História Kingdom Of Joker - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arlequina (Harley Quinn), Batman, Esquadrão Suicida
Personagens Alfred Pennyworth, Bruce Wayne (Batman), Comissário James "Jim" Gordon, Coringa (Jack Napier), Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina)
Tags Batman, Esquadrão Suicida, Joker, Mad Love
Exibições 51
Palavras 1.665
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


PENÚLTIMOOOOOOO CAP MEUS AMORES.
Não se esqueçam de curtir a terceira temporada (Darkness Of Joker)

Capítulo 29 - Mal Eterno Parte 3 : Reinado em queda


Fanfic / Fanfiction Kingdom Of Joker - Capítulo 29 - Mal Eterno Parte 3 : Reinado em queda

Meus amigos estão todos feridos
Por momentos e arrependimentos
E uma caridade envolvida com mentiras
Continuamos na esperança
De consertar todos os defeitos
E fortalecer nossa influente união
Nós permanecemos juntos na melhor ou na pior
Nossa história é muito real para se odiar
Agora e sempre, ficaremos até amanhã
E prometemos lutar pelo nosso destino
No começo da jornada cada momento valeu a pena
Não posso mais te desapontar 
O céu continua se abrindo, nós nunca tivemos medo
E a consequência abre a porta
Eu nunca deixei de tentar, nunca deixei de sentir
Como uma família é muito mais do que sangue
Não se vá sem mim!
A peça que eu represento complementa
Cada um de nós
Até morrermos

 

♦️ Gotham City ♦️

Harley Quinn

-Harley, Harley-June fala enquanto eu a enforco.

-Eu quero voltar-olho ao redor e vejo todos caídos no chão-por que eu ainda estou aqui? Isso não é real-olho para todos sangrando-isso é real.

Reparo que eu finalmente tinha saído da pedra da fênix. Vejo todos mortos, ou não, no chão.

-Johny Johny, acorda-enfio uma agulha com adrenalina em seu peito-você não tem o direito de morrer.

Corro até Joker e passo a mão em seu rosto machucado.

-Joker-ele abre os olhos devagar-Joker, eu sinto muito. Eu não sabia onde eu estava. Eu não sabia que eu estava fora.

Sinto uma dor em minha nuca, e vejo que June Moone tinha enfiado uma agulha com sedativo na mesma. 

(...)

Abro os olhos e vejo tudo embaçado, aos poucos a minha visão recupera o foco. Sinto uma dor no pulso e vejo que meus braços estão acorrentados no alto. 

-Ah, claro-rio de frustração-eu já esperava.

Não sei quantas vezes eu fiquei gritando Rayna no último minuto. Ela tinha saído da pedra comigo. Olho para o corredor e vejo a mesma se aproximar.

-Sem sedativo hoje, vamos trocar o cardápio?-sorrio para a mesma.

-Não, só quero ter certeza de que você está calma-ela senta-se ao meu lado.

-Eu estou calma-levanto as mãos como sinal de rendição-e já sei que vai dizer que eu estraguei tudo para valer. Quase matei nossos amigos, porque achei que estava no mundo falso e infernal.

-Não tem que se desculpar. Não foi culpa sua-Rayna acaricia meu rosto.

-Han?-olho confusa para ela.

-Foi um erro explicável-Rayna fala séria-já foi perdoada.

-Calma ai-olho para a mesma-você está dizendo que não vão brigar comigo? dizer que eu fui uma maluca e quase matei vocês? Então eu digo algo maldoso, mas sincero. Isso tira você do sério e fica brava comigo.

-Harley-olho para ela-você saiu da pedra da fênix, mas ainda pensou que estava dentro dela. Todo mundo entendeu isso.

-Generoso considerando que eu dei com uma cadeira de ferro na cara do meu Pudinzinho.

-Essa pedra, tem grande efeito sobre você. 

-Bom, estamos aqui, e isso é real. Estou pronta para um abraço-sorrio- agora já pode me soltar.

(...)

Caminho com Rayna de volta para o porão escuro. A mesma me contava que Alex queria que eu entrasse dentro do cofre para tirar sua irmã de lá de dentro, mesmo ela estando presa lá há mais de quatro anos. 

Todos estavam no andar de cima cuidando dos ferimentos que eu tinha causado neles. Meu coração se alivia ao pensar que Lucy não estava aqui para se machucar. Mas ao mesmo tempo, estava triste. Quando minha alma foi levada para a pedra da fênix, a criança que tinha dentro de mim, morreu.

June Moone

Falei com todos os meus contatos sabendo que apareceriam mais cedo ou mais tarde. Eu devia isso a eles. Mas depois fui embora. Porque por mais triste que seja, essa luta não é minha. E se vou ser feliz um dia, tenho que reconhecer quais sãos.

Joker queria a ajuda de Magia. Harley teria que entrar no cofre para salvar a irmã de Alex. Mas um mal desconhecido habitava aquele cofre, então não poderíamos ajudar Harley quando ela descesse. Magia usaria uma bola de cristal para ver o progresso de Harley lá em baixo. 

Pego a bola de cristal e começo a ver imagens distorcidas. Algumas era do passado e outras do futuro do Harley Quinn, mas não sabia definir quais eram quais.

...

De longe posso ver uma das meninas correndo em minha direção. Ela olha assustada para o pato e começa a gritar para todos irem ali. Me levanto e fico de frente para ela. 

-Esquisita. Você é esquisita-ela dá um tapa na minha mão fazendo com que a faca caia da minha mão.

Começo a correr em direção a árvore perto do parquinho. Vejo a diretora chegando e corro o mais rápido, por minhas pernas serem pequenininhas, caio várias vezes.

-Volta aqui-ela tenta puxar o meu braço-Eu vou contar para a sua mãe-a menina gritava a distância para mim.

Chego na árvore e me sento na sombra da mesma. Coloco o rosto entre as pernas e começo a chorar. Eu só queria fazer as pessoas entenderem que elas eram tão loucas ou normais quanto eu. Eu não sei onde a minha loucura termina nem onde ela começa. Pego meu Batman de pelúcia, ele era a única memória que eu tinha do papai. Abraço o mesmo enquanto choro. Sinto mãos finas tocarem o meu ombro então levanto o rosto.

Mamãe me entrega a faca e me pega no colo. Ela era a rainha de Gotham, mas eu vi ela como as rainhas dos filmes. Ela realizava todos os meus desejos, isso era coisa que as rainhas podiam fazer. Todas as noites ela me contava histórias de rainhas e reis, como ela e o papai.

-É inveja, docinho-minha mamãe aponta para a menina-ela é comum e você é especial.

...

-Sou a Dr. Harleen, Harleen Quinzel.

-Eu gostei muito do que ouvi ao seu respeito. Inclusive o seu nome, se mexer em algumas letras chegamos a HARLEY QUINN!!-ele fala soltando uma gargalhada.

-Eu sei, como um palhaço Arlequim.

-É um nome que poem um sorriso em meu rosto.

...

-Você é igual a ela-meu pai dá um soco em meu rosto-preguiçosa, arrogante-ele dá com o cinto em minha face.

-Não diga uma palavra contra a minha mãe.

...

-Desculpe- fala com sua doce voz e fica constrangida 

- Não se desculpe. É que eu também quero mordê-lo, forte.- Ela era linda, seu corpo, seu rosto, seus lábios. Tudo. Absolutamente tudo nela me encanta. Seguro sua mão e a levanto

-O que vai fazer?- ela pergunta confusa com a situação, então a guio para uma dança lenta mesmo sem ter música.

-Por algum motivo não consigo ficar longe de você. Minha cama é grande demais sem você.

-Oh Mr.J, como podem achar que você é um monstro?

-Há quem diga que eu nem tenho coração.

Depois que terminamos de dançar ele beija delicadamente meus lábios.

...

-Sangue será derramado. Sanidade e loucura estarão juntos novamente-a cigana segura minha mão enquanto fala.

...

Meu pai pega a arma e aponta para o meu rosto. Tento controlar as lágrimas que insistiam em descer.

-Harleen Quinzel-ele engatilha a arma.

-Não, não me mate-começo a chorar.

...

-A profecia não se feria a uma mulher. Mencionava um menino, nascido no fim de julho-Sybil pega a garrafa de whisky que estava no chão.

-Sim, mas Waller acha que vai ser o filho de Harley-Joker fala desesperado- Ela pretendi ir atrás dela e depois matá-la. Esconda-a, enconda-os. Eu imploro.

-E o que tem para me oferecer Joker?-Sybil sorri e senta-se ao meu lado.

-Qualquer coisa.

...

-Harleen, você é tão amada-minha mãe fala comigo enquanto passa as mãos em meus fios de cabelo-tão amada. Harleen, a mamãe ama você. Papai ama você. Harleen fique segura, seja forte.

No mesmo instante um homem de capa preta entra no quarto e joga uma das maldições imperdoáveis em minha mãe, que cai morta no chão.

...

-Você disse, você disse que ia mante-la segura-Joker fala chorando ao corpo de Harley, que estava com a alma na pedra da fênix.

-Harley e Rayna depositaram sua fé na pessoa errada-Sybil vira-se para Joker-Assim como você. Lucy sobreviveu e ela vai precisar da sua proteção.

-Ela não precisa de proteção. Amanda Waller se foi.

-Mas ela retornará. E quando ela voltar ela vai precisar de sua proteção. Ela tem os olhos dela. Se você realmente a amava...

-Ninguém, deverá saber disso.

-Jamais poderia revelar o que você tem de melhor, Joker?

-Prometa para mim.

...

-Chegará o momento em que algumas coisas deveram ser contadas a Lucy-Sybil encara Joker. Mas você deve esperar até que Harley estava fraca.

-Devera saber o que?

-Que na noite em que Harley entrou no cofre para salvar a irmã de Alex, uma parte dela morreu. Uma parte das trevas, vive dentro de Harley.

Joker pega sua arma e joga para Sybil. A mesma vê que estava escrito na arma "hate, love"

-Harley, depois de todo esse tempo?-Sybil olha confusa.

-Sempre-Joker caminha para fora.

....

Olho para o corpo de Joker no chão e começo a chorar. Negan se aproxima e aponta o seu taco para o meu rosto.

-Você o manteve vivo, só para para que ele morresse no momento certo.

...

Tiro a mão da bola de cristal e sinto uma dor forte de cabeça. Todas essas memórias mexeram com a minha cabeça. Olho no relógio e já passava das seis horas da noite. O que significa que Harley já tinha entrado no cofre.

Sybil

Estávamos todos na sala de visitas do Arsenal esperando Harley Quinn voltar. Alex lia um livro sobre magia e Johny Frost limpava a metralhadora de Joker.

-Onde ela está?-Joker corre em nossa direção.

-No cofre, mas fechou a porta-Alex caminha em direção a Joker.

-Então, abra-ele grita tão alto que do outro lado do mundo era possível ouvir.

-Não dá. Só alguém Arsenal consegue-falo olhando para o mesmo. 

Rayna trabalhava no Arsenal, ela poderia ajudar Harley Quinn a sair do Cofre.

-Por que não trouxe a Rayna?-Johny Frost olha confuso para Joker.

-Eu trouxe-Joker e eu nos olhamos. 

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...