História Kings Asphalt - Capítulo 96


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Cora Hale, Derek Hale, Isaac Lahey, Liam Dunbar, Lydia Martin, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Scott McCall
Tags Laiden, Scisaac, Sterek, Stiam
Visualizações 53
Palavras 2.998
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Fantasia, Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoas.

Capítulo novo. Espero que gostem. Não esqueça de favoritar a fic e de comentar.

Muito obrigado.
Beijos

Capítulo 96 - Capítulo 96 - Todo cambia


Scott estava chocado. Ele não podia acreditar que Natan estava por trás das atrocidades de sua mãe. Scott olhou para o júri e em seguida olhou para Melissa e Paul sentados. O juiz encarou Scott.

— Não. Scott encara o juiz. — Eu não sabia. Pensei que o Natan estava me perseguindo pelo fato...

— Que fato Scott?

— Eu estava iniciando um namoro com Isaac Lahey Johnson. Natan teve um caso com Isaac. Quando Isaac voltou para Beacon Hills e nos apaixonamos. O professor Natan começou a me perseguir no colégio e na minha própria casa. E eu juro por tudo que é mais sagrado. Eu não sabia que o Natan estava envolvido com a minha mãe. Perdão, mãe não, Melissa.

Melissa sentiu o choque das últimas palavras de Scott. Isaac segurou na mão de Liam. Scott encarou o juiz. Simon abriu um leve sorriso e virou uma página do processo que estava aberto.

— Nós conte porque você começou a suspeitar da sua mãe.

— Quando eu sai do coma. Vocês não podem acreditar na minha palavra, mas de fato quando estava em coma eu encontrei com a Melissa. Era uma casa escura e tenebrosa. Os únicos focos de luz no ambiente era somente as pessoas que estavam naquela casa. Quando o brilho aumentava de mais a pessoa sumia. Quando fiquei em coma eu só escutava a voz do meu marido, Isaac, do meu amigo Stiles e vez ou outra bem longe eu escutava as vozes da minha irmã Allison e do meu pai Rafael. Eu só saí do coma porque estava tendo um choque térmico e meu marido me colocou debaixo do chuveiro e me deu um beijo. Quando abri meus olhos, vi somente meu marido e segundos depois percebi que realmente minha mãe estava viva. Meu pai, meu sogro e o médico que cuidou de mim estava bastante feliz. Inclusive a enfermeira que estava no local quando acordei ficou mega feliz. Só que minha mãe fechou a cara. Isaac não saiu do meu lado. E por está em coma eu tinha escutado tudo que ele me falava. Inclusive ele me disse que ia pedir a minha mão em casamento. Assim que acordei do coma eu aceitei o pedido de casamento dele. E a partir daí minha mãe mudou. Ela começou a falar mal do Isaac. Dizia que meu relacionamento com ele era anormal. Que eu era homem e que gostava de mulher. Que gostar de outro homem era algo totalmente errado e um pecado. Ela julgou meu noivo sem ao menos conhecer. Assim que nós casamos pelo tabelião ela surtou. Arrancou sangue do Isaac e o meu. Ela começou a me perseguir e ao meu marido. No aniversário do Garret, o meio irmão da minha irmã, a Melissa apareceu e me deu um forte tapa na cara. Graças ao meu sogro, meu marido e um amigo ela não me bateu e nem feriu nenhum de nós. Foi na minha festa de casamento que ela tentou matar meu marido. Ela atirou a sangue frio. Por sorte meu Isaac estava de colete a prova de balas e salvou sua vida. A partir daquele momento eu percebi que nunca mais queria ver essa mulher na minha vida. Ela é homofobica, assassina e uma cretina.

— Você sabia do que rolava na clínica Scott?

— Não. Vim ter conhecimento dos acontecimentos somente depois. Quando todos descobriram eu descobri. E fiquei arrasado. A mulher que me criou a vida inteira é um monstro sem coração. Ela deixava bem claro que os assuntos da clínica era somente dela e do Paul... Pelo visto também do professor Bordy... Como o professor Natan Brody tinha parceria com a minha mãe?

O juiz olhou a documentação e encarou Scott.

— Assim que você levou o tiro e Natan se matou foi feita uma varredeira na casa dele. A noiva dele na época entregou alguns arquivos dele que ficavam na casa dela e nesse arquivo constava tudo. O juiz suspirou. — Eles se conheceram em uma reunião de pais e mestres. Eles saíram para jantar e numa conversa ou outra tiveram a ideia. Segundo Natan, Melissa tinha somente que conseguir o investidor chefe, no caso Paul Martin, que o resto eram os dois que cuidavam. Nos arquivos encontramos tabelas de preços de órgãos humanos e tabelas de preços para abortos de acordo com cada idade. Eles costumavam a encontrar e fazer essas atrocidades monstruosas na parte da noite no subsolo da clínica e na parte do dia quando Melissa tinha trabalho no hospital.

— Então quando Melissa folgava a noite ela encontrava com Natan e eles faziam essas monstruosidades e quando ela tinha trabalho ela fazia na parte do dia?

— Isso mesmo Scott.

Scott sentiu a lágrima escorrer. Ele encarou Melissa. Melissa sorriu para o filho. Scott fechou a cara para.

— Que espécie de mulher é você? Que monstro você é? Scott começou a chorar muito. — Você não é mãe, nem mulher. Você é um monstro sem alma. Você tentou matar meu verdadeiro amor.  Eu te odeio Melissa. Odeio com todas as minhas forças e espero que você mofe na cadeia. Nem ouse me chamar de filho. Eu não tenho mais mãe. Só tenho pai graças a Deus.

Scott recostou na cadeira. O juiz Simon entregou um lenço para que Scott enxugue as lágrimas. Scott enxugou as lágrimas e tomou um pouco de água que lhe foi oferecido.

— Você está bem para continuar Scott?

— Sim... Por favor, senhor juiz.

— Scott, você tem conhecimento das atividades que envolviam Paul Martin e sua mãe Melissa? Indagou o juiz que respirou profundamente. — Perdão. Sua mãe não, Melissa.

— Como já tinha lhe contado, tudo que envolvia a clínica era somente entre eles. Lydia e eu nunca sabíamos o que aconteciam. Éramos somente dois adolescentes que namoravam e pensavam em uma única coisa.

Lydia arregalou os olhos, assim como Stiles e Liam. Allison olhou os três com certa desconfiança. O júri se inclinou e encarou Scott. Matteo, John e Rafael se olham e encaram Scott. Natalie encara Paul. O juiz encara Scott.

— Sexo. Disse Scott. — Eu e a Lydia éramos namorados. Vivíamos nos pegando e fazendo sexo. Mas demos um tempo porque basicamente fazíamos todos os dias e estávamos cansados. Quando demos o tempo passou uma semana e houve a explosão. Lydia foi um amor de pessoa e me apoio naquele momento difícil. Hoje ela é uma grande amiga.

Lydia estava chocada. Parrish olhou para a namorada.

— Eu não acredito que o Scott disse isso. Disse Lydia chocada.

— Nem eu. Disse Parrish.

Liam olhou para Isaac.

— Porque o Scott disse isso?

— Ele tem que dizer a verdade Liam. Isaac encarou Liam. — Meu marido teve uma vida antes de me conhecer.

— Bom isso é verdade. Disse Stiles entrando no meio da conversa. — Mas dizer sobre sexo na frente de todos.

John encarou os três.

— Dá para ficar calados? Indagou John.

Paul abriu um sorriso e aproximou de Melissa.

— E depois da minha filha seu filho virou um baitola. Paul começou a rir enquanto Melissa fuzilou ele com o olhar. — Não precisa me olhar assim Melissa. Aceite o amor do seu filho e ponto final. Se você não fosse tão pirada da cabeça nem estaríamos aqui.

— Cala a boca Paul. Disse Melissa furiosa.

O juiz Simon encara Scott. Ele entrega uma folha e uma caneta para Scott. Matteo suspira e encara Natalie. Scott pega o papel e começa a preencher tudo. Garret está na sala de aula. O celular dele começa a tocar. Ele vê o número e estranha. Garret levanta e vai até o corredor. O loiro atende ao telefone.

 

GARRET: Alou?

BRUNO: Garret!

GARRET: Bruno! Que número é esse?

BRUNO: Eu fiz uma burrada noite passada.

GARRET: Como assim Bruno?

BRUNO: Ontem teve uma festa no campus. De inicio eu não queria ir, mas fui convencido pela Malia, que é uma grande amiga que fiz aqui em Berkeley.

GARRET: Calma Bruno! Pode me explicar sem tanto alarde?

BRUNO: Eu fui para a festa com a Malia. Bebi um pouco e acho que batizaram a minha bebida e não percebi. Simplesmente vi o Corey na minha frente. Eu o abracei e beijei ele. Nós fomos para o quarto e transamos. Acordei de manhã e percebi o que tinha acontecido.

GARRET: Você se masturbou foi isso?

BRUNO: Não... Eu acabei transando com a minha amiga Malia. O pior de tudo não lembro se usei camisinha ou não. Não tinha nada no chão e nem no banheiro do quarto. Garret eu estou ferrado. E se a Malia engravidar?

GARRET: É só rezar para ele não está em período fértil.

BRUNO: Já fiz isso Garret.

GARRET: Devem ter batizado sua bebida... Olha Bruno, você ainda está no quarto?

BRUNO: Estou na varanda da casa.

GARRET: Vai embora e finge que nada aconteceu. Se sua bebida estava batizada a de outras pessoas provavelmente também estava então finja que nada aconteceu.

BRUNO: É... Boa ideia. Mas e se ela aparecer grávida?

GARRET: Se ela aparecer grávida você vai ser homem, vai assumir seu erro e vai dar muito amor, carinho, amizade e tudo mais que esse bebe e essa sua amiga precisa.

BRUNO: Valeu Garret. Você é o melhor amigo que já tive... Desculpa eu nem perguntei como você estava. Simplesmente surtei. Você está bem? E o Derek?

GARRET: Tudo bem Bruno... Você também é um grande amigo. Não precisa pedir desculpas. Eu estou bem... Derek também está bem. Estamos felizes juntos. O casamento da Cora vai acontecer em breve e ela disse que vai enviar um convite a você.

BRUNO: Opa! Adoro uma festa com comida boa. Lembro da Cora falando que o noivo dela é dono de uma rede de restaurante de luxo. É um chefe super renomado em Paris. Essa festa vai ter comida boa.

GARRET: É o noivo dela é meio... Digamos que puritano demais.

BRUNO: Como assim?

GARRET: Longa história... Depois te conto... Hoje está sendo o julgamento da mãe do Scott.

BRUNO: Tomara que essa megera seja presa e percam a chave.

GARRET: Que isso Bruno?

BRUNO: Desculpa Garret, mas essa mãe do Scott é uma bruxa. Eu já presenciei o quanto aquela mulher é baixa.

GARRET: É eu sei... Mas e você está bem agora?

BRUNO: Agora sim.

GARRET: Bruno só por curiosidade... Como você transou com uma garota pensando ser o Corey? Tipo anus é diferente de uma vagina.

BRUNO: Nem eu sei. Acho que a saudade me fez pensar que o Corey estava ali ao meu lado.

GARRET: Entendo... Olha Bruno, preciso voltar para minha aula. Quando sair mais tarde eu te ligo.

BRUNO: Ok... Boa aula e obrigado por me ajudar. Você é meu melhor amigo Garret.

GARRET: De nada, Bruno. Você também é um grande amigo que eu tenho. Beijos e até.

BRUNO: Até.

 

Garret e Bruno desligaram os celulares. O juiz recebeu a folha preenchida e pediu ao promotor que entregasse a folha ao júri. Scott encarou o juiz. Simon sorriu e encarou o McCall.

— Pode ir ao seu lugar, Scott. O juiz pega a folha e risca o nome de Scott. — Cora Hale é a próxima a sentar aqui ao meu lado. Na lista restam apenas mais três nomes. Os três estão presentes?

Gina entra na sala. Todos olham para ela. Melissa encara Gina e tem lembranças em sua memória. ...| Gina está chorando segurando um teste de gravidez no banheiro. Melissa entra no banheiro e vê Gina e o teste. Gina ajeita o cabelo e sai do banheiro. Ela segue em direção a mesa onde seu namorado está. Melissa saiu do banheiro e observou o casal de longe. Horas depois Melissa encontra com Gina e o namorado e faz a proposta. O namorado de Gina anima, mas a moça sai revoltada. |... . Melissa encara Paul assustada. Matteo aproxima do juiz.

— Estão todos os nomes aqui. Disse Matteo.

— Ok.

Cora aproxima do local enquanto Scott volta para seu lugar. Cora faz seu juramento em seguida senta-se ao lado do juiz. O júri entrega o papel que Scott escreveu para o promotor que entrega ao juiz Simon. O juiz anexou o papel no arquivo em seguida ele encarou Cora.

— Boa tarde senhorita Hale. Disse o juiz dando um enorme sorriso. — Vamos começar pela sua historia com Natan Brody.

— Sim senhor. Disse Cora com um leve sorriso. — O que o senhor quer saber?

— Tudo.

— Conheci Natan quando ele deu aula particular para o Scott. Disse Cora.

— O que? Indagou Scott.

Todos olharam Scott.

— Algum problema senhor McCall? Indagou o juiz.

— O professor Natan nunca me deu aula particular. Disse Scott. — Pra isso eu recorria a Lydia ou ao Liam e até o Stiles me ajudava. Ele nunca sequer me deu aula.

— Eu conheci quando ele saia da sua casa Scott. Cora disse. — Eu me lembro até hoje. Era tarde de outono. Ele usava um sobretudo e um cachecol preto. Esbarrei com ele e nos conhecemos. Ele disse que tinha acabado de dar aula particular para você e estava indo embora. Nesse mesmo dia ele me convidou para ir a uma cafeteria.

— Bom, pois saiba Cora que ele nunca me deu aula particular. Scott disse enquanto respirou fundo. — Provavelmente ele estava fazendo coisas com essa mulher sentada ali.

— Por favor. Pediu o juiz que continuou. — Não interrompam. Pode continuar Cora. O que aconteceu depois da cafeteria?

— Lá conversamos e rolou um beijo. Natan era um cara bem bonito e bastante inteligente. Ele tinha uma beleza meio Brad Pitt. As mulheres que olhavam para ele ficavam com as calcinhas molhadas no mesmo estante. Cora corou e sorriu sem graça. — Desculpa por essa expressão, mas continuando. Depois que nos beijamos passou um mês e começamos a namorar. Ele levava uma vida pacata. Vivia corrigindo provas e trabalhos de alunos e nos fins de semana sempre fazíamos alguma coisa juntos. Ele tinha família em outra cidade e às vezes ele ia para outra cidade ficar com eles. Pelo menos era o que ele me dizia.

— Você chegou a ir em alguma viagem? Indagou o juiz.

— Não. Disse Cora em um leve suspiro. — Mas quando ele viajava. E ligávamos um para o outro eu conversava com a mãe dele ao telefone. Ela era um amor de pessoa.

— Porque era? Indagou o juiz.

— Depois que o Natan fez se matando ela desapareceu. Um vizinho dela chegou a ligar falando que ela tinha morrido. Eu não tinha nem coragem de ir ver o tumulo e nem nada. Foi um choque saber de toda a história do Natan com o Isaac.

— Isaac Lahey? Indagou o juiz.

Melissa ficou boquiaberta. O júri se entre olharam. O juiz abriu um sorriso e observou a lista. Cora encarou Isaac e Scott que estavam sentados ao lado de suas famílias.

— Isaac Lahey. Disse Cora. — Natan deixou um bilhete contando tudo o que ele e Isaac viveram e também o que ele iria fazer para atingir o Isaac.

— Você lembra do conteúdo da carta? Indagou o juiz.

— Lembro... Aliás... Cora abre a bolsa e tira a carta dobrada e entrega para o juiz. — Estava arrumando meu antigo quarto quando achei a carta. Espero que ajude no processo.

— Obrigado Cora. O juiz olha o júri. — Vou ler a carta para você.

 

Querida Cora.

Você foi uma das mulheres de maior confiança e determinação que já conheci na minha vida inteira. Você deve ter assustado ao ler minha vida inteira, não você não está enganada. Se você está lendo essa carta é porque fiz uma coisa horrível. Mas antes preciso te contar algo. Minha vida, se resume a viagens, amores e sexualidade. Descobri-me bissexual. Antes de namorar você eu namorei um homem. Esse homem me fez ser a pessoa mais feliz de todo mundo. Seu nome é Isaac Lahey. Ele é de Beacon Hills. Vive os melhores momentos da minha vida ao lado dele. Isaac é um homem muito bom, honesto e carinhoso. Quando reencontrei com Isaac Lahey naquela noite no restaurante com Scott McCall eu sabia que meu sentimento pelo Isaac ainda era muito forte. Fui atrás dele e me declarei. Isaac disse está apaixonado por Scott McCall e aquela confissão acabou com minha vida e minha alma. Se você está aqui com essa carta é porque vou fazer Isaac sofrer. Vou matar Scott McCall, esse “aluno” que roubou meu homem vai morrer na frente do amigo assim como a mãe dele morreu na frente de todos. Já me livrei da Melissa agora vou me livrar do Scott. E depois que livrar dele vou ter poucos segundos e sei que vou morrer. Você não é culpada de nada Cora, pelo contrario, tenho que agradecer você por ser uma mulher incrível. Não venha atrás de mim e se a policia te procurar entregue tudo que é meu. Eles vão saber o que fazer.

Abraços

Natan Brody.

 

Scott e Isaac estavam de mãos dadas. Eles se olharam. Melissa e Paul se olharam. Stiles, Liam, Allison, Finn, Rafael, Santana, Gina, Lydia, Parrish, Natalie e Matteo se olharam. O juiz anexou à carta no processo e encarou Cora.

— Pode voltar ao seu lugar senhorita Hale.

— Obrigada.

Cora levanta do lugar e vai saindo e sentando um pouco mais afastada. Scott olha para Cora. O juiz risca o nome de Cora na sua lista. Liam aproxima do pai que está um pouco apreensivo.

— O que você tem pai? Indagou Liam. — Faltam apenas dois nomes.

— Eu sei meu filho. Matteo encara. — É que depois dessa carta que ele leu... Seu irmão pode ser o próximo.

O juiz mexe na lista.

— Isaac Lahey Johnson. Disse o juiz Simon. — Por favor, aproxima-se que está na hora do seu depoimento.

Isaac beija a mão de Scott. O loiro levanta e aproxima da cadeira. Isaac faz o juramento e logo em seguida senta-se. O juiz vira a pagina no processo. Melissa e Paul se olham e olham para o juiz.

— Isaac. Disse o juiz. — Antes de contar a sua historia que eu prevejo ser uma das mais interessantes aqui eu gostaria de saber o porquê você e o senhor McCall casaram as pressas no hospital de Beacon Hills?

 


Notas Finais


Nosssaaaaa!

Muita emoção. O que acharam desse capítulo?

Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...