História Kamigami ni Kakushi: Alpha 01 - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 11
Palavras 1.349
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Simplesmente depois de sábado não estava mais conseguindo postar nenhum capítulo ;-;

Capítulo 7 - Como tudo começou Parte Final


-Mas você não disse que haviam mais de 200 crateras, mas você não falou de nenhuma.

-Você realmente acha que eu e ele acertaríamos tudo de primeira?

-Não.

-Está aí sua resposta. Mais nada à perguntar? Então continuemos. Depois disso...

Ficamos descansando em uma sombra de uma árvore, pensando em como seria a nossa casa, até aquela época quase não havíamos pego em dinheiro, então não sabíamos que ele valia bem mais do que imaginávamos, achávamos que seria uma casa pequena de mais-ou-menos 2 ou 3 cômodos, mas mós erramos feio, era e ainda é uma casa bem grande, ao chegarmos na casa não acreditávamos que era aquela que estava diante os nossos olhos, mas quando chegamos vimos que havia alguém esperando por nós na varanda, ele tinha a aparência de um homem de aproximadamente 30 e poucos anos, com cabelos grisalhos, nos perguntou:

-Vocês que são Tâyo e Jeneshisu?

-Sim, nós somos- eu e o Jen respondemos

-Vamos, entrem para conhecer a casa! Eu estava à sua espera, Fríssen disse que vocês viriam!

Eu pensei: “Então esse é o verdadeiro nome do mestre”; e tenho certeza que o Jen pensou o mesmo. Mas a casa realmente nos surpreendeu pelo seu tamanho, ele tinha 5 cômodos embaixo e 4 encima, além de um banheiro em cada piso, só que o único problema era que tinha pouca mobília então tínhamos que comprá-la, mesmo assim pagamos o senhor que estava nos vendendo a casa, para irmos à cidade o mais rápido o possível, mas, antes disso, eu perguntei a o homem:

-Você já sabia os nossos nomes, mas nós não sabemos o seu, eu também gostaria de agradecê-lo

-O meu nome é Sendif, muito prazer, e muito obrigado, porque eu estava realmente precisando de dinheiro nesse momento difícil em minha vida; agora eu tenho um compromisso super importante, tchau garotos!

Depois disso, nós fomos à cidade para comprar a mobília que estava faltando na casa, e aproveitar para conhecer a nova cidade onde começávamos a viver-

-Eu gostaria de saber como era Frigten naquela época; porque a primeira vez que eu fui lá, foi bem recentemente não faz nem 1 mês, eu acho. Então, como era a cidade e qual a reação de vocês ao vê-la?

-Tipo, nós ficamos extremamente... como eu poderia dizer? Surpresos porque nunca havíamos visto uma cidade daquele tamanho, havia várias lojas, prédios, monumentos, lanchonetes, restaurantes e outras coisas...

... Nós estávamos tão maravilhados por aquela cidade, que nós sem querer acabamos nos perdendo, quando percebemos isso o Jen disse que nós estávamos ali para passear então precisávamos aproveitar a cidade por completo, nós passamos por vários bairros bonitos e chamativos, com casas muito grandes, e ruas muito decoradas, mas, também passamos por alguns lugares mais pobres da cidade, com casinhas, ruas e pessoas mais simples, nós acabamos nos identificando com aqueles lugares, pois a família do Jen nunca foi rica e essas coisas, nesses lugares também conhecemos pessoas que mantemos amizade até hoje e-

-Pera! Pera! Pera! Então foi em um desses lugares que vocês conheceram o Zed não é? Eu sei que acertei na mosca!

-Pra falar a verdade, você errou bem feio agora, nós conhecemos o Zed nesse mesmo dia, mas muitas coisas aconteceram antes de nós conhecermos ele, muitas coisas mesmo. Mais alguma pergunta nesse momento?

-Não agora, mais daqui a pouco eu já não tenho certeza.

-Tá bom né. Retornando à história...

Eu tava falando sobre... Lembrei, nós continuamos andando para ver se nós conseguíamos achar uma maneira de voltar ao centro da cidade, e acabamos parando em um ferro velho, que estranhamente era bem próximo de nossa casa, onde encontramos um senhor que aparentava ter seus 50 e poucos anos, que também era um pouco estranho, pois era como se nós já o conhecêssemos a muito tempo, nós nem percebemos e passamos mais ou menos 1 hora e meia conversando com ele, só me lembro que no final ele nos disse:

-Tomem cuidado com os monstros que habitam nessa floresta.

-Por que? -eu perguntei

-Porque você me pergunta, mas no fundo já sabe a resposta. E com isso desapareço; em meio a um gás negro e espesso.

-Ei! Espere, como assim nós já sabemos? E quem é você? -Jen pergunta

-Eu sou aquele que tudo vê, aquele que poucos conhecem, mas todos querem ser. – ele respondeu

E em meio a uma névoa bem densa, ele desapareceu como se fosse uma ilusão ou já fizesse parte do ambiente, mas por alguns anos nós não nos deparamos com ele novamente, então por um tempo não fazíamos ideia de quem era-

-Você poderia nos contar agora? Eu acho que fiquei um pouco curioso sobre isso sabe.

-Nope, 100% negado, só mais pra gente na história, porque se não perderia toda a graça. E vê se para de me atrapalhar no meio, dexa eu acabar, cê vai deixa eu continuar agora?

-Vai lá, vai.

-Tá bom, voltando novamente à história...

Depois disso nós andamos um pouco, e não sei como, voltamos ao centro da cidade, e em vez de irmos comprar os móveis e tal, nós continuamos a explorar a cidade, e como tínhamos um pouco de dinheiro conosco, tipo uns 2.000 tofs algo assim, nós aproveitamos e fomos comprar algumas coisas tipo, entramos em várias lojas, e em uma delas nós compramos esses “Reydals”; você tem alguma pergunta? Poruqe agora é a hora.

-Sim, o que exatamente são “Reydals”?

-São esses relógios nos nossos pulsos, e que cobrem os nossos braços.

-Então só servem pra ver a hora né, achei que era alguma coisas mais Legal.

-Aí que você se engana, se ele serve só pra isso, porque ele cobre o nosso braço?

-Não sei; enfeite?

-Nope, ele também funciona para nos comunicarmos, ele tem mapas, mais precisamente, tem GPS, acesso à Internet, tem memória de 1Tb, 8gb de RAM, tem minhas músicas, tem um fone de ouvido, que é absurdo, ele também tem uma bateria que funciona a base de energia solar ou alpha, e a melhor utilidade dele é que dá pra ver a quantidade de alpha que você tem, o limite do seu alpha, quanto tempo demora pra você poder usar uma habilidade de novo, e é totalmente personalizável, e a cor da barra de alpha varia de acordo com a cor do próprio alpha, e dá para guardar os núcleos nestsek, acho que ainda tem mais, mas não quero parecer um vendedor, ainda mais do que já estou parecendo, então, o que você achou?

-Bom, acho que fiquei interessado, como faço para conseguir um desses?

-Como eu já disse, ele funciona com energia solar e alpha, mas isso é apenas um fato, o maior “X” da questão é que simplesmente quase todas as funcionalidades do reydal são concentradas no alpha, e dessa vez eu é que te faço uma pergunta, você tem o suficiente para pelo menos usar algumas habilidades?

-Talvez eu tenha pra três ou quatro, já é o suficiente? E ainda fabricam esses reydals?

-Sim, já é o suficiente, quanto à se ainda fabricam os reydals, não é bem assim que funciona, você tem que ir à Frigten e entrar em um prédio onde na fachada está escrito RD, ele fica ao lado da loja de roupas “Suli Rosdra”-

-Você está falando da “RD” a famosa marca de celulares, sério que eles fazem isso? E tem mais alguma coisa que eu precisaria fazer?

-Sim, eles fazem, e você não pode dizer que está procurando um reydal, você tem que falar com a atendente e dizer que está interessado em comprar um relógio de braço.

-Mais uma pergunta agora, como vocês descobriram isso?

-Eu não disse que acabamos fazendo amigos enquanto passeávamos pela cidade, um deles nos contou sobre isso, e nos lembramos sobre isso quando passamos na frente da “RD” e ficamos um pouco interessados nesse tal de reydal, então compramos 2, se bem que depois nós voltamos para comprar um para o Zed, mas isso é história pra outra hora, agora eu vou ali tomar uma água pra molhar a garganta. E eu volto daqui a pouco.


Notas Finais


Essa é a parte final do capítulo I, eu realmente sinto muito por não ter postado nada, mas realmente não estava conseguindo, ficava dando erro ;-;
Bom arrumei, eu tinha colado 2 vezes sem queres (bicho burro do demônio)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...