História Kiss Of The Devil! - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Carla Tsukinami, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Ruki Mukami, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yuma Mukami
Tags Diabolik Lovers, Kanato, Subaru, Vampiros
Exibições 16
Palavras 1.283
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Harem, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi. Eu não morri!

Capítulo 6 - Piscina


Fanfic / Fanfiction Kiss Of The Devil! - Capítulo 6 - Piscina

MEI ON

Eu acordo e sinto minha cabeça latejar, eu havia desmaiado? Como isso aconteceu, se eu não preciso de sangue?

- Meu cérebro está colaborando muito! - Sussurro para mim mesma.

- Colaborando com o que? - Pergunta alguém. Me viro e vejo Ayato sentado em uma poltrona.

- Não te interessa! - Falo me levantando da cama.

Logo fui puxada de volta para a cama.

- Ayato! - Falo me virando para ele.

- Colaborando com o que, chocolate? - Perguntou sério.

- Cara, você passa fome? - Pergunto indignada com o meu apelido.

- Não quando se tem o seu sangue! - Falou.

- Oqu…-Não completei, pois Ayato mordeu meu ombro.

- Ai… - Resmungo.

- Você aceitou muito bem o fato de sermos vampiros, por quê? - Ayato perguntou soltando meu ombro.

- Eu não aceitei muito bem, - Menti - Eu tenho medo!

- Tem? Você não tem medo de me enfrentar! - Ayato falou.

- Hm… Com você é diferente! - Falo.

- Diferente como? - Ayato perguntou.

- Você é mais fácil de se lidar, você é o mais amigavel entre os outros! - Falo o olhando.

- Então, se eu pedir seu sangue você vai me dar, certo? - Ayato perguntou com um sorriso sádico no rosto.

- Sim… - Falo.

- Sendo assim… - Ayato falou e logo mordeu no mesmo lugar da primeira mordida.

Gemi de dor, pois sua mordida estava muito mais forte do que a outra. Alias, sua mordida foi a mais dolorida dentre todas as outras.

- Ayato! - Falo olhando para o relógio, enquanto ele faz "hm" para sinalizar que ouvia.

- Faltam 20 minutos para o café da manhã! Se eu me atrasar Reiji me mata! - Falo tentando o empurrar.

- Ah! - Ele fala me soltando com um sorriso no rosto.

- O que foi, Ayato? - Estranho sua alegria repentina.

- Hoje vai ter takoyaki! - Ele fala sorrindo.

- Depois fala que não é morto de fome! - Falo me leventando.

Vou até o banheiro, tomo meu banho em 5 minutos. Volto até o quarto que por sorte estava vazio! Pego um vestido vermelho até metade das coxas, uma sapatilha preta, pulseiras de couro e coloco uma rosa vermelha no cabelo.

Desço até a sala de jantar, onde ainda só estou eu.

SHINO ON

Acordo sentindo a minha cama se mexer, me viro para o lado e vejo Shuu.

- Shuu? - Que porra é essa? Quem esse preguiçoso pensa que é! - Sai daqui, agorinha é o café da manhã! Vai se arrumar!

- Você é muito chata além de que, é barulhenta! - Shuu fala se levantando. Gente como assim? Ele vem, deita na minha cama e ainda reclama.

- Desculpa, irritadinho! - Ironizo.

Shuu dá uma risadinha maliciosa e desaparece.

- Louco! - Resmungo.

Vou até o banheiro e tranco a porta, começei a me despir, ficando somente de roupas intímas.

- Hm… Você até que não é tão tabua! - Não, eu vou me suicidar!

- Oque. Você. Tá. Fazendo. Aqui. Shuu? - Falo olhando na sua cara de pau.

- Você não deixou eu dormir no seu quarto! - Falou abrindo um de seus olhos.

- Sai, SAI!! - Falo apontando para a porta.

- Se você quer tanto tomar banho… tome! - Fala voltando a dormir.

É hoje que eu mato um vampirinho lindo! Vou até a banheira e o cutuco.

- Shuu eu… - Shuu me puxou para dentro da banheira, me fazendo ficar em seu colo. Corei.

- Pronto! - Fala abrindo seus olhos.

- Eu vou te matar! - Falo ainda corada.

- Então antes de morrer, eu tenho um pedido. - Shuu abriu um sorriso sarcastico. Ih, fodeo!

- Bebe logo! - Tiro meu cabelo do ombro e logo o loiro morde meu pescoço. Gemi de dor. Ele fica assim por 5 minutos.

- S-Shuu… já c-chega! - Falo tentando o empurrar, só que ele nem se mexeu.

- Até mais! - O loiro falou soltando o meu pescoço e saindo da banheira, logo se teletransportando.

Sem ter oque fazer tomo o meu banho em 2 minutos, senão Reiji fica puto da vida se eu me atrasar. Fui até meu quarto, e caralho! Aleluia, meu quarto estava vazio.

Visto roupas intimas limpas, uma blusa branca simples, uma saia preta e um tênis allstar vermelho. Desço até a sala de jantar e todos já estavam lá.

- Atrasada. - Reiji falou. Ai, já prevejo cicatrizes!

- Gomen, ocorreram problemas. - Olho de canto para Shuu, que sorri sarcasticamente.

- Não quero saber. Vá aos meus aposentos depois do café! - Seus olhos vermelho-escalarte afetaram meu raciocinio durante segundos.

- Hai! - Me sento entre Mei e Subaru.

- Ohayou Subaru! - Sorrio.

- Você está enrrascada! - Nossa, delicadeza sua de me lembrar!

- Eu sei, tudo culpa do loiro preguiçoso! - Falo irritada.

- Ah é? - Ele me olha desinteressado - O que ele fez?

- Chupou meu sangue, e quase me estuprou no banheiro! - Falo comendo o bolinho de chocolate.

- ELE O QUÊ? - Subaru se levantou tão rápido, que derrubou a cadeira no chão.

- Calma, Subaru! - Falo o olhando.

- Que modos deploráveis! - Reiji…

- Ciúmes? - Provocou o loiro.

- Se não vai ajudar, não atrapalha! - Interviu Mei.

- Tsc… - Subaru saiu irritado.

- Sente-se, Shino. Ele deve estar irritado! - Mei disse se sentando.

- Sim… - Comemos em silêncio. Até Laito começar. Não podia faltar!

- Bitch-chans, estão lindas! - O sem vergonha e seu amigo, sorrisinho malicioso!

- Obrigada Laito! - Mei agradeceu, porém eu vi raiva em sua voz.

- Yui. - Ayato começou.

- Sim, Ayato-kun? - Yui pergunta.

- Por que não se veste com elas? - Ayato falou na lata.

- Ah… - Coitada, ela ficou sem jeito. 

(…)

Terminamos o café da manhã e como Reiji pediu (mandou), fui até seus aposentos. Bati na porta e logo ouvi um "entre".

- Com liçença… - Havia grandes prateleiras cheias de livros, um pequeno laboratório e sofás.

- Sente-se! - Reiji falou. E eu, fui até o sofá.

- Aceita uma xicara de chá? - Algo em seus olhos diziam "se você negar, vou arrancar suas vísceras".

- C-Claro! - Pego a xícara, porém não tomo nem um gole.

- Não vai beber? - Reiji pergunta intimidador.

- Ah… - Tomo um gole, e merda!

Cai no chão cuspindo o liquido e quebrando a xícara. Eu sabia!!!

- Como é idiota! - Reiji me pega pelo braço, já eu não conseguia controlar meu corpo. Vamos ver oque vai dar!

MEI ON

Eu estou com um presentimento ruim, não confio em Reiji. Espero que seja só um presentimento, senão, eu mesma mato aquele vampiro.

Fui até o jardim, Subaru estava lá, porém eu não me aproximei. Fui para o lado oposto, e para minha surpresa : Uma piscina gigante!

- Uau! - Tiro minhas sapatilhas e sento na borda da piscina, batendo meu pé na água.

- Chocolate? Gosta de nadar? - Vi Ayato chegar com um sorriso sarcastico no rosto.

- Sim, Ayato! - Falo o olhando.

- Então… - Ayato se aproximou - Prenda a respiração!

Ayato me empurrou para dentro da piscina, por sorte eu não preciso de oxigênio. Logo eu vi que o ruivo também pulou na piscina, ele veio até mim e me abraçou. Logo Ayato mordeu me pescoço, fazendo gotículas de sangue se diluirem na água.

- Ah! - Gemi embaixo d'água.

Ayato ficou nessa posicão durante uns 2 minutos. Porém eu o cutuquei, fingindo que precisava de ar. Ele reparou e me levou até a superfície.

Puxei o fôlego, rapidamente. Sou mais fingida que não sei oque!

- Por que… fez isso, baka! - Dei tapinhas no ruivo.

- Seu sangue… - Começou - É tão ralo, porém é tão doce, que eu preciso de mais! - O ruivo me abraçou novamente e mordeu meu ombro.

- A-Ayato! - Isso dói, tá?

Logo o ruivo parou, mas mordeu novamente um pouco abaixo da clavícula. Dei um gritinho pela dor. Eu posso ser uma demônia, mas a mordida deles machucam muito. Talvez por isso, todas as noivas não resistem ao despertar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...