História Kill the Joker - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Ação, Baekyeol, Bromance, Chanbaek, Colegial, Drama, Escolar, Exo, Huhan, Kpop, Kristao, Long-fic, Lubaek, Romance, Sulay, Xiuhan, Yaoi
Exibições 230
Palavras 3.472
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoal, estou soltando este capítulo agora de tarde, pois assim que chegar da escola, (estudo de noite) irei soltar o próximo.
Antes de começar o capítulo, quero esclarecer algumas coisinhas básicas.
Primeiro de tudo, quero pedir desculpas por um erro que cometi na idade do Chanyeol. Nos primeiros capítulos, acabei digitando "23" ao invés de "26" e ficou meio confuso pra vocês, mas já arrumei isso, ok?
Uma das leitoras me disse que ás vezes fica meio complicado de ler os diálogos, então para não deixar vocês confusos, irei tentar explicar minha forma de escrever:
Quando tiver duas pessoas conversando, a pessoa que estiver entre parênteses e em itálico, é a pessoa que responde. Isso ocorre muito entre Baek e o Chan, então quando o Chanyeol começar a falar, e em parênteses tiver outra fala, será a de Baekhyun, assim por inverso. Quase nunca acontece quando tem mais de duas pessoas no diálogo, mas se tiver, tentarei escrever o mais claro possível para vocês.
E é isso, se tiverem mais alguma dúvida ou dicas, podem me falar!
Boa leitura.

Capítulo 11 - Mais um erro


Baekhyun definitivamente queria DISTÂNCIA de Chanyeol, e assim fez. Mas parecia que quanto mais ele se afastava, mais o ruivo se aproximava para provoca-lo.

O chuveiro do quarto havia quebrado, e então Baekhyun estava sendo obrigado a tomar banho no vestiário. Pelo menos, ele podia ter mais privacidade, já que o local estava fechado por conta das aulas suspensas, e os únicos que estavam usando eram ele, e o companheiro, que raramente trombava com ele nos chuveiros.

 Desta vez, o moreno saiu dos chuveiros com uma toalha enrolada na cintura e deu de cara com Luhan que colocava o uniforme esportivo.

– Ei Lu – Cumprimentou o de cabelos rosa que retribuiu o cumprimento e desviou o olhar rapidamente para o armário. – Por que está com esse uniforme? – Perguntou curioso “Vou fazer o teste para o time de basquete da escola” contou-lhe– Achei que você não gostasse desse tipo de esporte– O chinês deu risada e concordou “Já que agora não sou mais o filho do diretor, terei que pagar ou conseguir uma bolsa pelo esporte” – Sério? Que horror! – Disse surpreso e meio irritado por isso. Baekhyun achava isso ridículo, mas ele tinha que concordar que agora Luhan era um aluno normal na escola “Não, isso é bom. Finalmente eu vou pode ir para o segundo ano” o amigo lhe encarou confuso “Ah, você não sabia. ” O moreno inclinou a cabeça, mais confuso ainda. “Sou dois anos mais velho que a maioria de vocês. Como eu vim da China muito pequeno, demorou um tempo até que a escola coreana me aceitasse, e depois acabei repetindo um ano. ” O moreno ficou surpreso– Então, você não devia estar no terceiro? – “Na verdade não, como eu disse. As escolas coreanas não queriam me aceitar, então minha mãe achou melhor me deixar em casa por um ano, até que eu pegasse o jeito do idioma e alguma escola me aceitasse” continuou a contar, e então o moreno percebeu que era a primeira vez que Luhan falava da falecida mãe, mas não comentou, só ele sabia como era duro falar de alguém que se perdeu há muito tempo e ainda não tinha se recuperado.

Os dois ficaram em silencio por um tempo, e então Luhan tomou coragem.

– Baekhyun, é verdade que você e Chanyeol estão juntos? – Perguntou, encarando-o com um olhar estranho, uma mistura de expectativa e nervosismo “O que? ” Perguntou surpreso “Claro que não! ” Respondeu rapidamente– Ah, eu pensei que estivessem... – Ele abaixou a cabeça, e o moreno deu uma risada de nervoso “Quem te disse uma coisa dessas? ” – Ninguém, é que eu ouvi você falando com Xiumin no telefone– Confessou, sem graça “Sério? E eu achei que estivesse falando baixo...” Ele deu de ombros “Enfim, por favor, não comente com ninguém, ok? ” O chinês assentiu, “Mas, por que da pergunta? ” O rapaz mexeu nos cabelos que agora eram de um rosa tão claro que estavam quase brancos. Luhan não respondeu nada, Baekhyun deu mais uma risada nervosa

–Que doideira. Por que achou isso? Só por que ele me beijou? Não é a primeira vez. Chanyeol beija muitas pessoas por aí– O chinês respirou fundo, e soltou de uma vez

– Por que, eu estava pretendendo me confessar para você, e então ouvi o seu telefonema, mas agora que tudo está esclarecido, eu posso falar– O coreano lhe encarou com os olhos estreitos. Ele segurou a toalha com força. Luhan se levantou e veio em sua direção, ele recuou para trás e virou o rosto. – Eu gosto de você, Baekkie– Contou pausadamente e o moreno fechou os olhos. “E-Eu sinto muito, Luhan” o chinês riu e se afastou– Eu já sabia a sua resposta– Ele estava desapontado, mas não surpreso, sabia que o amigo não tinha os mesmos sentimentos– Você não pode negar, Baekhyun– O mais novo virou o rosto novamente e o encarou. Ele estava levemente corado e percebeu quando o chinês lhe lançou um olhar de cobiça. – Você gosta de Chanyeol– Baekhyun deu risada, uma risada tão alta que até ele se assustou e calou-se.

Os dois ficaram em silencio, então o moreno começou a se vestir. Luhan virou-se de costas envergonhado e esperou.

– Você tem que parar com essa besteira, Luhan– Falou depois de um tempo, já vestido– Eu não gosto do Chanyeol, pelo amor. – O chinês deu risada do jeito que o amigo falou, como se fosse errado gostar de alguém.

– Claro que gosta, você só não percebeu ainda– Ele riu mais uma vez– A vida é assim. Eu gosto de você, você gosta do Chanyeol e ele gosta.... – O rapaz pensou por um instante– Dele mesmo– Os dois riram, tensos no começo, mas logo o moreno sentou-se ao seu lado e lhe deu um empurrão com o ombro, e o gelo entre os dois foi quebrado.

Antes que parassem de rir, Chanyeol apareceu detrás dos armários dando risada e batendo palmas.

– Tem razão, Luhan– Disse, e os rapazes se assustaram, encarando-o surpresos– E tem como resistir a mim? – Ele deu uma piscadela para o moreno, e falou olhando em seus olhos– Não culpo Baekhyun por gostar de mim, sempre soube que ele tinha uma queda pelo perigo.

O coreano mais novo levantou do banco com rapidez e se jogou contra o mais alto, prendendo-o contra o armário com toda força que tinha, e viu o rapaz sorrindo travesso.

–Até quando você vai continuar a me provocar? – Perguntou com a voz ríspida e meio cansada por conta da força que fazia contra o outro. “O que? Eu te provocar? Claro que não! ” O ruivo deu risada– Vê se me esquece, Chanyeol!

Antes que pudesse reagir, o mais alto inverteu as posições e prensou o moreno contra o armário, deu um sorriso malicioso enquanto dizia.

– Nunca– Baekhyun se esqueceu completamente do amigo que ainda estava sentado no banco, perdido em seus próprios pensamentos. – que no mínimo eram sobre maneiras de matar Chanyeol e esconder o corpo enorme do rapaz sem ajuda nenhuma e que ninguém percebesse– Ele encarou o rapaz boquiaberto, prestes a falar alguma coisa, mas o outro tomou seus lábios com urgência, e quando percebeu já estavam se beijando. O mais baixo arregalou os olhos e empurrou o outro, e saiu correndo. Chanyeol deu de ombros, ainda sorrindo.

Luhan tinha uma expressão dolorida no rosto, mas logo se recuperou, levantou-se e foi atrás do amigo, que havia corrido para longe.

– Baekhyun! – Chamou-o ainda correndo atrás dele. O moreno parou e começou a espernear no meio do corredor– Se acalma! – Pediu enquanto se aproximava dele e colocava uma das mãos em suas costas. “Eu... odeio ele! ” Cuspiu com raiva para o coitado do amigo. – Eu sei– Concordou, mesmo sabendo que era mentira. “Ele me irrita! ” Cuspiu mais uma vez, ainda meio abaixado e olhando para o chão “Eu não aguento mais” choramingou e o chinês lhe afagou as costas.

.¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸.

Chanyeol estava de bom humor. Provocar Baekhyun era seu hobby favorito, principalmente quando a reação do rapaz era corar e correr para longe. Ele passou pelos dois rapazes que pareciam estar procurando alguma coisa caída no chão e ainda teve o atrevimento de dar um tapinha na bunda do moreno, que se levantou com raiva e veio em sua direção.

A primeira coisa que sentiu foi a mão pesada de Baekhyun contra seu rosto, depois Luhan veio marchando em sua direção também, mas parou quando viu que o amigo coreano havia se arrependido.

O ruivo estava com uma expressão estranha, a surpresa de levar um tapa foi enorme e por um instante ficou sem reação, em seguida seus olhos se arregalaram. O moreno não parava de lhe chamar e o olhava envergonhado e preocupado, como se tivesse quebrado o braço do rapaz.

– Não me toca– Disse pausadamente e com os olhos ardendo em raiva. O garoto se afastou, mas continuou lhe encarando. “Me desculpe, eu não queria fazer isso... Eu...” disse sem jeito e Luhan se meteu no meio, dizendo “Você não deve desculpas nenhuma para esse idiota, ele que tem que desculpar em ser um pervertido”. O coreano mais velho encarou os dois, incrédulo com as palavras do chinês. – Blá, blá, blá... – Fez, com uma careta no rosto.

Ele começou a andar e quando estava longe dos garotos, o rapaz virou para trás, olhando para Baekhyun e sussurrou um pedido de desculpas.

Já era o segundo erro de Chanyeol. Mais quantos erros, ele cometeria? Sua consciência implorava que não tivesse mais nenhum, mas alguma coisa dentro dele dizia que ele tinha que cometer muitos outros.

.¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸.

Baekhyun passou o dia fora do quarto, longe de Chanyeol.  Aquele rapaz fazia com que seus pensamentos se misturassem e ele se perdesse em outro mundo, mas não num sentido bom, num sentido que Baekhyun se sentia sufocado e confuso. Um pouco antes das 4 horas, seu celular tocou alarmante, fazendo com que o rapaz que estava cochilando em uma das poltronas da biblioteca, desse um pulo e atendesse depressa.

– A-alô? – Atendeu com a voz rouca “Baekkie! ”  Uma voz feminina lhe chamou, e o rapaz demorou um pouco até perceber quem era no telefone. – Tia! – Ele abriu um sorriso enorme e se ajeitou na cadeira alegremente. “Que bom que atendeu, querido. ” Disse com a voz suave, e o menino conseguiu ouvir algumas vozes atrás da de sua tia “Seu tio te ligou mais cedo? ” Perguntou com o tom de voz preocupado e curioso – Não, por quê? – A mulher demorou um pouco para responder, enquanto falava com outra pessoa ao fundo, mas por fim disse: “Seu tio está aí em Seoul faz alguns dias. ” Contou meio hesitante, pensando se isso era certo ou não, já que o marido não havia ligado para o sobrinho e lhe contado de sua estadia lá. “Bom, ele não deve ter ligado pois está trabalhando duro, para poder voltar para casa a tempo do bebê nascer! ” O rapaz ia responder dando lhe uma bronca, mas parou e pensou – Bebê? – Perguntou confuso “Sim! Eu e seu tio teremos mais um filho! ” Contou alegre. Baekhyun podia imaginar seu sorriso grande e brilhante por trás do telefone e a barriga crescendo– Que bom, tia! Vocês devem estar muito felizes, não é? – A mulher concordou e começou a contar sobre o enxoval, as escolhas de nome, os padrinhos e as outras coisas sobre bebês. O garoto ouviu tudo atenciosamente e concordou com tudo, já que não entendia nada sobre o assunto. Por fim, na ligação a mulher pediu-lhe que ligasse para o marido, já que ele estava na cidade, podia ir ver Baekhyun, mandar-lhe algumas fotos do sobrinho amado que ela tanto estava com saudades e queria ver seu rostinho. E mais uma vez o rapaz concordou e desligou o telefone.

O moreno levantou da poltrona e saiu da sala, andando silenciosamente para o quarto, enquanto ligava para seu tio. O homem lhe atendeu no segundo toque.

–Baekhyun, algum problema? – Logo perguntou, antes mesmo de lhe cumprimentar. “Ei tio, como você está? ” Perguntou ignorando a frieza do tio– Bem, algum problema? – Tornou a perguntar “Na verdade, não” respondeu rapidamente e logo em seguida, sem rodeios, soltou “A tia me contou que está em Seoul. Por que NÃO me avisou? ” Seu tio hesitou por um longo segundo, e o rapaz ouviu o começo de uma palavra que logo se perdeu no meio da frase curta– Não achei que fosse da sua conta

Baekhyun se sentiu ofendido e triste pela frieza do tio. Logo depois de perguntar se estava bem pela segunda vez, ele desligou.

Alguma coisa estava acontecendo, então ele retornou à ligação a sua tia, mas desistiu de falar alguma besteira e disse que o tio estava bem, porém ocupado e não podia lhe ver.

.¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸.

Logo que acordou, Baekhyun ouviu seu celular tocar mais uma vez.  Era muito cedo, quase 7 horas. Chanyeol roncava ao seu lado, em sua cama. O rapaz se levantou devagar, com o celular na mão e saiu do quarto para atendê-lo.

Quando viu o número de seu tio, sentiu alivio, porem uma sensação estranha de medo, também.

– Tio? – Perguntou ao atender “Baekhyun, você precisa me encontrar! ” Disse urgente ao meio da ligação ruim – Por quê? – Perguntou meio teimoso– Tio? – Chamou-o no meio de um chiado horrível “Me encontre na cafeteria Sweet and Coffe, daqui meia hora” falou rapidamente, a voz longe do aparelho e desligou. – Tio? – Chamou-o alto, quase gritando para o celular, mas ouviu o som do bipe.

A porta do quarto se abriu rapidamente, e um Chanyeol assustado apareceu por ela.

– O que aconteceu? – Perguntou, já procurando por algum novo professor tarado, mas não havia ninguém além do moreno no corredor. O mais novo passou por ele sem responder e deitou-se novamente. Chanyeol fez careta pelas costas do companheiro, e logo depois entrou para o quarto e voltou a dormir. Ele concluiu que talvez Baekhyun fosse sonâmbulo ou simplesmente estivesse falando com a família e não queria que ele se metesse em seus assuntos, mas nada lhe tirava da cabeça que algo estava errado.

Não havia passado nem meia hora, Baekhyun pulou da cama e foi em direção ao banheiro. Fez sua higienização matinal, colocou uma calça jeans clara e uma camiseta branca com uma faixa preta no meio com algo escrito em inglês e saiu apressadamente do quarto, sem dinheiro algum ou o celular. Depois de dar alguns passos voltou correndo para o dormitório e pegou o bilhete do ônibus em cima da mesinha do computador na entrada, e correndo mais uma vez. Pegou o primeiro ônibus que fosse até o centro, no qual ficava a tal cafeteria, que era nova e muito falada pelos garotos da escola.

Foi fácil achar o local, era um estabelecimento grande e bonito, tinha várias mesas de vime num pátio com chão de pedra e guarda-sóis brancos, plantas grandes em vasos brancos, e muitas pessoas já consumindo seu café em plena manhã. A cafeteria em si, era muito simples, dentro do pequeno local, tinha apenas um balcão todo preto, paredes e chão da mesma cor clara, três ou quatro máquinas de café e vitrines para pães, e muitos funcionários correndo de dentro da cozinha para fora e para atender as diversas mesas. A maioria dos clientes eram estudantes uniformizados e homens de terno, que faziam reuniões ou algo do tipo. O rapaz levou um certo tempo para achar o tio. O homem moreno e alto, estava de terno e gravata, porém usava óculos escuro e grande que tampavam sua pinta perto do olho e lhe deixava irreconhecível de longe.

– Tio! – Cumprimentou, aliviado– O que aconteceu? – Perguntou ansioso, enquanto se jogava na cadeira de estofado, diferente das outras do local, e encarava seu tio, esperando pela resposta.

– Fale baixo, Baekhyun– Pediu, friamente “O que houve? ” Perguntou mais uma vez, desta vez nervoso. – Você precisa ir embora daqui– Disse baixinho, se curvando contra a mesa “O que? ” Perguntou confuso– Sim, você me ouviu bem. Você corre perigo, garoto– O moreno mais novo deu risada, “Mas você disse que estava tudo bem, que eu não correria perigo algum, que eu estava protegido! ” O mais velho fechou os olhos, impaciente e balançou a cabeça– Eu estava enganado– Ele hesitou, olhou para os lados, para algumas mesas a frente aonde estava um de seus seguranças, e pediu baixinho – Escute – Suspirou, e continuou– Seu pai.... Ô céus, isso é muito difícil! Como Kaena fez isso? – O garoto o encarou com os olhos de uma criança medrosa, o mais velho respirou fundo mais uma vez, tirou os óculos por um instante e voltou a falar firmemente– Seu pai, mandou alguém para lhe observar. – Contou e o moreno virou-se rapidamente e começou a olhar por todos os lugares– Calma, criança– Seu tio esticou um braço pela mesa e pegou sua mão com força, fazendo com que o garoto o encarasse novamente– Quando eu fiquei sabendo, pedi para um dos meus seguranças ficar de olho em você na escola, então ele mandou alguém especial para lá, para que ficasse de olho em você. Mas este alguém descobriu que seu pai, não só mandou alguém para observa-lo, mas também para mata-lo– O moreno arregalou os olhos e deu um pulo da mesa, quase derrubando o café de seu tio na mesa. Ele sussurrou um pedido de desculpas e o homem deu de ombros. “Quem é esse alguém especial? E quem é essa pessoa que quer me matar? ” Perguntou com os sentimentos confusos, uma mistura de medo, curiosidade e angustia. – Eu não sei, esse assassino matou esse alguém especial– O Byun mais velho bufou frustrado, como o sobrinho fazia e depois deixou escapar uma careta meio fofa, porém estranha para sua idade. Não que o homem fosse tão velho com seus quase 40 nas costas, mas ele ainda assim continuava com a mania das caretas que saiam fofas, e se pegou perguntando se Baekhyun chegaria aos 40 com essa mesma mania, mas logo espantou os pensamentos ruins e olhou para o garoto mais novo, que tinha o rosto tão bonito, mas os olhos tristes, do mesmo jeito que eram há muitos anos atrás quando ele o resgatou em meio ao caos. – Não vou deixar que nada lhe aconteça, meu pequeno– O mais velho acariciou seus cabelos e sorriu triste para ele.

– Eu não quero mais fugir, tio– Choramingou e o homem assentiu– Eu só quero poder estudar na escola que eu quiser e fazer o que eu quiser– Seus olhos estavam cheios de lágrimas e a boca franzida para conter o choro descontrolado. “Eu sei, criança” O mais velho afagou mais uma vez, os cabelos pretos do sobrinho. “Eu vou ter que pensar em algo, está bem? Mas por enquanto, fique comigo no hotel” O moreno assentiu tristonho.

.¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸..¸ ¸.

O ruivo acordou tarde, já era quase meio dia. Ele estava adorando essa tal de semana do luto. Pelo que os pestinhas estavam dizendo, todo o ano teria uma semana dessas, o rapaz até ficou feliz por um instante, mas depois parou para pensar que nem fodendo ele estaria naquele inferno no próximo ano.

Chanyeol se arrastou preguiçosamente para a cama do companheiro, para irrita-lo

– Baekkie– Chamou-o manhoso, com a voz embriagada de sono. Ele procurou pela cabeça do rapaz e abriu os olhos de uma vez quando percebeu que não havia ninguém na cama– Aonde foi esse maldito!? – Praguejou, e saiu do quarto às pressas.

Andou pela escola inteira, – de pijamas– mas não encontrou o moreno.

– Ei Luhan – chamou o chinês idiota, que nem lhe deu bola– Seu amigo sumiu ou você sabe aonde ele está? – Perguntou direto e ríspido “Sumiu, agora saia daqui Chanyeol. Estou sem humor pra você” o mais alto o encarou por um tempo e depois deu as costas para aquele chinês rosinha mau criado.

Voltou para o quarto, e procurou algum sinal de que Baekhyun não teria fugido ou algo do tipo. Chanyeol nem sabia por que estava pensando nisso. Baekhyun não teria motivos para fugir.

O rapaz ruivo, pegou o celular do companheiro e tentou desbloquear, depois de duas tentativas, lembrou de um truque que aprendeu com um amigo hacker há uns anos trás e tento muitas vezes até que por fim conseguiu. Entrou no aplicativo de mensagens e achou várias mensagens preocupadas da tia, e em seguida achou uma ligação do tio, feita 7 horas da manhã e que foi atendida, então pensou na cena de Baekhyun na porta, “sonâmbulo”.

 Ele bloqueou o celular e o jogou no mesmo lugar. E foi em direção as coisas do outro. Olhou a carteira com os documentos e algumas notas baixas de dinheiro, e o guarda roupa cheio. Fugido ou ido embora, ele não tinha ido, menos mal.

Se o tio de Baekhyun estava na cidade, isso não queria dizer boa coisa, alguma coisa aconteceu a família ou...

Depois de almoçar, ligou para o pai, para contar a situação. E é claro que o homem gritou com ele e o mandou tomar bem naquele lugar maravilhoso. O jovem resmungou sem parar e gritou de volta, mas logo desligou.

Partiu para a cidade, para ver se achava o moreno por lá, e por pura sorte viu um monte de cabelos preto junto com um homem alto e moreno, que devia ser o tal tio. Os dois estavam andando alertas pela calçada, em direção a um hotel 5 estrelas. Chanyeol se aproximou, mas logo viu o mais alto virar e o encarar por alguns segundos, e antes que Baekhyun pudesse se virar e o reconhecer, ele atravessou a rua e entrou no hotel mais xexelento que ele já entrou na vida. Ficou lá por alguns minutos, até que saiu e perdeu de vista os dois.

 


Notas Finais


Nem preciso dizer nada né? HAHAHA
Imagine as mesma notas finais de sempre aqui.
Beijinhos :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...