História Kill-me - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Dança da Morte
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Morte, Segredos
Exibições 13
Palavras 881
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais uma vez estou falando sobre a Nathalie.

Capítulo 18 - Desacordada


Já fazem 5 dias que eu estou nessa pousada com o Gabriel, sendo abusada quase todos os dias, sem notícias do David ou do mundo lá fora, agora sou apenas um objeto sexual, ele me abusa e me apaga, ele me abusa e me apaga, e apenas me dar água, estamos nesse ritmo desde de aquela noite, não tenho forças para gritar, porém não adiantaria, só tenho mesmo que aceitar ser estupradas todas as noites, estou sentindo dor...e a 5 dias venho tendo o mesmo sonho, eu e o David felizes e meus pais vivos, quando não é isso são apenas memórias vagas do passado, fui esquecida aqui, e aqui será o meu fim, ninguém irá me procurar ou sentir minha falta, apenas serei fudida até morrer.

-Oi meu amor, como você está?- entra o Gabriel me olhando com uma cara irônica 

-Como você acha que eu estou?

-Péssima, presumo, mas logo irá melhorar com a notícia que eu tenho para você

-que notícia? 

-O seu amado David está a caminho, e eu tenho uma surpresa para ele - ao falar isso ele retira um revólver da bolsa, alisando e acariciando aquela arma que ele usaria para matar o único amor de minha vida, ali eu senti medo, pavor e nojo de um ser tão desprezível, eu comecei a me debater  e a gritar para que ele não fizesse nada ao David, ele apenas deu uma risada sarcástica 

-Querida pare, eu não sou um monstro, não vou mata-lo agora, vai demorar um pouco ainda, você terá muito tempo para se despedir do seu amado e esclarecer a história da traição com ele- ele me olhou com uma cara de deboche que eu não exitei em perguntar 

-sobre a traição? Como assim?

-O David não te traiu benzinho

-como não me traiu? eu o vi semi-nu na cama da vadia da Julia

-Aí meu Deus como você é inocente, a Julia com minha ajuda, dopamos o David, tiramos sua roupa e colocamos na cama dela, ele não dormiu com ela, e nem com mais ninguém além de você.

-Você é um canalhada, um ordinário

-Poupe-me do seu discursinho de merda, era a única forma que eu tinha de te ter para mim, como ele nunca seria capaz de te trair eu tive que me rebaixar a esse nível, tá vendo o que você me fez fazer e o que você irá me obrigará a fazer, o monstro aqui é apenas você Nathalie, a culpa é somente sua.

-Não, é mentira eu não tenho culpa de nada (com os olhos cheios de lágrimas eu não sabia mais destinguir o que era verdade ou não)

-Vou mata-lo porque durante esses 5 dias ele não parou de te procurar, e eu sei que ele não vai parar, e eu não quero ninguém no nosso caminho, então por sua culpa meu priminho dormirá hoje, mas não se preocupe querida, não irei sujar muito o chão, porém se eu sujar você limpa

-vai pro inferno 

-Querida não sei se você não percebeu, já estamos nele e eu sou o verdadeiro Demônio- Terminando essas palavras escuto a voz do David me chamando na porta e batendo com força.

-Seu amado chegou para nossa festinha, deixa eu só te ajeitar

Ao terminar de dizer isso ele coloca uma meia na minha boca, abre a porta e se esconde atrás dela, o David entra desesperado ao me ver nua e amarrada naquela cama

-Meu amor o que ele fez com você? 

Ao falar isso o Gabriel dar um coronhada em sua nuca fazendo o David desmaiar no chão.

-Bons sonhos priminho 

Então, ele amarrou o David na cadeira e colocou-o de frente para mim, quando o efeito da coronhada passou, o David ainda meio zonzo gritava por socorro, e me dizia direto que nunca havia me traído, até que aparece o Gabriel 

-Até que vocês formam um casal bonitinho

-Vai pro inferno ou imbecil 

-Que isso David? que modos são esses, aliás que modos meus também, vamos brincar de um jogo super divertido está bem? eu você e minha namorada Nathalie.

-Você é doente 

Dando um soco na cara do David o Gabriel responde- Cale a boca, não está vendo que eu estou falando? sua mãe nunca te deu educação? voltando as regras do jogo, vou te fazer uma pergunta, e cada resposta errada eu vou te cortar com essa faca e a cada resposta certa eu jogarei álcool nas feridas, vamos começar então.

-Onde você estava no dia em que traiu a Nathalie? 

-Eu não a trai!

-Resposta errada- fazendo assim três cortes no braço do David, enquanto o mesmo gritava de dor, e o sangue escorria, e eu não podia fazer nada, só ver o amor da minha vida sendo torturado na minha frente

Depois de quase 3 horas desse jogo doentio, o David desmaiou, e o chão estava ensopado de sangue, o Gabriel então me soltou e me colocou de quatro no chão ordenando que eu limpasse o sangue com minha língua, eu estava me negando até ele me ameaçar falando que mataria o David ali mesmo e agora, então eu me abaixei e comecei a lamber o sangue que estava no chão, quando terminei fui amarrada novamente na cama dessa vez arreganhada, e então ele me estuprou mais um vez, enquanto o amor da minha vida estava sangrando na minha frente, eu estava sangrando por dentro.


Notas Finais


Até mais tarde povo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...