História Kidnapped - Sequestrada. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Kylie Jenner
Tags Arma, Bebidas, Briga, Choro, Comedia, Drama, Palavrões, Traição, Violencia
Visualizações 68
Palavras 2.435
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Tudo bem, tudo bem. Eu sei que disse que ia postar só semana que vem, mas eu não aguentei kkkk Espero que gostem.

Capítulo 5 - Niall. Niall Horan.


Fanfic / Fanfiction Kidnapped - Sequestrada. - Capítulo 5 - Niall. Niall Horan.

POV'S Alessa.

 

   Depois de trombar com o cara mais lindo que eu já vi em minha vida, as meninas ficaram me enchendo o saco para ir atrás do mesmo só porque ele beijou minha mão.

   Tudo bem que faz tempo que não encontro alguém que beija a mão e ele parece ser o tipo que abre até a porta do carro, mas não iria atrás dele, não mesmo!

   Entramos no quarto enorme com suíte, havia quatro camas de casal, uma para cada uma de nós. Assim que cheguei me joguei na cama.

    - Eu nem vou desfazer a mala para depois ter que arrumar tudo de novo. Vamos ficar só uma semana aqui. - disse a preguiçosa da Hanna.

    - Eu também não. – concordou Babi.

    - Ah então eu também não vou não. – Court cedeu.

    - Qual é, bando de preguiçosas! – disse.

    - Vai dizer que você vai arrumar tudo bonitinho no closet princesa? – perguntou Hanna.

    - Não! - rimos. – Eu não vou ser a única a arrumar o closet.

   Mais tarde descemos para o hall e jantamos.

    - Aí galera, que tal sairmos amanhã à noite?

    - Boa ideia! – todas concordamos.

    - Mas galera, que tipo de lugar estão pensando em ir? – perguntei e elas sorriram maliciosas.

    - Em qual tipo você acha? – perguntou Babi.

    - Esqueceram que eu sou a única de nós que falta quatorze dias para fazer dezoito? – disse como se fosse óbvio.

    - Eles nem vão considerar, falta poucos dias. – disse Court.

    - Meninas, nós somos lindas! Entramos em qualquer lugar. – Babi a loira burra como sempre achando que beleza é tudo. Rimos. - Ah qual é, não me olhem assim. Nossos rostos de boneca tem que servir pra algo. - rimos.

   Subimos para o quarto e apagamos cansadas demais pela viagem.

 

 

POV'S Dominik Kendrick.

 

   Estava quase pronto para ir me despedir de Alessa no aeroporto quando meu celular toca.

    - Alô? - disse atendendo.

    - Dominik, tenho informações sobre o assalto à sua agência. - era um contrabandista perigoso. Não gosto de me meter com esse tipo de gente, mas é preciso se eu quiser recuperar o prejuízo.

    - Estou a caminho dai. - disse pondo fim a ligação. Depois me resolvo com Alessa, é só lhe dar mais um carro de presente e está tudo certo.

   Cheguei no casebre onde se encontrava o homem sentado em cima de uma mesa velha de madeira.

    - E então?

    - Vai custar bem caro para você essa informação. - sorriu. O que esperar de uma pessoa desse tipo? A única coisa que importa para eles é dinheiro.

    - Tudo bem, depois resolvemos isso. Quem é?

    - Não sabemos o nome dele... - começou.

    - E então de que essa informação me adianta? - perguntei irritado por estar perdendo tempo.

    - Ninguém sabe seu nome. - continuou - Mas tenho um cara infiltrado em sua casa. Esse cara é de confiança, ele estava presente quando seus carros foram leiloados para uns japoneses.

    - Quero falar com esse cara!

    - Isso será impossível. - disse sorrindo - Mas dependendo da quantia que você desembolsar, posso arriscar a vida de alguns de meus caras para pegar algo de muito valor na casa do Bizzle.

    - Quem é Bizzle? - perguntei.

    - É como o chamam. Ninguém ousa falar seu nome. Quem não sabe o chama de Bizzle e quem sabe e falar em bom som leva uma bala no meio da boca e quem ouviu tem o mesmo destino.

   Pelo jeito o cara não  é fácil de lidar.

    - Posso disponibilizar cinquenta de Meus caras para fazer esse serviço, mas não garanto que no máximo uns cinco voltarão com vida. Há um quadro avaliado em 10 milhões de dólares em sua casa. Podemos pega-lo.

    - E se nenhum voltar vivo? - perguntei.

    - Então você terá que desembolsar mais alguns milênios de dólares para um outro serviço contra Bizzle. A vida de Meus homens são valiosas para mim.

    - Valiosas quanto? - perguntei.

    - Podemos negociar e se chegarmos a um acordo, hoje mesmo Bizzle terá uma surpresa.                       

 

 

 

 POV'S Alessa.

  Me sento na cama assim que acordo. Faltam 13 dias para meu aniversário, preciso fazer uma festa em minha casa para comemorar.

    - MENINAS ACORDEM! - gritei batendo forte em um armário ao meu lado.

   Elas pularam na cama, procurando a confusão com seus olhos desesperados.

    - Ah sua puta. - xingou Babi logo de deitando novamente e colocando o travesseiro na cara.

    - Olha meu coração! - disse Hanna colocando as mãos no peito.

    - Depois que morre a presa sou eu. - disse Courtney e rimos.

    - Vem me matar então fofa. - provoquei.

   A mesma levantou num salto e correu atrás de mim.

   Entrei no banheiro e medimos forças pela porta, eu tentando fechar e ela abrir.

    Dei impulso na porta e tranquei a mesma.

    - Medrosa. - pude ouvir ela dizer e se distanciar.

   Abri a porta do banheiro e coloquei somente a cabeça para fora.

    - Se arrumem piranhas, temos que ir na escola hoje para assinar os papéis.

   Fechei a porta novamente e entrei no chuveiro tomando meu banho.

   Coloco o roupão e amarro o mesmo. Saio do banheiro e não há ninguém no quarto. Essas porcas desceram tomar café da manhã sem mim e sem tomar banho.

   Entrei no closet e as piranhas estavam lá. Elas me atacam literalmente, me carregam e me jogam em minha cama.

    Eu gritava e ria feito louca.

    - E então meninas. O que Alessa Katherine Kendrick merece por nós acordar daquela maneira? - perguntou Babi montada em cavalinho em cima de mim.

    - Bom... - Courtney fingiu pensar com as mãos no queixo - Acho que cócegas está de bom tamanho por enquanto.

    - AAAHHHH NÃO! - gritei.

    Meu fôlego havia ido embora a muito tempo. Por mais da raiva que eu sentia por elas não pararem, eu continuava rindo. Era involuntário.

    - Po... Por favor... - continuava rindo - Eu... Vou mijar! - disse e elas pararam.

    - Mijona! - disse Babi saindo de cima de mim.

    - Suas vacas! - disse recuperando meu fôlego.

    As meninas foram se arrumar e eu fui tomar minha insulina. Me troquei e estávamos prontas, logo descemos para o hall e tomamos café da manhã.

   Desci na esperança de encontrar novamente aquele garoto que beijou minha mão. Será que ele mora aqui ou tem alguém que mora aqui?

    - Alessa! - disse Courtney.

    - O que é?

    - Você parece que está dormindo meu! Presta atenção aqui. Estamos conversando...

    - Desculpa... - disse mas logo Meus pensamentos vagaram novamente naquele garoto.

     Me levantei e fui pedir um milk shake de chocolate já que não havia nenhum garçom por perto.

    - Moça, eu quero um milk shake de chocolate.

    - Mais alguma coisa?

    - Não, não. Eu vou querer de morango... Rosa é mais bonito. Hoje está um dia lindo não?

    - Sim, sim senhorita. - sorriu.

    - Mas... Rosa é mais bonito e chocolate é mais gostoso. Me vê um de cada por favor. - disse e ela riu logo tirando risos de um loiro dos olhos azuis que estava atrás de mim.

    - Indecisa? - perguntou.

    - Sempre. - ri.

    - Niall. Niall Horan. - estendeu sua mão.

    - Alessa, Alessa Kendrick. - apertei a mesma.

    - Está morando aqui? - perguntou.

    - Não, estou apenas hospedada aqui por uma semana. Estou reformando minha casa. Acabei de me mudar de NY.

    - Que bacana, eu também estou aqui só por uns dias. - se referiu ao hotel - Vim para ficar, assim como você.

    - Coincidência. Eu vim para estudar.

    - E eu vim para negócios. Quem sabe nosso destino não se cruza não é? - disse e eu ri logo sentindo o rubor em minha pele.

    - Parece novo demais para ter negócios a tratar.

    - Coisas da família. - sorriu.

    - Está sozinho? - perguntei.

    - Livre, leve e solto. - piscou.

    - Não... - ri - perguntei se está sozinho para tomar café da manhã.

    - Aqui está senhorita. - disse a moça com Meus dois milk shakes.

    - Ah, obrigada. - agradeço.

    - Estou sozinho sim. Vai tomar café da manhã comigo? - perguntou.

    - Bom, eu não posso tomar café da manhã com você, estou acompanhada, mas você pode tomar café da manhã comigo e com minhas amigas. - sorri.

    - Tudo bem então Alessa. - sorriu.

    - Me chame de Kath.

    - Kath? - indagou.

    - Sim, Alessa Katherine Kendrick. Kath de Katherine.

    - Ah, agora sim faz sentido. - rimos.

   Ele fez seu pedido e fomos para a mesa. As meninas me olharam com um enorme ponto de interrogação na cabeça.

    - Galera, esse é o Niall. - disse o apresentando.

    - Prazer loiro. - disse Babi logo se oferecendo - Babi - estendeu sua mão e ele a apertou.

    - Courtney. - se apresentou.

    - Hanna. - estendeu a mão.

    - O prazer é meu meninas. - sorriu.

   Niall é um garoto muito lindo e simpático. Sem contar que é divertido. Contava muitas piadas. O que era para ser apenas um café da manhã se tornou muitas conversas jogadas fora e trocas de telefones.

    - Mas aí Niall? O que vai fazer depois? - perguntou Courtney e nós o olhamos.

    - Bom... Eu estava pensando em passar o dia fazendo várias coisas. Tipo, assistir, comer e dormir. Mas se vocês tiverem algo melhor para fazer, eu topo.

    - Bom, estávamos pensando na mesma coisa. Comer, beber e assistir. Mas no cinema. Topa?

    - Sim. Só preciso me arrumar.

    - Te esperamos aqui. - disse Babi e o mesmo saiu da mesa indo trocar de roupa.

   Elas me olharam, todas com o mesmo olhar, esperando eu dizer alguma coisa.

    - Que foi gente? - perguntei.

    - Como conheceu aquele bombom fora da caixa? - iniciou Hanna.

    - Ele estava atrás de mim na fila. Aí ele riu da minha indecisão entre os milk shakes e puxou conversa. Apenas... - dei de ombros.

    - Essa foi a melhor coisa que te aconteceu. Se você não quiser, eu quero! - disse Babi.

    - Pode pegar. - ri.

    - É né, você deve estar esperando o carinha que beijou sua mão voltar... - brincou e eu fiquei em silêncio fazendo elas me encararem.

    - Vadia... Ela está mesmo esperando ele voltar! - constatou Courtney.

    - Eu sabia! - concordou Babi.

    - Não sei porquê não foi atrás dele aquele dia. - disse Hanna.

    - Qual é pessoal. - disse com vergonha.

 

   Odeio admitir isso. Mas aquele garoto mexeu comigo pelo simples fato de ser o primeiro garoto a beijar minha mão sem saber quem eu era, diferente dos garotos que meu pai tentava me arrumar só para reforçar seu contrato com várias empreendedoras, além do mais, quase nenhum garoto beijou minha mão, ainda assim foi para impressionar meu pai. Mas esse garoto... Ele mexeu realmente comigo. O que estou pensando?

 

   Alessa! Pare já com isso. Esqueça aquele garoto!

 

     Gritava minha consciência, mas meu coração, gritava ao contrário.

   Eu nunca pensei que um garoto como ele fosse chamar tanto minha atenção. Estou acostumada com garotos engomadinhos, terninhos, ar de superior. Mas ele não, totalmente cara de Bad Boy, roupas despojadas, seu jeito de andar. Seu jeito de olhar com desdém e de falar, passando a ponta da língua nos lábios a cada vez que fala.

  O que esse garoto tem e o que ele fez comigo?!

 

   Niall desceu e caminhamos para o meu carro. Niall foi no banco carona enquanto eu dirigia. Puxamos alguns assuntos com ele, mas o mesmo era bastante reservado e tomava muito cuidado com a respostas que dava. Depois colocamos umas músicas para tocar e chegamos a escola. Assinamos uns papéis e a diretora insistiu em nós levar conhecer a escola. Niall estava no tédio assim como nos.

    - Bom, essa é a sua sala. - disse andando e descemos uma escada. - Aqui é a quadra, para quando estiverem em intervalo, ali do lado é a piscina e depois os vestiários. Essa é a chave dos armários de vocês. - nós entregou a chave.

   A escola era realmente linda. Os computadores, os jalecos que teríamos que usar já me fazia me sentir médica. Ela também nos entregou os uniformes, os jalecos e os livros. Já estava tudo pago.

    - Seu pai fez questão que vocês tivessem um dormitório mesmo que vocês não queiram. Então quando vocês quiserem dormir aqui no campus, aqui esta as chaves.

    - Mas eu vou ficar em minha casa, nós vamos! - disse confusa.

    - Bom, o seu pai pagou pelo dormitório e disse que não era para aluga-lo para mais ninguém. Mesmo que ele fique vazio ele vai continuar pagando. Disse que era para caso de haver algum imprevisto ou vocês terem prova de manhã e não perder o horário. - explicou - Resumindo, vocês poderão ir e vir quando quiserem.

    - Certo. Pode ser que seja útil ter um dormitório do campus.

   Terminamos de conhecer a escola e fomos para o shopping. A Cabana estava em cartaz. Fomos assistir esse filme. Já chorei no livro, imaginem no filme. É uma mensagem muito bonita que ambos passam.

  Imagine se Deus fosse negro? Iria amá-lo? Ou se fosse uma mulher?  Ainda iria amá-lo?  Pois ninguém sabe como o mesmo realmente é, no livro e no filme ele aparece exatamente assim, como uma mulher negra!

   É como aquele ditado. Ser cristão é amar do crente ao ateu e do branco ao negro. Amar apenas o que lhe convém é muito fácil!

  Eu levo isso como uma lição de vida.

 

   Saímos de lá e já estava para escurecer, resolvemos voltar para o hotel já que Niall disse que tinha que se encontrar com um amigo.

   Chegamos e entramos no Hotel.

   O garoto de ontem estava sentado em uma das mesas. Sua cara estava muito feia, ele parecia estar furioso com algo. Assim que nos viu entrar, caminhou em passos largos até nos. Uma corrente elétrica passou por meu corpo. Um calafrio subiu pelas minhas espinhas.

    - Eae Dude. - disse Niall. Eles se conhecem?

    - Esperei aqui durante uma hora! Onde você estava? E seu celular serve para que?! - ele nos ignorou completamente.

     Mesmo ele nos ignorando, percebi seus olhares direcionados a Babi. Meu desconforto era perceptível, logo disfarcei antes que alguém percebesse.

    - Bom, até mais Niall. - me despedi chamando a atenção do mesmo.

    - Até mais Kath. - disse ele sorrindo.

    - Moça. Posso falar com você?

  Parei e por um instante jurei ouvir as batidas de meu coração. 


Notas Finais


Até daqui a poucoo..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...