História Keeping Promises - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Aro Volturi, Bella Swan, Edward Cullen, Jacob Black, Renesmee Cullen
Tags Amor, Crepusculo, Cullen, Romance, Suspense, Swan, Twilight, Volturi
Exibições 85
Palavras 1.981
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Romance e Novela, Saga, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi!

Capítulo 6 - Família


    Pela janela do quarto em que eu estava dava para ver dois carros estacionando: o preto tradicional de Carlisle e o porsche amarelo de Alice. 
- Lembre-se de respirar, querida. – Disse Carmen, afagando minhas costas. Ao descer as escadas dei de cara com Alice, subindo-a.
- Oh meu Deus! Bella! – Ela gritou e me puxou num abraço sufocante, me rodando no ar. – Eu senti seu cheiro, mas achei que estivesse louca! - Em seguida Esme também apareceu com uma expressão emocionada embora não pudesse chorar e me abraçou forte.
- Sentimos sua falta, meu anjo. – Depois dela vieram Emmett e Carlisle. Rosalie e Jasper ficaram afastados e com expressões chocadas.
- Bella, porque está chorando? – Perguntou Alice. Eu sequer havia notado. Por alguns segundos eu me senti tão querida e amada, que me deixei levar pelas emoções.
- Eu estou feliz de ver vocês. – Eu disse, com toda a sinceridade do meu coração.
- Bella, querida... Edward não está conosco.
- Eu sei. – Disse bem séria. – Eu posso conversar com vocês primeiro, sem problemas.
- O que aconteceu? Você não estaria aqui se não fosse algo grave. – Disse Carlisle. Respirei fundo. Sabia que iria enfrentar a dúvida de novo, mas era necessário.
    Após contar toda a história, mostrar fotos de Nessie e explicar o meu medo, todos ficaram boquiabertos.
- Rene Esme? – Perguntou Alice.
- Eu combinei o nome da minha mãe com o de Esme e deu Renesmee. Juntei o do meu pai com o de Carlisle e ficou Carlie. Renesmee Carlie Swan. – Esme começou a soluçar e me abraçou novamente. Definitivamente, ela estaria aos prantos se pudesse.
- Ele não podia ter feito isso! – Gritou Carlisle, socando o braço do sofá, transformando-o em milhares de pedacinhos. Eu nunca havia visto-o desse jeito, ele sempre foi muito calmo e centrado.
- Isso não condiz com Edward. – Disse Esme. – Estou profundamente decepcionada com meu filho. Nenhuma desculpa no mundo será suficiente para você, Bella. – Vê-la tão sentida estava me matando. Como Edward nunca contou nada para a sua família?
- Deve ser por isso que ele se afastou de todos. – Disse Rosalie, que, para minha surpresa, havia se aproximando e ouvia tudo muito atentamente.
- Sim, agora faz sentido. Ele vivia com tanta culpa, tanta mágoa... eu só não entendo o porquê da fuga. – Disse Emmett.
- Bella, como Esme disse, nenhuma desculpa no mundo será suficiente e eu estou muito envergonhada pelo meu irmão... você nos desculpa? – Perguntou Alice, segurando minhas mãos. Eu não conseguia me segurar e as lágrimas rolaram livremente pela minha bochecha.
- É cla-claro que eu desculpo! Eu a-amo vocês! – Eu disse, em meio a soluços.
- Ela está aqui?
- Quem?
- Renesmee.
- Ela está em um hotel aqui perto, com Jacob.
- Jacob? O lobo? – Perguntou Rosalie, arregalando os olhos.
- Sim. Ele foi o pai dela nesses últimos 3 anos. – Eu disse. Ela abaixou os olhos, talvez por remorso.
- Como Alice nunca a viu? – Indagou Emmett.
- Ela é uma híbrida, Em. Eu só consigo ver aquilo que já fui ou o que sou; humana e vampira. – Respondeu Alice, frustrada.
- Nós queremos conhece-la, Bella. Por favor, nos deixe reparar o erro do meu filho. Ela tem uma família. – Disse Carlisle. Peguei o celular na intenção de pedir para Jacob traze-la e percebi que já eram 23 horas.
- Nossa! Já está tarde, nem senti o tempo passar. Ela provavelmente está dormindo, mas eu prometo que a trarei amanhã de manhã, tudo bem? Eu preciso ir para o hotel agora. – Eu disse. Todos concordaram e se despediram de mim com muitos beijos, abraços e “desculpas”. Até Rosalie me deu uma piscadela.
    Quando cheguei no quarto do hotel, Nessie ressonava tranquilamente na cama. Sentei ao seu lado e a beijei.
- Você tem uma família, meu anjo. Você vai ficar a salvo. – Sei que ela não ouviu, mas eu precisava dizer.
- Bella? – Disse Jacob, me pegando de surpresa. Apontei para irmos até a varanda e ele me seguiu, fechando a porta.
- Ah, Jacob! – Entoei, pulando em seus braços.
- O que houve?
- Os Cullen não sabiam, Edward nunca contou para eles! Todos estão muito decepcionados, mas ao mesmo tempo surpresos e felizes. Eles querem conhece-la, eles vão protege-la! Ela tem uma família, Jake!
- Ela sempre teve, Bella. – Disse Jacob, carrancudo.
- Você me entendeu.
- E ele?
- Ele quem?
- Edward.
- Eu não sei. Carmen disse que ele se isolou muito quando me deixou, não falava com ninguém e vivia numa bolha de tristeza. Ele viaja por contra própria e volta quando quer, não temos como saber quando isso irá acontecer.
- Se ele escondeu dos Cullen, ele vai odiar que você tenha dedurado, né?
- Não sei e não ligo.
- Bella...
- Óbvio que eu ligo, mas já estou 75% tranquila. Amanhã prometi que iríamos lá. Você vai conosco?
- É claro! Eu não confio em vampiro.
- Você tem que entender que em alguns dá para confiar. – Eu disse, dando um tapa em seu braço e ele riu.
- É bom te ver mais calma, Bella. A sua sorte é que você não tem problema de coração.
- Será? Eu desmaiei lá.
- Porque?
- Ao que tudo indica, esqueci de respirar. – Disse baixinho. Jacob soltou sua típica gargalhada estrondosa, um dos meus sons favoritos no mundo todo.
- Só você, Isabella Swan! Vem, vamos descansar. – Segui minha rotina humana e só ao deitar na cama percebi o quanto estava cansada, porém, aliviada.
    Na manhã seguinte, quando acordei, percebi Nessie completamente enroscada em mim. Peguei sua mãozinha e coloquei no meu rosto para saber o que ela estava sonhando. No começo não fazia muito sentido, mas depois eu me vi junto com o Jacob, em um dia parecido com o que o vampiro italiano apareceu. Ela estava escalando uma árvore bem alta... e ela escorregou, mas rapidamente Jacob correu e a pegou. Soltei sua mão e levantei da cama devagar para não acorda-la. Parecia besteira, mas um sonho diz muito e esse me mostrou o quanto ela confia no Jake. Não fui eu que corri para salva-la, e sim, ele.
Olhei o relógio e vi que era uma hora aceitável para visitar outras pessoas, o que é ridículo de se pensar porque vampiros não dormem.
- Nessie? Acorda, meu bem. – A sacudi gentilmente enquanto tirava o cabelo de seu rosto. Ela resmungou um pouquinho, mas se sentou.
- Oi mamãe. Como foi ontem? – A levei para o banho e fui contando aos pouquinhos o que aconteceu, afinal, ela só tem três anos.
- Eu tenho uma família? – Perguntou Nessie, com os seus olhinhos brilhando enquanto eu a vestia.
- Sim! – Ela abriu seu maior e melhor sorriso torto, idêntico ao de Edward, mas de repente o fechou e olhou para o chão. – O que foi meu amor?
- Se papai não contou a eles, ele realmente deve me odiar. – Eu não sabia o que responder, então só a abracei o mais forte que pude.
- Uma coisa de cada vez, meu amor.
    Do hotel até a casa deles eram cerca de 15 minutos. Jacob estava visivelmente tenso e tentava disfarçar sua tremedeira.
- Jake?
- Oi?
- Vai ficar tudo bem, se acalme. – Comecei a afagar seu braço, que pareceu relaxar um pouco. Ele fechou os olhos e me lançou um olhar que eu não consegui compreender, porém era intenso e me prendeu ali por um tempo, até que o GPS apitou. Tínhamos chegado.
    Hoje eu estava muito mais calma e conseguia pensar e agir com clareza. Sai do carro e peguei Nessie no colo, que tinha uma expressão de ansiedade e receio ao mesmo tempo.
- Seja educada, amor.
- Estou com medo, mamãe. – Pensou ela enquanto me tocava.
- Vai dar tudo certo. – Disse Jake, parecendo adivinhar o que ela havia pensado. Antes de chegarmos na porta, Carmen a abriu com o maior sorriso do mundo. Seus olhos só focavam em Nessie, que havia escondido o rosto.
- Sejam bem-vindos!
- Oi, Carmen. – Disse, sorrindo. – Este é Jacob e essa é Renesmee. Diga oi, filha. – Ela tirou timidamente o rostinho do meu ombro e sorriu.
- Olá. – Carmen suspirou e sorriu.
- Podem entrar! Eu estou de saída, mas a casa é de vocês. Tchau Renesmee. – Disse ela, brincando com uma mecha de seu cabelo. Percebi que a sala estava muito mais colorida do que ontem. Haviam balões, uma mesa com um bolo enorme no meio e infinitas caixas de presente no canto do cômodo. Olhei para Jake no mesmo momento em que ele me olhou e eu sabia que ele estava pensando o mesmo que eu: Alice!
- Bella? – A voz de Carlisle me pegou de surpresa e girei para olha-lo. Ele estava descendo cuidadosamente a escada com Esme.
- Oi Carlisle. Desculpa a demora, acordamos tarde.
- Tudo bem, não tem problema! – Disse ele, parando na minha frente e olhando com curiosidade para Nessie. – Eu achei melhor descermos aos poucos para conhece-la. Não queremos assusta-la. – Quando eu iria responde-lo, Nessie me pegou de surpresa, tocando o meu rosto.
- Mamãe, quem são eles?
- São Carlisle e Esme, pais de Edward... seus avós. – Disse baixinho, perto de sua orelha. Eles olharam para mim com curiosidade, sem entender a resposta da pergunta silenciosa. – Diga oi a eles, filha. – Dei uma pequena cutucada nela e ela se virou lentamente e sorriu. Esme começou a soluçar e Carlisle passou um dos braços por sua cintura.
- Oi vovô e vovó. – Sussurrou Nessie, ainda tímida. Esme automaticamente esticou os braços para ela, como um convite. Renesmee hesitou um pouco, se esticou e elas se abraçaram. Eu sonhei tantas vezes em dar a família que ela sempre quis conhecer e agora tinha se tornado realidade... eu mal conseguia acreditar.
    Eles desceram de dois em dois para conhece-la e ela conversou com todos. Contou como havia nascido, mostrou o seu dom e até levantou uma estátua que havia na sala para mostrar como era forte. Claro que isso foi um desafio de Emmett, que já havia virado seu melhor amigo, o que deixou Jacob enciumado.
- Baixinha! Você é forte mesmo, hein! – Disse Emmett, fazendo Renesmee gargalhar e todos suspirarem. Em poucas horas ela já possuía todos os Cullens em suas mãozinhas. Eu e Jacob ficamos no canto da sala apenas observando-a interagir com sua família, e era um show e tanto. Meu celular começou a vibrar repentinamente e vi que era uma mensagem de Jake. Olhei para ele confusa e abri.
Jacob: E agora? A gente faz o que?
Bella: No momento? Nada.
Jacob: Vamos morar no Alasca, então?
Bella: Carlisle disse ontem que gostaria de voltar para Forks.
Jacob: Que ótimo.
Bella: Não seja rabugento. Edward sequer está incluído.
Jacob: É o que torna toda essa situação minimamente confortável.

Revirei os olhos e guardei o celular. No fundo, sei que Jacob também ficou feliz por ela.
    No fim da tarde Renesmee já estava completamente a vontade com todos eles, incluindo Jasper e Rosalie. Aparentemente o ódio da loira por mim não incluía minha filha, pois ela foi a pessoa que mais ficou babando e afagando Nessie. Naquele dia minha bebê já havia ganhado mais presentes do que nesses três anos. Eram roupas, sapatos, brinquedos e acessórios, todos de muito bom gosto. Ao abrir a porta da casa e me sentar na varanda, Jacob me seguiu.
- Ela vai ficar mal-acostumada, hein.
- Eles estão tentando de algum jeito reparar o erro dele.
- Comprando-a?
- Claro que não. Eles nunca deram nada a ela nesses anos, eu entendo o lado deles. – Jake revirou os olhos e eu o ignorei. Os Cullen poderiam muito bem ter me expulsado de lá, mas não, eles se ofereceram para ajudar e já parecem amar minha filha. É muito melhor do que eu esperava. Ela vai ficar bem. 


Notas Finais


Gostaram?!
Comentem aqui o que acharam sempre que puderem, por favor! É extremamente motivador para um escritor :)
Vou tentar postar mais um a noite.
Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...