História Kiss me, Bite me - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias U-KISS
Tags U-kiss
Exibições 14
Palavras 1.417
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá!
Aqui vai mais um capítulo. Aparecem mais duas personagens: o Kevin e o Kiseop!
O ponto se vista é do Jun.
Espero que gostem ^_^

Capítulo 3 - Admirador secreto


Um mês e meio depois

Eu não acredito que ele ainda está a tomar banho! Olhei para o relógio e fui bater novamente à porta da casa de banho.

-Kevin!!! Perdeste-te no banho?

Ouvi a água desligar e afastei-me um pouco. Passados poucos minutos ele abriu a porta, só com a toalha à volta da cintura e sorriu.

-Bom dia, Jun!

-Só se for para ti! Não viraste uva passa do tempo todo que demoraste debaixo de água?

Ele olhou para mim inocentemente.

-Demorei assim tanto tempo? Que horas são?

-8h25! -gritei.

-O quê???! -ele gritou também em pânico.- Mas nós temos aulas às 9h!

-Exatamente por isso! Vai tomar o pequeno almoço e arranjar-te em vez de estares a perder tempo aqui a falar comigo!

-Digo-te o mesmo… também estás aqui a gritar comigo em vez de ires tomar duche.

-Vai à merda! -gritei e entrei na casa de banho.

Tirei os boxers à pressa enquanto caminhava para dentro da box do duche, o que não foi muito boa ideia porque eu quase caí estatelado no meio o chão.

Ao menos não tinha que esperar que a água aquecesse porque o Kevin tinha tomado duche mesmo antes de mim. Como tínhamos só uma casa de banho, era sempre a mesma guerra. Normalmente eu acordo sempre mais cedo meia hora para poder ir antes do Kevin mas hoje deu-me a preguiça e, quando dei por ela, ele já se tinha apoderado do duche.

Devem estar a pensar quem é o Kevin e porque estamos a morar juntos. Bem, o Kevin é um colega do meu curso de fotografia, nascido nos Estados Unidos e tinha 24 anos. Além disso tudo, é o meu companheiro de casa.

Tudo aconteceu quando, há cerca de um mês, eu decidi aventurar-me no mundo da culinária e decidi que havia de cozinhar. Resumindo a história e a minha vergonha, digamos que foi preciso chamar os bombeiros e o meu senhorio decidiu expulsar-me antes que eu destruísse o prédio todo.

-Kevin!!!!-gritei furioso, desliguei a água o mais rápido possível e saí da casa de banho.

O Kevin estava de pé, à beira da banca, a comer leite com cereais. Pôs uma colherada na boca antes de perceber que eu olhava para ele furiosamente.

-Kevin, eu vou-te matar!

Ele parou de mastigar e olhou para mim confuso, perguntando ainda de boca cheia.

-Mash qué queu fish?

Eu já estava habituado a descodificar o que ele dizia quando falava de boca cheia.

-Demoraste tanto tempo a tomar banho que terminaste com o gás!

Ele engoliu a comida que tinha na boca.

-Oops…

-Oops? É só isso que tens para me dizer?

-Oops, também acabei com o leite...? -ele perguntou.

Saí da cozinha a barafustar mas, como se por obra do karma, não reparei na toalha molhada do Kevin no meio do chão e, a queda que tinha evitado antes de entrar no duche concretizou-se agora.

A toalha emaranhou-se nos meus pés e só não dei com a cara no chão por uma sorte!

-Olha que deixei a toalha no chão ! -disse o Kevin na maior das calmas, nem sequer reparando que eu tinha caído.

-Obrigado, Kevin! -exclamei em tom sarcástico.

-------------------------------------------

Apesar da correria matinal, chegamos só 2 minutos atrasados à primeira aula. Com este ritmo, em menos de uma semana perco os 2 quilos que ganhei desde que me mudei para casa do Kevin.

Eu sinceramente não consigo perceber como é que alguém tão distraído e desorganizado pode ser tão bom cozinheiro!

Agora era hora de almoço e, como a nossa era bastante extensa, aproveitamos para ir para o jardim da universidade para descontrair.

Aproveitei para me deitar na relva e fechar os olhos. Adorava estes dias de sol no outono em que, apesar de estarmos expostos ao sol, não nos sentimos derreter. Em vez disso, o calor do sol equilibra com a temperatura mais fria que se faz sentir. Eu podia até adormecer, não fossem os suspiros cada vez mais audíveis do Kevin, juntamente com o barulho dos disparos das fotografias que ele tirava.

-Queres parar com isso? Pareces um stalker pervertido!

Apesar de eu estar com os olhos fechados, eu sabia exatamente o que se estava a passar. Aliás, a ideia de virmos para aqui tinha sido do Kevin. Tudo porque ele estava apaixonado e o amor tem coisas destas, faz-nos parecer uns maluquinhos obcecados.

-Ai, Jun, tu não entendes, ele é tão lindo!! -Ele suspirou alto pela milionésima vez.

O uso do pronome masculino não foi engano da minha parte! A pessoa por quem o Kevin suspirava chama-se Lee Kiseop e é um sunbae no curso de modelos. Já viram o quão clichê é, um fotógrafo apaixonado por um modelo?

-Reparaste nas horas a que ele chegou a casa ontem? -ele perguntou.

Um pequeno grande pormenor, o Kiseop era também o nosso vizinho do lado.

-Não, não faço ideia e nem me interessa.-respondi apesar de saber que era uma pergunta retórica.

-Ele chegou eram quase 2 da manhã! Num dia da semana!-respondeu o Kevin à sua própria pergunta.- Achas que ele tem namorado?

Eu sabia qu provavelmente só ia fazer pior mas eu já estava farto de o ouvir falar todos os dias do Kiseop!

-Se estás assim tão curioso, porque não lhe perguntas?

-Estás doido??! -ele quase gritou.- Nós nem nunca falamos!

Ri-me e abri os olhos, olhando para ele.

-Realmente seria interessante ver-te tentar. Sempre que ele passa por nós no prédio e nos cumprimenta, tu ficas a olhar para ele com um sorriso assustadoramente assustador e guinchas algo numa língua alienígena.

-Isso é porque eu não consigo falar à vontade com pessoas bonitas! Elas intimidam-me.-defendeu-se o Kevin.

-E ainda dizes tu que queres ser fotógrafo de moda!

-Se forem mulheres não há problema!

-Ai mas se forem homens tu recusas o trabalho?-confrontei-o.

-Não! Até lá pode ser que encontre uma forma de lidar com isto!

-Não entendo… tu comigo nunca tiveste problemas em falar.

Ele encolheu os ombros.

-Tu não fazes o meu género.-ele respondeu como se fosse bastante óbvio.

Antes que a conversa se alongasse, o meu alarme tocou. Estava na hora da nossa aula.

Aquela era a última aula do dia e a minha preferida. Se fosse outro professor provavelmente aquela seria uma das aulas mais aborrecidas do curso mas o professor Nam sabia exatamente como as tornar divertidas e, como nós participávamos muito nas aulas, ele acabou por decorar os nossos nomes.

-JunYoung, posso dar-lhe uma palavra?-ele perguntou no final da aula.

O Kevin olhou para mim curioso. Encolhi os ombros. Eu também não fazia ideia qual seria o assunto.

-Espero por ti lá fora.

Concordei e desci as escadas do auditório onde o professor Nam acabava de arrumar as coisas.

-Passa-se alguma coisa, professor?- perguntei, preocupado.

-Não, nada de mal, pelo menos. Diz-me, tens divulgado o teu trabalho?

-Não…-respondi, ainda intrigado.- Tenho publicado algumas foto no instagram e no meu blog mas nada de mais. Porquê?

Ele olhou-me como se tentasse encontrar a resposta a uma pergunta interna mas, acabou por desistir.

-Não importa. Bem, parece que o teu trabalho chamou a atenção de alguém porque um dos meus amigos trabalha numa empresa que tem vários ídolos como clientes e eles pediram que trabalhasses com eles numa sessão fotográfica com um desses ídolos.

Eu nem queria acreditar.

-Eu, tem a certeza? -perguntei, incrédulo.

-O meu amigo também não me soube explicar mas, pelos vistos, o dono da empresa pediu-te especificamente a ti. Estás interessado?

-Sim, claro! -respondi imediatamente.

Ele tirou um papel do caderno e escreveu um contacto.

-Este é o contacto do meu amigo. Ele disse para o contactares que ele dá-te toda a informação que precisas.

Peguei no papel e agradeci. Saí da sala e o Kevin saltou logo à minha frente,

-Então, o que é que o professor Nam queria?

-Eu… eu acho que tenho o meu primeiro trabalho.

-Boa! -Ele exclamou, mantendo-se uma palmada amigável nas costas.-E então, quando é?

-Ele deu-me este contacto…-mostrei-lhe o papel.

-De que estás à espera? Liga!!

Liguei para o tal número e, pelos vistos não tinha sido engano, eles queriam mesmo que eu tirasse as fotografias! Agradeci imensas vezes antes se desligar. O Kevin olhava para mim atentamente.

-Sábado, ao princípio da tarde… eles mandam-me a morada por mensagem.

-Boa! -Ele pôs o braço à volta dos meus ombros.-Temos que comemorar!

Eu deixei-me ser guiado até ao nosso apartamento. Havia uma pergunta que não me saía da cabeça: quem era o meu benfeitor secreto?
   


Notas Finais


Espero que tenham gostado tanto de ler este capítulo como eu gostei de o escrever!
Se leram e gostarem, favoritem e comentem , please ^_^
Breve tem mais!
Ah, qualquer erro desculpem, não revi!
*chu*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...