido e embolado, como aqueles narradores de jogo de futebol na rádio.

- Para um jornalista, nada mais importante do que a relação com o cliente, com o espectador. Se sua matéria não atinge quem está do outro lado, você não vende. Então o segredo é focar em um determinado grupo, seja ele uma faixa etária, classe econômica... - falou e logo em seguida virou-se para procurar um outro livro na estante bem na hora que a tela do meu celular se iluminou. Era uma mensagem da Ashlee. "Me encontre na sala 17 em dois minutos. Se você não aparecer, eu vou na sua sala te buscar". Revirei os olhos. O pior é que ela viria mesmo.

Quando o senhor Smith se virou de novo, levantei a mão pedindo permissão para sair e ele rapidamente assentiu com a cabeça. O cara me odiava, seria um prazer para ele se eu estivesse fora da aula dele. Quando sai, corri pelos corredores, com medo de ser pega por algum fiscal, e entrei na sala escura e vazia.

- Você demorou - Ashlee rolou os olhos, sentada perto da janela bem no fundo, fumando um cigarro.

- Eu vim literalmente correndo - estendeu o cigarro para mim e eu o puxei de sua mão, dando uma longa tragada - Sua louca, se um dia te pegarem com um desses acesso aqui, você vai ser expulsa.

- Até parece né. Com a fortuna que meus pais pagam aqui eu posso tocar fogo nessa porra que eles ainda vão beijar meus pés.

- Então tá. Enfim, o que você quer? Aquela aula era importante.

- Como se você ligasse, Cabello - riu e eu fiz o mesmo, porque era completamente verdade - Estou com saudades de você, sua gostosa. Já faz um tempão que a gente não fode - apagou o cigarro na parede e veio em minha direção, colando seu corpo no meu - Agora você só tem tempo para aqueles pirralhos.

- Eu só comecei a trabalhar lá a uma semana, não exagera - revirei os olhos, jogando meu cabelo para trás para deixar meu pescoço livre para seus beijos molhados - A culpa disso na verdade é sua, já que sua mãe não sai mais de casa.

- Pior que é mesmo, agora que ela tá abrindo essa nova sede quase nunca mais vai para o restaurante - grunhiu - Vadia.

Assenti, sentindo as mãos dela explorarem por dentro de minha blusa, subindo rapidamente da barriga para meu sutiã vermelho e apertado. Soltei um gemido inconsciente quando ela o puxou para cima, sem soltar o feixe, e apertou meus dois mamilos com os polegares.

- Minha puta favorita - deu um sorriso sacana enquanto se curvava para sugar com força meu peito, continuando o trajeto, passando por meu umbigo e chegando até o botão da minha calça.

- Cala a boca - bufei, a ajudando rapidamente a desabotoar mas no segundo que conseguimos, o sinal tocou, indicando o término das aulas - Droga.

- Foda-se essa merda - voltou a beijar minha barriga, mas eu a afastei.

- Infelizmente eu tenho que ir, meu ônibus passa em 3 minutos - falei enquanto me ajeitava.

- Foda-se seu ônibus, Camila! Pega o próximo - me puxou pela cintura e eu a empurrei.

- Os meninos estão me esperando, Ashlee. Eu não posso me atrasar.

- Porra, Camila! Cadê a mãe deles? Eu te dou uma carona, pronto.

- Isso já aconteceu uma vez e eu só cheguei em casa na manhã seguinte. Eu vou ter que ir mesmo. Outro dia a gente continua - encostei nossos lábios rapidamente e corri, antes que ela pudesse me agarrar de novo.

...

 

Hoje Lauren teve que voltar mais cedo para o trabalho, então eu fiquei de pegar os meninos na casa da vizinha, uma senhora de mais de 80 anos que nunca teve filhos então adorava tomar conta das crianças da vizinhança. 

- Então meninos, como foi na escola hoje? - perguntei enquanto abria a porta da casa com a chave que Lauren tinha deixado embaixo do tapete.

- Eu aprendi a formar cores! - Liam deu pulinhos.

- A formar cores? Uau!

- Azul mais vermelho dá roxo, azul mais amarelo dá verde, e vermelho mais amarelo dá...dá... - colocou o indicador no queixo, com uma careta confusa.

- Laranja, seu idiota - o mais velho revirou os olhos - Isso é coisa de bebezinho, se sua professora está te ensinando isso agora é porque você é burro.

- Logan! - o repreendi e ele deu de ombros - Isso não é verdade, seu irmão é muito inteligente, e você também aprendeu isso quando tinha a idade dele. E você, o que fez hoje na aula?

- Nada demais. Essa semana é a semana de culinária da minha turma e todo dia a gente cozinha o prato típico de algum país diferente.

- Caramba, que legal! E depois vocês comem tudo? - perguntei e ele assentiu - E qual foi o país de hoje?

- Cuba.

- Ei, minha casa! - abri um sorriso enorme - O que vocês cozinharam? 

- Arepa de carne.

- Arepa? - franzi a sobrancelha - Mas isso não é cubano, é da Colômbia.

- Ah, mesma coisa - deu de ombros - Você morava lá?

- Eu nasci lá, em uma cidade chamada Cojimar.

- E você não ficou doente?

- O que? - ri - Não, minha saúde é de ferro. Por que?

- Meu pai disse que lá é sujo e que todos os ratos dos Estados Unidos são de lá.

Abri a boca para falar alguma coisa mas simplesmente nada saiu.

- Com certeza você ouviu errado, o seu pai não...

- O papai disse sim - Liam balançou a cabeça.

- Meu Deus. Mas isso...isso não é verdade, ouviram? Cuba é um país lindo, cheio de pessoas boas, crianças assim tão legais que nem vocês dois e lugares lindos para conhecer. Eu sinto muito falta de lá, muito mesmo.

- Mas você vai ficar aqui com a gente, não vai? Aqui nos Estados Unidos - Logan perguntou com os olhos arregalados e eu o tranquilizei, puxando os dois para um abraço apertado.

- Vou. Até vocês ficarem bem grandinhos e não precisarem mais de mim - os dois se soltaram e eu depositei um beijo estalado na testa de cada um - Então, o que vocês querem fazer hoje?

- Nemo! - Liam sugeriu e o mais velho deu gritinhos de empolgação, pela primeira vez concordando.

- Boa! Vão lá pegar o DVD que eu vou fazer pipoca - os dois correram até o quarto e eu me levantei bem na hora que meu celular tocou na mochila. Sorri ao ver que era a Ally.

LIGAÇÃO ON

Fala, Allycat!

- Mila! Hoje eu estou de folga e vi que está tendo uma feira de adoção de animais a dois quarteirões daqui! O que acha de ir comigo lá escolher o nosso gatinho?

- Esqueceu que eu to trabalhando? - ri, procurando pela cozinha onde estava o pacote de milho.

- Ué, não seja por isso, leve os pequenos!

- Meu Deus, Ally, é uma ótima ideia! Eles vão adorar!

- Perfeito! Passo ai em 10 minutos.

LIGAÇÃO OFF

- Meninos, mudança de planos!

 

P.O.V Lauren

- Eu não estou acreditando nisso, Lauren - Veronica bufou, checando o relógio pela milésima vez naquela hora - Quem esses caras acham que eu sou, uma desocupada?!

- Deve ter acontecido alguma coisa - falei, tentando acalmar minha chefe mas eu confesso que minha paciência também já tinha se esgotado. A empresa de luminárias que tinha marcado com a gente hoje simplesmente não apareceu, e já estávamos lá plantadas esperando a quase duas horas.

- Eu estou pagando caro, Lauren! Eles deveriam ter um plano B para caso acontecesse alguma coisa, e não deixar o cliente sem nem mesmo uma explicação! - gritou e eu me calei, porque ela tinha razão - Chega, eu vou embora - levantou bruscamente, pegando sua bolsa em cima da mesa e eu a segui.

- E o que eu digo se eles chegarem?

- Você não diz nada porque você também está indo embora - me puxou pelo braço - Amanhã a gente liga para a outra empresa e contrata eles. Agora aproveita para passar a tarde com seus filhos, ir na praia, sei lá. A gente se fala mais tarde, tchauzinho - acenou, entrando no seu Audi e partiu a toda velocidade.

Confesso que não pude deixar de ficar contente com aquele imprevisto, já que eu estava morrendo de saudades de ficar com os meninos. Nos últimos dias eu chegava em casa, jantava com eles e já os colocava na cama.

Fiz o que Veronica mandou e entrei no meu carro, que estava estacionado ali perto e segui para casa, parando apenas por alguns minutos na padaria favorita do Logan para pegar uma caixa de cupcakes para a sobremesa do jantar.

- Meninos, Camila, cheguei! - anunciei, tirando meus saltos, e como não recebi nenhuma resposta nos segundos seguintes, estranhei - Meninos?

Andei até a sala e nenhum sinal deles, porém as mochilas e lancheiras que eles levavam para a escola estavam jogadas no sofá. Segui para o quarto dos dois, o meu e até os banheiros e nada. Disquei o número de Camila no meu celular com os dedos trêmulos e o coração acelerado só para ouvir o que eu tanto temia: caixa postal.

E foi ai que eu entrei em pânico.

 

P.O.V Camila

- Uau, meninos, olha quantos bichinhos! - Ally, que segurava a mão dos dois, pulou de empolgação ao entrar na feira, parecendo mais criança do que as verdadeiras crianças ali. No momento em que ela conheceu eles, se apaixonou. Ela era assim com todo tipo de criatura indefesa, de bebês até idosos.

- Olha aquele coelhinho! - Liam cutucou seu braço para que visse o coelho marrom que devorava uma cenoura com o dobro do seu tamanho e eu comecei a me sentir totalmente excluída do trio. Mas não, não era ciúmes. Até parece que Camila Cabello é ciumenta.

- Ally, só não esqueça que nós não podemos demorar.

- Relaxa, Camila, vai ser rápido - e correu, puxando os dois meninos ao avistar a seção dos gatos. Rolei os olhos e fui atrás deles.

Lá, algumas crianças se acumulavam ao redor das gaiolas grandes com uns seis gatos em cada uma. Não pude deixar de abrir um sorriso bobo ao vê-los. Eram todos lindos e eu adotaria todos se pudesse. Nenhum bichinho merece viver sem um lar e uma família.

- Nós vamos querer um macho ou uma fêmea? - Ally se virou para mim, me despertando - O voluntário falou que todos são castrados, e Nutella é um nome unissex.

- Fêmea, com certeza. Quer dizer, macho! Ai Ally, eu não sei! São todos tão fofos - me derreti - Olha essa coisinha linda - estiquei meu braço para dentro da gaiola, alcançando uma bolinha de pelo preta com grandes olhos.

- Esse dai é um macho - o mesmo voluntário que tinha falado com a Ally disse - Tem cerca de 3 anos.

- Ai Camila, mas eu queria tanto essa, olha - minha amiga me mostrou o gato que ela segurava - Ela é perfeita, da cor de uma nutella! E ela não tem um olhinho, se deixarmos ela aqui ninguém vai adotar.

- Por que vocês não levam os dois? - Logan perguntou, enquanto acariciava o rabo da gata marrom.

- Não, não...as outras meninas nos matariam e... - olhei para Ally, buscando apoio, mas ela mordeu o lábio inferior, encarando o chão - Ai meu Deus...você quer levar os dois, não é?

- Ai Mila, como vamos deixar um deles aqui? Eles já são meus filhos - os apertou - Sem falar que eu vou ser a pessoa que mais vou cuidar deles, então Dinah e Normani não podem reclamar.

- Eu não sei...

- Eles podem fazer companhia um para o outro e brincar juntos - Liam falou, me encarando com um olhar pidão e eu não resisti.

- Tá bom, vocês me convenceram! - revirei os olhos, rindo - Mas depois não venha choramingar dizendo que é trabalho demais.

- Fechado! - a baixinha comemorou com os meninos - Agora o nosso machinho precisa de um nome.

- Lilo! - Liam gritou, como se tivesse tido a melhor ideia do mundo.

- Lilo? - franzi as sobrancelhas.

- É, Li de Liam e Lo de Logan! Lilo! Assim ele vai sempre lembrar da gente.

- Essa é uma ótima ideia! Você é o maior escolhedor de nomes de gatos que existe! - minha amiga abaixou a mão para dar um hi-5 nele - Perfeito! Mila, tira uma foto deles com seu celular para mandar para as meninas.

- Meu celular descarregou no caminho pra cá. Quando elas chegarem em casa você mostra, Ally. Agora a gente tem que ir porque daqui a pouco a Lauren vai chegar em casa e eu não quero deixa-la preocupada.


Notas Finais


Se preparem para odiar a Ashlee...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...