História Kingdom Of Joker - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arlequina (Harley Quinn), Batman, Esquadrão Suicida
Personagens Alfred Pennyworth, Bruce Wayne (Batman), Comissário James "Jim" Gordon, Coringa (Jack Napier), Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina)
Tags Batman, Esquadrão Suicida, Joker, Mad Love
Exibições 76
Palavras 2.021
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


QUE RUFEM OS TAMBORES!!!! O ÚLTIMO CAP DA SEGUNDA TEMPORADA.
Só queria agradecer a todo vocês que me seguiram, favoritaram a história e comentaram nela durante esses trinta caps. Muito obrigada a todos.
E não se esqueçam de curtir a terceira temporada.

Capítulo 30 - Mal Eterno Parte 4 : Me ajude a enlouquecer


Fanfic / Fanfiction Kingdom Of Joker - Capítulo 30 - Mal Eterno Parte 4 : Me ajude a enlouquecer

Fale comigo e me veja desmoronar
Você verá eu me descontrolar
Com fé eu me erguerei
Lá vou encontrar o que você se tornou
O que você se tornou
Você me ajuda a enlouquecer
E você acredita em algo que eu não posso definir
Ajude-me a enlouquecer, me faça retornar
E sobre antes?
Por quanto tempo você vai me fazer esperar?
Quem eu estou aguardando?
Eu estive esperando

 

♦️ Gotham City ♦️

Uma semana atrás...

Joker

Dirijo minha Lamborghini Roxa em direção ao porto de Gotham City. Lucy estava no banco do carona dormindo abraçada com seu Batman de pelúcia. Aumento a velocidade e finalmente chegamos. Pego Lucy no colo e saio do carro com a mesma. 

Uma moça loira com um casaco azul escuro e óculos de grau estava sentada em frente ao porto segurando sua bolsa. Elena, era a irmã mais velha de Harley. No meio dessa guerra Lucy vai precisar estar em um ambiente em que Harley saiba que ela está segura.

-O que eu vou dizer para a minha família?-a mesma abre a mala do carro e guarda as malas de Lucy.

-Diz que você apadrinho a filha de uns palhaços-ela olha-me assustada-fala que a sua vizinha tinha uma filha e morreu. Não importa-coloco Lucy dentro do carro de Elena-só cuida da minha filha, se não eu corto sua garganta.

A mesma concorda assustada e entra em seu carro. Vejo o carro se distanciar e Lucy acordar. A mesma para na janela e olha para mim chorando, mas era necessário. Podemos guardar os sentimentos o quanto quisermos. Mas isso não significa que não existam.

Harley Quinn

Caminho com Rayna de volta para o porão escuro. A mesma me contava que Alex queria que eu entrasse dentro do cofre para tirar sua irmã de lá de dentro, mesmo ela estando presa lá há mais de quatro anos. 

Todos estavam no andar de cima cuidando dos ferimentos que eu tinha causado neles. Meu coração se alivia ao pensar que Lucy não estava aqui para se machucar. Mas ao mesmo tempo, estava triste. Quando minha alma foi levada para a pedra da fênix, a criança que tinha dentro de mim, morreu.

Chegamos no porão. Rayna pega uma lanterna e a entrega para mim. Magia teria que fazer um feitiço para a porta abrir.

-Meramis En Nevalta, Confrenum Signos. Omas Quisa Dentum Exalis, Meramis En Nevalta, Confrenum Signos! Omas Quisa Dentum Exalis!-Magia estava gastando todo seu poder para nos ajudar. Seu corpo de bruxa aguentaria, mas ela estava habitando o corpo de uma humana, o que a tornava mais fraca-Meramis En Nevalta, Confrenum Signos. Omas Quisa Dentum Exalis, Meramis En Nevalta, Confrenum Signos! Omas Quisa Dentum Exalis!

A mesma vira-se para nós com o nariz sangrando. Entrego um papel e ela o limpa.

-Já abri-ela taca o pano em mim-agora eu vou embora.

Magia vai embora deixando eu e Rayna Cruz completamente sozinhas na escuridão.

-Esse lugar é bem esquesito-olho para Rayna-Joker disse para eu não entrar no cofre.

-Já procuramos em todos os lugares. Você sabe que se não acharmos a garota, Alex vai matar cada um de nós. Se você estiver com medo-Rayna olha irritada para mim-pode ir lá para fora ficar com o resto do pessoal. 

Paramos em frente ao cofre, a porta estava parcialmente aberta. Não sei o motivo, mas um medo percorre o meu corpo.

-E ai?-Rayna atrai o meu olhar para ela-pronta para entrar?

-E estou-olho para o cofre e balanço a cabeça-é, eu estou sim-caminho até o cofre e paro em frente ao mesmo-mas eu vou sozinha-viro-me para Rayna.

-Han? Como assim?-ela olha-me confusa.

-Seja lá qual é o mal que tem lá dentro, não é bom.

-Por isso precisa de mim-Rayna segura o meu braço.

-Deixe eu fazer isso, Rayna. Tem pessoas lá fora te esperando e se você entrar lá comigo e tudo der errado vai acabar tendo problema com eles e vai me culpa.

-Eu não ligo-ela seguro o meu rosto-eu posso te ajudar.

-Eu sei que pode-lembro-me dos momentos em que ela me fez ficar calma enquanto estávamos na pedra da fênix-e já ajudou. Várias e várias vezes. Sempre ajudou. E muitas vezes você se prejudicou. E dessa vez eu preciso de uma ajuda diferente. Eu preciso que você me deixe ir...irmã. Me deixe ganhar, ou então perder. Mas me deixe fazer isso sozinha.

Ela limpa as lágrimas e balança a cabeça em negativa.

-Me desculpe por ter fugido aquela noite. Eu sabia que ficaria chateada, mas sabia que ficaria bem também. Eu sei que faço escolhas horríveis e você gosta de estar perto para me ajudar. Mas dessa vez, eu preciso que acredite em mim. Está bem?

-Harley, eu...-ela nega com a cabeça, mas eu a interrompo.

-Não quero uma vida dominada pelo medo. Então, só dessa vez, irmã. Vire as costas para mim. E não tenha medo do que vai acontecer-a mesma me abraça-acredite, tudo vai melhorar. De um jeito ou de outro-sorrio forçado-eu vou ficar bem. Vai...

-Está bem.

Rayna me abraça forte, como se nunca mais fosse me ver, e talvez não fosse. 

-Escuta-ela fala durante o abraço-se precisar de eu vou estar-eu a interrompo.

-Esperando lá fora-ela olha para mim a última vez e sobe as escadas.

Caminho até o cofre e a escuridão dentro dele. Respiro fundo e fecho a porta do mesmo. 

Sybil

Ando de um lado para o outro enquanto espero elas voltarem. Johny Frost está ao meu lado. Olho para a porta e vejo Rayna subir.

-Graças a deus-corro em direção a mesma e a braço-onde é que está a Harley?

-Não acabamos ainda-ela fala com lágrimas nos olhos.

Harley Quinn

Caminho pelo longo e escuro cofre. Procuro em todos os cantos algum sinal da irmã de Alex. Desço até o andar mais baixo e finalmente encontro algo parecido com uma perna.

-Achei-tiro a mesma de dentro do caixão. Ela abre os olhos e sorri.

Pego a seringa com adrenalina e enfio na perna da mesma.

-Anda logo, acorda-ela abre os olhos e solta um grito forte.

-Você conseguiu, você conseguiu-ela mesma pula em cima de mim e me abraça.

Pego a mesma e apoio seu braço em meu pescoço. Ajudo a mesma a sair do cofre e a deixo lá fora. Lembro que esqueci a lanterna lá dentro e volto para buscar a mesma. Pego meu celular e ligo para Sybil.

-Harley-ela solta um suspiro de alivio.

-Já estou totalmente perdoada-solto uma risada.

-Está mesmo-ela ri junto comigo.

-Não poderia ter encontrado a garota mais rápido?-Johny Johny fala ao lado da mesma.

-O que é isso? Frost ainda está vivo? Droga...Eu não encravei a faca fundo o suficiente em você?

-Obrigada-os dois falam.

-Me agradeça pessoalmente, com uma boa garrafa de whisky-paro de falar.

-Mamãe-escuto a voz de Lucy dentro do cofre.

-Harley?-Sybil fala na ligação.

-Espera-viro-me para o cofre.

-Mamãe.

-Lucy?-falo como um sussurro.

-O que foi que ela disse?-Johny Johny fala ao lado de Sybil.

-Eu posso ouvi-la-caminho em direção a ele-no cofre.

-Harley, a Lucy está em New York com a sua irmã.

-Eu sei, mas-vários momentos que passei com Lucy passam em minha mente.

-Mamãe, me ajuda.

-E se alguma coisa aconteceu com ela? E se o Arsenal pegou ela?-fico de frente para a porta do mesmo.

-Isso não aconteceu-posso ouvir a voz de Alex.

-Só preciso ter certeza-entro no mesmo.

-Harley, não faça isso-Sybil grita no celular. Jogo o mesmo no chão.

-Mamãe, eu estou bem aqui. Eu estou tão sozinha, eu preciso de você.

Escuto passos atrás de mim e viro-me rapidamente.

-Cade você?-falo com um sorriso no rosto.

-Eu estou bem aqui-a fumaça negra se aproxima de mim.

Sybil

Estávamos todos na sala de visitas do Arsenal esperando Harley Quinn voltar. Alex lia um livro sobre magia e Johny Frost limpava a metralhadora de Joker.

-Onde ela está?-Joker corre em nossa direção.

-No cofre, mas fechou a porta-Alex caminha em direção a Joker.

-Então, abra-ele grita tão alto que do outro lado do mundo era possível ouvir.

-Não dá. Só alguém Arsenal consegue-falo olhando para o mesmo. 

Rayna trabalhava no Arsenal, ela poderia ajudar Harley Quinn a sair do Cofre.

-Por que não trouxe a Rayna?-Johny Frost olha confuso para Joker.

-Eu trouxe-Joker e eu nos olhamos. 

Rayna Cruz

Desço as escadas em direção porão. Abro a chave de segurança para funcionários do Arsenal e caminho até o cofre para encontrar Harley. 

-Harley?-assim que solto a porta, a mesma se tranca. Caminho pelo cofre escuro e escuto a respiração de Harley.

-Está sozinha?-ela surge atrás de mim.

-Eu vim escondida. E não foi uma tarefa fácil entrar aqui para te salvar-ela sorri para mim.

-Mais que heroína você é-o tom de voz de Harley é sombrio.

-Não deixo as pessoas para trás. Não faz o meu tipo. E como você é mãe da minha sobrinha, e com isso, posso dizer que as heroínas fazem tudo por suas crianças.

-Eu preciso te avisar-Harley lança um olhar cruel e perverso em mim-que nem sempre as coisas terminam tão bem. 

-Pois é-falo com desconforto.

-Não se preocupe-ela sorri sadicamente-não é tão ruim quanto pensa. Só doí a primeira vez-ouço vozes e unhas atrás de mim-e depois disso é até divertido.

Harley solta uma risada sádica enquanto mãos brancas esqueléticas me puxam para a escuridão. 

Johny Frost

Pego uma folha e começo a escrever uma carta para ela. Ela pediu que enquanto estivesse longe, era para contarmos tudo o que estava acontecendo em nossas vidas. Joker, não podia saber que eu estava escrevendo para a cara Harley Quinn.

"Querida Harley, chegamos tão perto. Joker e Sybil finalmente resolveram os seus problemas. June Moone e Rick Flag estavam quase sendo felizes. E você? Harley, você fez a coisa certa. A coisa mais altruísta. Nós esperamos dias naquela sala. Joker não dormia. Jogando tudo, incluindo a si mesmo, naquela porta, tentando abri-la. Após uma semana, Sybil conseguiu decifrar o código. Estávamos preparados para qualquer coisa...menos o que vimos-Lembro-me do dia que abrimos o cofre. Estava completamente vazio. Lembro também de Joker caído no chão, chorando e gritando o nome de Harley Quinn-Estava vazio. Completamente vazio. Não sei como vocês saíram, mas saíram. Estou preocupado com Joker. Ele perdeu as duas mais próximas dele...nem podemos fazer Magia usar um feitiço localizador para achá-las. A Magia foi embora e nunca mais voltou. Ele estava desesperado."

Decido mandar uma carta para Joker. O mesmo estava escondido em algum galpão a quilômetros de Gotham City. E ele não queria se encontrado.

"Foram três meses até ouvirmos o primeiro boato. Uma série de pessoas desaparecidas na Costa Oeste. Foi animador. Mas os números não paravam. Vinte, cinquenta, sessenta pessoas desaparecidas. São elas. Eu sei. Não sei o que há de errado com elas nem o que estão fazendo ou por que...mas prometo a você...nós vamos pegá-las de volta. Só sabia que aconteça o que acontecer até lá...Não é culpa delas."

Harley Quinn

Caminho em direção ao galpão em que eu estava com minha querida Rayna. O chão estava completamente sujo de sangue. Arrasto o homem pelo pé em direção ao mesmo, sua cabeça escorria sangue, sujando mais o local, mas eu não ligava. Eu amava isso.

-Olha você ai-Rayna sorri para mim e desce o gancho preto do teto.

-Oh, sentiu saudades?-pego o homem e prendo o seu pé no gancho.

Rayna aperta o botão e corpo do homem sobe até minha altura. Pego uma faca de ouro e corto a garganta do homem. Seu sangue caia em nós conforme seu corpo subia.

-Isso nunca perde a graça, né?-Rayna fala satisfeita e lambe o sangue na faca.

-Com certeza não, minha irmã-solto uma risada sádica ao ver todos os corpos presos no alto enquanto seus corpos faziam seu sangue cair em nós. 

"Ossos afundando como pedras. Tudo pelo que lutamos...Lares locais onde crescemos. Todos nós somos feitos para isto. Oh tudo o que eu sei. Não há nada do que se correr aqui. Porque sim todo mundo aqui...Tem alguém em quem se apoiar. E vivemos em um mundo belo. Vivemos em um mundo belo...Vivemos em um mundo belo. (Nós vivemos em) um mundo belo..."

 

 

 

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...