História Killer Obsession - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Personagens Originais
Tags Bts, Jimin, Killer, Killer Girl, Obsessão, Psycho
Visualizações 8
Palavras 2.001
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


So pra vocês não ficarem perdidas tem partes onde a historia é narrada pela autora e protagonista (a historia toda é assim)
Bjs e boa leitura (isso se alguem ler isso kk)

Capítulo 1 - Chapter One - Don't approach.


Fanfic / Fanfiction Killer Obsession - Capítulo 1 - Chapter One - Don't approach.

E lá estava eu outra vez, o observando. Cada detalhe naquele garoto era como se Deus o tivesse feito com suas próprias mãos, sempre me pergunto como alguem pode ser tao perfeito? Não apenas na beleza, mas em tudo. Desde aquele dia eu me apaixonei por ele.

Entre suspiros preparava a camera do celular para tirar uma foto escondida, seria a melhor foto das varias que já tirei. Ele estava com os olhos fechados seu rosto um pouco levantado em direção a luz do sol, suas mãos apoiadas no banco de cimento onde atrás do mesmo havia flores de colorações rosa e azul, que eram minhas cores favoritas.

Assim que posicionei meu dedo na tela para tiarar a foto, uma garota entrou na frente bloqueando totalmente a visão que tinha dele. Nunca mais irei ter um momento como esse para capturar, isso me fez xingar a menina mentalmente.

 Eles conversaram pouco, vi que ela tinha deixado um papel com ele, seria uma carta de confissão? Essa garota ta de brincadeira? primeiro estraga minha foto depois se confessa para meu oppa... Sinceramente eu espero que como um bom quase namorado ele a dispense.

                             (...)

Havia acabado as aulas estava indo ao banheiro, nesse horario havia poucas pessoas o que era bom. Entrei em uma das cabines assim que ouvi vozes feminas se aproximando, odiava contato visual com outras garotas elas sempre me olham como se eu não fosse desse mundo, na verdade todas as pessoas dessa maltita escola então era melhor assim, sem amigos. Só que com meu oppa era diferente, eu sempre quis me aproximar dele.

- Eu não acredito que ele correspondeu sua confissão. - uma das garotas falou dando uma risadinha enjoada. Garotas falando sobre garotos nada de novo sobe o sol.

- Nem eu! A gente trocava olhares, mas nunca achei que ele realmente gostava de mim. - uma outra garota falou euforica.

- Ah, Chae yeon você é tão sortuda, sempre que me confesso pra algum garoto ele me rejeita. - Comecei a rir baixho sobre o que ela havia dito, eu não sabia quem era, mas ainda bem que não estou em sua pele! Nunca tive coragem para me confessar ao garoto que sempre gostei.

- Park jimin aceitou sua confissão, sempre achei ele não gostava de meninas - a gorata fala soltando uma risada em seguida. Apertei barra da saia que usava, assim que eu ouvi o nome do meu bolinho, meus olhos começaram a ficar embaçados por conta das lagrimas, mas me segurei, não era de tristeza ou coração partido, era de raiva. Como pôde fazer isso comigo, ele me prometeu, e agora corresponde essa menina? Mas isso não iria ficar assim, essa garota não vai rouba-lo de mim!

Abri um pouco a porta da cabine onde estava, dava para ver bem quem estava ali, aquela gorata de hoje cedo. "Chae yeon" você não é a primeira e espero que seja a ultima. Assim que elas sairam - o que demorou bastante - pude descontar um puco minha raiva numa lata de lixo que estava proxima, as lagrimas de odio começaram a escorrer no meu rosto. Eu precisava fazer alguma coisa.

Consegui alcaçar as ratas, estavam se despedindo, chae yeon foi para um lado e as outras meninas foram para outro o que era perfeito.

                            (...) 

Já era tarde, a estaçao onde Chae yeon ia era longe de sua escola, enquanto caminhava tinha a sensação de estar sendo seguida, se condenou mentalmente por ter ficado conversando até tarde com suas amigas, apressou seus passos e quando chegou no seu destino suspirou aliviada, porem estranhou, já não havia ninguém na estação e naquele horário deveria ter algumas pessoas, então deduziu que seu metrô já havia saido, começou a ouvir passos por todo lugar, as batidas do seu coração ficavam mais acelerados conforme os passos se aproximavam, seu coração quase sai de seu peito assim que ver um camundongo correndo assustado em sua direção fazendo-a colocar todo seu medo para fora através de um grito agudo, colocou a mão em seu peito respirando ofegante. Os passos haviam parado porem seu medo não, a garota resolveu sair de imediato daquele lugar preferia gastar todo seu dinheiro em um táxi do que ter que ficar ali.


Estava tudo vazio como sempre, ninguém naquela maldita casa apenas eu, as vezes isso é bom, mas as vezes eu só queria que alguém me fizesse companhia, tranquei a porta e fui para meu quarto, sinceramente já não sei o que é ter uma familia, minha mãe sempre viajando e meu pai sempre em seu trabalho, dizia ele que graças a seu trabalho eu sempre iria eatar protegida,  o que ele não sabia era que eu sempre me proteji do meu jeito. Mas o que se faz quando se tem um dia horrível na escola e ninguém em casa com quem desabafar? Apenas escolha um lugar deite coloque uma musica e chore, esse é meu ritual de todos os dias.

                              (...)

Minhas preocupações eram muitas e no momento eu só conseguia pensar em uma coisa, teria que "conversa" com aquela garota, ela estava atravessando uma barreira muito perigosa e eu teria que coloca-lá em seu lugar, se jimin não consegue manter sua promessa então eu vou manter por nois dois. 

Durante alguns dias segui seus passos e planejei algo brilhante para ela deixar de se jogar no que é meu, eu apenas iria assusta-la do meu jeito, como eu sempre fiz. Estava sendo difícil ter que vê-la com meu oppa nesses dias eles apenas conversavam e trocavam cartas, mas era como se eu estivesse sendo trainda, se ao menos ele fosse completamente meu nesse momento eu poderia reclamar. logo ele será meu, é o nosso destino, vamos ficar juntos pra sempre.

Eles haviam combinado de sair juntos, é tão fácil saber sobre tudo que essa rata faz, já que sempre anda fofocando com as amigas no banheiro. As aulas haviam acabado e eles seguiam para uma lanchonete, estava em um encontro... Eu estava me segurando para não fazer algo, mas o jeito que ela se joga para ele me dava raiva e nojo. Minha mão já estava dolorida de tanto que eu apertava para me segurar.

                             (...) 

Eles já estavam indo embora, ainda bem porque já havia cansado, tentei me aproximar o maximo que podia para ouvir o que conversavam, como eu estava de moletom, boné e mascara era impossível eles saberem quem eu era.

- Foi um dia maravilhoso jimin oppa - ela sorria enquanto o olhava com cara de boba para ele.

- Com sua companhia, foi com certeza - disse dando um sorriso angelical onde seus olhos eram só dois risquinhos. Ele deveria sorrir assim só para mim. Eu sempre imagino ele dizendo algo do tipo pra' mim.

No meio de toda uma conversa melosa que eles tinham, meu coração só enchiam de raiva e pressa para fazer logo o serviço. Ela o parou um quarteirão antes da estação de metrô que sempre vai, eu me distanciei um pouco deles já que pareciam ter notado minha presença, não consegui ouvir o que falavam, porem a cena onde a filha da puta puxou e beijou ele... Ela beijou aqueles lábios que sempre quis sentir, os lábios que me pertencem. Foi a ultima gota d'água e seu ultimo beijo. Jimin seguiu um caminho difente do dela, então havia chegado a hora dela parar de tentar mudar o destino

Era um dia feliz para chae yeon, tinha acabado de beijar o cara que mais gostava, estava tão feliz que nem havia percebido o quão tarde era e que estava sozinha na estação, como no outro dia. Seus sorrisos bobos se desmancharam e seus pensamentos que já estavam mais alto que o céu despencou quando ouviu passos, o que a fez lembrar do outro dia, dessa vez não tinha dinheiro para o taxi, então resolveu ficar ali mesmo, talvez não fosse nada, apenas coisa de sua cabeça, assim pensava para não ficar ainda mais com medo, o que não adiantou muito quando escutara algo rolar pelo chão, era uma apenas uma lata de refrigerante, olhou em todas as direções, porem não encontrou ninguém seu medo só aumentava a cada minuto que esperava ali. Ouviu novamente os passos mas dessa vez viu alguém vindo em sua direção, julgou ser uma garota por conta de sua saia, já seu rosto era meio impossível de ver já que um bone e uma mascara o cobriam, parecia ser alguém inofensivo então ficou aliviada.

- Você estuda em skyellow? - a garota misteriosa disse assustando a outra.

- Si-sim. Como sabe? - questionou, era estranho geralmente pessoas não começam uma conversa assim.

- Seu uniforme. - falou.  - Você com certeza namora certo? - a garota soltou sem mais nem menos, Chae yeon estranhou as palavras da mesma.

- É. - chae yeon não queria alimentar aquela conversa estranha então dava respostas curtas.

- Não deveria ter se aproximado dele. - insistiu. as palavras da garota misteriosa fazia chae yeon teme-la. A garota se aproximava, fazendo chae yeon ter mais um pouco de medo, era só uma garota, porem era macabra - Agora esse é seu destino. - chae yeon arqueou uma de suas sombrancelhas sem entender

- O que? Quem é você? - questionou estava um pouco assustada com aquilo.

Seu metrô se aproximava, chae yeon foi empurrada o que a fez cair próximo ao "buraco" onde ficavam os trilhos. sem entender nada tenta levantar antes que o metrô chegasse perto, sentiu um peso em suas costas enquanto levantava, um chute que a fez cair definitivamente dentro dos trilhos olhou para cima e viu a garota misteriosa, ouviu um grande som, porem já era tarde.

O metrô passou por cima de sua cabeça e pernas, o que fez jorrar sangue em Choi Hee, sorriu satisfeita pegou a bolsa de Chae yeon que havia caido e saiu dali antes que o metrô parasse totalmente e a multidão começasse a se formar.

                            (...) 

Cheguei em casa e era um dia daqueles que agradecia por não ter ninguém. Havia sague por toda minha roupa então tirei o moletom e boné joguando debaixo da cama já o uniforme da escola coloquei na lavadora. Sorria sem parar, não podia conter minha alegria naquele momento a rata tinha sido esmagada e Park jimin era meu novamente.

Enchi a banheira para tomar um banho relaxante, entrei e comecei a tirar o sangue que havia em algumas partes do meu corpo a água começou a ficar numa coloração rosada e avermelhada, era lindo aquela cor, Fechei os olhos e comecei a relaxar.

Matar me deixava com fome então depois do banho, preparei algo e fui assistir tv, só passava jornal e jornal... deixei em um qualquer. A apresentadora interrompeu uma noticia sobre politica, para dar uma outra sobre um acidente na estação seoksuk, era a estação onde estava a pouco tempo, estava cheio de policiais e pessoas curiosas.

"O acidente aconteceu por volta das 19:30 h a 20:00 h, não se sabe ao certo como aconteceu, mas a policia informou que há câmeras de segurança no local. A vitima ainda não foi identificado". 

Droga! Câmeras? Disso eu não sabia, mas ainda bem que sou mais esperta e cobri meu rosto. Mudei de canal para vê se teria mais informações sobre.

"Vamos mostrar agora imagens de câmeras de segurança do acidente em seossuk".

Apareceu chae yeon chegando na estação e logo depois eu, como tinha previsto não dava pra me identificar isso é bom.

"As câmeras mostram a estudante ser empurrada por outra, porem a assassina não foi identificada, mas a policia afirma que as duas são da mesma escola, skyellow, a única coisa identificada na assassina são suas características como corpo magro e cabelo longo, o que não ajuda muito".

Que repórter idiota como se metade da escola não tivesse corpo magro o cabelos longos, mas com certeza amanhã irão interrogar as alunas com essas características, era melhor dar um jeito, ou pode se tornar um problema para mim.





Notas Finais


Q meda.

Desculpas aos erros depois reparo eles aq em busan


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...