História Keep On Kissing - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O, Personagens Originais
Tags ~chae-rin, Chanyeol, Exo, Kyungsoo
Exibições 207
Palavras 2.886
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi pessoal ><

Tudo bom com vocês?

Bem, depois de ler os comentários eu senti que deveria ter pelo menos uma continuação para mostrar se KyungSoo conseguiu ou não passar no vestibular. Aproveitei que a ideia estava fresquinha na minha cabeça e escrevi esse capítulo bônus.

Quero agradecer a Jess, minha beta linda, por me ajudar novamente ><

Perdoem-me pela capa de capítulo estranha, foi uma tentativa de aprender a fazer capas askjahsash

Para todos aqueles que estão enfrentando período de vestibulares, provas, correndo com os estudos de forma árdua, eu desejo tudo o que há de bom! Uma boa sorte, estou mandando minhas energias daqui \o/

Uma boa leitura, espero que gostem <3

Capítulo 2 - Capítulo Bônus - Relaxa, Chanyeol...


Fanfic / Fanfiction Keep On Kissing - Capítulo 2 - Capítulo Bônus - Relaxa, Chanyeol...

 

Era a terceira vez que KyungSoo acessava o portal do aluno da universidade para poder checar sua nota bimestral, a que iria decidir se ele precisaria estudar que nem um condenado para o próximo bimestre ou relaxar mais um pouco. Não era algo que mudaria tanto as coisas, já que mesmo com ele tirando uma nota boa, acabaria estudando arduamente.  Se existe uma coisa que KyungSoo não aceita é tirar uma nota baixa, seja em qualquer matéria.

O nervosismo em relação a sua nota o fez lembrar-se de um momento em especial, há um ano quando esperava o email da universidade que hoje estuda para saber se havia passado ou não no vestibular. Aquela tarde começou cheia de nervosismo e por causa de Chanyeol, seu melhor amigo, terminou da melhor forma possível.

Além de receber o email informando que havia passado no vestibular, KyungSoo havia beijado Chanyeol por um bom tempo. Mesmo não querendo admitir, havia gostado de sentir os lábios junto aos seus e em seu interior, desejava isso. Entretanto, depois daquele beijo as coisas não mudaram tão drasticamente. Os dois não passaram a agir apaixonados um com o outro, na verdade, foi o contrário.

É óbvio que teve um tempo com os dois se sentindo envergonhados e confusos, principalmente com medo de perder a amizade que tinham, porém, o clima estranho que rondava os dois acabou quando Luhan, um colega de classe chinês, deu uma festa para todos do terceiro ano do Ensino Médio. Era como se fosse uma despedida, pois, muitos da sala não se veriam mais com frequência e o rapaz queria que isso mudasse, resolvendo assim, reunir mais o pessoal.

Naquela noite, Chanyeol e KyungSoo acabaram bebendo demais. Enquanto dançavam, esqueceram completamente do clima entre os dois e enquanto mais bebiam, pareciam ter mais coragem, o que rendia em dançar agarrados no meio da pista de dança improvisada na casa do rico Luhan.

Dançar agarradinhos rendeu em uma vontade enorme de se beijarem e Chanyeol – o mais corajoso entre os dois – acabou propondo algo interessante:

— Ei, hyung. Seria ótimo se pudéssemos nos beijar quando quiséssemos, não é?

— Como assim?

— Nos beijarmos quando quiséssemos, sem rótulos, sem perder nossa amizade. O que acha?

— A-acho ótimo.

Entre um gaguejar e outro, KyungSoo concordou com essa ideia. Depois de se beijarem praticamente o restante da noite toda, isso durou por bastante tempo mais especificamente, estava durando um ano desse jeito.

Desde que saíram do colegial e a partir do momento em que estavam na universidade, quando não tinham a quem encontrar e beijar, quando se sentiam solitários ou até mesmo quando apenas sentiam vontade de se beijar, os dois amigos se beijavam.

KyungSoo começou confortável com isso, entretanto, conforme mais beijava Park Chanyeol, mais sentia que estava se apaixonando por ele. E ele sentia medo de esse sentimento crescer cada vez mais e acabar atrapalhando sua relação com o amigo.

Com um grande suspiro, encarou a tela do notebook e deixou-o sobre a escrivaninha. Pegou o celular ao lado do computador e deitou-se na cama para assim desbloquear a tela do aparelho e perceber algumas mensagens no aplicativo Kakao Talk.

Era de Chanyeol, quem lhe perguntava o que estava fazendo.

 

KyungSoo:

“Esperando minha nota ser lançada no portal.”

 

ChanYeol:

“De novo se preocupando com isso?”

 

KyungSoo revirou os olhos e não respondeu Chanyeol. Deixou o celular sobre sua barriga e ficou encarando o teto, acabando por ser surpreendido quando seu celular começou a tocar e o nome de seu melhor amigo brilhava no visor.

Atendeu a ligação, logo ouvindo a voz do outro.

— Hyung, vem abrir a porta de seu apartamento. — Chanyeol disse surpreendendo o rapaz, que se levantou e correu para a sala, parando em frente a porta e olhando pelo olho mágico, de onde pode ver que ele realmente estava ali.

Desde que entraram na universidade, os dois saíram da casa dos pais. Chanyeol dividia apartamento com Sehun, pois estudavam na mesma universidade e decidiram dividir os custos. Já KyungSoo, havia ganhado de presente de seu pai um apartamento e morava sozinho. Havia chamado seu melhor amigo para morar consigo, porém, por alguma razão, a qual ele não quis explicar, negou a proposta.

 

— Não acredito. — KyungSoo comentou e encerrou a ligação. Abriu a porta e então, Chanyeol entrou trazendo consigo uma mochila nas costas e duas sacolas nas mãos. — Chanyeol!

— Eu sabia que iria ficar com essa sua preocupação desnecessária sobre suas notas e é por isso que decidi que vou dormir aqui hoje. — falou ignorando a expressão de reprovação de KyungSoo.

— Não é preocupação desnecessária! — resmungou em resposta seguindo o amigo que deixou a mochila sobre o sofá da sala e as sacolas na mesa da cozinha. Chanyeol voltou para a sala junto a KyungSoo e riu baixinho.

— É sim, porque você sempre se sai bem em tudo, hyung. Mas, como você parece não enxergar isso, meu trabalho é fazer você se distrair enquanto espera a nota ser lançada. Peguei alguns DVD’s para assistirmos. Na verdade eles são do Sehun, mas ele não vai sentir falta por hoje. — comentou caminhando até a mochila, abrindo-a e tirando de lá os DVD’s. Ergueu-os no ar e KyungSoo tentou sorrir, porém, ainda estava nervoso. Mas, ele não estava mais tão nervoso por causa das notas, agora era por causa de seu melhor amigo.

Com Chanyeol ali, o fazia lembrar-se de como se beijavam às vezes, de como ele sempre lhe parecia bonito e atraente como no  momento. E de como seu coração estava animado por causa de sua presença.

— Hyung — quando percebeu, Chanyeol estava em frente a si. — Relaxa. — apertou os ombros do mais baixo e rapidamente selou os lábios ao dele, encaixando-os de maneira rápida, mas calorosa. Ao se afastar, o maior sorriu e apertou a bochecha do mais velho, que resmungou alguns xingamentos somente para esconder a expressão totalmente boba e apaixonada por causa de um simples selar de lábios.

— Tudo bem, eu vou relaxar. — KyungSoo falou e se sentou no sofá. — Podemos assistir o filme então.

— Eu trouxe muitas coisas para comermos. — Chanyeol falou animado caminhando para a cozinha — Vem me ajudar a preparar hyung!

Depois de se levantar, KyungSoo foi até a cozinha onde Chanyeol animadamente tirava o que tinha comprado das sacolas.

 

ღღღ

 

KyungSoo havia colocado a torta de frango que tinham preparado no forno e junto ao maior, estavam lavando as louças e arrumando, principalmente, a bagunça que tinham feito na cozinha. Ficar assim com Chanyeol o fazia ficar se perguntando como seria morar com seu melhor amigo e por isso, sem perceber, acabou perguntando o que vinha lhe deixando curioso há muito tempo:

— Ei, Chanyeol. Por que você não quis morar comigo quando te fiz a proposta? — o mais novo que secava as louças, parou o que fazia fitou o outro pelo canto dos olhos.

— Ficaria muito longe da minha universidade. — respondeu voltando a organizar as louças.

— É, essa foi a desculpa que deu naquela época, mas eu descobri que tem um ônibus que passa aqui no ponto da esquina e ele vai para a sua universidade. — respondeu um pouco receoso, com medo da resposta. — Então... Qual é o verdadeiro motivo?

Chanyeol ficou em silêncio e KyungSoo, ao perceber isso, desligou a torneira e deu a última panela para ele enxugar.

— Esquece, não quero te forçar a falar. Eu entendo se não quer morar comigo... — falou tentando parecer compreensível, mas, na verdade, estava confuso.

— Hyung, eu... — antes que pudesse terminar de falar, a campainha tocou. KyungSoo enxugou as mãos e deixou Chanyeol na cozinha para ir atender a porta.

Enquanto isso, o maior respirou profundamente e encostou-se a pia, fitando o vazio.

Na sala, KyungSoo verificou quem era pelo olho mágico e se surpreendeu ao ver Jongin, seu colega de classe, parado em frente a sua porta. Abriu-a rapidamente e, ao ver o sorriso do moreno, não conseguiu deixar de sorrir junto.

— Jongin! — o cumprimentou sorrindo.

— Hyung, me desculpe aparecer sem avisar, mas será que eu poderia ficar um pouco aqui? — perguntou apertando a alça de sua mochila com força — A situação em casa está meio complicada.

KyungSoo logo abriu espaço para o moreno entrar, afinal, sabia pelo o que ele passava. Jongin tinha uma família um tanto complicada e depois que fizeram amizade, conversavam sobre isso sempre.

KyungSoo fazia bem a Jongin e por isso, ele sempre o procurava para desabafar.  Até mesmo para fugir de problemas como no momento.

— Entre. Chegou em boa hora, Chanyeol está aqui e nós estávamos esperando uma torta de frango assar para comermos enquanto assistimos a um filme! — o moreno sorriu minimamente, mas, ao deixar a mochila sobre o sofá e ver a de Chanyeol, se acanhou.

— Está mesmo tudo bem se eu ficar aqui? Não quero atrapalhar nada. — KyungSoo negou com a cabeça.

— A-atrapalhar o que? Não se preocupe! Não se acanhe e fique a vontade. Você já é de casa. — o que era verdade, já que Jongin estava direto lá, geralmente para conversarem, estudarem ou fazer trabalhos da faculdade.

Ao terminar de falar, Chanyeol apareceu na sala fitando o rapaz moreno. Sua expressão se tornou séria, pois havia escutado que Jongin era de casa e isso o incomodou.

— Oh, Chanyeol, esse é o Jongin! Você se lembra dele? Apresentei-o quando estávamos na festa de aniversário do Sehun. — falou e assim, Chanyeol assentiu.

— Olá, hyung. Desculpe-me, vou ficar um pouco por aqui, mas não se preocupe, eu logo vou embora. — disse sentando-se ao sofá e então, KyungSoo logo fez o mesmo, começando a conversar com o rapaz.

E Chanyeol... Bem, ele ficou observando e se sentindo terrivelmente incomodado.

 

ღღღ

 

KyungSoo foi puxado para dentro do quarto por Chanyeol quando finalmente parou de falar com Jongin para ir ao banheiro. Chanyeol o empurrou na parede e fechou a porta do quarto, fazendo com que o menor o fitasse confuso.

— O que está fazendo? — resmungou tentando afastá-lo, porém, Chanyeol era mais forte. — Oh, a torta! Eu tenho de tirá-la do forno. — disse lembrando-se — Então, me solte. — falou sério, porém, o maior não se moveu.

— Eu já tirei a torta do forno. Ela já está pronta há minutos, teria percebido isso se não estivesse tão concentrado em conversar com aquele garoto. Tão concentrado em tentar fazê-lo rir. — resmungou.

— Tentando fazê-lo rir? — perguntou.

— É, eu te conheço, hyung. Sei disso por que você faz isso quando vê que eu estou triste por causa de algo. Tenta me fazer rir, mas é tão ruim nisso que chega a ser engraçado. — o menor franziu a testa.

— Ah, me desculpe por isso, por ser tão ruim! — retrucou, suspirando logo após — O Jongin está enfrentando um momento ruim agora, então, eu queria fazê-lo rir. E isso funcionou, talvez ele não me ache tão mal nisso!

— Eu pensei que essa seria a nossa tarde, a nossa noite, não que tivesse um intruso no meio de nossos planos! — KyungSoo arqueou uma sobrancelha e depois tocou nas mãos do maior, as mesmas mãos que o prendiam na parede.

— Tente entender, hum? Quando ele ir embora, podemos aproveitar como sempre fazemos. — respondeu e com um grande suspiro e Chanyeol o deixou ir.

KyungSoo saiu do quarto e seguiu para a sala onde Jongin estava deixando mais uma vez o mais alto para trás.

E isso estava irritando Chanyeol.

 

ღღღ

 

Jongin foi embora por volta das seis horas. Depois que ele recebeu uma ligação de sua mãe, voltou para casa e não deixou de agradecer KyungSoo. Mas o jeito em que ele agradeceu o mais velho deixou Chanyeol mais emburrado ainda.

Jongin o abraçou e com um beijo de despedida na bochecha dele, foi embora.

Depois disso, KyungSoo tomou um banho por estar com calor e ao sair do banheiro, percebeu que Chanyeol estava muito emburrado.

O rapaz estava sentado no sofá, mexendo no celular e ignorando a sua presença na sala.

— Chanyeol, podemos assistir a um filme agora né? — falou, mas não teve resposta. — Chanyeol? — silêncio novamente — Sério, vai me ignorar mesmo? — revirou os olhos e assim caminhou com pressa até o sofá, mas seu pé acabou ficando preso no tapete e acabou tropeçando, caindo sobre o sofá e consequentemente sobre Chanyeol. — Ai!

— Ai, digo eu! — Chanyeol falou em um resmungo. — Você é pesado! — KyungSoo se ajeitou no sofá sentando-se, mas, ainda ficando do lado de Chanyeol e extremamente perto dele.

— Está bravo comigo? — perguntou vendo o outro desviar o olhar e negar com a cabeça. — Não aja como uma criança, Chanyeol.

— Criança? Pelo menos não sou eu quem tropeço em tudo que tem no chão! — resmungou com um grande bico nos lábios fazendo o mais velho rir.

— Está emburrado mesmo. — falou vendo o outro fitá-lo com os olhos semicerrados. Os dois ficaram se fitando até que KyungSoo, como se tivesse algo o puxando para Chanyeol, aproximou os rostos ficando com os lábios próximos em questão de centímetros aos de Chanyeol.

Ele queria beijá-lo, mas, surpreendeu-se quando o maior sentou-se no sofá, o empurrando.

— Por que não vai beijar o Jongin? Ham? — resmungou.

— Chanyeol! Não acredito que vai continuar com isso! — retrucou vendo-o cruzar os braços. Em outra situação acharia-o fofo, mas no momento estava se irritando por isso.

— Vou sim, porque você sabe que eu não gosto desse aí! — falou — Desde quando o vi pela primeira vez!

— Não gosta dele? Jongin não tem nada de errado. É uma boa pessoa, um bom amigo, eu não estou te entendendo, Chanyeol! Por que não gosta dele? — perguntou alterando a voz. Chanyeol então arregalou os olhos e parecendo que ia explodir, falou em voz alta algo que surpreendeu a si mesmo:

— Porque eu gosto de você! — os dois se fitaram surpresos e ficaram em silêncio por um bom tempo até que Chanyeol pigarreou e continuou a falar — E-eu gosto, então, n-não gosto que fiquem te rodeando muito. — falou nervoso.

— G-gosta de mim? — KyungSoo falou. — Como amigo, certo?

— Como amigo também, mas, acho que é... Além disso, hyung. Eu venho tentando fingir que não me sinto diferente em relação a você por um bom tempo, mas, não tem como mais fingir. Eu acho que estou apaixonado por você.  — KyungSoo engoliu em seco e levou uma das mãos ao peitoral, onde seu coração batia forte.

— M-mesmo? — perguntou.

— Sim, essa é uma das razões pela qual neguei sua proposta de morar aqui. Por que eu sabia que se viesse, esse sentimento seria mais difícil de controlar e eu acabaria estragando nossa amizade. Fiquei com medo, entende? Mas, mesmo eu estando tecnicamente longe, esse sentimento continua ficando cada vez mais forte. E-eu preciso de você, hyung. Por favor, não me afaste! — disse nervoso. Fechou os olhos esperando a resposta, literalmente com medo do que ouviria.

KyungSoo se aproximou lentamente do corpo de Chanyeol e tocou no ombro alheio, fazendo-o abrir os olhos. O maior percebeu um pequeno sorriso nos lábios do mais velho e o fitou confuso.

— Relaxa, Chanyeol. — falou em um sussurro — Eu não vou te afastar. Até porque eu também sinto o mesmo por você.

Chanyeol não acreditava no que estava ouvindo, parecia ser um sonho. Entretanto, o toque de KyungSoo em seus ombros denotavam a realidade e por ser real, podia muito bem beijar KyungSoo, o que fez rapidamente.

Tocou o queixo alheio e trouxe o rosto próximo ao seu. Chanyeol tomou os lábios de KyungSoo para si de maneira apaixonada, alucinante. KyungSoo retribuía tentando passar seus sentimentos pelo beijo, mostrar que estava apaixonado e que o desejava mais do que um amigo e, por isso, não demorou muito para ser puxado pelo maior até o colo alheio.

Sentou-se de frente, apoiando suas pernas no sofá ao lado das pernas de Chanyeol e continuou a beijá-lo. Os lábios se entreabriram e abrigaram a língua quentinha do maior, a qual explorava a sua boca, onde não existia nenhuma briga por domínio e sim uma harmonia perfeita.

Chanyeol chegava a pensar que era como se os lábios do mais velho tivessem sido feitos para os seus próprios.

As grandes mãos do mais novo tocaram a cintura alheia prontas para trazer o corpo do mais velho para mais perto do seu. Seu toque era preciso e fazia certa pressão na cintura de KyungSoo, uma sensação que estava apreciando. O ar fez falta e o beijo diminuiu o ritmo e foi se cessando com alguns selinhos estalados e molhados.

Os dois rapazes se fitaram e Chanyeol abriu um sorriso enorme nos lábios. Tocou no rosto de KyungSoo e acariciou a bochecha alheia com seu polegar, ainda o fitando.

— Incrível como suas preocupações sobre notas sempre acabam com você sobre o meu colo hyung. — Chanyeol comentou rindo baixinho.

— E isso é ruim? — KyungSoo perguntou sorrindo de lado.

— Nenhum pouco. Até fico feliz que fique preocupado com suas notas, assim você acaba no meu colo. — confessou fazendo o outro sentir-se instantaneamente envergonhado, pois, ainda se encontrava no colo do maior.

— C-chanyeol, o que acontece agora? — o outro entendeu a pergunta, era obviamente sobre os sentimentos que sentiam.

O maior depositou um beijo na testa do mais velho e sorriu para ele.

— Agora nós ficamos juntos, hyung.

KyungSoo sorriu bobo até que procurou os lábios de Chanyeol para beijá-lo novamente. De qualquer jeito, era o que ele mais queria no momento e era exatamente o que iria fazer. E, dessa vez, não era necessário esconder seus sentimentos, na verdade, era necessário demonstrá-los.

E assim, eles continuariam a se beijar ainda mais...


Notas Finais


E então, o que acharam? Estou muito ansiosa com a opinião de vocês!
Em breve vou voltar com as atualizações das minhas outras fanfics \o

Um beijão para todos e até uma próxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...