História Kingers - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekyeol, Basquete, Donghae, Eunhyuk, Hunhan, Kaisoo, Siwon, Sulay, Taeyeon, Taoris, Tifanny, Xiuchen, Yoona, Yuri
Visualizações 389
Palavras 4.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Esporte, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei antes do previsto, siiiim hahahaahh Enfim, espero que gostem! Talvez algumas pessoas me batam, mas, vamos lá! Nas notas finais a gente se fala mais
S2

Capítulo 27 - SuLay


Fanfic / Fanfiction Kingers - Capítulo 27 - SuLay

 

 

Capítulo XXVII 

 

 

 

[Feriado] 

O tão esperado feriado havia chegado e SuHo estava a espera de Lay no aeroporto já que o mais novo insistiu para se encontrarem ali.  

O empresário olhava para o relógio em seu pulso mostrando que faltava duas horas para o embarque.  O vôo não ia demorar muito, mas ele tinha que confessar que estava nervoso por conhecer os pais de Yixing. Será que o mais novo teria ficado do mesmo jeito quando conheceu seus pais ? 

-Está nervoso? – A voz do chinês invadiu seus ouvido o fazendo sorrir largamente assim que se virou o vendo com uma mala pequena de rodinhas. – Serão longos quatro dias ao meu lado. Será que vai aguentar? 

- Com você? Não sei. Não fui treinado para isso.  – O moreno sorriu puxando o outro pelo pulso para irem fazer chek in. 

 

~~ 

 

-Você não me disse que aqui tinha piscina! – SuHo pareceu maravilhado com o lugar. Era grande e arejado. Tinha um gramado lindo e fofo. O empresário não ia querer ir embora tão cedo. 

Olhava em volta, tinha a casa onde os pais de Yixing devia viver, a qual não era tão grande. Todo o espaço para os animais ali viverem. Com cercados para a dúzia de gado, o galinheiro, o estábulo e a piscina razoável. 

-Ela é nova,  é o segundo ano dela. – O chinês sorriu e deixou um beijo estalado na bochecha do namorado que sorriu. – Agora nós podemos.  Não há ninguém além daquele cavalo nos olhando. – Ambos riram antes de seguirem até a casa antiga do mais novo. – Mãe? Pai? Cheguei. 

- Ele está aqui, querido! – Uma voz feminina falou mais alto antes de aparecer na porta com um sorriso de orelha a orelha. – Yixing! 

-Mãe! Como eu estava com saudades da senhora! – O mais novo abraçou a mulher assim que ela saiu.  

A típica fazenda fez SuHo se sentir acolhido. Ele gostara do lugar. Foi tirado de seus devaneios assim que sentiu um abraço contra seu corpo.  Era a Sra. Zhang.  

-Então você é o famoso JoonMyeon pelo qual meu filho se apaixonou? – A mulher falou sentindo o abraço ser retribuído. – Mas é muito cheiroso seu namorado, filho. E bonito! 

-Vai deixar o rapaz com vergonha, querida. – Só naquele momento que SuHo percebeu a presença do homem que deveria ser o pai de Lay. – Muito prazer, JoonMyeon. Yixing fala muito bem de você. Só não me disse que também falava chinês.

-Espero que só coisas boas! – SuHo riu apertando a mão de se novo sogro que fez o mesmo. – Sei, sim senhor. Chinês e japonês.

-Onde está a vovó?  - Lay perguntou entrando na casa puxando o empresário que levava as malas. 

-Na cozinha! – Uma voz pôde ser ouvida e o chinês correu para lá vendo a senhora de uns setenta anos enxugando as mãos no avental. – Olha... Mas quanto tempo que não o vejo. 

-Que saudade, vovó! – Yixing a abraçou a rodopiando. – Como a senhora está?  

-Eu? Eu tô batendo um bolo. Ninguém me disse que chegaria essa hora. – Ela falou chegando perto de SuHo. – Quem é o bonitão aqui? 

-Esse é o JoonMyeon, vovó. Meu namorado. – Lay sorriu a vendo rodar SuHo que a olhava curiosa. – Ela não morde. 

-Só se ele pedir. – A senhora deu um tapa na bundo do empresário que corou. – Ande, vem aqui dar um abraço na vó.  

-Aqui a gente tem esse costume de chamar a mãe dos outros de mãe, o pai de pai... Bom, com a vó não seria diferente. – Lay sorriu vendo o empresário a abraçar.  

-Mãe, a senhora não está assustando JoonMyeon né? -  A voz do Sr. Zhang fez todos o olharem. – Vem, vou mostrar onde ficarão. 

-Meu quarto? – O jogador perguntou vendo seu pai negar  

-Seu quarto ficou para sua avó que insistiu que era melhor já que ela é “pequena”. Então achamos melhor reformar o antigo armário de suprimento animal. 

-Está falando sério? Eu posso ver? – Lay sorriu largamente vendo seus pais assentirem. – Nem posso acreditar! Eu amava aquele lugar!

-Vai amar mais ainda. Sua mãe fez de um jeito que você nunca quisesse ir embora mais. – Seu pai riu vendo a mulher ficar corada.

Yixing deixou um beijo na testa de sua mãe antes de puxar o namorado junto de si para subirem. Assim que abriu a porta seu sorriso foi de orelha a orelha.

-Não acredito... – O chinês ficou maravilhado como sua mãe havia feito tudo aquilo. Estava tão feliz. – Bom, devo dizer que não deve ser como os hotéis cinco estrelas que você frequenta, mas espero que goste.

-Você dizendo assim parece que sou um alguém fútil. – SuHo segurou a cintura do namorado e beijou sua bochecha. – É lindo mesmo. Devo dizer que vou adorar passar um tempo aqui com você e com sua família.

-Espero que ninguém te assuste. – O mais novo sorriu antes de olhar seu pai entrar. – Vamos trocar de roupa, quero lhe mostrar o celeiro. Na verdade, vou te mostrar tudo. Você vai adorar.

-Sabe andar a cavalo, JoonMyeon? – Sr. Zhang perguntou.

-Olha senhor, devo dizer que se andei, não me recordo. Meus pais me levavam em uma fazenda quando era mais novo, mas devo confessar que não lembro nada. – O empresário coçou a nuca meio sem jeito antes de se sentar na cama do mais novo.

-Então você já tem uma missão, filho. – O senhor falou para Lay que sorriu largamente. – Vou terminar de limpar o galinheiro e nos encontramos no jantar.

 

~~

 

-Eu adorei andar a cavalo. – SuHo sorriu abraçando do chinês por trás. – Na verdade, devo dizer que estou adorando tudo aqui. 

-Meus pais gostaram de você. – Lay riu se virando para o outro que roçou ambos os narizes. – Minha vó principalmente! 

-Ela já me bulinou três vezes! – O empresário riu sendo acompanhado pelo outro. – Obrigado. Se eu soubesse que sua família era tão acolhedora, teria vindo antes. 

-Eles querem que você volte mais vezes. Esse feriado poderia ser uns três meses. – O mais novo fez um bico passando o braço pelo pescoço do empresário que deixou um beijo estalado na bochecha alheia.  – Eu tranquei a porta. Acho que nenhum XiuMin irá aparecer aqui para nos atrapalhar.  

-Mas seus pais ainda estão lá em baixo e sua vó no quarto ao lado. – SuHo arregalou os olhos quando o namorado disse aquilo. Tudo bem que estavam no quarto de Yixing, mas fazer certas coisas com a família dele logo ali seria meio constrangedor.  

-Tudo bem, mas de hoje você não me escapa senhor Kim. – O chinês mordeu o pescoço do outro que se arrepiou todo.  

Não demorou muito para anoitecer e a família Zhang já estava jantando enquanto conversavam sobre alguma coisa da infância de Lay. 

O jogador se lembrava de algumas coisas até sua ida a Coréia.  

SuHo ajudou sua mãe a lavar a louça antes de voltarem para a sala onde a avó estava costurando algum croché que não soube dizer o que era. Lay estava com seu pai na mesa falando algo sobre os cavalos da fazenda.  

-Venha cá JoonMyeon.  Quero que veja uma coisa. – Sr. Zhang apontou para a cadeira ao lado. – Quero te mostrar essa fazendo há cinquenta anos atrás.  Meu pai comprou as terras para fazer uma bela plantão de soja. Na época era o produto mais exportado.  

-E por que não continuaram com o cultivo? – O coreano perguntou curioso vendo seu namorado abaixar a cabeça.  – Falei algo impróprio? Perdoem – me. 

-Não.  – O homem mais velho riu ajeitando os óculos.  – Não se preocupe. Yixing ainda é muito abalado por essa história.  

-O que houve? – SuHo segurou a mão do namorado por cima da mesa já que o mesmo se encontrava a sua frente.  

-Meu avô era inesperiente. – Yixing começou. – Então claro que foi muito fácil enganá-lo. Quando venderam essa fazenda a ele disseram que eram terras férteis para cultivo. Como ele não havia muita renda na época,  conseguiu essas apenas. Foi quando investiu todo o resto no cultivo de soja. Só que mesmo com a adubação não estava dando resultado. Ele precisava sustentar a família já que tivera três filhos.  

-E como ele conseguiu deixar as terras férteis? Rotação de culturas ? Nitrogênio? – O empresário franziu o censo.  

-Nenhum. Na verdade o cultivo nunca conseguiu sair dos planos do meu pai. – Sr. Zhang continuou. – Bom, eu e meus dois irmãos crescemos vendo nosso pai tentar nos manter bem. Os antigos proprietários sumiram com o dinheiro de meu pai. Quando atingi a maturidade decidi que iria fazer de tudo para tentar deixar essas terras férteis. Meu pai morreu de desgosto antes que eu conseguisse,  mas ele viu os dois cavalos e o galinheiro serem erguidos aqui para ele.  Hoje, temos uma pequena horta, animais, e finalmente descobri que podemos ter plantações de capim, coqueiro e bambu. E é disso que vivemos hoje. 

-Eu sinto muito. – JoonMyeon falou e viu o sogro sorrir. 

-Sei que hoje ele está feliz vendo seu legado. Uma pena o trator ter quebrado. – Sr. Zhang tirou os óculos.  – Se vocês me dão licença,  irei descansar agora. 

-Boa noite, senhor. – SuHo se curvou antes de o ver sair da sala.  

-Eu também já vou indo, meninos. Se cuidem e caso precise de mim, estarei no quarto. – A mãe de Yixing abraçou os dois deixando um beijo na testa de cada um. – Boa noite. 

-Yixing. – A avó do chinês o chamou atraindo sua atenção.  – Pensa rápido.   

Em um segundo o molho de chaves estava na mão de Yixing, o mesmo olhou sem entender.  

-Você sabe de onde são essas chaves. Quando entrarem não esqueça de trancar por dentro. Boa noite. – A senhora passou por ambos deixando um aperto nas nádegas de SuHo que corou fazendo o namorado rir. 

-De onde são? – JoonMyeon perguntou assim que a luz da escada foi apagada deixando apenas os dois na sala iluminada. 

-Vem, vamos ao celeiro. – Lay puxou o pulso do outro que se deixou levar. 

Como todo celeiro, havia a parte dos cavalos e do capim que havia colhido. 

-Lá em cima tem minha parte favorita. – Yixing sorriu assim que entraram no lugar. Ele se lembrou de trancar por dentro para ninguém entrar. – Não te mostrei antes porque você estava empolgado demais com os cavalos. Vem. Eu costumava passar meus dias aqui tocando violão ou compondo alguma música.  

O casal subiu e SuHo pôde ver uma parte de cima toda de madeira . Havia alguns instrumentos  de campo já enferrujados e uma cadeira de madeira. Do outro lado havia um sofá bem espaçoso por sinal. 

-Eu ficava nele, meu pai decidiu colocar depois que passei minha primeira noite aqui porque estávamos brigado. Ele até veio me cobrir e já aproveitei e deixei um travesseiro e uma coberta por aqui.  

-Tudo pensado. – O empresário se sentou no sofá e se acomodou ali. 

-Você ainda não viu o melhor. – Lay sorriu indo até perto de um armário antigo e ligou um pequeno rádio ali. – Eu amava ouvir músicas aqui. Acalmava os cavalos também.  

-Isso parece bem aconchegante. – O empresário sorriu e viu o namorado começar a mexer seu corpo no ritmo da música. – Gosto como seu corpo parece leve quando se move. 

-Devia tentar dançar comigo. – O jogador sorriu dando uma rebolado.   

Não demorou muito para que SuHo se levantasse e puxasse o namorado para perto de si e roubasse um beijo do mesmo que ainda se movimentava no ritmo da música que ainda tocava.

JoonMyeon segurava a nuca do mais novo e aproveitou para morder seu lábio.

-Adoraria usar aquela sua cama maravilhosa, mas devo confessar que esse sofá me parece ótima opção agora. – O empresário empurrou o chinês no almofadado o olhando curioso.

-Parece que você gosta de um sofá. – Lay mordeu o lábio vendo o outro tirar a própria camisa em sua frente antes de se juntar a si deitando o corpo por cima do seu.

-Principalmente quando tem você nele. – SuHo mordeu o pescoço do jogador que arfou e arranhou as costas já nuas do mais velho.

A camisa que Lay usava já se encontrava no chão junto com sua calça jeans, pois o coreano havia o deixado apenas com a peça íntima por estar um tanto necessitado do corpo do namorado e claro que Lay iria se aproveitar daquilo.

Já trocada as posições, o chinês rebolava no colo do empresário que segurava com possessão sua cintura enquanto ela se movia para frente e para trás. Uma trilha de beijos era deixada pelo tronco de Lay que apenas mantinha seus olhos fechados para sentir o quão quente era os lábios de SuHo.

-Droga, JoonMyeon, isso é muito bom. – O jogador mordeu o próprio lábio e arfou enquanto arqueava as costas.

As mãos de SuHo passearam por toda a lateral do corpo do chinês que arrepiou com o contato. Após chegar o cós da calça do namorado a abaixou um pouco apenas para apertar a carne de suas nádegas cheinhas. O pano já incomodava ambos, mas Lay não deixou que o outro a tirasse.

-Fique de pé, amor. – O mais novo falou vendo o coreano ficar de pé e se sentou no sofá. Desafivelou seu cinto e o jogou por cima de suas roupas no chão. – Está tão necessitado, não é mesmo?

-Você não faz ideia. – SuHo segurou o outro pelo queixo do mais novo o fazendo olhar enquanto abaixava seu zíper. – Faça um bom trabalho e será recompensado.

-Pode ter certeza. – O mais novo abaixou a peça íntima do empresário junto com a calça que usava. Viu o membro alheio saltar perto de seu rosto e sorriu por quanto o namorado estava necessitado de toques e atenção.

Lay molhou os lábios antes de passar a ponta da língua pela ponta do membro alheio sentindo o gosto do coreano que sorriu de lado com a visão que estava tendo.

As mãos de SuHo seguraram com força os cabelos do outro que arranhava suas cochas. Sentiu seu membro pulsar quando as mãos quentes do chinês abraçaram seu volume pulsante.

O jogador aproveitou para fazer a cara mais inocente que conseguiria fazer e abocanhou por completo o membro do outro que apertou seus cabelos. Era uma boca tão macia como veludo que rodeava seu membro que quase se esqueceu de como respirava.

Impulsionou o corpo para frente e ouviu um gemido de Lay um tanto sofrido.

O chinês trabalhava não apenas com a boca, mas com suas mãos também em movimentos de vai em vem na base do membro alheio.

-Chega. – SuHo o fez parar e o levantou beijando seus lábio úmidos. Aproveitou para se livrar da calça que ainda o prendia pelos tornozelos. – Vire-se e se apoie no encosto do sofá. – Mandou e viu o outro assentir.

O elástico da cueca de Lay foi puxado e solto logo após, um gemido foi ouvido pelo empresário que sorriu antes de descer aquela peça que ainda atrapalhava ambos do que ansiavam tanto.

SuHo mordeu uma das nádegas do mais novo que apertou os olhos com força pela dor que sentiu.

Um tapa foi desferido em sua coxa e seu corpo puxado para que ficasse empinado em direção do namorado que se ajoelhou atrás do jogador.

Sentiu a língua do mais velho rodear sua entrada e arfou com a sensação gostosa que sentia, e claro, que não demorou para empinar mais. Engolia a seco quando o músculo úmido do outro tentava, por diversas vezes, o penetrar.

Sentiu algo o penetrando e concluiu que era o dedo alheio o preparando. Como era bom.

-Não preciso disso, preciso de você. – Lay falou ouvindo a música do rádio acabar e alguns segundos depois começar outra. – Vem logo, Myeonnie.

-Repete.

-Myeonnie. – O chinês falou manhoso e olhou por cima de seu ombro o empresário ficar de pé. – Vai me enrolar mais ainda?

-Se é o que quer. – SuHo puxou o quadril do outro como se não pesasse nada.

Lay estava submisso demais para seus olhos, e adorou aquilo. Segurando a base de seu membro e a cintura alheia com a outra mão, passou a penetrar o mais novo que acabou grunhindo algo que não soube dizer o que era.

Os dedos de Yixing estavam com as pontas brancas por apertar com força o estofado do sofá. Ajoelhado no assento e com os cotovelos no encosto, Lay passou a rebolar no membro alheio.

O empresário segurou com força a cintura do mais novo que começou a se mover antes mesmo que se acostumasse, não reclamou, apenas começou a estocar a entrada do outro que passou a gemer seu nome.

SuHo desferia tapas nas nádegas do chinês que apenas gemia pedindo por mais. Estocava o mais novo com força e fundo sentindo o interior do jogador o apertar mais.

A mão livre do coreano foi até o membro de Lay e começou uma masturbação rápida.

-Myeonnie... – Yixing apertou os olhos antes de se desfazer na mão do namorado que ainda o estocava com força. Claro que após sentir seu orgasmo, sua entrada se contraia apertando o volume do empresário que estava próximo ao seu limite.

E foi preciso apenas mais algumas estocadas para gozar dentro do chinês que se arrepiou com o jato que levou dentro de si.

 

~~

 

Após a noite que ambos tiveram, a manhã logo chegou despertando os dois que correram antes de todos acordarem para de volta da casa e tomarem um banho.

Lay ouviu sua mãe na cozinha e suspirou com o cheiro de café que vinha do cômodo.

SuHo ainda estava no banho quando abriu a cortina de seu novo quarto. Estava feliz demais para pensar qualquer coisa. Estava na sua casa, com seu namorado, sua família. Não poderia pedir coisa melhor que aquilo.

-Está pensando em que? – A voz do coreano ecoou pelo quarto atraindo a atenção de Yixing que sorriu em sua direção assim que o viu secar os próprios cabelos vestindo apenas uma jeans.

-É tão estranho não te ver com trajes sociais. – O jogador sorriu se aproximando do namorado que fez o mesmo antes de selar os lábios nos seus. – Estava pensando que poderia ser assim sempre. Pena que essa feriado vai passar correndo.

-Podemos voltar mais vezes, agora que sei que sua família gostou de mim, irei sempre visita-los. – O empresário beijou a bochecha do outro que sorriu. – Sinto um cheio maravilhoso de café vindo até meu nariz.

-Minha mãe está lá embaixo, provavelmente com minha avó que estava fazendo bolo ontem e deve ter assado agora de manhã. Vamos descer? – Lay perguntou vendo o outro pegar uma camisa antes de assentir.

 

~~

 

[2 dias depois]

-Não sabia que ia passar tão rápido. – XiuMin falou se jogando no sofá do amigo na sala do empresário. – E como foi na China? Você não deu notícia a ninguém. Sua mãe está louca atrás de você.

-Foi ótimo, eu e Lay aproveitamos muito. A fazendo lá é incrível! Passamos todas as manhãs cuidando dos animais de lá e de tarde ficávamos na piscina. – O empresário falou arrumando alguns papéis. – Os pais dele são incríveis. Acho que gostaria de ter pais como os deles.

-Os seus não são de todo ruim. – O ruivo franziu o cenho.

-É diferente, Min. Você precisava ver na hora que nos despedimos. Eu vi amor. – SuHo parou e olhou para o amigo. – Eu conseguia sentir a saudade deles exalar na hora de irmos embora. A mãe dele me abraçou tão diferente. Até o pai dele... Acabou me chamando de filho mesmo não tendo muito contato comigo, disse para eu me cuidar e que queria me ver saudável e crescendo cada vez mais.

-E a avó dele? – Min Seok perguntou curioso.

-Só me disse para cuidar de Yixing e não deixar que nada o entristecesse. – O mais novo dali sorriu. – Quero voltar mais vezes lá.

-Que bom que gostou, mas agora, você precisa mesmo ligar para sua mãe. Tem vinte ligações perdidas dela aqui no meu celular porque eu não podia atender na reunião dos patrocinadores. – O ruivo falou mostrando a tela de seu celular.

-Tudo bem. Já estou ligando. – O empresário riu revirando os olhos ouvindo o telefone de sua mesa chamar.

-Sim?

-Mãe? Sou eu, o que queria de tão importante? – SuHo perguntou para a mãe que pareceu feliz do outro lado da linha.

-Finalmente, Joon Myeon! Onde esteve nesse feriado? Não atendeu minhas ligações. Precisava falar algo com você. – A mulher falou vendo o outro se desculpar. – Enfim, amanhã teremos o coquetel com os amigos de seu pai.

-Os empresários da indústria esportiva ou recepção de família? – O moreno perguntou.

-Empresários, venha bem vestido. Será no salão da mansão do seu avô. Não se atrase, começa as oito. – A mulher falou. – Traga a Tifanny como acompanhante.

-O que? Como assim? Não mãe, levarei o Yixing. – O filho falou como se fosse a coisa mais óbvia.

-Você não seria capaz de trazer aquele...

-Aquele o que? Ele tem nome. – SuHo suspirou massageando as têmporas. – Eu vou levá-lo.

-Que seja, mas ela irá vir com seu primo então de qualquer forma. Oito horas. Até amanhã.

-Também te amo, mãe.

 

~~

 

-Não. – Lay falou arregalando os olhos. – Eu não vou, Joon Myeon. Você pirou?

-Amor, por favor. Não quero ficar lá sozinho. – O empresário pediu para o namorado que suspirou. – Ande... Faça isso por mim.

-Eu não tenho roupa, não conheço ninguém e provavelmente não será bom para sua imagem entrar comigo. – Yixing falou meio receoso.

-Por favor. Vamos alugar roupas para você. – O mais velho pediu mais uma vez.

-Queria conseguir dizer não para você.

 

~~

 

O lugar era imenso. Como uma casa podia ser tão grande! Lay pensava consigo mesmo quando entraram no salão da mansão do avô de seu namorado.

-Você não me disse quer era tão luxuoso assim. – Lay falou enquanto entrava com SuHo ao seu lado. O jogador preferiu não dar as mãos para que não houvesse problemas mais para frente caso tivesse alguém contra.

-Vai ser rápido, eu prometo. – O empresário sorriu puxando o outro pelo pulso.

SuHo cumprimentou alguns convidados os apresentando para Lay que sorria tímido e se curvava. Claro que o mais velho fazia grandes elogios para o chinês que corava a cada um.

-Muito boa noite a todos os convidados. – O pai de SuHo falou no microfone no quarto degrau da grande escadaria do lugar atraindo todas as atenções. – Espero que esteja uma noite agradável e que esteja confortáveis. Eu queria agradecer e fazer um brinde ao novo contrato que fechamos com cada empresa convidada esta noite e faremos o nosso melhor. Um brinde!

-Um brinde! – Todos os convidados sorriram levantando suas taças, mas antes do Sr. Kim desligar o microfone, sua mulher o pegou sorrindo para todos que ainda mantinham todas as atenções nela.

-Boa noite senhoras e senhores. Desculpe o incômodo, mas gostaria de anunciar, e não vejo hora melhor, para parabenizar meu filho e minha nova nora pelo casamento! Joon Myeon e Tifanny!

Lay se engasgou com a bebida que tomava e procurou pelo namorado que o olhou tão confuso quanto ele. Tifanny já estava ao lado de sua mãe acenando para todos que batiam palmas.

SuHo em passos rápidos foi até sua mãe e sua prima as olhando sem entender.

-O que vocês estão fazendo? – Joon Myeon sorriu amarelo antes de se virar para sua mãe.

-Sorria e acene. – Sua mãe o fez ficar ao lado de Tifanny que sorria e segurou sua mão.

Lay assistia tudo de longe vendo o namorado meio confuso com tudo. Talvez, nem ele soubesse. Mais um truque desses ricos para ficarem bem na fita.

Seu pensamento ia relevando tudo, o jogador até sorria com a situação. Pelo menos, até Tifanny puxar seu namorado para um beijo que fez todos no salão aplaudir.

O chinês piscou algumas vezes. Não. SuHo não faria isso.’

Mas ele fez. Na verdade, ele não afastou sua prima.

Aquilo o fez deixar mais confuso. Por que ele havia o levado até lá? Terminou com a bebida de sua taça e colocou na bandeja do garçom que passava ali perto.

Pensou algumas vezes o que fazia e fez a única coisa sensata. Sem que ninguém percebesse, o jogador saiu dali.

Afrouxou a gravata que usava e tirou o paletó. Não devia ter ido. Havia sido um erro muito grande ter visto toda aquela cena. SuHo parecia não ter se importado com tudo que aconteceu.

Fechou os olhos e suspirou enquanto andava pelas ruas da grande Seul de volta para sua casa. Eram mundos tão diferentes. Lay não era assim, do tipo que mentia para as pessoas só por prestígio social. Ele havia deixado muita coisa para trás para fazer algo assim.

Abriu a porta do apartamento não vendo Kris e até agradeceu mentalmente por estar sozinho. Queria esquecer toda a cena.

 

 

 


Notas Finais


Próximo é HunHan!!!
Preparem-se! Fortes emoçoes estão por vir. Eu tenho tido poucos comentários, mas nao vou desistir!
Beijos amores! Estamos caminhando para o fim!
Não deixem de ler:
I'm (Y)Our Sky: https://spiritfanfics.com/historia/im-your-sky-9412417


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...