História Killer Ties - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jeff The Killer, Lendas Urbanas, Slender (Slender Man)
Personagens Personagens Originais
Tags Creepypasta
Exibições 97
Palavras 1.213
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Fantasia, Festa, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpem a demora. Tive uns probleminhas aqui, mas enfim... espero que gostem!

Capítulo 13 - Capítulo 13


- Hey! Você! – Escuto a voz da Melissa gritar e o som de seus saltos em minha direção. Reviro os olhos e me viro a encarando. – Quem você pensa que é pra além de pegar meu irmão ainda ganha o perdão do namorado? – Ela pergunta.

- Primeiro: eu não peguei seu irmão. Segundo: ele sabe toda a verdade e não tem motivos pra ficar bravo comigo. – Digo.

- E qual é a verdade? – Ela pergunta me encarando e vejo o Harvey aparecer do meu lado.

- Seu irmão me chamou pra conhecer a casa e eu aceitei o convite, daí ele foi pro quarto e começou a beijar meu pescoço, então eu disse que já tinha namorado e sai do quarto deixando ele sozinho lá. – Digo, mas ela não parece acreditar.

- Ele nunca deixaria alguém escapar tão fácil assim. – Ela diz baixinho e saí sai andando em direção às escadas.

- Merda. Harvey o corpo dele ficou em cima da cama. – Digo e vou correndo atrás da Melissa. – Por que ele não me deixaria sair? – Pergunto segurando seu braço e vejo um vulto passar rápido atrás dela.

- Porque ele nunca me deixou sair. – Ela diz baixinho.

- Ele transava com você? – Pergunto, mas ela fica quieta. Vejo o Harvey voltar e assinto com a cabeça. Ela engole em seco e parece que desistiu de ir no quarto no irmão, pois voltou em direção as escadas.

- Então... vejo que ele teve uma morte merecida. – Diz o Harvey se aproximando mais de mim. Às vezes eu esqueço que ele consegue ouvir mesmo estando longe.

- Estou com sede. – Digo.

- Vamos. Eu pego algo pra bebemos. – Ele diz pegando na minha mão.

- Não estou falando desse tipo de bebida. – Digo e vejo um casal subindo as escadas. Passo a língua pelos lábios e encaro o Harvey. Ele entende o que estou querendo e um sorriso surge em nossos lábios. Quando eles entram num dos quartos de hospedes nós esperamos alguns minutos e fizemos o mesmo. O casal já estava praticamente seminu na cama.  A garota dá um gritinho de susto e se cobre, o cara observa o Harvey e depois fica me olhando de cima a baixo. O Harvey estrala o pescoço pro lado e vai pra cima do cara ficando seus dentes em sua a veia. A garota tenta gritar, mas não consegue, pois sua boca está cheia de sangue e, eu por um acaso, estou com os dentes cravados em sua garganta. Quando me sinto satisfeita, jogo o corpo sem vida pro lado o fazendo desabar no chão e me deito. – Acho que estou ficando viciada em sugar o sangue das pessoas. – Comento.

- É normal isso no começo, depois você se acostuma. – Ele diz

- Espero que esteja certo. – Digo. Me levanto da cama, dou uma olhada no corpo da garota e encontro um celular, são 5 da manhã. Nossa, nem vi o tempo passar.

- Droga. – Ele resmunga se levantando e indo a passos rápidos até a porta.

- Que foi? – Pergunto quando o alcanço.

- Masky. – Ele diz e desce as escadas correndo. Como estou de salto demorei um pouco pra alcança-lo e quando o achei estava segurando um Masky com raiva e encharcado. Do outro lado pude ver um cara segurando outro cara. Acho que estava rolando um briga aqui. Por que as coisas mais legais só acontecem quando não estou por perto?

- ME SOLTA CARALHO! – Grita o Masky tentando se soltar, mas o Harvey é forte e o apertou ainda mais.

- O que aconteceu aqui? – Pergunto me aproximando e coloco uma mão em seu ombro, o que o fez parar de se debater e me encarar.

- Aquele babaca me empurrou na piscina de proposito e depois e começou a me bater. – Ele diz mais calmo.

- ELE ESTAVA PEGANDO A MINHA NAMORADA! – O outro cara grita com raiva e rosna.

- ELA ME DISSE QUE VEIO COM UNS AMIGOS QUE A DEIXARAM SOZINHA! – O Masky grita de volta.

- FODA-SE! ELA É MINHA NAMORADA E VOCE NÃO TINHA O DIREITO NEM DE TOCA-LA! – Ele grita de volta e consegue se soltar. Ele vem correndo na minha direção e o Masky também se solta e fica na minha frente e leva um soco no queixo. – Ahhhh. Já entendi. – Ele diz e da outro soco no Masky o que o fez cair no chão. – O que acha disso hein? – O cara diz e se aproxima de mim, segura minha nuca e me puxa num beijo. Tento me soltar, mas ele é forte. Sinto um empurrão e ele logo esta caído no chão sendo espancado pelo Harvey. Limpo a boca com as costas da mão e vou ajudar o Masky a se levantar. Ele aceita minha ajuda e eu vejo um pouco de sangue escorrendo pela sua boca.

- Harvey! Chega! – Digo calma sem gritar. Sei que ele escutou, mas me ignorou. – Harvey! Já deu! – Digo relando em seu braço, ele para de socar o cara e se afasta.

 

 

P.O.V    Harvey

 

- O que foi princesa? Quer mais? – O cara pergunta pra Kyara que dá um sorriso em resposta.  Rosno e quando vou avançar no cara de novo é a vez do Masky me segurar.

- Calma, ela sabe o que está fazendo. – Ele sussurra pra mim e eu bufo em resposta. A vejo se aproximar do cara. Perto demais pro meu gosto, parece que ela vai beija-lo, ele relaxa o corpo achando que isso ia mesmo acontecer, mas ela lhe dá um tapa no rosto e o empurra na piscina.

- Que foi? – Ela pergunta quando se vira e percebe o meu sorriso.

- Nada. – Respondo.

- Vamos embora! – Ela diz e começa a caminhar de voltar pra casa.

- Sua vadia! – Grita o cara saindo da piscina. Me aproximo dele e lhe dou um soco tão forte que ele acabou desmaiando.

- Hey! – Fala uma voz feminina atrás de mim, me viro e encaro a garota a minha frente. – Desculpe pelo meu primo, ele misturou muitas drogas e bebidas. – Ela diz.

- Tudo bem. – Digo e vejo o Masky me olhar. – Preciso ir. – Digo e vou até ele. O Toby aparece não sei de onde e nós vamos andando pro lado de fora da casa. Vejo a Kyara sentada no capô do carro conversando com o Hoodie sobre o que aconteceu.

- Já vai amanhecer. É melhor a gente ir. – Diz a Kyara quando nós já estávamos mais perto.

Eu tive que ir dirigindo, pois os outros estavam meio bêbados e a Kyara estava cansada, e também não estou nem um pouco afim de sofrer um acidente de carro. Só quero chegar naquela casa e dormir. Quando chegamos todos desmaiaram na cama e antes de cair no sono pude ver a Lia na porta e a Kyara levantando pra segui-la. Queria me levantar e perguntar pra onde elas iam e o que era tão importante que tinha que ser feito agora, mas o sono me venceu.

 

 

P.O.V    Narradora

 

A garota se levanta de sua cama e segue a tigresa até a floresta onde elas encontram com um ser alto e esguio. Após conversarem um pouco a garota diz por fim:

- Acho que isso será uma vantagem pra nós duas, então aceito.


Notas Finais


O q acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...