História Kingers - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekyeol, Basquete, Donghae, Eunhyuk, Hunhan, Kaisoo, Siwon, Sulay, Taeyeon, Taoris, Tifanny, Xiuchen, Yoona, Yuri
Visualizações 286
Palavras 4.767
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Esporte, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Vim o mais rápido que pude!
Em primeiro lugar devo dizer que queria ver a cara de cada leitor(a) ao ver a capa
Segundo, nao me matem por estar destruindo os couples como muitos vem falando nos comentários hahahaha
Estou muito grata a cada comentário, vocês tem me incentivado cada vez mais!
Eu amo muito cada um!
Boa leitura!

Capítulo 28 - HunHan


Fanfic / Fanfiction Kingers - Capítulo 28 - HunHan

 

 

Capítulo XXVIII

 

 

 

-Eu gosto quando está assim comigo. – LuHan falou deitado no peito de SeHun enquanto mexia na barra de sua camisa. – Eu fiquei bem chateado com o que aconteceu quando Kai veio para cá. Você nem perguntou se eu iria voltar com você.

-Não vamos começar com esse assunto de novo, LuHan. – SeHun falou respirando fundo. – Você sabe que não quero abrir para todo mundo que estamos...

-Estamos... – LuHan o encorajou a falou e olhou para o maior que revirou os olhos.

-Sei lá, nem sei o que a gente tem.

SeHun era realmente um ogro quando o assunto era conversar com LuHan. Nunca vira que o menor sempre o perdoava, não importava o que nem quando. Claro que o chinês as vezes tinha vontade de jogar tudo para o alto, mas no fundo ele gostava do coreano que parecia só querer se aproveitar de si.

-Sinto que você sempre só quer transar comigo. – O reserva foi sincero e sentiu o mais novo se levantar enquanto xigava alguma coisa baixinho. – Onde vai?

-Para minha casa, você está muito melodramático. – O maknae ajeitou sua calça antes de calçar os sapatos. – Amanhã eu desço de novo se não tiver tão... Enfim, boa noite.

-Achei que ia dormir aqui. – O mais velho se levantou indo atrás do outro que abriu a porta do seu apartamento. – Fica.

-Não, amanhã eu volto. – SeHun falou fechando a porta e deixando o outro meio confuso. Droga, por que era tão difícil conviver com SeHun?

Ele realmente tinha certeza que  o maknae ia mudar depois da noite que tiveram na empresa. Ele havia sido tão gentil e carinhoso, tinha dito tantas palavras bonitas que custou a acreditar, mas como seu coração era mole demais, ele acreditou. Doce engano.

SeHun parecia sempre estar atuando quando queria algo. Parecia não gostar de verdade de LuHan como ele gostava.

E foi assim, já convencido de que iria ver até onde ia durar, porque ele podia ser muito gentil, mas não era burro. Não ia ser capacho.

 

-Eu sei, mas por favor, só me escuta. Para de relutar LuHan. Eu sei que errei! – SeHun gritou vendo a expressão de choque e surpresa do chinês. – Merda, LuHan! Eu sei o que eu fiz foi uma tremenda de uma bosta na sua vida, e não sabe o quanto eu me arrependo! Era sua primeira vez e eu não tinha o direito de fazer nada nem antes nem depois! Você me julga, mas não mais que eu mesmo! Kris brigou comigo, mas não sabe o quanto eu me puni por ter te feito sofrer. Eu sei! Eu sei de tudo! E pior, não tem como eu voltar e concertar. E mesmo que eu fale qualquer coisa eu sei o tamanho da burrice que eu fiz! Só quero que me ouça! Eu sou uma criança, um imbecil. – Abaixou a cabeça com certa vergonha, mas não parou. – Só que de pensar que você ficou magoado e chateado comigo me destrói. Eu não sei o que raios eu estava na cabeça quando eu fiz aquilo. Porque... Mesmo eu não querendo admitir para mim mesmo eu sei. Eu sei que eu gostei. É disso que eu me lembro, que na manhã daquele dia eu estava tão perdido e confuso! Eu não fui homem para ver e assumir o que eu tinha feito. E aceitar. Aceitar que eu gostei. Gostei como nossos corpos se encaixaram, como meu nome parecia uma música nos teus lábios, na forma como você chamava pelo meu nome. – Suspirou frustrado franzindo o cenho. – De como eu me peguei sorrindo enquanto te olhava dormindo. Eu sou um tremendo idiota, mas nada disso, nada, vai justificar o que eu fiz. E eu sei disso. Isso que é pior, mas não vou desistir enquanto não saber que você está só um pouco melhor, porque não quero ser lembrado como o retardado que estragou sua primeira vez. Só... Tenta me perdoar. – SeHun falou soltando todo ar de seu pulmão podendo levantar o olhar e ver LuHan com os olhos vermelhos, mas nenhuma lágrima caia ainda. – LuHan, eu gostaria muito de mudar o que aconteceu, mas eu não posso, não consigo. Eu quero que você saiba que eu realmente passei a pensar em você todos os dias depois do que aconteceu entre nós. Eu não sei te dizer se isso é gostar, mas eu gostaria muito de descobrir. Droga! Você parece tão frágil como naquela noite! Eu quero muito te abraçar e te dizer que tudo isso passou e que eu nunca mais farei algo parecido, mas sei que irá me afastar e tamb...

-Você pode tentar. – O chinês o interrompeu. SeHun pareceu surpreso. Nessas alturas LuHan já deixava algumas lágrimas escorrer por seu rosto. Não gostava de se mostrar fraco ou vulnerável, ou qualquer coisa do tipo, mas com SeHun ele se permitiu.

O maknae se aproximou com certos passos lentos vendo LuHan o seguir com o olhar. Não demorou nem dez segundo para os braços de SeHun rodearem o menor que se encolheu com o contato. Ambos relaxaram os corpos assim que o aperto se fez presente.

O chinês chorava baixinho, ainda estava magoado e aquelas palavras só o fizeram ficar mais confuso que antes.

-Por que fez isso? – LuHan quebrou o silêncio. – Droga, SeHun, o que eu te fiz?

-Nada, meu anjo. Não fez nada. – SeHun não pode ouvir o coração de LuHan bater mais forte pela forma que havia sido chamado, mas se permitiu beijar o topo da cabeça do menor que ainda tremia um pouco. – Eu quem sou um idiota.

-Eu estava tão feliz. – O mais velho confessou e se surpreendeu quando foi pego no colo pelo maior tendo suas pernas na cintura do mesmo, mas se deixou ser levado para onde quisesse.

O silêncio se fez presente enquanto SeHun caminhava com o outro no colo até o elevador que já estava ali. Agradeceu mentalmente.

Sentiu um carinho gostoso em suas costas enquanto o elevador subia para sabe-se lá qual andar. A respiração de SeHun estava o acalmando. Afundou o rosto no pescoço alheio quando a porta foi aberta. Conhecia aquele lugar e não demorou para se sentarem no sofá da sala de espera de SuHo, melhor dizendo, onde XiuMin havia indicado para ficarem caso tudo desse certo.

Sentou com LuHan em seu colo.

-LuHan. – Chamou vendo o outro imóvel. – Ei, olhe para mim.

-Ainda estou magoado.

-Sei que sim... – SeHun suspirou. – Sei que não vai ser fácil, nem irá me perdoar do dia para noite. Mas eu vou esperar.

-Eu te odeio! – LuHan se afastou e bateu no peito do mais novo que já esperava que o mais velho explodisse algum momento. – Eu me odeio! Você acabou comigo, SeHun. Eu nunca entendi porque você me odiava tanto, sendo que foi você quem me convidou para fazer o teste! – As lágrimas caíram. – Começou a implicar comigo por não sei que raios! Depois me expôs quando me fez mostrar minhas marcas... Eu não estava pronto! Achei que ali você teria chegado no limite, mas você me provou que ainda podia ser pior. E você foi! Caramba eu me deixei levar quando você começou a me beijar... Eu fui fraco.

-Não, LuHan... Não foi.

-Fui! – Limpou as lágrimas com uma mão, mas insistiam em cair. – Fui, e você sabe disso. Eu me senti usado. Você parecia gostar na hora, dormimos juntos! Eu acordei no meio da noite e ouvi você chamar meu nome e depois? Eu fui obrigado a ouvir tudo aquilo. Eu senti nojo. Nojo de mim mesmo por ter sido tão estúpido. E não foi só você quem gostou, e por isso que eu me odiava mais ainda. Por não conseguir parar de pensar no que havia acontecido! Quando eu acordei aquele dia eu passei a mão pelos meus lábios lembrando do seu beijo e não pude nem aproveitar porque no minuto seguinte eu já estava ouvindo você cuspir aquelas palavras. – LuHan socou mais umas duas vezes o peito de SeHun que apenas o encarava. – Eu chorei. Eu acabei contando tudo para Kris, porque ele acabou descobrindo. Eu estava exposto. E você não tem noção de como está sendo difícil estar aqui olhando para você e dizendo tudo isso. Eu tinha prometido a mim mesmo que nunca mais chegaria perto de você. Você me machucou muito.

 

-E ainda machuca... – LuHan respirou fundo vendo seus próprios dedos escorregarem pela camisa que era do maior.

 

~~

 

-E como ele está agora? – Lay perguntou a Chan Yeol que revirou os olhos. – Baek Hyun levou uma pancada feia. Depois que o visitamos parece que ele está meio doido.

-Ele não se lembra de mim e está paquerando qualquer um que vê pela frente. – O maior bufou. – Outro dia fui vê-lo e o enfermeiro saiu de seu quarto assustado porque Baek Hyun tentou passar a mão nele.

-Deve ser influência daquele estranhos do Huang. – Kris deu de ombros enquanto dava outra garfada em sua comida já que o time todo se encontrava  no refeitório da empresa. – São maus amigos. Não sei porque ainda vai vê-lo, ele já não saiu do hospital?

-Há dois dias. – Chan Yeol terminou de comer e limpou a boca. – Ele estava querendo vir aqui hoje, mas eu disse que só com a permissão do SuHo. Tive que explicar tudo que aconteceu. E gente, eu queria me desculpar por conta do que a Yoona fez. Ela não tinha esse direito.

-E o que você fez? – LuHan perguntou tomando seu suco.

-Falei umas verdades na cara dela e disse para sumir. – Chan Yeol deu de ombros antes de massagear a própria testa. – Desculpa não ter contado sobre o que estávamos tendo. Acho que ninguém foi sincero aqui com ninguém. Devíamos confiar mais uns nos outros. Então essa é minha verdade. Eu gosto do Baek Hyun e estávamos namorando.

-Uau. – SeHun riu antes de negar com a cabeça.

-Eu ia pedir Kyung Soo em namoro. – Kai falou suspirando atraindo a atenção de todos. – Mas ele foi embora antes que tivéssemos qualquer coisa, disse que não queria me prender nem nada. Vai ficar um ano fora, eu até quis o esperar, mas ele não quis.

-Sinto muito. – LuHan falou e sorriu para o moreno que piscou para o reserva.

-SuHo viajou comigo nesse feriado. Conheceu meus pais. – Lay começou e Kris pareceu surpreso. – Sim... Eu também estou namorado, galera. – Ele sorriu meio triste. – Quer dizer, eu acho que eu estava. Só que ontem ele beijou a prima dele e ainda não veio falar comigo. Então não sei de mais nada.

-Kris? – SeHun perguntou para que ele continuasse. – Pode contar.

-Eu? Eu não tenho nada para contar. – O líder revirou os olhos. – Conte você o teu segredo, SeHun. Fala para o time o que acontece com você.

-Eu falo. – LuHan levantou a mão. – Eu e SeHun estamo...

-Bem. – O maknae o cortou. – Estamos bem e nunca mais iremos brigar para o bem do time.

-Aleluia! – Kai levantou as mãos. – Achei que esse ódio seria para sempre.

-Esperava mais de você. – Kris falou baixo para SeHun que abaixou a cabeça. – Todos foram sinceros. – Olhe para LuHan agora. – Líder ainda falava baixo para que os outros que conversavam não escutassem.

-Eu já conversei com ele. – O mais novo revirou os olhos.

-Engraçado que ele parece não ter tido essa conversa. – Kris olhou para LuHan mantinha a cabeça baixa antes de se levantar tirando seu prato.

-Eu vou falar com SuHo, já volto. – LuHan falou saindo dali sobre o olha de Kris e LuHan.

-Minha vontade é de te socar. – O líder bateu na cabeça do outro que resmungou alguma coisa. – Por que não assume logo o que você têm? Fica nessa enrolação.

-Larga um pouco do meu pé.

 

~~

 

-Baek? – Chan Yeol parou o jogo antes de ver o menor entrando na quadra sendo acompanhado de Tao que tinha uma cara de sono. – O que está fazendo aqui?

-Consegui a permissão de SuHo se fosse sem meu celular. – Baek Hyun deu de ombros. – Você estava errado, novato.

-Novato? – Chan Yeol ouviu os risos dos outros. – Eu sou do time faz tempo, você quem perdeu sua memória.

-Não. Você quem nunca esteve nela. – Baek Hyun o olhou de cima a baixo. – Se me der licença, eu quero ver o time treinando.

O maior dos dois bufou continuando a treinar com o time que se esforçava antes de conhecer os novos treinadores. Passaram a treinar seis horas durante cinco dias da semana. Viveriam de treinos cada vez mais pesados.

Estavam exaustos, mas não poderiam parar até a final. Aquilo os ajudariam muito não só como time, mas para terem patrocínio e ajudar a empresa Kim’s.

-Chega por hoje. – Kris falou se levantando do chão após todos se esparramarem no chão da quadra. – Estou indo já porque vou correr um pouco ainda. Tomo banho em casa. Até mais, galera.

-Tchau. – Todos falaram juntos antes de se levantarem para irem até o vestiário.

-Perai! – Kai o chamou antes de sair. – Vamos todos para meu apartamento com Chan Yeol amanhã, já que é sábado. Levem cerveja!

-Beleza! – O líder saiu dali já sobre o olhar de Tao que saiu de fininho para que seu amigo ao lado não percebesse, mas ele estava ocupado de mais olhando para um dos jogadores.

 

[Vestiário]

-Chen vai matar a gente quando souber que bebemos todas. – Lay riu terminando de colocar seu tênis, já havia apressado seu banho. – Tchau para vocês, estou na sala do SuHo.

Os quatro restantes do time terminavam o banho sentindo aquele vapor quente rodeando seus corpos.

LuHan foi o primeiro a terminar e já se enrolou na toalha enquanto usava outra para secar seus cabelos molhado pela água quente. Havia relaxado o suficiente para não sentir nenhuma dor muscular no momento. Talvez só no dia seguinte.

-Uau... Aqui é grande. – Uma voz invadiu o banheiro e LuHan olhou a figura de Baek Hyun que sorriu. – Ou LuHan.

-Baek? O que está fazendo aqui. Acho melhor esperar lá fora, Chan Yeol ainda está no banho. – O chinês falou abrindo seu armário e passou o desodorante.

-Não estou procurando por Chan Yeol. – O menor sorriu malicioso antes de apontar para direção esquerda de LuHan. – Estou procurando ele.

O chinês virou o rosto na direção de que o dedo do coreano apontava e se surpreendeu ao ver SeHun ali terminando de enrolar a toalha em sua cintura.

O maknae deixou o peito ser molhado pelos cabelos o que atraiu ainda mais a atenção de Baek Hyun que umedeceu os lábios e que não passou despercebido por LuHan que franziu o cenho.

O que raios estava acontecendo?

-Ou SeHunnie. – Baek Hyun atraiu a atenção do jogador que olhou para si e sorriu malicioso.

-Está querendo ver homens nus, Baek Hyun? – SeHun riu vendo o outro fazer o mesmo e ignorando completamente a presença de LuHan que ainda estava no meio dos dois, porém, um pouco mais afastado da linha reta dos olhares de ambos.

-Não. – Baek riu antes de se aproximar do maior que o acompanhava com o olhar. – Só você mesmo.

-Como? – LuHan franziu o cenho, mas não atraiu nem um pouco a atenção dos dois que se mantinham conectados pelo olhar. – SeHun?

-Não acho que aqui é o lugar. Talvez na minha casa. – O maknae falou e o choque no reserva o fez se apoiar em seu armário. SeHun só podia estar brincando.

-Talvez eu saiba o endereço se você me passar. – O dedo de Baek Hyun passeou pelo peito desnudo de SeHun que fechou os olhos.

-Que merda é essa?! – Chan Yeol falou alto fazendo todos olharem para ele. – O que você está fazendo Baek Hyun? E você SeHun? Que merda está acontecendo aqui? Alguém me explica?

-É brincadeira, Chan. – SeHun riu antes de se afastar de Baek Hyun que parecia ter ficado bravo por ter sido interrompido. – Não íamos fazer nada.

-Eu ia. – Baek Hyun falou cruzando os braços. – Que saco, Chan Yeol. Sai do meu pé.

-Eu já ‘tô indo. – LuHan falou apressado terminado de colocar sua roupa e sair dali.

 

-LuHan, para de frescura. – SeHun bufou pela quinta vez depois que chegou ao apartamento do chinês que se mantinha de cabeça baixa. – Você sabe que eu não estava falando sério. Baek Hyun só estava curtindo com a cara do Chan Yeol.

-Não pareceu. – O reserva se sentou no balcão de sua cozinha e SeHun foi até ele. – Principalmente quando ele começou a passar a mão em você e você não disse nada.

-Eu já disse que o que temos não é algo sério, não podemos cobrar um do outro. Aqui é curtição, não se lembra que conversamos?

-Depois de você ter dito coisas lindas para mim? – LuHan riu triste. – É eu lembro. Você sempre é assim, é fofo e depois pisa. Eu não sei se aguento isso.

-LuHan. – SeHun chamou e levantou o rosto alheio usando seu nariz. – Vamos só aproveitar o que temos aqui. Sem cobranças. Vamos ficar com o que temos de melhor um do outro.

-Mas eu não quero que fique com outras pessoas. – LuHan falo sincero encarando o coreano que riu.

-Eu não estou ficando com ninguém, LuHan. – O mais novo segurou o rosto do menor que parecia tímido. – Vem, temos coisas melhores para fazer. – SeHun pegou o chinês no colo o levando para a cama deste.

 

~~

 

-Não via a hora! – Kai riu abrindo a terceira latinha de cerveja entregando para Chan Yeol que jogava vídeo game com Kris na disputa que o time todo estava fazendo para ver quem era melhor no guitar hero.

-Eu não sei por que você os convidou. – Kris falou de novo sentindo a presença de Tao ao seu lado enquanto o mesmo parecia apenas o olhar perdido. – Agora essa criatura não sai do meu pé.

-Devo dizer que eles animam aqui. – Lay riu se deitando no sofá da casa dos dois amigos que riam com Baek Hyun que tentava dançar ao som de guitar hero no meio da sala.

LuHan beliscava algumas coisas na mesa de jantar que havia ali e SeHun estava na cozinha caçando algo na geladeira e bebendo mais.

Já estavam muito bêbados com exceção de LuHan e Tao que se mantinham sóbrios e atentos a tudo e a todos.

-Estou com sono, Baek, vamos para a casa. – Tao chamou o amigo que ainda dançava. – Acho que o time vai dormir aqui, vamos embora.

-Vamos dormir aqui também! – Baek Hyun gritou para o amigo que revirou os olhos se sentando no sofá com as mãos nos ouvidos.

-Quero ir embora. – O chinês pareceu emburrado.

-Vou pegar uma coisa para você beber! – Baek Hyun gritou para o amigo que revirou os olhos e seguiu para a cozinha encontrar SeHun com a cara enfiada na geladeira. – Quero outra, por favor.

-Oi... – SeHun falou meio enrolado por conta da bebida que já havia subido demais para a cabeça. – Quer mais o que?

-Você. – Baek Hyun falou se sentando com dificuldade em cima do balcão da cozinha começando a rir junto com o maknae que fechou a porta da geladeira olhando para o menor que ainda tinha mantinha uma latinha em mãos. – Tao me contou que você tinha uma queda por mim.

-Sempre... – SeHun falou embolado antes de ficar entre as pernas de BaekHyun que sorria largamente. – Mas você preferiu Chan Yeol.

-Eu devia estar louco... – O mais velho sorriu antes de puxar SeHun pelo colarinho deixando um beijo em seu lábio. Ambos começaram um momento meio erótico e um tanto pervertido.

SeHun só conseguia puxar o menor pelas coxas enquanto o mesmo agarrava sua camisa quase a arrancando. Eram mordidas e chupões distribuídos pelos corpos que se moviam um encaixando no outro.

Baek Hyun mordeu o lábio do maior com força o fazendo gemer. Ele ficou um tanto nervoso e acabou erguendo o menor em seu colo o prensando na parede perto da porta.

-Eu quero você. – SeHun mordeu o lóbulo da orelha de Baek Hyun que arranhou o pescoço alheio com suas unhas curtas.

-Eu quero ser seu. – Baek Hyun lambeu o lábio inferior do outro que suspirou. – Agora.

-Claro que quer. – A voz de LuHan soou na porta e os dois pararam o que estavam fazendo.

-Baek Hyun! Seu pervertido! – Tao falou puxando o amigo do colo do outro ainda sobre os protestos. – Eu te disse que estava exagerando, olha a confusão!

 

~~

 

LuHan estava detonado. Nunca devia ter ido aquela social na casa de Kai e Chan Yeol. Nunca devia ter perdoado SeHun. Nunca devia ter feito nada relacionado a ele mesmo. LuHan.

Era domingo e nunca agradeceu tanto por ter aquele dia de folga. Suspirou aliviado enquanto se cobria até a cabeça para não ter a claridade invadindo seus olhos.

As cenas de SeHun e Baek Hyun se beijando e quase transando no meio da cozinha voltaram em sua mente. Droga. Não tinha nem vinte quatro horas que eles haviam dormido juntos e SeHun já fora procurar outra boca para beijar.

Olhou para o relógio.

Meio dia.

A campainha tocou.

Claro que foi se arrastando para a porta de casa e revirou os olhos. Queria ficar sozinho.

Abriu a porta e Tao estava lá.

-Sei que deve estar confuso, mas... Posso entrar? – O moreno perguntou para o loiro que deu passagem.

-O que aconteceu para você estar na minha casa? Nem sabia que você tinha meu endereço. – LuHan respirou fundo se sentando no sofá junto de Tao que mexeu as pernas meio nervoso. – O que houve?

-Bom, eu sei que ontem éramos os únicos sóbrios e foi uma confusão depois que você foi embora. Eu nem te vi indo embora! – O moreno comentou vendo LuHan piscar lentamente. – LuHan, olha, Baek Hyun estava bêbado. Ele não fez por mal.

-Veio aqui para tentar limpar a cara dele? Baek Hyun não teve coragem? – LuHan suspirou cansado. – Tao, me desculpa, você não tem nada haver, mas eu só quero esquecer o que houve ontem.

-Você gosta do SeHun.

-Mas não é recíproco. – O reserva deu de ombros. – Era só isso?

-Eles estavam bêbados. Baek Hyun mal se lembrou do que aconteceu ontem. – O moreno falou calmo vendo o jogador fechar os olhos enquanto massageava sua testa. – Eu sei, mas tente entender. Baek Hyun perdeu a memória. Esqueceu Chan Yeol, quem realmente ele gosta. Ele nunca quis nada com SeHun, eu sou a prova disso. A vez que deu aquela bagunça porque eu queria o endereço do Kris, Baek foi arrastado para aquele encontro.

-Eu não quero mais, Tao. – LuHan falou e segurou as mãos alheios. – Tente ver meu lado também. Acho que por mais que você estivesse ocupado com Kris, você sempre olhava o que acontecia em volta. Via como SeHun era implicante comigo.

-Sim, por mais que eu parecesse avoado, eu prestava atenção no que acontecia. – O mais novo foi sincero. – Mas via também como ele te olhava. Era só para te provocar. Olha, eu não sou tão bom em ler as pessoas como o Baek, mas tem certas coisas que só não vê quem não quer.

-Eu só preciso de um tempo. – O reserva sorriu e viu o outro se levantar. – Sei que vocês são bem amigos, mas não o culpo totalmente. Obrigado.

-Eu quero ser seu amigo também, LuHan. – Huang foi sincero e sorriu. – Conta comigo, de verdade. Eu já vou indo.

-Tudo bem. – O reserva levou o outro até a porta. Assim que fechou a campainha tocou de novo e riu por ver que Tao não desistia. – Esqueceu alg... – Sua voz morreu assim que viu o rosto de SeHun que parecia estar no tédio.

-Precisamos conversar.

-Tchau. – LuHan bateu a porta, ou ao menos tentou se não fosse o pé de SeHun segurar. – Vai embora.

-Eu disse que precisamos conversar. – O mais novo falou empurrando a porta com mais força que o menor que bufou assim que o mesmo entrou em seu apartamento. – Será que você pode ao menos me escutar.

-Eu não quero. Quero que você vá embora. – LuHan falou firme cruzando os braços no meio de sua sala. – Ande, SeHun. Vá embora.

-Não antes de me escutar. – O maknae falou com as mão nos bolsos. – Eu quero começar dizendo que sou

-Um idiota. – LuHan completou vendo o outro lhe encarar. – É o mesmo discurso da outra vez? – O reserva arqueou uma das sobrancelhas. – Então nem se dê ao trabalho, eu já sei. “Eu sei, mas por favor, só me escuta. Para de relutar LuHan. Eu sei que errei! Merda, LuHan! Eu sei o que eu fiz foi uma tremenda de uma bosta na sua vida, e não sabe o quanto eu me arrependo! – LuHan riu triste. – Era isso não era? Bom, já disse, agora saia do meu apartamento.

-Eu não devia ter feito aquilo. Eu estava bêbado. – SeHun falou.

-Sinto muito, mas como dizem: o álcool entra, a verdade sai. – O reserva foi até a porta. – Já deu para nós dois, SeHun. Você nunca gostou de mim de verdade.

-Não é verdade.

-Não? – O chinês perguntou e suspirou. – Está tentando se convencer?

-LuHan, eu gosto de você. Gosto de passar meu tempo com você. – O maknae deu dois passos em sua direção e LuHan encolheu-se.

-Você gosta de transar comigo, mas até aí, você já arranjou uma outra pessoa. Baek Hyun deve ser bom de cama.

-Para. – SeHun falou sério. – Eu não gosto quando fala isso. Eu gosto de você. Só não consigo demonstrar.

-Você demonstra da forma errada. – LuHan olhou para SeHun que abaixou a cabeça. – Nós já começamos errado, quando você fez tudo aquilo na manhã do parque aquático. Você nunca me perguntou se eu queria voltar com você, não teve a coragem de dizer para os meninos que estávamos ficando ou sei lá o que tínhamos.

-Tínhamos? – O maknae perguntou. – LuHan...

-Vai embora, SeHun. Eu não tenho mais nada para dizer. Foi muito claro para mim o que houve ontem. Na verdade, acho que só foi a cereja do bolo. – O mais velho falou vendo SeHun se aproximar rapidamente antes de agarrar seu pescoço começando a beijar seus lábios. – S-Se Hun. – LuHan tentava se soltar do aperto do maior que ainda segurava seu pescoço para no se afastar.

SeHun tentava colocar sua língua dentro da boca do menor que mordeu com força a mesma o fazendo se afastar na hora.

-Não é assim que se resolvem as coisas! – O chinês falou depois que conseguiu empurrar o maior. – Cresce SeHun! Assuma o que fez e aguente as consequências! Já deu para mim!

-Está terminando comigo então? – SeHun arqueou as sobrancelhas colocando a mão na boca que ainda sangrava.

-Não se pode terminar o que nunca se teve. – LuHan falou calmo abrindo mais a porta. – O que nós podíamos ter, a gente teve, pelo menos, tentamos. Nunca ia dar certo.

-Está me culpando? – O mais novo perguntou olhando no fundo dos olhos do menor.

-Estou dizendo que somos diferentes demais. E pelo jeito, nenhuma vai mudar.

-Diferentes como? – SeHun perguntou tentando entender tudo aquilo.

-Eu gostaria muito de namorar SeHun, essa é a primeira coisa que eu mudaria nisso que tínhamos. – O reserva comentou sendo sincero. – Eu gostaria de perguntar como foi seu dia quando tivesse chegado em minha casa, gostaria de poder deixar um beijo em seus lábios todas as vezes que você saísse. Tudo isso que você tem evitado. Você quer curtir sua juventude de uma maneira e eu de outra. Eu acredito que ter um alguém que eu possa contar quando eu precisar é sempre bom. A última vez que você saiu daqui, ficou falando que eu era melodramático e saiu já batendo a porta. Eu não sou assim.

-Achei que nós tínhamos conversado. – O maior falou.

-Não. – O mais velho negou com a cabeça. – Você falou o que era bom apenas para você.

-Você quer namorar? É isso? Pois então a gente namora! – SeHun falou com um tom mais alto.

-Para, SeHun. As coisas não funcionam assim! – LuHan o olhou. – Se você não consegue, apenas tente me respeitar. Eu não sou apenas seu boneco que você vem, usa e depois vai embora.

-Você nunca me falou nada. – SeHun abaixou a cabeça. – Acho que eu realmente não tenho maturidade. Sinto muito.

-Eu também sinto. Viva sua vida, SeHun e que isso que tivemos não nos atrapalhe quanto ao time. – LuHan sorriu fraco.

-Tudo bem, até mais LuHan.

SeHun sentia que uma parte de si ficava ali, não sabia dizer.

Claro que ele havia se arrependido, ele era a típica pessoa que faz depois pensa. E pior, se arrepende.

LuHan passara a ser seu refugio e assim que pisou fora de seu apartamento, sua ficha caiu.

Ele havia perdido a única coisa que havia feito de bom.

Ter LuHan ao seu lado.

 

 

 


Notas Finais


CALMAAA
Não me matem! Eu tenho umas leitoras OTP's HunHan, mas eu também sou eu fiquei muito triste com esse capítulo TT.TT
Enfiiiim!
Perdoem-me!
Gente, mais uma vez obrigada pelos comentários, vocês nao sabem o quanto eu fiquei feliz com cada um! Conheci gente nova e algumas leitoras fantasmas se arriscaram em comentar! Respondi a todos com muito carinho e sorriso no rosto.
Gostaria de conhecer cada leitor, então, apareçam e aqueles que já comentam.... EEEEEEEEEEE
Muitos e muitos beijos!
Não deixem de ler a Mpreg de HunHan
I'm (Y)Our Sky : https://spiritfanfics.com/historia/im-your-sky-9412417


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...