História Kingdom Of Joker - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arlequina (Harley Quinn), Batman, Esquadrão Suicida
Personagens Alfred Pennyworth, Bruce Wayne (Batman), Comissário James "Jim" Gordon, Coringa (Jack Napier), Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina)
Tags Batman, Esquadrão Suicida, Joker, Mad Love
Exibições 70
Palavras 1.263
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Essa semana eu ganhei a HQ (Batman-Fim de Jogo- A verdadeira face do mal) e quis colocar um pouco dela na fic.

Capítulo 24 - Fim de Jogo Parte 3 : A verdadeira face do mal


Fanfic / Fanfiction Kingdom Of Joker - Capítulo 24 - Fim de Jogo Parte 3 : A verdadeira face do mal

Tudo parecia bem e eu estava hipnotizado
Eu joguei um cuidado com o vento
Eu estava esquecido e eu foi sacrificado
Meu corpo está se afogando no pecado
Você pode contar comigo
As coisas nunca mais serão as mesma
Próprio inimigo no jogo deste tolo
Eu vi sua verdadeira face do mal
É um cliché mas era calma antes da tempestade
Você mostrou sua verdadeira face do mal
É um pecado, considere-se para ser avisado
Não esmagar os ossos que você quer que eles pulverizado
Mas você é muito fraco para defender seu terreno
Você age tão magoada, você age tão vitimizado
Você joga um osso a um pobre para comer
Eu vi sua verdadeira face do mal
Você mostrou sua verdadeira face do mal
É um pecado, considere-se para ser avisado

 

♦️ Gotham City ♦️ 

Cinco horas atrás...

Harley Quinn

Caminho em direção ao meu antigo apartamento e pego minhas roupas de Dr. Harleen Quinzel, vou até o banheiro e visto a mesma. Passo maquiagem para dar cor a minha pele e esconder minha tonalidade pálida. Pego uma batom vermelho e o passo, sorrio sadicamente ao ver o resultado que tinha conseguido. Todas minhas tatuagens estavam escondidas, como se não existisse. Pudim pega sua Lamborghini roxa, e me leva em direção ao GCPD. Ele me entrega uma pasta com um selo escrito "Secreto" e saio de dentro do carro.

Caminho em direção ao prédio de polícia de Gotham City. Coloco meus óculos escuros e vou em direção a secretária do comissário de polícia, James Jim Gordon. A mulher olha-me de cima a baixo, mas não me reconhece.

-Eu tenho uma entrega para o Senhor Gordon-levanto a pasta-mas só posso entregar em mãos.

-Tudo bem, só um instante-a moça caminha para dentro da sala de Gordon e após alguns minutos, volta-ela já vai recebe-la, doutora?

-Harleen-sorrio para mesma-Dr. Harleen Quinzel.

Me aproximo da porta de Gordon e percebo que ele está falando com alguém no celular. Logo percebo que é Batman. Coloco o ouvido na mesma e escuto atentamente o que estavam falando.

-"Agora"...isso é música para os meus ouvidos. Está virando um inferno aqui, Batman. E rápido. O exercíto está prestes a nos isolar. O vírus está se espalhando mais rápido do que eles conseguem conter.

Eu sei, eu sei. O meu pudim sabe criar vírus potentes.

-Se não encontrarmos a cura nas próximas horas, vão colocar a cidade em quarentena. Estão trazendo "muralhas" Muralhas mesmo, não sou louco. Iguais àquelas da idade média. Então qual é o plano?-toc toc. Dou batidas leves na porta e Gordon abre a mesma-eu preciso desligar, depois nós falamos.

-Bom dia, comissário de polícia-sento na mesa de cabeça baixa-tenho uma coisa para você-entrego a pasta.

-Sobre o que? se me permite perguntar-ele pega a pasta e começa a ler.

-Ah qual é, comissa-ele levanta o olhar assustado para mim-sentiu saudades?-levanto o rosto e ele percebe que sou eu.

-Sai daqui, maldita-Jim cai no chão pelo susto-você não...você não é...

-Eu tenho uma coisa nova para te contar HAHAHA-caminho para perto de Jim Gordon.

-...E eu vou te derrubar, Arlequina-ele aponta sua arma para o meu rosto-chega desses truques baratos! chega de fotos adulteradas! e piadinhas!! O que está querendo provar e fingir? que você é especial? você já era!!

-Sabe, talvez você tenha razão, comissa-viro-me para ele-talvez desssta vez, Não seja uma piada mesmo-pego meu taco e aponto para ele.

-Pare ai agora-ele engatilha a arma.

-Oi?

Pego meu taco e acerto no Jim, ele me dá uma surra e eu caio no chão, e finjo estar desmaiada. Ele pega seu celular e liga para Batman.

-Eu consegui-ele começa a rir-ela chegou perto e eu não tive outra escolha, então...eu fiz-ele olha para o meu corpo caído-ela se foi, Batman. De uma vez por todas. Morta. Nada de mágica. Nada de renascimento.  Sei que estamos mal, Batman. Sei que parece que está pegando fogo em tudo, mas...pelo menos...-Levanto-me e paro atrás de Jim Gordon com um sorriso sádico-pelo menos, ela se foi.

-Jim?-Batman grita do outro lado da linha-Jim, ainda está ai? Jim!!

-Olá, Bruce-solto uma risada e desligo o celular.

Caminho até Jim Gordon caído no chão, eu tinha acertado em cheio com o meu taco. Pego a pasta na mesa e jogo a em seu peito.

-Se você quer a segurança de Gotham, vai querer ler o arquivo que está na pasta.

Saio em direção a porta e caminho para fora. Saio do prédio e jogo a peruca loira no chão e entro na van preta que me esperava. Sorrio para Johny Johny e faço um sinal para que ele comece a dirigir.

-O plano deu certo?-Frost olha levemente para mim enquanto dirigi.

-Mais certo do que eu esperava. Gordon é um policial esforçado, ele vai ler o arquivo, disso eu não tenho dúvida.

(...)

James Jim Gordon

Assim que recupero a consciência, passo a mão na cabeça e sinto um galo na mesma. Levanto-me com dificuldade e vejo que já passava das cinco. Sento em minha cadeira e começo a ler o arquivo que contia a pasta. Falava sobre a Wayne Enterprises. Falava que as indústrias Wayne estavam usando dinheiro do governo e de suas ações para criar equipamento para o vigilante de Gotham City. O mesmo, estava ajudando o vigilante a lutar contra vilões, e estava retirando dinheiro para a máfia. 

Passo as mãos nos olhos e coço os mesmos. Eu não conseguia acreditar no que estava vendo. Wayne era o principal investidor em toda Gotham, seja em hospitais até orfanatos. E Batman, era como um herói para a cidade, como um dia, Harvey Dent também foi.

Pego o meu celular e ligo para a sede do GCPD e para os que cuidavam dos assuntos internos, mas conhecidos como Amanda Waller. Digo que Bruce Wayne e Batman estavam por trás do dinheiro que abastecia toda máfia de Gotham City. Batman, era como um amigo para mim, mas a justiça prevalece. 

Daqui há três anos

Amanda Waller

Estou na sala de vigilância do quartel do GCPD com o Pistoleiro. Estávamos assistindo Coringa em um galpão abandonado com Sybil. O mesmo estava tentando trazer Harley Quinn, de volta a vida. Eu fiz certo em colocar lentes de contato biônicas em Sybil.

-Eu tive a Arlequina enviada para esse galpão depois que o Coringa piorou. Ele passava horas chorando em frente ao corpo dela em coma. E ele rasgou alguns otários até que o Batman deu uma sova nele. Eu sabia que eventualmente o Coringa voltaria, e quando voltasse, ele ia atrás da sua louca amanda para um reencontro-pego um caneca com café e bebo a mesma-então eu implantei lentes de contato biônica em Sybil, e fiquei na espera. E até ignorei a babaquice dela com esse casinho dela com o Coringa. Tudo porque eu sabia que graças a ela eu veria de camarote a maior mente criminosa do nosso tempo em ação.

-O cara é um lunático de primeira classe-Pistoleiro olha-me incrédulo-você devia chamar a polícia para prender ele.

-Quando eu terminar de aprender o que eu preciso. Veja-atraio seu olhar para mim-eu sempre pensei que a Arlequina não conseguiria viver sem o Coringa, mas a verdade é que ele que não consegue viver sem ela. Em seu jeito maluco de ser, ele ama a Arlequina e quer a aprovação dela.

-Então por que ele está prestes a matar ela?

Olhamos para a televisão e vemos enquanto Coringa, de maneira brusca e cruel, tentava trazer Harley Quinn de volta a vida.

-Porque ele a perdeu, e ele sabe disso. Mas ele ainda tem esperança.

 

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...