História Keeping Promises - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Aro Volturi, Bella Swan, Edward Cullen, Jacob Black, Renesmee Cullen
Tags Amor, Crepusculo, Cullen, Romance, Suspense, Swan, Twilight, Volturi
Exibições 45
Palavras 2.177
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Romance e Novela, Saga, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi! Desculpa não postar ontem, mas a tragédia que aconteceu com o time da Chapecoense realmente me deixou sem cabeça pra nada :/

Capítulo 8 - Pequeno Milagre


    Eu não sei quanto tempo durou, mas pareceu uma eternidade. Edward me olhava fixamente com uma careta de dor e eu sequer conseguia me mexer. A primeira pessoa a quebrar o silêncio foi Rosalie.
- Edward! – Sua voz soou furiosa, mas Edward não desviou o olhar. Como um vulto, ela se atirou sobre ele e o jogou no chão. – Como você pôde fazer isso? – Ela gritou, e eles começaram a rolar pelo chão rápido demais para que eu entendesse o que estava acontecendo ali.
- Jasper e Emmett, façam alguma coisa! – Gritou Carlisle. Emmett segurou Rose, mas ninguém precisou segurar Edward porque ele não estava revidando.
- O que está acontecendo? – Disse Edward a Carlisle, enquanto se levantava do chão.
- O que você sabe? – Perguntou Carlisle.
- Só me falaram que vocês resolveram voltar para Forks. – Disse Edward, voltando a olhar para mim.
- Qual a surpresa? – Disse Jacob, se aproximando. Edward lançou um olhar furioso para ele e eu me encolhi.
- O que você está fazendo aqui, cachorro?
- Fazendo o que você deveria ter feito... covarde. – Rosnou Jacob. Edward fechou as mãos em punho, mas segundos depois pareceu relaxar.
- Jasper, eu não vou mata-lo. – Disse Edward. Provavelmente Jasper estava usando seu poder para acalma-lo. A sala ficou silenciosa novamente e Edward se virou para mim, dando alguns passos em minha direção. Eu queria poder correr até ele, mas minha mente não deixava eu me mexer enquanto repetia ele te abandonou grávida.
- Bella? – Ao ouvir sua voz pronunciar meu nome, meu coração, literalmente, doeu. Ele continuou andando em minha direção, até parar a centímetros de mim. Jacob rosnou baixo, mas nós o ignoramos. Ele me olhava como se estivesse com dor.
- Oi. – Eu disse, trêmula. Ele fechou os olhos por uns segundos e depois os abriu lentamente, se virando para Jacob.
- Obrigado. – Disse Edward. O queixo de todo mundo ao redor caiu, mas Jacob começou a rir.
- De nada. – Disse Jake, ironicamente.
- É sério, Jacob. Eu não tenho direito de ficar com raiva ou ciúmes. – Ciúmes? Minha boca se escancarou. – Eu sempre quis o melhor para a Bella e sabia que perto de mim ela sempre se machucaria. Embora pareça o contrário, eu a amo. Então obrigado por ter cuidado dela durante esse tempo. – Todo mundo na sala se entreolhou.
- Não vem com essa de “quis o melhor”. Você a abandonou. – Disse Jacob.
- Eu sabia que ela ficaria a salvo com você.
- Nenhuma criança merece crescer sem pai, mesmo que eu exerça essa função melhor do que você. – Disse Jacob. Edward olhou para ele confuso.
- Jacob, eu não estou lendo a sua mente e nem a de ninguém daqui. Eu treinei muito esse meu botão de on e off nesses anos, então, por favor, me explique porque eu não entendi o que você quis dizer. – Disse Edward, lentamente.
- Então leia a minha. – Disse Jacob, rindo. Edward pareceu se concentrar e fechou os olhos. Tê-lo ali, do meu lado e não poder toca-lo estava me torturando. Eu sentia uma eletricidade correr por todo o meu corpo, principalmente na ponta dos meus dedos. Como eu poderia ainda me sentir assim depois de tudo?
Subitamente, Edward começou a soluçar e caiu de joelhos aos meus pés. Carlisle atravessou a sala e ajoelhou ao seu lado.
- O que foi, Edward?
- E-eu n-não s-s-abia. – Soluçou Edward, com a cabeça apoiada nas mãos. Eu nunca imaginei que vampiros poderiam ficar naquele estado.
- Do que você não sabia? – Perguntou Carlisle, mas Edward o ignorou. Ele estava mergulhado em um completo desespero.
- Jacob, o que você disse a ele? – Perguntei, tentando manter a voz controlada.
- Eu só mostrei os momentos cruciais nesses anos. Você grávida, Renesmee bebê... essas coisas. – Disse Jacob, dando de ombros. Meu Deus. Não... não pode ser verdade. Me ajoelhei ao seu lado e coloquei minhas mãos em seu rosto.
- Edward... você sabia que eu estava grávida, não sabia? – Ele levantou a cabeça e com o olhar mais agoniado que eu já vi, negou. – Como não? Eu mandei uma mensagem para o seu celular antes de você ir embora! Mandei para Alice também!
- Provavelmente já havíamos destruído os aparelhos. Eu sabia que você tentaria nos ligar. – Sussurrou Edward. – Me desculpa, Bella. Me desculpa, eu não sei como posso... – Antes dele terminar, eu me joguei em seus braços e comecei a chorar.
- Eu senti tanto a sua falta. – Eu disse, entre lágrimas. Ele me abraçou em seus braços de ferro, enfiando sua cabeça em meu pescoço. – Eu te amo!
- Como você pode me amar? Eu abandonei você e... Nossa filha.
- Eu não sei, eu só amo, Edward. – Eu disse, apertando-o com toda a força que eu tinha. Para minha surpresa, ele se levantou e me ergueu do chão, pressionando seus lábios nos meus desesperadamente.
- Eu te amo, eu sempre amei e sempre vou amar. – Sussurrou ele, ainda em meus lábios. Após o longo beijo, sua família veio cumprimenta-lo. Olhei para trás e percebi que Jacob não estava mais ali ou em qualquer lugar da sala e meu coração se apertou... Pobre Jake.
    Após todos os reencontros, percebi que o mais importante ainda não havia acontecido.
- Edward, você quer conhece-la?
- É claro! Ela está lá em cima, não é? Eu consigo ouvir seu estranho batimento. – Disse Edward, e com a deixa perfeita, Esme apareceu no alto da escada com ela no colo. Antes que eu pudesse raciocinar, ele me pegou nos braços e voou escada acima, parando em frente a elas. Edward esticou os braços para Renesmee e eu acenei com a cabeça, encorajando-a. Ele a pegou e sorriu.
- Oi Renesmee. – Disse Edward, com os olhos brilhando. Eu nem sabia que os olhos dos vampiros podiam brilhar.
- Oi papai. O senhor vai me querer? – Disse ela, com sua voz infantil. Edward olhou para mim de olhos arregalados.
- Ela só tem três anos? – Disse ele, franzindo o cenho.
- Renesmee é muito especial.
- É claro que é. – Disse Edward, me olhando de um jeito que nunca havia olhado antes. Um misto de devoção, admiração... paixão.
– Óbvio que eu quero você, meu amor. Me desculpe pela ausência, eu jamais iria embora se soubesse que você estava vindo. – Sem dizer nada, Renesmee o abraçou.
- O que é isso? – Disse Edward, sobressaltado.
- O que ela te mostrou? – Perguntei, me aproximando.
- Ela... me mostrou?
- Ela tem um dom contrário ao seu. Ela consegue mostrar seus pensamentos num simples toque. – Eu disse, orgulhosa. Edward abriu o maior sorriso que eu já tinha visto desde que o conheci e recolocou a mãozinha de Renesmee em seu rosto. Por mais que eu tivesse imaginado essa cena, era extremamente emocionante vê-los ali, interagindo, se conhecendo... O meu coração parecia mandar ondas de calor por todo o meu corpo, aquecendo até a extremidade dos meus dedos. Eu estava tão cheia de amor que poderia transbordar.
    Aos poucos Edward foi conversando com sua família, mas não largava Renesmee um segundo sequer. Ele queria que ela mostrasse tudo o que ele havia perdido nesses anos... cada detalhe. Eles se sentaram no sofá, mas ela logo adormeceu.
- Edward? – Eu disse, me sentando ao lado deles. – Você não precisa ficar com ela no colo o tempo todo, pode colocá-la na cama.
- Ela pode dormir nos meus braços essa noite? Por favor, eu não quero solta-la. – Disse Edward, sem tirar os olhos do rosto de Renesmee. – Eu achava que nada poderia me machucar mais do que ficar longe de você, mas vi que estava errado. Eu perdi tantas coisas... o nascimento, seu primeiro aniversário e seus primeiros passos... é algo que eu nunca terei como reparar. Ela é o nosso pequeno milagre. Eu me odeio muito mais do que você me odeia, pode ter certeza.
- Eu não te odeio...
- Como não? Por favor, não diga que me ama. Eu não mereço seu amor, eu não mereço estar com ela aqui. – Sussurrou Edward. Sua culpa era compreensível, mas eu não sabia como ajudar. Eu tentava me colocar no lugar dele, mas não conseguia imaginar tamanha dor.
- Você não sabia, Edward. Não sei como pude pensar que você me deixou por estar grávida.
- Ficou parecendo que esse era o motivo, Bella. Eu não lhe culpo por me achar um canalha. Eu fui. – Disse Edward, voltando a olhar para o rosto de Renesmee. Minha esperança é que, com o tempo, ele consiga se perdoar, pois eu já o perdoei.
    Quando acordei, reparei que não estava mais na sala e sim no quarto de Edward.
- Bom dia! Eu pedi para que Alice te trouxesse para cá, já que eu estava com as mãos ocupadas. – Disse ele, sorrindo e gesticulando para Nessie adormecida em seus braços. Ele esticou a mão para tocar meu rosto com as pontas de seus dedos, descendo-os por toda minha bochecha, deixando um formigamento estranho. Eu fechei os olhos e tentei deixar a sensação tomar conta de mim.
- Ah, Bella... – Sussurrou Edward. – Não teve um dia que eu não pensasse em você. – Por um momento desejei que Renesmee estivesse em outro cômodo para poder me jogar em seus braços, mas não poderia ser egoísta desse jeito.
- Porque você não voltou? – Eu perguntei, ainda de olhos fechados.
- O fato de Jasper ter te machucado... eu não conseguiria viver comigo mesmo se algo te acontecesse por minha causa. Achei que sua vida seria melhor sem mim.
- Achou errado. Muito errado.
- É, eu sei. Eu ainda não acredito que perdi isso. Minha filha... – Disse Edward, beijando sua testa. – É hipocrisia dizer que eu já a amo? Ela é tão bonita, inteligente... ela tem seus olhos!
- Não, não é hipocrisia. – Eu disse, sorrindo. - Sua família não a conhece há muito mais tempo que você.
- Porque você resolveu procura-los depois de tanto tempo? – Hesitei. Ele acabou de conhecer a filha, como vai reagir ao saber que querem toma-la? Renesmee começou a se mexer e abriu os olhos, me dando a escapatória perfeita.
- Oi amor! – Eu disse, mudando de assunto. – Dormiu bem?
- Dormi sim. Oi papai! – Disse ela, dando um beijo na bochecha de Edward, que pareceu se desmanchar.
- Oi filha! O que mais você tem para me contar?
- Opa! Essa mocinha precisa tomar um banho e comer alguma coisa antes. Você poderia fazer isso por mim, Edward? – Perguntei, sabendo que ele iria amar a ideia.
- Claro! Mas... eu não sei o que fazer. – Admitiu ele, envergonhado.
- Nessie, você o ajuda?
- Claro, mamãe. – Ela sorriu.
- Nessie? – Perguntou Edward.
- É o apelido que Jacob deu a ela. Ele vivia reclamando que o nome dela era enorme, então criou esse. – Ao dizer isso, lembrei que Jacob havia ido embora ontem à noite e eu não fazia ideia de como ele estava com isso tudo. Quando todos saíram do quarto, peguei meu celular e disquei seu número. Ele atendeu no primeiro toque.
- Alô?
- Jacob! Eu estava preocupada, não vi você indo embora ontem.
- Você estava muito entretida.
- Jacob...
- Olha, deu tudo certo, ok? Não precisa se preocupar comigo. Parabéns.
– E desligou o telefone. Eu não podia ser egoísta e exigir que ele ficasse ali conosco, mas eu não queria que ele se afastasse e duvido que Renesmee iria gostar. Parecia errado. Jacob esteve do meu lado desde o começo de tudo isso e agora ele simplesmente se foi. Eu não quero ter que escolher entre ele ou Edward, seria injusto.
    Ao sair do quarto dei de cara com Carlisle que, mesmo sorrindo, parecia preocupado.
- Aconteceu alguma coisa? – Sussurrei, mesmo sabendo que era inútil.
- Você contou a Edward?
- Ainda não tive... – Antes que eu pudesse terminar, Edward apareceu no pé da escada.
- Me contou o que? – Eu e Carlisle no entreolhamos. Não sabia o quão verdade era esse tal botão “on e off” que ele disse que aperfeiçoou, então ele poderia estar muito bem lendo a mente de Carlisle. Edward parou na minha frente um segundo depois. – Bella, porque você resolveu procurar minha família depois de tanto tempo?
- Algumas semanas atrás eu estava nos fundos da minha casa, onde dá para uma floresta com Jacob e Renesmee. Estávamos fazendo um piquenique quando um vampiro apareceu. Ele não nos atacou, só ficou encarando a Nessie. Antes dele ir embora, ele gritou em italiano “a mais preciosa” e saiu correndo, então liguei isso aos Volturi. Lembrei de tudo o que você tinha me dito sobre eles e imaginei que Aro iria querer a minha filha, então eu resolvi pedir ajuda. – Eu disse, sem folego. Edward virou de costas para mim e encarou Carlisle, que apenas assentiu com a cabeça. Ele se virou e olhou para mim novamente e seu olhar era tão duro que um arrepio subiu pela minha espinha. Ele caminhou até a janela e a socou, fazendo com que o vidro caísse aos nossos pés.
- Eu vou mata-los. – Rosnou ele.

 

 

 


Notas Finais


Gostaram? Acho que seria uma boa postar esse cap na versão do Ed...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...