História Kingdom Of Joker - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arlequina (Harley Quinn), Batman, Esquadrão Suicida
Personagens Alfred Pennyworth, Bruce Wayne (Batman), Comissário James "Jim" Gordon, Coringa (Jack Napier), Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina)
Tags Batman, Esquadrão Suicida, Joker, Mad Love
Exibições 106
Palavras 1.339
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 21 - Demônio interior


Fanfic / Fanfiction Kingdom Of Joker - Capítulo 21 - Demônio interior

Este mundo não precisa de uma ópera
Nós estamos aqui pela operação
Nós não precisamos de uma faca maior
Porque nós temos armas
Nós temos armas, nós temos armas
Nós temos armas, é melhor correr
Nós estamos matando estranhos
Então não matamos aqueles que amamos
Nós estocamos demolição
Não podemos estocar emoção
Dinamite? Talvez nós tenhamos
Então nos atire um beijo, nos atire um beijo
Nos atire um beijo
Nós iremos explodir vocês em pedaços
Nós temos armas, nós temos armas
Seus filhos da puta
É melhor correr
Nós temos armas, temos armas
Melhor correr, seus filhos da puta 

 

Daqui há três anos 

Joker

Caminho em direção ao deposito onde estava guardando o corpo de Harley Quinn. Subo as escadas em direção ao quarto e encontro Harley ligada nos aparelhos médicos. Vários tubos para ajudar a respirar estavam em seu corpo. Caminho até a mesma que estava mais pálida que o normal. Sybil entra na sala com a pedra da fênix, ela coloca a mesma na mesa e caminha até mim.

-90 dias-Sybil me mostra a pasta.

-De onde tirou isso?-puxo a pasta bruscamente de sua mão.

-Estudos sobre casos de corpos em coma. Após 90 dias, metade das pessoas não conseguem retornar, e já faz três anos.

-Você disse que ia salvar ela-seguro a mesma e a enforco contra a parede.

-Precisamos atender o desejo dela, Joker-ela tenta soltar minhas mãos do seu pescoço-ela não quer voltar-joga-a no chão.

-Não, não é-viro a mesa com os remédios.

-Faz tempo que ela deixou de respirar sozinha, Joker-Sybil se levanta e passa as mãos em volta de seu pescoço-O corpo dela está cansado. Ela está cansada. 

Tempos atuais

Joker

Caminho para dentro do meu escritório. Pego uma garrafa de whisky no armário e viro a mesma na garganta, pego um cigarro e sento-me em minha cadeira. Observo a fumaça se misturar no ar, enquanto a bebida queimava em minha garganta.

-É verdade o que dizem-ela caminha até mim e senta-se na mesa-velhos hábitos nunca morrem.

-O que está fazendo aqui, Sybil?-puxo a mesma pelo cabelo.

-Eu quero te ajudar-jogo-a no chão-a Waller quer matar a Harley.

-O que você quer de mim?-ela se levanta do chão e coloca as mãos no meu rosto.

-Quero você, Joker. Você inteiro-dou um tapa em seu rosto e ela leva a mão na região vermelha-se você não acredita em mim, eu vou mostrar a você-Sybil coloca suas mãos em meu rosto e mostra-me a conversa de Waller e Magia.

...

Ela caminha até o canto da sala e joga uma pasta na mesa. Sobre o esquadrão suicida e os meta-humanos. Ela abre a mesma e coloca na página sobre a Harley Quinn. Sim, ela era aquela palhaça maluca, a tal amiga da Dr.June.

-Arlequina-vejo a foto de Harley no registro criminal e procuro nas memórias de June tudo o que ela sabia e passou com a Harley Quinn-Antes de fugir e se juntar ao circo, era conhecida como Dr. Harleen Quinzel. Uma psiquiatra do Arkham Asylum-com meu poder acesso a mente de Waller e posso ver imagens de Harley Quinn enquanto trabalhava no asilo-foi designada para o palhaço em pessoa. Ela pensou que estivesse curando ele, mas estava se apaixonando. Um romance no local de trabalho que deu muito errado-posso ver os flashbacks da invasão de Coringa no Arkham-Eles se tornaram o rei e a rainha de Gotham City. E que deus proteja quem desrespeitar a rainha.

Amanda Waller me entrega o vídeo de segurança da boate. Vejo o corpo do homem caído no chão com uma bala na cabeça.

-E isso foi só começo-vejo os jornais com os diversos assassinatos cometido pelo casal de palhaços-ela é mais louca que ele. E mais destemida. Mas o morcego tinha pego ela também, estava no mesmo buraco que o pistoleiro. Preciso que mate ela.

-Eu vou te ajudar a matar a Harley Quinn-sussurro contra o seu rosto-Mas sobre minhas regras. É o meu jogo, não tente tomar o controle. 

...

Caio no chão assim que as memórias terminam de passar em minha mente. Sybil pega um pano molhado e o passa em meu rosto. Seguro o braço da mesma.

-Como sabe disso?-aperto o pulso da mesma.

-Eu tenho amigos que tem amigos, e assim por diante. Eu quero te ajudar-ela leva a mão no bolso e traz com ela uma pedra vermelha.

-A pedra da fênix-ela coloca a pedra em minha mão-Por que trouxe ela com você?

-Se Waller se juntou com uma meta-humana, suas habilidades com armas e sua loucura não vão poder salvar a Harley, mas a pedra vai.

-Todo mundo usa as pessoas para conseguir o quer. A questão é, o que você quer?

-O seu amor-Sybil olha para o chão-eu ainda te amo.

-É?-mostro meu sorriso metálico-então entra na fila.

-Nós temos que nos proteger, ficar juntos-ela limpa as lágrimas que saiam de seus olhos-você ama a Harley e não quer que ela morra. Eu sinto o mesmo sobre você, mas ela morrerá, todos nós morreremos, se você não confiar em mim. 

-Fique e me ajude a derrotar Amanda Waller e a Magia, que eu protejo você.

-Não tem chance contra ela, nenhum de nós têm-Sybil pega o celular e mostra-me as fotos-ela conseguiu de volta os arquivos da maldições imperdoáveis. Ela vai matar todos que entrarem em seu caminho.

-Então eu vou matar June Moone, Magia, Waller. Qualquer uma que se meter em meu caminho. Vamos estar um passo a frente delas.

-A melhor coisa que você pode fazer por sua filha e tirar ela da cidade, não precisamos de mais vítimas.

Daqui há três anos 

Joker

Caminho até Harley e passo as mãos delicadamente sob seus fios coloridos. Acaricio seu rosto enquanto aprecio a sua beleza. Sento-me ao lado dela e seguro sua mão. Minha Harley Quinn, forte, louca e destemida, não era como essa Harley deitada em uma cama com aparelhos respiratórios.

-Oi amor-coloco sua mão próxima de meu rosto-eu trouxe umas flores para você, lilasis-Sybil caminha para fora da sala, deixando-me sozinho com Harley-preciso tomar uma decisão. Já faz muito tempo que eu venho adiando. É mais difícil que a maioria das pessoas imaginam. E todos tem uma opinião a respeito, mas como a sua opinião é a única que me interessa, eu queria ter sua aprovação-beijo seu rosto- o que é que eu vou fazer, com aquela sua Lamborghini rosa e azul?-suspiro fundo-Será que eu devo guardar na garagem ou devo vender?-olho para seu rosto parcialmente sem vida-O que se passa na sua cabeça, amor?-permito que algumas lágrimas caiam de meus olhos nomeu rosto-volta para mim, Harley Quinn. Acontece que o tempo está passando-aperto sua mão contra o meu rosto-vem chatear a minha vida, vem Harley. 

Ninguém quer morrer. Mesmo as pessoas que querem chegar ao Paraíso não querem morrer pra estar lá. Mas, apesar disso, a morte é um destino de todos nós. Ninguém nunca escapou. E deve ser assim, porque a morte é provavelmente a maior invenção da vida. É o agente de transformação da vida. Ela elimina os antigos e abre caminho para os novos.

-Às vezes coisas terríveis acontecem com pessoas incríveis-Sybil passa as mãos no meu ombro-mas está na hora de ir.

A razão pela qual a despedida nos dói tanto é que nossas almas estão ligadas. Talvez sempre tenham sido e sempre serão. Talvez nós tenhamos vivido mil vidas antes desta e em cada uma delas nós nos encontramos. E talvez a cada vez tenhamos sido forçados a nos separar pelos mesmos motivos. Isso significa que este adeus é ao mesmo tempo um adeus pelos últimos dez mil anos e um prelúdio do que virá.

-Harley, Harley-solto a mão da mesma e me levanto-tudo bem. Pode ir, nós vamos ficar bem.

Tempos atuais

-Tudo bem-passo as mãos em meus fios verdes-eu vou ajudar você a matar Waller, mas se algo acontecer com a Harley-seguro o pulso da mesma-eu vou até o inferno pessoalmente para matar você.

-Eu prometo-ela empurra a minha mão-eu não vou abandonar ela, eu vou salvar a Harley.

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...