História King Murderer - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags Assassinato, Boate, Cashton, Gay, Investigação, Muke, Muke Clemmings
Exibições 76
Palavras 1.151
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


I'M DONE WITH IT
primeiramente mil desculpas por não ter postado ontem
fiquei sem energia ;-;
vamos entrar em contagem regressiva
quatro capítulos e talvez um epilogo e o o último sera no halloween
eu sou 99% Mtops e 1% Ltops
e se King Murderer eh uma fanfic diferente
o 1% que faz a diferença
a tão sonhada fodinha do otp esta por vir
vcs gostam de dirty talking? pq vai ter.
boa leitura xx

Capítulo 8 - Six


Escuro.

Frio.

Silencioso. 

Eu apenas ouvia seus passos e sua respiração próxima a meu rosto. 

Em seu colo eu estava. 

Por quanto tempo dormi? 

Minha mente forçou-me a voltar para a noite anterior.

Ou seria horas anteriores? 

Tenho certeza de que já amanhecia.

Tanto faz. 

Calum e Ashton.

Calum e Ashton mortos

Mortos.

Ele os matou. 

Por que sabia que os dois viriam em primeiro lugar na minha vida. Que estariam em primeiro lugar na porra do meu coração. 

E era isso que ele não suportava. 

Queria sempre estar na maldita frente, governando tudo e comigo não foi diferente. 

Saiba que isto está acabando, Luke. 

Meu corpo fora posto em um colchão. 

Macio, diga-se de paisagem. 

Minhas pálpebras abriram-se de imediato. 

Dando de cara com um par de olhos azuis perigosamente perto.

Sua respiração pesada se misturava com a minha. 

Ele sorriu. 

Com maldade e malícia

E eu nunca achei que um sorriso daqueles tiraria-me o fôlego.

Eu já deveria imaginar, era Luke Robert Hemmings ali. 

As luzes do quarto estavam apagadas, a porta balcão de vidro aberta, permitindo que apenas a lua iluminasse o local.

Seus lábios encostaram-se em meu pescoço atrapalhando os meus pensamentos, passara a deixar beijos gélidos por minha pele pálida, mordidas e chupões, causava-me arrepios por toda a extensão de meu corpo, arfava. 

Suas mãos de minha cintura, subiram para os primeiros botões de minha camisa e, Luke não perderia tempo abrindo-os um por um, simplesmente puxou arrancando-os e rasgando o tecido, ofeguei quando isso aconteceu, os pequenos círculos caíram ao nosso redor espalhados, eu não me importei. A partir de minha clavícula, o loiro iniciou uma trilha de beijos molhados até meus quadris, me contorci embaixo dele jogando minha cabeça para trás, a sensação de ter sua barba ralada roçando em minha pele era maravilhosa.

Eu estava literalmente no céu.

Não.

Não no céu.

No inferno. 

Na parte boa do inferno, se é que existia.

Por que Luke Hemmings era a porra de um demônio.

Este, por sua vez, encaixou-se no meio de minhas pernas, seu rosto encontrava-se perigosamente próximo de minhas partes intimas. Murmurei. Algo inaudível. Mas ele sorriu. Ágil, abriu o botão de minha calça e desceu o zíper, meu rosto queimou. O tecido deslizou por minhas pernas e logo eu estava livre. Em sua cama, apenas de boxer, entregue a ele de forma carnal, seus olhos analisavam cada pequeno pedaço de mim, seus lábios voltaram a se aproximar dos meus e impaciente, colei-os dando inicio á um beijo repleto de selvageria. Minhas mãos foram para seus ombros e nossos corpos invertidos, meus pequenos dedos desceram para a gola de sua camisa, nossas línguas travavam uma batalha intensa e eu repeti seu gesto, arrancando o tecido branco de seu corpo com brutalidade, Luke gemeu contra meus lábios quando comecei a rebolar em seu colo, afastei meu rosto do seu e a imensidão azul fixou-se na minha verde, transbordava luxúria, em um movimento rápido sua calça e boxer agora estavam no chão. 

Lentamente, mordi meus lábios quando vi seu membro ereto tão próximo do meu rosto, então, envolvi-o em uma de minhas mãos iniciando os movimentos para cima e para baixo, Hemmings gemeu, baixo e rouco, arqueou as costas e eu sorri satisfeito. 

''I want to feel your mouth around my dick.'' 

Sussurrou já ofegante. Suas palavras fizeram um arrepio percorrer meu corpo. Então, minha língua passeou por toda sua extensão, chegando no topo, abocanhei grande parte de seu pênis realizando seu desejo, suas mãos foram para meus cabelos e seus dedos entrelaçaram nos fios enquanto gemidos baixos saíam de seus lábios. Coloquei o máximo que cabia em minha boca enquanto subia meu olhar para seu rosto, satisfeito com suas expressões, esboçava um sorriso safado no conta dos lábios e aquilo apenas serviu-me de incentivo para continuar, em segundos, ficou boquiaberto, deixando gemidos agora altos escaparem enquanto começava a empurrar seu quadril para cima fodendo, literalmente, minha boca. Meus cabelos foram puxados com brutalidade e eu sabia que estava perto de seu ápice. Meus movimentos pararam, Luke gemeu em frustração. 

''De quatro, babe.'' 

Seu tom era rouco, suspirei, apoiando-me nos joelhos e braços, empinei a bunda e logo ele estava atrás de mim, desferindo um tapa estalado na mesma, arfei. Pude sentir a ponta de seu membro se encaixar em minha entrada e fechei os olhos.

Ele me foderia á seco?

Lentamente, Luke entrava dentro de mim. A sensação inicial não era a das melhores, era um caralho, não achei que ele seria carinhoso, de fato não foi um bruto. Quando me penetrou por completo, inclinou-se e começou a movimentar os quadris, um vai e vem delicioso, ainda sim lento, chegava a torturar-me e eu sabia o que queria.

''Implore.'' 

Sussurrou e mordi os lábios.

''Implore, Michael.'' 

Outro tapa foi desferido em minha bunda. 

Porra.

''Implore, Clifford. Não vou dizer outra vez.'' 

''F-fuck me, Hard and fast. P-please.'' 

Minha voz saiu falha e eu sei que ele sorriu. Segundos depois, começou a se movimentar, em uma velocidade razoável, meus gemidos eram manhosos, baixos, pedia por mais, chamava-o por seu sobrenome, rebolava. Tapas eram desferidos em minha pele, eu não reclamava. 

Por que estava gostando de sua agressividade. 

Mudamos a posição, agora eu estava em seu colo. Suas mãos em minha cintura, arranhava suas costas enquanto quicava e rebolava, nossos corpos suados grudavam. Escondi minha cabeça na curvatura de seu pescoço, gemendo abafado contra sua pele e Luke rouco no pé de minha orelha. Com dificuldade deixei um chupão ali, sentia meu ápice perto, então, levei uma de minhas mãos para meu membro, sendo impedido por Hemmings que a segurou. 

''Não vai se tocar, babe.'' 

Parou as estocadas, agarrou minhas coxas e levantou-se comigo no colo, sem sair de dentro de mim. Caminhou até a parede mais próxima e prensou-me ali voltando a se movimentar. Apoiei minha cabeça em seu ombro e meus dedos entrelaçaram em seus cabelos, puxando-os com força, fazendo-o jogar a cabeça para trás, os olhos fechados, a boca entreaberta de onde escapavam gemidos roucos que ficavam mais altos a cada segundo.

''Cum w-with me, Michael.'' 

Murmurou e eu assenti, suas estocadas ficaram mais fortes e fundas, nossos olhos fixaram-se um no outro. 

Verde no azul. 

''Ready? One, Two, Three.'''

Então nos desfizemos. 

Luke dentro de mim, eu em seu abdômen.

Minha respiração estava desregulada, meu corpo dolorido. Hemmings guiou-me de volta para a cama bagunçada deitando-me ali, lutava para manter meus olhos abertos aproveitando a visão que tinha, seus cabelos bagunçados, seus olhos mais brilhantes e claros do que nunca refletindo a pouca luz da lua, os lábios em um meio sorriso maldoso. Deitou-se ao meu lado, um braço atrás da cabeça, hesitei antes de colocar a minha em seu peito. Luke, de inicio, pareceu ''assustado'' com meu ato. 

Mate-o.

Mate-o, Michael. 

Mate-o. 

É hora de sonhar mais uma vez, Michael. 

Durma com o diabo. 

Eu vou estar aqui quando acordar


Notas Finais


EU NÃO SEI ESCREVER YAOI SCR
DESCULPA, SÉRIO, DESCULPA
esse final foi um puta fluffy meio pombo
sinto muito minha gente
a partir do próximo as coisas vão ficar confusas bagarai
tenho uma perguntinha...quais suas teorias para a reta final? e da fanfic toda? ME RESPONDAM HEIN?!
amo vcs
ate a proxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...