História Kiss Me Quick - ShortFic ABO - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Louis Tomlinson
Tags Abo, Alfa, Dois Alfas, Edward, Gemeos Cox, Gêmeos Styles, Harry, Larrystylinson, Louistomlinson, Ômega, One Direction
Exibições 592
Palavras 2.022
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Ficção, Hentai, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gentey lembrando que essa é a historia mais clichê que eu ja escrevi na minha vida. Então vai ser clichêzão kkkkk Obrigada pelos 40 favoritos e pelos comentarios, eu adoro ler e responder eles. Atrasada mas eu respondo todos

Capítulo 4 - Capítulo 4


Era a terceira pessoa na qual o Harry espantava com rosnados. Será que era tão difícil entender que o lugar entre ele e o irmão era para Louis? Harry estava com raiva, a maior raiva que já pode sentir em toda a sua vida. O cio de Louis chegou na madrugada de segunda feira, e com isso o moreno enviou uma breve mensagem para os gêmeos com a seguinte frase "Cio! Vejo vocês segunda!" Avisando que ele não apareceria na universidade aquela semana. 

—Harry você tem que parar com isso! – O outro Styles deu de ombros e continuou com os braços cruzados. 

Ainda era terça feira, o quão demorado seria até que chegasse segunda feira? Não podia ser tão demorado assim. 

—Vamos almoçar no italiano? – Harry negou com a cabeça. 

—Aquela merda de lugar não é o mesmo sem o Louis. – Resmungou bravo. 

—Chinês? Vegano? Cachorro quente? Onde você quer ir? – Harry se levantou com raiva e saiu pisando duro. 

—Pra casa! – Edward negou com a cabeça, ele sabia que o irmão estava magoado porque o ômega não chamou eles para passar o cio juntos. Mas isso estava demais, na segunda feira ele havia brigado com três garotos betas que sem querer esbarrou nele. O último beta se enfezou com os rosnado dele e partir pra briga, tendo Edward separar os dois. 

—Harry vai demorar demais até a gente chegar em casa e almoçar e voltar. – ele deu uma breve corridinha para alcançar o mesmo e o segurar. Harry já tirava a chave do carro do bolso para dirigir. 

—Então vamos almoçar com o papai, na sala dele. – Harry decretou e virou no corredor indo para a sala do reitor. 

Era suposto de que o pai deles estivesse almoçando agora, então não viu mal algum em se juntar a ele. 

—Vamos primeiro comprar alguma coisa pra comer, papai deve estar comendo algo que a mamãe ou Marna mandou pra ele. – Harry parou e encarou o irmão. 

—Mas que droga, vai até naquela lanchonete da frente e compra alguma coisa bem doce e gordurosa. Algo que não me lembre o Louis. – antes que Ed passasse a caminhar, Harry o chamou. —Não, nada doce e gorduroso. Eu não posso engordar, Louis não vai querer alfas gordos. Então compra algo sem muita gordura. – Pediu e Edward saiu para buscar a comida de ambos. 

Edward sabia muito bem o que comprar, um bom chá verde e Wraps mexicano. Era a única coisa que poderia comprar naquela lanchonete. 

Enquanto Edward ia buscar os alimentos, Harry entrava na sala do pai. Des estava sentado na sua cadeira assistindo algo em seu computador. Pelo que ele viu era algum filme, não preciso falar nada para que seu pai apontasse para a cadeira à frente dele. 

—Pode ir falando! – resmungou enquanto pausava o filme e colocava a marmita que Anne havia mandado em cima da mesa. 

—Nada! Só viemos almoçar com você. – esbravejou se jogando na cadeira e seu pai ficou confuso. Ontem no jantar Harry estava bem chateado e não quis contar o que era, mas agora que estavam sozinhos provavelmente contaria. 

— Tá bom! – deu de ombros e se virou para a tela novamente e voltou a comer. Ele contou até dez e logo o filho começou a falar. 

—Sabe o que eu acho engraçado? É que você dá de tudo pro seu ômega, você agrada ele com tudo que ele quer. Você até alimenta ele dando na boca. Mas acha que ele lembra de te chamar pra passar o cio dele? Não lembra. E ainda tem coragem de mandar uma mensagem jogando na minha cara que ele estava no cio e que eu não estava lá. – Des estava controlando para não rir, ele sabia que uma hora ou outra o tema cio ia chegar. Ele também sabia que seus filhos nunca tiveram um parceiro e ele estava ansioso para que eles arrumassem um. 

— Deve ter um motivo, filho. – Harry concordou com a cabeça. 

—É claro que tem, ele acha que eu sou o amiguinho dele. Só pode! – emburrou bufando alto. 

—Cadê sua cópia? – o pai perguntou brincalhão. 

—Foi comprar comida. – Des negou com a cabeça. 

— Espero que não esteja escravizando seu irmão. 

— É claro que to, ele tem que servir pra alguma coisa além de me encher o saco. – Após falar aquilo, Harry na hora tratou de chacoalhar a cabeça e pedir desculpas. Seu irmão era bem mais que isso, era sua metade, seu controle e o amor verdadeiro de sua vida. E ele nunca desejaria que Edward não acontecesse, porque Edward é seu tudo. 

—Hey pessoas, sentiram minha falta? – Edward entrou com duas sacolas na mão e um porta copo de dois. 

—Claro que não! Por que eu sentiria sua falta? – Harry brincou. 

—Porque talvez eu esteja com a sua comida? – Harry riu e negou com a cabeça. 

—E aí pai, como vai às coisas? – Des deu de ombros enquanto engolia a comida. Seus olhos estavam atentos ao filme. 

—Vai indo, sabe? Muitos papéis pra analisar, pra assinar, alguns e-mails pra responder. Nada de mais! 

—O que você trouxe? – Harry pegou a sacola e abriu a mesma despejando o conteúdo com cuidado na mesa do pai. —Wraps de que? – Perguntou quando viu a embalagem transparente com três Wraps dentro. 

—Mexicano. Seu chá verde! – estendeu o copo para o mesmo que tomou um gole grande. 

—Obrigado! – resmungou e passou a comer em silêncio, eles não eram de conversar muito com seus pais e na verdade só quando era necessário. Porque raramente seus pais estavam em casa. 

—Como vão as aulas? Alguém importunando vocês? – seu pai parecia realmente atento ao filme, mas mesmo assim interessado nos filhos. 

—Nada a reclamar até agora. Nenhum professor usou nosso sobrenome. Acho que esse ano vai ser tranquilo. – Edward falou e deu de ombros terminando de comer seu lanche. 

—Amigos? – tornou a perguntar. 

—Somente nosso ômega. – Harry falou sorrindo. 

—Não acha que deveria fazer outros amigos? – Harry negou com a cabeça. Ele não precisava de amigo, somente de seu futuro parceiro. 

—Vamos? – Edward vendo que o assunto ia se estender numa briga chamou pelo irmão para que voltasse á sala de aula. 

—Vamos. – Harry recolheu o lixo e jogou no lixo do pai e antes de sair se aproximou do velho e deu um beijo em sua bochecha. —Tenta não rolar dessa cadeira. – brincou com o outro, que riu. 

—Isso, continua me chamando de gordo. Saiba que você tem a minha genética, um dia ficara assim. – Des apontou para o próprio corpo e apontou para o filho. 

—Credo, eu nunca que vou ficar assim. – brincou rindo. —Até em casa, pai. 

Os gêmeos enlaçaram os dedos e saíram da sala do mais velho, indo em direção à próxima aula. 

O caminho estava sendo tranquilo, nada de pessoas para irritar o Harry e ele esperava que continuasse assim por mais uns dias. Ou até que Louis voltasse. 

  

.. 

  

—Harry, papai vai te matar, ou melhor, vai matar nós dois. No que você estava pensando quando decidiu enfiar a cabeça daquela alfa na privada? – Harry andava de um lado pro outro no corredor que dava acesso à sala do pai. 

—Ele foi desrespeitoso. Você escutou o que ele falou do nosso ômega! – Harry estava irado, melhor, ele estava mais que irado. Eles estava no fundo do poço de tanta raiva. Maldito alfa que brincou em dizer que ele estava fodendo o Louis na noite passada. 

—Harry, ele ainda não é seu ômega. 

—Nosso. – Corrigiu. —Ele é nosso ômega. Eu e você somos parceiros de vida, e ele vai ser nosso parceiro. Nunca diga que é só meu. 

Edward concordou com a cabeça, não estava numa situação para discutir. Já estavam ali para ver o que seu pai decidiria sobre a ação do mesmo. Eles sabiam que nada ia acontecer, o máximo seria uma penalidade de um dia, porem nada além disso. 

—Senhores Cox? – escutou a secretaria do pai chamar e eles saíram em direção da sala. 

—Pediu para chamar nós dois? – Edward foi o primeiro a falar. 

—Era somente o Harry, já que ele que fez a cagada. Mas imaginei que você viria junto. – Des se levantou, ajeitou a calça e camisa para então se aproximar deles. —Que merda aconteceu com você? 

—Em minha defesa, eu só observei. – Edward levantou as mãos. 

 —Em minha defesa, ele que começou! - Harry se defendeu. Edward queria rir do seu irmão ciumento que insistia ser legitima defesa de uma briga que nem havia acontecido. 

—Edward, seja o cérebro do seu irmão por um momento. - Des perguntou aflito, ele não queria que seus filhos perdessem mais um ano letivo. Eles já adiaram por outros motivos, não queria que fossem expulsos dessa vez. 

—O irracional enfiou a cabeça do alfa na privada porque ele disse que tinha dormido com o Louis noite passada. - Edward explicou e Des concordou com a cabeça. 

—Você sabe que eu tenho que punir você em alguma coisa, eu não posso deixar você passar em branco por isso. Aqui não é o colegial, eu não posso simplesmente ignorar isso. - O Styles pai falou lentamente, sem encostando na mesa. 

—Eu sei, pai. Me desculpa. Eu só... não pensei. Foi grosseiro da parte dele falar esse tipo de coisa, todo mundo sabe que Louis é nosso ômega e quando vi já tinha feito. 

Desmond tentou segurar por mais tempo, mas não conseguiu e acabou por rir. Seu filho estava apaixonado e sendo um alfa cuidadoso. 

—Filho, por favor, você tem que aprender a se controlar. Ele ainda não é seu ômega, você tem que esperar ele te escolher. Por favor, não se meta e mais brigas. 

—Pai ele só vem segunda feira, ou, terça. Eu não posso aguentar as pessoas falando e fazendo gracinhas a todo momento. Ele não está aqui para se defender. 

—Eu entendo Harry, só, por favor, não enfie mais cabeças no vaso. Por favor. 

—Tudo bem. - Harry concordou balançado a cabeça e passou a encarar as botas surradas. 

—Ed, toma conta dele. Só por hoje, já que é sexta feira e como ele disse segunda feira o amado dele ta ai. - Edward concordou. —Não é nem hora do almoço e já tenho que suportar as suas loucuras. Eu tenho mais o que fazer, tentem não voltar aqui hoje. 

Desmond estava frustrado, era 09h40 e seus filhos já estavam se metendo em brigas. 

—Mias alguma coisa? -Ed perguntou antes de ir até a porta e abrir a mesma. 

—Não! Vão almoçar comigo? - Os gêmeos tem passado toda a semana com o pai, Anne tem enviado a marmita com almoço para os três ja que Des contou que os dois estavam acampando ali. 

—Vamos. - Harry e Edward responderam ao mesmo tempo. 

—Ok! 

os gêmeos saíram da sala e caminharam até a sala de aula onde começava a aula de bioquímica. Pediram licença e antes que eles caminhassem até seus lugares, Harry levantou a cabeça para encarar um certo lugar em especifico. 

—Louis. - Harry sussurrou. 

—Harry, se controla. 

Edward observou o irmão respirar fundo varias vezes, enquanto encarava o melhor. 

—Ele tem cheiro de outra pessoa. - Harry rosnou e o professor que falava parou o que fazia para o encarar. 

—Algum problema Senhores? 

—Nenhum. 

Os Styles adentraram a sala e foram para seus lugares. 

—Hey meninos. - Louis saudou os dois, recebendo cumprimento de volta só do Edward, já que Harry ainda o cheirava profundamente. 

—Quem é? - Louis se assustou com a pergunta e se virou para o mesmo. 

—Quem é o que? - Ele estava confuso. 

—Quem é o alfa? - Louis deu de ombros. 

—O de sempre, Stan. Por que ainda ta forte o cheiro? Meu cio acabou ontem, não era pra estar forte. 

 —Seu cheiro está me matando. - Harry rosnou baixinho. 

Louis não entendia o que estava acontecendo, ele estava sendo estranho. 

—Harry, você pode parar de me cheirar. - Louis se desvencilhou de uma futura lambida em seu maxilar. —Para. 

—Harry, por favor. - Edward pediu sem causar grande alarde. 

—Tudo bem. - se afastou e passou a mexer em seu material pegando uma caneta para que se distraísse. —Vou me manter afastado. 

 


Notas Finais


Se houver erros me perdoem :/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...