História Kile and Eadlyn - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção
Tags Romance
Exibições 96
Palavras 1.486
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oie,oie,oie,oie,oie!
Gente, essa fanfic, eu não escrevi sozinha, minha amiga, - que não tem conta - fez comigo, porque, a gente acha que a Eadlyn ficar com o Eikko, não é o final mais... perfeito.
TODO MUNDO TORCE PARA KILE E EADLYN!
Então, essa fanfic fizemos pensando no final que nós duas desejávamos - e as nossas outras amigas - desde o começo do livro, que ouve um romance entre eles.
Espero que quem gosta deles juntos igual a nós, curta a fanfic.
beijoooos!
Tchau!

Capítulo 1 - Capitulo Único


- Eadlyn você está linda esta noite. - Kile disse sorrindo para mim.

- Obrigada... - eu sorri de volta. 

Eu fiquei em silêncio pensando em como era estranho nós dois ali juntos.

- Eady? - Kile chamou.

- Sim! Desculpe! - eu falei apressadamente 

- Algo está ocupando sua cabeça por muito tempo, o que é? 

- Sim, tem uma coisa rondando pela minha cabeça. - eu fiz uma pausa e segurei sua mão após um sorriso rápido para ele. - Eu estava pensando, imagina se nós voltássemos dois meses atrás, o que pensaríamos se víssemos a gente agora? 

- É um pouco estranho, mesmo. - ele respondeu sorrindo.

- É.

Ficou-se um silêncio perturbador, estranho,- meio incomodo - eu parei de andar,e como nossas mãos estavam enlaçadas, consequentemente, ele também parou.

- O que foi? - ele perguntou se pondo à minha frente.

- Nada - suspirei. - Só quero uma pausa, ficar com você por uns minutos, mesmo que nesse silêncio, estar perto de você é aconchegante.

Ele deu um sorriso - se achando o rei do pedaço - bobo. - Mas quem sabe ele não se torne um dia...-.

- Estou trabalhando tanto ultimamente, que tudo que quero nessa noite de lua cheia, é aproveitar, relaxar um pouco...

- Entendi. - ele abriu mais ainda seu sorriso.- Que tal...

Antes de terminar a frase, ele pôs uma mão na minha cintura, e a outra na minha bochecha, conduzindo meu rosto até o seu. Seus lábios gelados selaram os meus, e um beijo calmo se estendeu por alguns minutos.

Até, claro, os hormônios chamarem nossa atenção. Nós aprofundamos o beijo e acabamos de joelhos no chão. Aos poucos fomos caindo, até estarmos deitados na brita branca que fazia os caminhos pela grama.

Minhas costas bateram no chão, e ele ficou por cima de mim. Nossos hormônios deram uma bronca agora. Ele desceu os lábios para o meu pescoço, e eu acariciei suas costas por cima da blusa, até a blusa me incomodar! Tirei ela devagar.

- Eady... - ele começou tentando não separar seus lábios dos meus. - Acho melhor irmos para o seu quarto.

- Concordo. - falei entre o beijo.

Levantamos e ele colocou a camisa rapidamente, antes que um guarda aparecesse. Demos as mãos e começamos o caminho de volta. 

Achei que estávamos muito calmos, - ou ansiosos - então comecei a correr me soltando dele.

- Eady...! - ele chamou.

- Me pega! - berrei porque a correria fazia eu não ouvir direito, imaginei que com ele seria a mesma coisa.

- Em que sentido devo levar?! - ele berrou de volta logo atrás de mim.

Ele me alcançou e me derrubou no chão ficando por cima, e prendendo meus pulsos com suas mãos.

Dei um sorriso malicioso, e falei:

- O que você preferir.

- Você que está falando, alteza. - ele me beijou apressadamente.

Mas, como eu convivia com ele desde pequeno, sabia suas fraquezas; cócegas. Comecei a fazer, ele saiu de cima de mim e roulou pelo chão.

- Para! Para! - eu continuei , agora eu estava por cima dele rindo junto. - Eadlyn! Eu não tenho permissão para xingar a família real! Então! Para!

- Como quiser! - sai correndo para dentro do palácio. 

Ele veio atrás, claro. Passamos por muitos guardas que nos olhavam de um jeito tipo; "Ela é mesmo nossa futura rainha?", "Eles são maiores de idade?".

Fiquei um pouco brava por isso, mas perto de Kile, nada me deixava abalada ou com raiva. 

Para fazer graça, quando virei um corredor, me escondi atrás de uma mesa com um livro em cima. Kile virou o corredor, e ficou encarando ele. O corredor era longo, não tinha como eu ser tão rápida. Ele andou até uma porta depois de mim, aproveitei e pulei em suas costas e tapei seus olhos.

- Eadlyn! Você ta muito doida! - ele disse começando a girar sem rumo - já que não via nada-.

Soltei uma gargalhada e cai das costas dele.

- Eady! Você ta bem? - ele se agachou ao meu lado.

- Se você acha que estou doida agora, imagina na cama. - ri de novo.

Ele deu um sorriso malicioso.

- Quero ver, alteza.

Não respondi, apenas levantei e o puxei pela mão até meu quarto.

Quando cheguei, Eloise não estava, o que era bom. Assim que passamos, eu fechei a porta e a tranquei.

- Alteza, tem certeza que é apropriado? - Kile perguntou sorrindo descaradamente.

- Sim, Kile Woodwork, - eu disse. -  E... uma coisa, nunca mais fale desse jeito!

Pulei em cima dele o derrubando na cama. Nos beijamos aprofundadamente. Depois disso, não lembro quando foi que nossas roupas não estavam em nossos corpos.

 

Acordei com a perna de Kile em cima da minha cintura. Minha cabeça estava em seu braço. - que só agora percebo que ele tem músculos -  Levantei devagar à procura de minhas roupas. Achei minha langerie, e logo o resto da roupa.

- Bom dia... - Kile disse se espreguiçando.

- Bom dia! - eu fui até lá e dei um selinho nele. - Como você está depois...disso!

Ele soltou uma risada.

- Nunca imaginei que faria isso com você. - continuou aos risos.

- É, eu também - o acompanhei na risada.

- Mas e você? Não tem regras contra isso?

- O que?

- Fazer...isso! Antes de casar.

- Ata... - fiz uma pausa sabendo que estava corada. - Sim, mas ninguém precisa saber.

- Ok, mas, e como fica o nosso relacionamento? Tem os outros Selecionados.

- Sim... - eu comecei. - Mas eu quero você.

Ele deu um sorriso fraco.

- O que foi? - perguntei fazendo carinho em seu braço.

- Você vai ser rainha, - ele disse. - Tem a Seleção e tudo mais, nós não podemos ficar juntos...

- Mas e se eu escolher você? - o interrompi. - Você é um Selecionado.

- Você realmente me escolheria? Para passar o resto da vida ao seu lado?

Fiz cara de brava. Me ajoelhei ao lado da cama e peguei suas mãos.

- Kile Woodwork, - falei olhando em seus olhos. - Quer casar comigo?

- Eu morreria se dissesse não. - ele sorriu. - Mas...

Ele levantou e me puxou para cima, me deixando em pé. Depois, ele se ajoelhou à minha frente.

- Eady, vamos fazer do jeito certo. - ele fez uma pausa. - Eadlyn Schreave, quer me dar a honra de ser seu marido?

- Sim! - pulei em seus braços.

 

Desci para o café com Kile. Quando chegamos, todos já estavam lá, percebi os olhares sobre nós. Trocamos um rápido olhar que significava muito. Andei até a mesa da família real e me sentei calmamente, tentando esconder minha felicidade extrema.

- Bom dia. - disse sorrindo.

Minha mãe e Ahren me olharam estranhos, os outros, tudo ok. Fiquei nervosa por um instante, será que eles sabiam? Troquei um olhar com Kile.

Depois que acabei.

- Filha. - minha mãe disse - Venha.

Ela me puxou pela mão, vi Ahren atrás de nós. Fomos até o Salão da mulheres, minha mãe tirou todas as pessoas de lá, e permitiu a entrada de Ahren.

- Você sabe que isso é contra as regras! - ela gritou.

- O que? - tentei me fazer de desentendida.

- Ter relações intimas com os Selecionados!

Como ela sabia?

- Como você...

- Por favor! - ela disse dando voltas.- Sou mãe, sei reconhecer algumas coisas, e você está com a roupa toda amassada!

- Além disso - Ahren se intrometeu. - Ontem fui falar com Kile, e o mordomo disse que ele estava com você, depois, chegaram juntos, e não pararam de trocar olhares durante o café!

Respirei fundo.

- Mãe, sei que prometi três meses, mas pedi Kile em casamento hoje de manhã.

Ela e meu irmão deixaram a boca cair até o chão.

- Finalmente! - Ahren comemorou.

- Minha filha, você tem certeza disso?

- Sim, absoluta.

 

Eu caminhava pelo corredor da igreja sem tirar os olhos dos do meu noivo - marido daqui a minutos - meu sorriso e o dele eram de orelha a orelha, e aposto que todos percebiam nosso amor.

Cheguei ao altar, meu pai me passou para Kile. O Padre começou a falar, mas eu só sorria para Kile, até ele me dar uma cutucada.

- Eadlyn Schreave, aceita Kile Woodwork?

- Sim.

- E Kile Woodwork, aceita Eadlyn/

 - Sim.

- Pode beijar a noiva.

Nos viramos uma para o outro, Kile se inclinou e nossos lábios se tocaram. 

E mesmo que a nossa não tenha sido a história de amor, igual à contos de fada, terminou igual, com o que acho que as pessoas falam que é; "Felizes para sempre", se não for, acho que é algo maior, pois nunca me senti tão bem, em amar alguém. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Beijoooooos.
Tchau.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...