História Kill-me - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Dança da Morte
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Morte, Segredos
Exibições 11
Palavras 794
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse é o último ep por hoje por motivos de wi fi

Capítulo 11 - Um beijo, uma tapa e um primo


Acordei meia leve e meia pesada, porém a campainha estava tocando, quando abro e para minha surpresa é alegria é o David, o comprimento e peço que ele entre, enquanto eu tomasse um banho, havíamos marcado de sair, eu e ele para uma Park, pois como não havia aula ele queria me distrair o máximo possível, já fazem 3 semanas desde que minha mãe morreu e o David vem sendo minha salvação, sem ele eu estaria perdida ou até mesmo louca, me arrumei logo, e no caminho ele me comprou um café, e fomos caminhando até o Park, o primeiro brinquedo foi uma montanha russa, coitado, rezou umas 800 vezes antes que chegasse nossa vez, confesso que fiquei fazendo medo a ele, falando de antigos acidentes de montanha russa ocorridos nesse mesmo ano, e me divertia rindo de seu desespero, meu pai sempre me ensinou a não ter medo de brinquedos radicais e sim admira - los, e eu cresci assim, chegou a nossa vez, o David tá mais branco do que já é, então peguei em sua mão para acalma - lo e ele estava frio, coitado, quase matei ele, mas valeu a pena, montanha russa melhor brinquedo, depois fomos no trem fantasma, é sempre normal a mulher abraçar o homem com medo nesse brinquedo né? comigo, eu tive que acalma - lo pois ele quase entrou em pânico com umas aranhas que caiam do teto, mas que homem frouxo meu Deus.

Fomos almoçar e voltamos com tudo nos brinquedos, o David vomitou no hourver loop, e eu tive que leva - lo a enfermaria do park pois ele acabou caindo logo após e ralou o joelho, ri muito da cara dele, mas o que vale é ter prestado ajuda não é mesmo? pelo menos ele é bom em algo, ele me deu um urso de pelúcia daquelas barracas de tiro ao alvo, e depois me comprou um algodão doce e fomos até a roda gigante, que visão linda, dava para ver toda a cidade dali de cima, então começamos a conversar, enquanto ao fundo tocava "i love you" da Avril.

-Você tem um sorriso lindo- Diz o David olhando para mim enquanto estava mais vermelho que pirulito pop

-obrigada- respondo eu, enquanto colocava meu cabelo para trás

-A visão aqui de cima é mesmo linda não é?- Digo tentando disfarçar 

-Não mais do que seus olhos- ele responde se aproximando de mim, meu coração começou a bater muito forte, eu fiquei imóvel, e não sabia o que fazer, eu nunca tinha me apaixonado antes, e nunca havia beijado ninguém, não soube o que fazer na hora e acabei dando um tapa no David, ele se afastou e pediu desculpas, e foi aí que eu me arrependi, deu para ver o quanto ele estava interessado em mim e eu acabei o magoando, mas é que eu não tô pronta para me apaixonar agora, não quero me machucar mais do que eu já estou, quero que tudo aconteça aos poucos e não com pressa, pois a pressa é a inimiga da perfeição, ao sairmos da roda gigante, sem dar mais nenhuma palavra, escutamos ao longe "David" quando olhamos para trás, um garoto do mesmo tamanho dele, olhos verdes e loiro vinha em nossa direção sorrindo, então o David parou e parecia meio incomodado com a presença daquele garoto que era seu primo, então o tal garoto se aproximou da gente ainda sorrindo, comprimentou o David falando que iria passar um tempo na casa dele, logo ele então olhou pra mim e perguntou meu nome, o David com um ar meio enciumado, falou que não interessava e saiu me puxando, então o garoto gritou "Eu sou o Gabriel", e então o David saiu me puxando com mais força e me levou para casa, ao chegar, eu perguntei o que foi aquilo, e ele acabou se declarando para mim, falou tudo o que sentia, e que a cada dia estava mais apaixonado por mim e que o primo dele era um galinha, então, eu virei para entrar, me despedindo dele, e eu sinto sua mão voltada na minha cintura me virando e logo após me dando um beijo, MEU DEUS, se arrependimento matasse eu estaria morta, por que ele não me beijou antes?! Ah é, eu dei um tapa nele, como eu sou burra, foi o melhor Beijo da minha vida, na verdade o primeiro né? Então o beijei de volta e ele falou no meu ouvido "eu te amo Nathalie, boa noite" me deu um beijo na testa e saiu, eu entrei dentro de casa não acreditando no que tinha acabado de acontecer, senti uma felicidade inorme tomando conta de mim, e foi nessa noite que fui dormir sorrindo, se estou apaixonada eu não sei, só sei que gosto.


Notas Finais


Até amanhã <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...