História Kisame e Meyrumi: Um Pecado Chamado Amor - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hidan, Kisame Hoshigaki, Obito Uchiha (Tobi), Pain
Tags Drikinhag, Hentai, Hoshigaki, Kisame
Exibições 12
Palavras 3.422
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction Kisame e Meyrumi: Um Pecado Chamado Amor - Capítulo 3 - Capítulo 3

- Então? Já se decidiu? - Perguntou Pain.

Meyrumi estava tensa, queria escolher a opção de ir embora, mas sabia que se optasse por isso Kisame acabaria sendo o prejudicado, e o preço dessa escolha iria custar a vida de seu amado espadachim. Sabia que mesmo Kisame sendo um excelente ninja, ele não teria chance alguma contra o Pain, mesmo se ela o ajudasse na luta. Pensou em sair e pedir ajuda aos demais Espadachins da Névoa, mas logo pensou que Pain poderia se sentir intimidado com isso e assim ele acabaria envolvendo Tobi na luta também. Mey até pensou em chamar Kakashi e os Anbus, mas logo voltou para a realidade, porque eles iriam ajudar um nukenin? Sem contar que ela não poderia revelar ao País que namora e acoberta um ninja foragido, ou melhor, uma organização inteira!

“Inferno! Não tenho outra escolha...” - Pensou a garota.

- Está pensando por demais. Por que tanta dúvida? Não me diga que seu amado Kisame não merece alguns sacríficos de sua parte. - Disse Pain no intuito de pressionar a garota, e tal pressão funcionou.

“Pior que ele tem razão...”. - Continuou a pensar a oinin.

- Ok Pain. Faça o que bem entender comigo. Mas não pense que irei soltar algum gemido de prazer.

- Não me importo, pois sempre preferi os gemidos de dor.

“Maldito!” - Pensou a jovem loira.

Pain levou suas mãos até o fecho do sutiã de Meyrumi e o desabotoou facilmente, o que a deixou surpresa com a facilidade que ele teve em abrir seu sutiã e ainda por cima em saber que o fecho ficava na parte da frente e não de trás.

Os seios da garota saltaram livres da apertada peça íntima, e os olhos de Yahiko se encheram de luxuria ao ver os seios grandes, empinados e perfeitamente redondos que a oinin possuía.

“Perfeitos.” - Pensou o líder enquanto levava um das mãos até o mamilo rosado da mulher que tanto desejava, e com a ponta do dedão o massageou de forma circular.

Meyrumi suspirou, porém, de forma tediosa.

- Vai demorar muito aí?

Pain olhou para a garota, sem esboçar nenhum tipo de reação, porém seus olhos... Aquele olhar fez a shinobi sentir um arrepio gelado percorrer pela espinha cervical.

Pain segurou fortemente Meyrumi pelos os pulsos, e os direcionou para a cabeceira da cama.

- Nani!? - Indagou a moça ao sentir algo duro e gelado contornar e apertar seus pulsos. Olhou para eles, e se viu algemada.

- Pain! - Exclamou assustada.

Yahiko voltou a se deitar sobre a kunoichi, e sussurrou em seu ouvido:

- Não se preocupa, não irei te machucar. Pelo menos por hoje...

“Por hoje!? O que ele... O que ele quer dizer com isso?” - Pensou a oinin assustada, mas depois se assustou um pouco mais ao sentir algo gelado lhe tocar o bico de seu seio. Olhou para baixo, e viu que a sensação gélida era o piercing que Pain usava na língua.

Mey ficou surpresa com aquilo, pois nunca havia notado que ele possuía tal piercing. E logo a sensação gélida se tornou prazerosa quando o ruivo encostou sua língua quente e macia no mamilo da garota. Poder sentir o frio se misturar com o calor era algo incrível. Mas por mais que aquela sensação fosse boa, a oinin se recusou demonstrar tal agrado.

“Até que ele é carinhoso com a língua”. - Pensou a Meyrumi. Mas rapidamente aquele prazer começou a se transformar em dor. Pain começou a raspar os dentes pelo mamilo, logo depois morder fortemente e puxá-lo com força.

“Mas ele disse que não iria me machucar”. - Ela pensou enquanto conseguia segurar o pequeno gemido de dor dentro de si. Logo depois o jovem ruivo encaixou o rosto entre os seios, começando a morder e chupar toda a região de dentro, deixando marcas de dentes e chupões roxos. Já as laterais de fora seus seios eram fortemente apertados e arranhados.

Meyrumi mordeu os próprios lábios, desta vez começando sentir dificuldade em não gemer, ainda mais sabendo que gemidos de dor saciavam o homem de cabelos alaranjados.

Pain notou a garota morder os próprios lábios, e aquilo o instigou para beijá-la. Levou sua boca até os lábios carnudos e avermelhados, mas antes de beijá-la raspou a ponta dos 2 piercings que possuía nos lábios. Um deles acabou causando um pequeno corte nos lábios de Meyrumi, e logo Pain tratou de chupar o pequeno corte fazendo o sangue escorrer com mais intensidade. Se deliciou com o gosto de ferro, e logo depois disso invadiu a boca da garota com a língua, fazendo Mey sentir o gosto de ferro que seu sangue tinha. Mordeu a língua da garota, e desta vez um gemido de dor pôde ser escutado.

- Isso... - Sussurrou Pain entre o beijo. - Amo esse som...

O beijo cessou rapidamente por conta da euforia de Yahiko, olhou a garota nos olhos, e a segurou fortemente pelo o queixo. Olhou em êxtase para o corte em sua boca enquanto um pouco do sangue ainda escorria.

“Ele é louco ou o quê!?” - Pensou Meyrumi.

- Você está começando a aprender. - Sorriu Pain de forma mordaz e logo depois deu um leve tapa na bochecha da garota. Voltou a se ajeitar sobre Meyrumi, desta vez, voltando a se apoiar nos joelhos, com as pernas abertas e Meyrumi entre elas, porém, desta vez o ruivo estava na altura do colo da moça. Mey olhou para o volume a pulsar por debaixo da calça escura, ela já sabia o que estava por vir, Pain iria fazê-la chupar seu membro.

Dito e feito, sem mais demora o garoto abriu o zíper da calça, abaixou o elástico da boxer, e seu membro ereto saltou para fora, completamente duro, grosso e melado. Meyrumi ficou surpresa com o tamanho do sexo que Yahiko carregava entre as pernas, pois era tão grande e tão grosso quanto de Kisame, porém na glande ele carregava um piercing de argola.

A respiração da loira se tornou pesada, ficou se questionando como seria aquele oral já que ele estava por cima, e ela algemada.

E sem gentileza alguma, o homem do Rinnegan levou uma de suas mãos até a nuca da oinin e puxou fortemente os cabelos daquela região. Meyrumi gemeu de dor e sua boca abriu por conta da forte puxada.

“Boca deliciosa!” - Pensou Pain, que começou a fazer a oinin chupar apenas a ponta de seu sexo. Yahiko estava tão excitado que seu membro não parava de expelir pré-gozo.

Entre as curtas chupadas em sua glande, ele pegava em seu próprio membro e o batia contra o rosto da garota. Logo em seguida, de uma única vez, forçou todo o sexo dentro de sua boca, arfando de prazer ao sentir os dentes de Meyrumi rasparem em seu membro.

- Isso, pode arranhar! - Gemeu Yahiho que continuava a segurar fortemente pelos os cabelos, forçando sua cabeça pra frente e para trás obrigando-a a engolir todo seu membro, sem deixar um único centímetro para fora. Os movimentos eram tão intensos e brutos que a garota não conseguia segurar a própria saliva, e isso ajudava o sexo de Yahiko deslizar para dentro e para fora com mais facilidade.

E depois de muitas investidas, Yahiko jorrou sua essência, fazendo todo seu gozo escorrer pela garganta da garota.

O líder suspirou aliviado, retirou seu membro de dentro da boca da onin e saiu da cama. Meyrumi também estava aliviada, pois Pain finalmente havia gozado. Sentiu uma leve dor nos seios, sentiu também sua boca inchada, e seu lábio pulsar levemente na altura do pequeno corte, passou a língua por cima, e sentiu a ardência se fazer presente em contato com a saliva.

- Agora você já pode me soltar. - Meyrumi.

- E por que eu faria isso?

- Por que já te aliviei!

- Ok, mas quem disse que a brincadeira acabou?

Pain retirou toda a calça e cueca, e exibiu seu membro novamente ereto.

“Inferno!” - Meyrumi pensou.

Pain olhou para a última peça que restava no corpo da jovem loira, a calcinha. Sorriu maldosamente, e caminhou até uma mesa, pegou um objeto, e retornou para a cama. Ajeitou-se entre as pernas da garota e logo em seguida mostrou o objeto, era uma kunai.

Meyrumi ficou apreensiva, se questionando o que ele pretendia fazer com tal arma.

- Apenas relaxe, eu não sou tão insano assim. - Pain falou calmamente, e com a ponta da lâmina cortou as laterais da calcinha, livrando o sexo da garota da delicada vestimenta. Olhou para o sexo da capitã oinin, seus olhos brilhavam de excitação, o membro da garota era ainda melhor do que ele podia imaginar. Jogou a kunai no chão, fazendo Mey se sentir aliviada. Passou dois dedos sobre o sexo da garota, sentindo sua pele lisa e quente, e logo em seguida o abriu para ver todo seu interior. Sorriu de forma perversa, apertou-lhe o clitóris, fazendo Meyrumi arquear a coluna por conta do desconforto que aquilo causava.

- Sempre quis fazer isso. - Falou Pain enquanto apertava com um pouco mais de força o ponto delicado da garota.

- Sempre?! - Meyrumi arqueou uma das sobrancelhas.

- Sim. Sempre te desejei Mey.

Yahiko afastou a mão do sexo da kunoichi, encaixou a glande na entrada de Meyrumi, e roçou.

- Sempre... - Suspirou Yahiko enquanto começava a introduzir seu membro dentro de Meyrumi. - Hummmm... Sempre...

A pele de Yahiko se arrepiava com as fortes descargas elétricas que seu corpo soltava, ele finalmente estava sendo acolhido pelo sexo da Meyrumi. Ela era quente, macia, molhada e apertada. A pressão em volta de seu sexo era sensacional, era forte, era viciante. Seu corpo tremia a cada estocada que dava na garota, seu coração acelerava mais a cada batida, seus poros criavam suor, sua mente nublou, e seu membro salivava ainda mais pré-gozo.

Porém suas investidas não eram delicadas, muito pelo o contrário, eram fortes, eram impiedosas. Tão pesadas que era nítido o barulho de seus colos se chocando contra o outro. Yahiko levantou uma das pernas de Meyrumi a apoiando em seu ombro, e sem aguardar mais nada, começou a bater fortemente no bumbum da garota, fazendo o som estralado se misturar com o som de seus corpos se chocando. Seu tapa era pesado, e a pele branca da garota sentiu a ardência. Os tapas eram constantes, e a marca da mão ficou perfeitamente estampando na pele. E ainda insatisfeito, Yahiko lambia e mordia a panturrilha da oinin.

Aqueles longos minutos, para Meyrumi, pareciam não ter fim. Para Yahiko passaram num piscar de olhos.

Tentou segurar ao máximo para não gozar, mas era indescritível sentir o calor do interior de Meyrumi apertar seu membro. Vê-la algemada na cama, totalmente exposta, dominada, e marcada. Exclamou o nome da garota, rangeu os dentes, fechou os olhos, e se desmanchou intensamente dentro da oinin. Seu membro espalmava enquanto o gozo a preenchia. Tão intenso que sua essência chegou a vazar entre as pernas da kunoichi. Soltou seu corpo e o peso dele sobre a garota, seus cabelos laranjas estavam molhados, seus piercings quentes por conta do calor de seu corpo, e o rosto corado, mas desta vez sua feição estava leve e aliviada.

Ficou alguns minutos deitado daquela forma, recuperando o fôlego. Depois soltou Meyrumi das apertadas algemas, e a primeira coisa que a garota fez ao sentir seus punhos livres foi acertar um tapa do rosto de Pain, porém desta vez ela não sentiu remorso.

Pain apenas sorriu de forma lasciva com o tapa que acabara de receber, demonstrando ter gostado daquilo, e isso deixou a garota ainda mais irritada, que logo deu um 2º tapa. O sorriso continuou estampado no rosto do ruivo, e Meyrumi já estava descendo a mão para um 3º tapa, porém foi impedida, pois Yahiko a segurou firmemente pelo o punho, colou seu rosto ao dela e falou de forma firme.

- Eu acho que você ainda não entendeu que isso me excita. Ou está querendo uma 3ª vez?

E soltou o punho da garota logo depois. Meyrumi se conteve em não bater pela 3ª vez.

- Anda, pode tomar um banho, acredito que queira descansar. - Falou o líder da Akatsuki que apontou para a porta do banheiro.

- Porque eu tomaria banho aqui?

- Prefere sair nesse estado e ir até o quarto de Kisame?

Yahiko estava certo, não tinha como Meyrumi sair daquela maneira, seu corpo estava marcado de forma sugestiva, se alguém visse aquilo...

Meyrumi se levantou da cama e seguiu calada para o banheiro.

- Se você não quiser ficar marcada na próxima vez apenas me obedeça. Não é que eu goste de te machucar, mas não pense que me importo em não machucá-la também. Sou seu mestre a partir de hoje, irei te dominar e disciplinar. E caso você me desobedeça, irei lhe punir. E se me desobedecer 3 vezes, o punido será seu  amado espadachim. Mas sobre a sua punição, caso tenha, não pense que será o mesmo de hoje, pra mim, aquilo foi apenas uma forma de te acariciar.

Meyrumi engoliu seco ficando apreensiva.

“Se isso foram os carinhos... Não quero nem imaginar como seria a punição... Ele é louco ou o quê!? Pensando bem... Muitos daqui são loucos...”. - Pensou a garota enquanto acenava a cabeça dizendo que havia compreendido as regras de seu novo mestre.

- Ótimo! - Respondeu Yahiko.

A capitã oinin entrou no banheiro fechando a porta logo em seguida. Ficou surpresa com o luxuoso banheiro, mas naquele momento isso não importava. Olhou para a banheira de hidromassagem, mas preferiu tomar um banho simples no chuveiro. Entrou no box de vidro, ligou o chuveiro na temperatura fria, e deixou a água cair sobre seu corpo. Se lavou, esfregando com força a pele. Depois de limpa sentou-se no chão do box e deixou as lágrimas escorrerem pelo seu rosto enquanto elas se misturavam com a água do chuveiro.

Depois de chorar em silêncio por quase 1 hora debaixo do chuveiro, a garota conseguiu se tranquilizar, digerir toda a experiência que acabou de vivenciar e organizar seus pensamentos. Desligou o chuveiro, respirou fundo, juntando toda a força e coragem dentro de si. Ela não se orgulhava do que fez, mas estava disposta a fazer tudo para que Pain não prejudicasse seu amado Hoshigaki, ela não iria deixar o ruivo dos piercings excêntricos tocar num um único fio de cabelo azulado de seu espadachim.

Saiu do banho, enrolando seu corpo escultural na longa toalha grossa e macia, mas antes de sair do banheiro se olhou no espelho. Seus lábios não estavam mais tão inchados, porém o pequeno corte era visível, as marcas de mordidas, chupões, arranhões e tapas pelo seu corpo eram ainda mais visíveis.

“Kami Sama!! O que irei dizer ao Kisame sobre essas marcas?” - A garota se questionava amargamente. - “Não tenho escolha... Só poderia vê-lo depois que essas marcas sumirem. E não posso permitir que o Yahiko me marque novamente... E pra isso eu terei que obedecê-lo... Droga!”.

Saiu do banheiro enrolada na toalha, e viu Pain ainda nú, porém deitado a vontade na cama enquanto lia alguns papéis.

- Yahiko... - Chamou a garota com a voz falha.

O líder direcionou seus olhos para garota enquanto colocava os papéis sobre a cômoda ao lado da cama.

- Prefiro quando está descoberta. - Pain.

Meyrumi soltou a toalha, sentindo o tecido deslizar pelo seu corpo até encontro ao chão.

- Bem melhor. - Sorriu o homem. - Vamos... - Ele bateu discretamente a mão sobre o colchão. - Venha se deitar. Acredito que queira descansar um pouco mais.

Meyrumi deu um passo em direção a cama, mas logo cessou o 2º passo ao ver Pain balançar negativamente a cabeça.

- Calma. Antes de tudo, primeiro, fique de 4.

Meyrumi não compreendeu a razão daquela ordem, mas obedeceu sem questionar.

- Perfeito. Agora venha.

Meyrumi se direcionou para a cama, desta vez engatinhando de forma bem sensual, e sem tirar os olhos castanhos sobre os olhos do Rinnegan.

“Quente!” - Pensou o ruivo.

Subiu sobre o colchão, e antes que pudesse pensar, Pain a agarrou pela cintura, fazendo-a se deitar com ele na cama. Abraçou em conchinha e lhe beijou delicadamente a nuca.

- Está tensa... Por quê? - Pain dizia entre o beijo.

- É sério essa pergunta!?

- Apenas relaxe e descanse. Eu cuidarei dos seus hematomas.

Yahiko voltou a beijar a nuca de Meyrumi e deslizou as mãos de forma gentil por sua cintura.

- Sempre te quis... - Retornou a sussurrar novamente a mesma frase no ouvido da garota. - Sempre...

Novamente Meyrumi sentiu a sensação do metal frio do piercing junto com o calor dos lábios de Pain lhe tocar a pele. Por mais que ela não quisesse manter aquela relação, ela assumia mentalmente que aquela sensação de frio e calor era muito boa. Acreditou que poderia realmente descansar um pouco sobre o colchão macio entre os travesseiros aconchegantes, e o corpo de Yahiko esquentando o seu de maneira gentil, porém, não ficou surpresa ao sentir o membro do ruivo se endurecer e logo penetrá-la sem permissão.

Fechou os olhos tentando acordar daquele pesadelo, mas foi em vão, ao abrir os olhos confirmou que tudo era real. Fechou os olhos novamente, e se perguntava o que Kisame estaria fazendo naquele exato momento.

 

[...]

 

Enquanto isso, em algum lugar qualquer...

Kisame e Itachi conversavam tranquilamente enquanto caminhavam.

- Precisava dar uma morte tão cruel assim para esse ninja? - Questionou Itachi enquanto ajeitava para trás alguns fios de cabelos que sempre insistiam em se soltar.

- Estou irritado Itachi San. Por isso preciso me aliviar meu estresse. - Sorriu Kisame.

- E quantos ninjas você precisa assassinar para aliviar esse estresse?

- Todos que me reconhecerem como um foragido eu irei usar pra tal alívio. - Riu.

Itachi não esboçou nenhuma reação, mas internamente achou graça nas palavras do companheiro.

- Ainda temos que chegar na Vila Oculta do Som para dar início a missão. Seu pequeno imprevisto vai nos atrasar quase 1 dia todo.

- Gomen, gomen, Itachi San. Mas foi por uma nobre causa. - Sorriu Kisame.

- Concordo. Aposto que Meyrumi ficará feliz com seu pedido de casamento. E confesso que você escolheu uma bela aliança para presenteá-la.

 - Arigatô Itachi San.

E no mesmo segundo ambos os ninjas pararam de andar, avistando logo a frente um grupo de 5 ninjas os aguardando.

Ninja 1: Olha só o que o destino nos reservou! O Uchiha Itachi e Hoshigaki Kisame!

Ninja 2: Ficaremos bilionários em levar essas cabeças no mercado negro.

E outros 3 ninjas sorriram de forma maldosa, e logo os 5 puxaram suas kunais.

- Desse jeito vamos demorar pra chegar a Vila do Som. - Suspirou Itachi entediado.

- Itachi San. Acho que chegou o momento de eu aliviar novamente meu estresse. - Sorriu Kisame.

- Sabe que isso não vai mudar o fato de Pain Sama ter lhe enviado em missão bem no dia de folga de Meyrumi.

- Obrigado por me lembrar desse fato infeliz. - Riu Kisame.

 

[...]

HORAS DEPOIS...

[...]

 

A garota oinin sentia seu sexo pulsar e uma leva ardência percorrer, olhou para baixo e ficou em choque ao ver como sua parte íntima estava inchada e avermelhada.

- Eu já volto. - Disse Pain enquanto se direcionava até uma pequena geladeira que havia do outro lado do quarto. Pegou algo de dentro e voltou para a cama. Olhou o sexo de Meyrumi, sorriu convencido e orgulhoso ao ver o desconforto da garota nas partes baixas.

Abriu a mão, mostrando que havia pegado cubos de gelo, e logo em seguida passou o gelo por todo o sexo da garota que suspirou aliviada.

Já era noite, ambos estavam cansados, principalmente Meyrumi. Pain usou e abusou da oinin o dia todo.

- Melhor com o gelo? - Perguntou.

- Muito melhor sim. Arigatô... Eu acho...

Pain deitou-se ao lado de Meyrumi, abraçou novamente em conchinha e lhe beijou o rosto.

- Te deixarei dormir tranquilamente agora. Amanhã a gente continua.

- A... Amanhã!? Mas Kisame não retorna amanhã?

- Sim. E daí? Amanhã você ainda será completamente minha. Ou prefere me desobedecer e deixar que ele veja todos esses hematomas?

Meyrumiu ficou sem resposta.

- Não me faça repetir as regras.

- Gomen...

Pain voltou a beijar o rosto de Meyrumi, abraçou sua cintura e sussurrou:

- Sempre...

 

[ . . . ]

 

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...