História Kamigami ni Kakushi: Alpha 01 - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 15
Palavras 1.436
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bom esse é o inicio do capítulo 2, bem não tenho muito a falar sobre ele :3
Só uma curiosidade, nós que fazemos a história acontecer, meio que criamos personagens que chamamos de fictícios, e outros que criamos como se fossemos nós no universo de KnK, bem é só isso mesmo. :P

Capítulo 6 - Cap 2 - O garoto que possuía o dessains Parte 1


Capitulo 2:  O garoto que possuía o dessains

Narrativa: Jeneshisu

-Tudo bem voltei- Tayo disse

-Beleza Tayo, acho que está na minha hora de contar essa história desse
ponto em diante.

-Tá bom, né. Conta aí Jen- Tayo respondeu

-Só uma perguntinha antes de você começar; tudo o que ele disse, é verdade?

-Sim, é verdade a maior parte, só algumas partes que eu não tenho certeza, pois não estava presente- eu respondi-. Bem, o Tayo parou de contar quando compramos o reydals, né?  Então...

Nós ficamos a maior parte do tempo vislumbrando aquela cidade, nunca havíamos visto uma tão grande daquele jeito; já que ficamos a maior parte do tempo vendo a cidade, esquecemos de comprar os móveis, se bem que ainda conseguimos comprar alguns, mas, ainda faltavam vários e-

-Só mais uma pergunta, quando que vocês conheceram o Zedaéd?

-Bem eu ia falar sobre isso agora, porque nós o conhecemos logo no primeiro dia em que nos mudamos, traduzindo, exatamente o momento que iria contar agora, antes de qualquer coisa, mais alguma pergunta? - eu respondi

-Não.

-Então, voltando...

Estávamos voltando pra casa sem comprar mobília, quando nos deparamos com um garoto com aparentemente com a mesma idade do Tayo, caído dentro de nossa casa perto da porta, mas fiquei um pouco surpreso pois não havia sinal de que nada tinha sido arrombado, ele estava desacordado e cheio de feridas, mas não havia motivo pra isso, porque não havia sinal algum de luta ou de qualquer coisa que poderia ter causado aquilo, mas no momento quase não reparamos nisso, nós fomos logo ajudá-lo, mas, depois de tratarmos dele,  como ja era de noite, eu e o Tayo o deixamos ele no unico quarto que tinha uma cama, e fomos para os outros quartos...

-Alguma pergunta? -Eu disse

-Sim, você disse que na casa haviam 4 cômodos em cima e 5 embaixo, quantos quartos eram? E aonde ficavam?

-Eram 4 quartos, e ficavam todos em cima... Aí, Tayo, já que você não tá mais fazendo nada, pega um copo d’água lá pra mim?

-Pega um refrí lá pra mim também Tayo? Por favor? – Disse Zed

-Tá bom, Já tô indo.

-Então, onde que eu tava mesmo? Ah! Lembrei...

Daí a gente foi para os outros quartos, nós dormimos, maa com um pouco de receio,  pois o garoto poderia desaparecer, ou alguma outra coisa acontecer; então quando acordamos, pelo menos eu acordei, né-

-É, mas quem foi que cuidou dele a maior parte do tempo, e foi dormir depois de você?

-Pior que é verdade o que você disse, mas mesmo você indo dormir depois de mim,  que por acaso fui dormir meia-noite, isso não é desculpa para ficar com preguiça de acordar 10 da manhã. E vê se deixa eu contar, eu não fiz isso quando você tava contando. Então...

Depois que eu acordei, eu percebi, que o garoto não estava mais na cama onde o deixamos, então eu desci, e vi que uma parte da casa estava toda mobiliada, achei bem estranho, mas continuei procurando pela casa, e não encontrei nada, então acordei o Tayo para ele me ajudar a procurar o garoto fora da casa, já que como já foi dito, nossa casa é um pouco afastada da cidade, e somente nosso jardim é plano, depois de um certo ponto só se vê árvores e outras plantas, eu achei que seria difícil acha-lo, mas lá estava ele, sentado no galho da arvore que ficava próxima à varanda do quarto que havia ficado vazio, nos esperando, quando o garoto nos viu, ele disse:

-Então vocês finalmente acordaram! Estão com fome? Eu preparei um almoço meio básico, eu fiz arroz, feijão, e frango assado. Além disso, prazer em lhes conhecer Tayo e Jeneshisu, meu nome é Zedaéd Jestsek mas pode me chamar de Zed.

-Frango!? Assado!!? - foi o que o Tayo disse; um pouco previsível, eu diria

-Mas por quê? Nós nem te ajudamos tanto assim. - eu respondi

-Foi o meu jeito de agradecer, por terem cuidado de mim, então comprei toda a mobília que faltava para a casa de vocês. – Zed respondeu

-Pera aí, com o seu dinheiro? E você ainda não explicou como você foi parar naquele estado.

-Sim, com o meu dinheiro, meio obvio não? Mas, a partir do momento que vocês me ajudaram, eu e meu Alpha sabíamos que podíamos confiar em vocês e-

Naquele momento Tayo subiu na árvore e fez uma cara uma cara um pouco estranha, e disse:

-Ei, o que é isso no seu olho direito, é uma lente de contato?

-Nope, pra falar a verdade isso é meu olho mesmo, ele sempre foi assim desde que eu nasci, se bem que eu não faço a menor idéia de onde eu nasci - ele disse com um sorriso bem despreocupado

Foi aí que eu percebi que o olho dele era, digamos, um pouco estranho, porque né, ninguém tem um olho preto com um tipo de  hélice vermelha sei lá (mas vou chamar assim mesmo) e a pupila vermelha com uma hélice preta. Foi aí que eu perguntei se ele sabia porque ele era assim, mas ele respondeu:

-Nem mesmo eu sei porque, só sei que se chama “dessains”, mas ele não costumava ser assim, até um tempo atrás ele, em vez de ter as hélices era uma linha azul claro que cortava o meio horizontal do meu olho e pupila era um losango azul escuro, agora porque mudou eu também não sei.

-De onde que você ouviu “dessains”, ou foi você que deu esse nome? E por que você sabe tanto sobre as características dele antes? – Tayo perguntou

-Ah! Bom, desde pequeno eu era curioso sobre meu olho, então, eu meio que decorei como ele era. Já o nome, isso foi meu alpha que me disse, acho que foi logo depois que eu percebi que meu olho era assim -

Não entendo o porquê dele sempre ter uma cara tão despreocupada, sei lá, eu ainda acho um pouco estranho isso, mas depois desse tempo quem não acaba se acostumando, né. Mas ele simplesmente disse isso:

-Aí, só pra constar, eu acho que a comida vai esfriar-

-Pera aí, foi você mesmo que fez?  - eu perguntei

-Sim. Eu tenho o costume de acordar cedo, então fui até a cidade mais próxima e comprei algumas coisas, com o meu dinheiro é claro, e cozinhei um pouco, pode parecer que não, mas, eu diria que sou bom nas tarefas domésticas, só não sou melhor que uma pessoa. – ele disse olhando para cima, com um rosto sorridente – Só mais uma pergunta, que cidade essa? - ele disse apontando para Frigten

-É Frigten, por que? – eu respondi

-Ah! Então quer dizer que aconteceu de novo? - ele disse; sem perder o jeito despreocupado

Então ele desceu da árvore e algo estranho aconteceu, primeiro, ele ficou sério; segundo, o dessains dele que era só no olho direito certo? Também estava no olho esquerdo dele, as hélices preta e vermelha que estavam no iris e na pupila começaram a girar, apareceram linhas azuis que vinham de traz da orelha dele e iam até mais ou menos o centro da bochecha que depois subiam e passavam pelos olhos e acabavam na testa, e ainda apareceram linhas vermelhas no corpo dele como se fosse um boneco de palito, só não tinham na cabeça dele, e ele não ficou totalmente vermelho, porque se ficasse ia ser muito engraçado, convenhamos, mas voltando, em uma fração de segundo, ele simplesmente sumiu, não havia mais sinal dele, nem era mais possível detectar seu alpha, que eu não havia ressaltado esse ponto, o poder alpha dele já era grande, era aproximadamente igual ao do Tayo e meu que querendo ou não já eram considerados bem grandes pra nós daquela idade, mas impressionantemente quando aquilo aconteceu pelo curto período de tempo que ele ainda estava ali, seu alpha simplesmente estava como eu poderia dizer, 2 vezes mais poderoso, você diria que é bem apelão não é?

-Sim, muito.            

-Mas naquele tempo ele não conseguia segurar o que nós chamamos de “dessains ativo” por muito tempo, mas você só vai ver o que acontece um pouco mais pra frente.

-Quanta maldade, vão me deixar na mão agora?

-Eu não posso pular partes, então...

Eu fiquei um pouco assustado, porque ninguém nunca havia desaparecido de repente na minha frente daquele jeito, eu fiquei me perguntando o que havia acabado de acontecer, o que era aquilo, se era real ou não, acho que fiquei parado olhando pro nada e me perguntando por um minuto, até que ouço um certo alguém me chamando:


Notas Finais


Bom sobre a frequência de postagem, eu vou diminuir ela um pouco, vou postar as parte 1 dia sim outro dia não, o máximo de espaço de tempo que eu gostaria é de até dois dias sem postar, se passar disso é que deu algum erro no site ou aconteceu alguma coisa, bom é só isso mermo. :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...