História Kitty e Bunny - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Kai, Lu Han
Tags 3some, Kaibaek, Kailu, Kailubaek, Lemon, Lubaek, Pwp, Threesome
Visualizações 353
Palavras 6.453
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


É uma das raras tentativas de fazer um 3some e eu espero que não tenha ficado tão ruim.
Boa leitura :3

Capítulo 1 - Pets


 

 

 

 

 

 

A chegada dos novos vizinhos foi acompanhada de vários cochichos que subiam com eles conforme entulhavam o elevador com móveis e subiam até o quarto andar; assim como também fora a chegada de Jongin com sua pele morena, suas roupas rasgadas e sua coleção de tampas de cerveja e assim como eram todas as chegadas das pessoas que tinham menos de cinquenta anos. E, atualmente, o número de moradores com menos de cinquenta anos chegava ao elevado valor de sete pessoas.

Jongin não ouviu nenhum cochicho; ele estava dormindo. Na verdade o moreno de cabelos descoloridos só descobrira que havia uma mudança sendo feita quando levantou da cama com muito esforço, ouviu os barulhos na parede atrás de si e saiu para fora depois de colocar um moletom para esconder sua nudez, dando de cara com uma poltrona vermelha sendo carregada por dois rapazes tão próximos de sua porta que ele teve que recuar dois passos, assustado. Um dos jovens que carregava, um alto com expressão vazia, murmurou uma breve desculpa e com dificuldade os dois a fizeram passar pelo umbral estreito da entrada, sumindo no apartamento ao lado. Ele esticou o pescoço e só o que viu foi algumas caixas na beira da porta coladas tão caprichosamente que pareciam saídas da fábrica. Se esticou mais um pouco em vão e fez seu caminho de volta para a cozinha, pegando um resto de pizza frio e duro para comer. Ele teria tempo de conhecer os novos vizinhos ainda.

 

 

 

 

 

O primeiro que conheceu foi Luhan e por dois ou três dias ficara pensando que ele morava sozinho, afinal não conseguia pensar em como caberiam duas pessoas confortavelmente naquela caixa de sapato com apenas três cômodos. Naquele dia, vestia uma regata que deixava à mostra braços alvos e clavículas salientes que dançavam sob a pele leitosa. E uma calça justa, realçando as pernas fartas que sofreram uma vistoria minuciosa dos olhos atentos do maior. “Jongin é um rapaz lindo, mas não vale um tostão furado. E esse é seu charme” dizia a Sra. Kim antes de começar a reclamar que ainda esperava o filho tomar jeito na vida porque ela queria netos. Mas o jovem Kim, que não estava muito interessado em tomar jeito e muito menos em dar netos à mãe, aproveitou para devorar com os olhos o novo vizinho. Ele era mais baixo que Jongin e seu rosto de fada era emoldurado por cabelos cor de chocolate ao leite. E não, o moreno não havia pensado em nada melhor para descrever o novo vizinho. Eles se encontraram pela primeira vez no elevador; o mais alto estava indo para o trabalho – ele trabalhava em um jornal descendo a rua como secretário e os pais sempre superestimavam o que ele fazia, que era basicamente atender telefonemas e garantir que sempre havia café na cafeteira. E jornalistas bebiam muito café – e o outro estava saindo carregando o que parecia ser uma pesada caixa com a tampa aberta e alguns utensílios de cozinha mal colocados. Por alguns segundos eles quase se trombaram e Jongin recuou para dar espaço ao outro que agradeceu educadamente. Sua voz era doce.

- Yah... Isso vai cair... – ele avisou, então pegando um porta-temperos que pendia perigosamente da borda da caixa e o arrumando dentro dela. Então, como um bom cavalheiro, ele segurou a caixa e gentilmente a puxou para si. – Deixa que eu levo.

- Aigoo... – o outro deu um sorriso largo, acompanhando o moreno pelo corredor. – Você deve ser o outro morador desse andar, né? Meu nome é Luhan!

- Prazer... Kim Jongin – ele deixou a caixa no chão, em frente a porta do outro, e estendeu a mão para que o outro o cumprimentasse.

- Me desculpa te fazer carregar isso, Jongin... – apertou seus dedos de modo delicado e Jongin conteve a vontade de lhe dar um beijo nas costas da mão. – Minha omma me deu isso e eu nem tive tempo de arrumar antes de trazer... E Baekhyun sempre foi melhor em arrumar as coisas do que eu... – ele parecia estar dizendo para si mesmo.

Jongin perguntou mentalmente quem era Baekhyun.

- Não se preocupe... - ele deu uma breve pausa – Tenho que ir agora, hm?

- Obrigado, Jongin! – o sorriso era radiante e agradecido. – Eu espero te ver de novo...

- Eu também... – e o menor não percebeu o toque de malícia contida em sua voz.

 

 

 

 

 

Ele e Luhan se viam quase todos os dias quando iam para o trabalho; descobrira que o pequeno era mais velho que si e que trabalhava meio período como estagiário sem remuneração no posto de saúde próximo; a outra metade em uma lan house e era dali que vinha seu sustento. Descobrira também que ele nascera na China e morava na Coréia desde os oito anos e que era fluente em três línguas – e Jongin adoraria conhecer essa fluência. E que, infelizmente, ele namorava. Bem sério ao que parecia. Mas só fora conhecer Baekhyun no chuvoso domingo daquela semana – e que ele era o tal namorado de Luhan mais tarde no mesmo dia.

Era uma da manhã e Jongin estava assistindo pela, talvez, oitava vez a terceira temporada de Friends na televisão pequena quando ouviu os miados. Eram baixos e ocorriam de tempos em tempos; havia também algumas pancadas surdas e sons que ele não entedeu. Não que ele se importasse com animais de estimação, mas aquilo poderia trazer grandes problemas para Luhan se alguma daquelas horrorosas vizinhas ouvisse que ele havia trazido um filhote de gato para o apartamento. Qualquer tipo de bicho era extremamente proibido ali. Ele anotou mentalmente que iria alertar o menor no dia seguinte e, como toda nota mental que faria, ele esqueceu-a dez minutos depois quando adormeceu largado no sofá.

Jongin acordou com o barulho do aspirador de pó na parede atrás de si e por breves instantes ele amaldiçoou Luhan antes que ver que já passara do horário de almoço. Porém, a voz que cantava Let it Go do outro lado não tinha nada a ver com a de Luhan. E meu Deus, que voz! Ele sentou-se no sofá e espreguiçou-se demoradamente. Quando finalmente retornou do banheiro já adequadamente vestido e com os cabelos despontando em mil direções, o barulho da limpeza ao lado havia diminuído e a voz cantava a canção tema da Pequena Sereia. Ele se lembrou do gato e resolveu pular o café da manhã para procurar Luhan. Saiu, deixando a própria porta aberta e andou até o apartamento ao lado; bateu na porta devagar e a voz parou.

- Vá ver quem está na porta, Baekkie, por favor – ele ouviu Luhan pedindo e, quando a porta se abriu, ele se arrependeu de não ter penteado os cabelos.

O rapaz que estava ali era ainda menor que Luhan e usava uma camiseta dos Hooligans tão comprida que Jongin não podia ver o short por baixo dela – se é que ele vestia algum. O rapaz parecia ter no máximo uns dezessete anos e seus olhos eram escuros e intensos. Ele deu um sorriso ao garoto que corou até a raiz dos cabelos negros caindo em sua testa; pela gola da camiseta era possível ver marcas roxas de mordidas. Alguém se divertiu muito ontem.

- Eu sou Jongin, o cara que mora aqui do lado – ele indicou o apartamento com a porta aberta, tentando a todo custo que seu olhar se desviasse das coxas expostas do pequeno. – Você é...?

- B-Byun Baekhyun – ele murmurou e parecia com tanta vergonha.

- Eu posso falar com Luhan por favor? – pediu com a voz mansa, tentando deixar o menor mais à vontade.

- Ele está no banho... – e após uma pausa hesitante – Você pode falar comigo...

- Certo – ele buscou a melhor forma de abordar o assunto. Parecia muito injusto agora fazer aquele garoto se despedir do gatinho. – Eu não sei se avisaram vocês quando mudaram... Mas animais de estimação de qualquer tipo são proibidos aqui.

Baekhyun continuou o olhando em expectativa.

- E não que eu me sinta incomodado com o seu gato, mas sabe como é, né? As vizinhas... – ele disse a última frase com um tom que explicava por si só como eram as vizinhas.

Porém o menor não parecia ter prestado atenção no perigo que as vizinhas representavam. Ele tinha uma expressão adoravelmente confusa e pareceu meio sem graça de relembrar a Jongin que não, eles não tinham um gato.

- Jongin, né? – ele esperou a confirmação do nome. – De que gato você está falando?

O moreno franziu as sobrancelhas.

- É que eu ouvi miados ontem à noite e...

Baekhyun ficou vermelho e fez um barulhinho com a garganta, olhando para os lados como se buscasse algum perigo. Ele gaguejou e mordeu o lábio inferior com força.

- N-Não tem gato... Nenhum... – sua voz soava esganiçada.

- Hey, Baekhyun... – uma voz mais grave soou do fundo do apartamento e o rapaz de expressão vazia que Jongin vira carregando a poltrona vermelha apareceu na porta para salvação do outro – Algum problema?

Ele era mais alto que Jongin, tão mais alto que o moreno achou aquilo sinceramente ofensivo. Não vestia nenhuma camisa sobre o tronco queimado de sol, os músculos firmes sob a pele desnuda. Uma tatuagem de dragão chinês serpenteava desde suas costelas até o pescoço. Foi fácil descobrir quem havia deixado aquelas marcas no pequeno e mais fácil ainda descobrir de quem era a camiseta que Baekhyun estava usando. Vendo a incapacidade do menor de falar, Jongin tomou a frente e murmurou um tanto ríspido. A altura daquele cara o irritava.

- Eu sou Jongin e eu só vim avisar que não pode ter gatos aqui...

- Não tem gatos – o tatuado disse.

- Eu ouvi miados.

E a forma que ele sorriu, cheia de malícia, parecia ocultar um segredo que só ele sabia.

- Não eram de gato nenhum...

Quando seus olhos caíram sob Baekhyun, ele subitamente entendeu e suas sobrancelhas se arquearam ao mesmo tempo que um sorriso irônico brotava em seus lábios fartos. Luhan apareceu aos fundos da sala, sorrindo e acenando para Jongin. Ele se aproximou rapidamente e o moreno pôde ver que haviam marcas em seu pescoço também. Olhou para o tatuado com certa admiração e inveja, o cumprimentando mentalmente por aquela proeza e ele lhe deu um sorriso amistoso como se soubesse dos pensamentos do menor.

- Jonginnie! – ele se inclinou até dar um beijo na bochecha do moreno. – Vai fazer algo hoje à noite?

Dentre todas as respostas maliciosas que surgiram na mente alheia, ele apenas riu e negou com a cabeça.

- Eu chamei uns amigos para beber cerveja aqui, você pode trazer alguém se quiser – enquanto Luhan falava, Baekhyun tinha os olhos nele com atenção. – Tudo bem para você se o Jonginnie vier?

- T-Tudo bem, hyung... – Baekhyun disse, dando um sorriso todo tímido e amigável. – Nos vemos à noite, Jonginnie...

Após combinar o horário e voltar para casa, Jongin entrou no banheiro e se masturbou pensando em Baekhyun e Luhan miando como gatinhos para si.

 

 

 

 

 

Quando Kim Jongdae chegou em sua casa, às oito e meia da noite, Jongin ainda estava nu, com os cabelos molhados, jogado na cama olhando o guarda roupa como se esperasse que as roupas fossem simplesmente sair e vesti-lo enquanto ele jogava Candy Crush no celular.

- Você poderia se vestir e me poupar dessa visão – Chen pediu, jogando o travesseiro no mais novo que apenas riu e se levantou, deixando o celular de lado.

- Eu sei que você vai ficar com vontade se olhar demais – ele provocou, indo até o guarda roupa. Tirou uma camiseta com mangas compridas e dois botões na gola e uma cueca box cinza. Vestiu ambas rapidamente e praguejou. Onde estava o jeans?

- Ficar com vontade de vomitar... – Jongdae não tinha muito senso de humor para as brincadeirinhas maliciosas do amigo. Ele se inclinou pela beirada da cama de solteiro e tirou de baixo dela o jeans escuro com rasgos no joelho do amigo. – Aqui, idiota.

Jongin agradeceu e vestiu-se, bagunçando de forma metódica os cabelos no espelho pequeno do banheiro antes de voltar-se para o amigo.

- Podemos ir, princesa?

Eles foram. Quem os recebeu foi Luhan que logo o introduziu a todos; Sehun era o jovem com os cabelos platinados, Kris era o rapaz da tatuagem de dragão.

- E esse é meu namorado, Baekhyun...

Jongin conteve sua surpresa enquanto arrumava um local para sentar-se – coincidentemente na poltrona vermelha. Jongdae sentou-se ao seu lado e os dois estavam de frente para os quatro conhecidos. Não demorou para que Sehun, o mais novo, trouxesse cerveja para ambos.

Sehun e Baekhyun faziam medicina na mesma turma. Ambos tinham dezenove anos. Kris tinha 22, a mesma idade de Jongin, e era conhecido de Luhan do trabalho pois os dois eram chineses. Luhan era o mais velho, com 24, e conhecera o namorado durante uma visita técnica da turma dele no hospital em que ele estagiava. E, após longas horas de conversa e muitas, muitas cervejas, eles começavam a ficar entediados. Kris quis sair e continuar a conversa em um bar próximo, mas ninguém pareceu muito disposto a acompanhá-lo. Jongdae sugeriu brincarem de imagem e ação e Baekhyun pareceu animado com a ideia. Mas foi Jongin que, propositalmente, teve a melhor ideia. Virando o último gole que tinha de sua cerveja, ele colocou a garrafa deitada no chão e se sentou a frente dela.

- Vamos brincar assim: eu vou girar a garrafa e em quem cair a boca terá que responder uma pergunta vergonhosa ou fazer um desafio.

Todos aceitaram – Chen relutou um pouco, mas não havia como escapar quando todos haviam deixado um espaço para ele e Jongin foi o primeiro a girar a garrafa.

A boca caiu em Sehun, cuja expressão parecia ser confiante. Ele olhou em volta, esperando sua pergunta e foi Kris quem a soltou. Em seus olhos havia aquela expressão de saber um segredo.

- Como você perdeu a virgindade, Sehun?

Sehun corou e o xingou baixinho.

- Não vou responder essa... – houve um lamento conjunto – Eu faço o desafio.

- Desafio você a sentar no colo da pessoa que acha a mais bonita daqui... – Kris emendou rapidamente.

Sehun levantou-se e olhou em volta. Jongin, já bêbado, deu dois tapinhas em suas coxas como se o chamasse e embora seu foco fosse o casal, ele não iria negar qualquer coisa que pudesse conseguir – mesmo se fosse com Jongdae. Mas o mais novo se ajoelhou na frente de Luhan, sentando-se nas coxas fartas do pequeno e a cena soou tão engraçada que os demais riram. Ele estava vermelho, sabe-se lá de vergonha ou de raiva, e Luhan carinhosamente arrumou seus cabelos atrás de sua orelha e acariciou seu rosto.

- Eu também te acho muito lindo, Sehunnie – ele murmurou com a voz arrastada e deixou que de levinho seus lábios encontrassem o do outro em um selinho rápido. Baekhyun tinha os olhos neles, mas não havia ciúmes em seu olhar. Havia certa curiosidade contida.

Ele saiu do colo do mais velho dos seis e girou novamente a garrafa. Ela caiu em Jongdae, que arregalou os olhos puxados, cheio de vergonha.

- Você tem vontade de fazer sexo com alguém da roda? – Jongin perguntou rapidamente.

- Jongin! – ele o repreendeu em voz alta, ficando vermelho e o amigo o cutucou entre as costelas. Completou, bem baixinho, como se esperasse que ninguém ouvisse. – S-Sim.

- Quem? – foi a vez de Baekhyun perguntar; ele estava corado pela bebida e parecia muito mais solto.

- Y-Yah, é apenas uma pergunta por vez! – Chen retrucou e houve uma pequena e acalorada discussão se ele teria ou não que responder. Ele saiu livre dessa, girando a garrafa.

Quando ela parou em Luhan, Jongin sentiu algo quente borbulhar em seu estômago. Sua mente um pouco mais lenta por causa da bebida começou a pensar em desafios para caso ele não respondesse. E Jongdae perguntou.

- Qual seu fetiche?

Luhan corou um pouco e sorriu de lado, olhando para Baekhyun.

- Eu e o Baekkie... Nós temos acessórios de... Gatinho e coelhinho e nós gostamos de usar e agir assim para que... Alguém assista... Ou participe...

- Eu adoraria participar – a língua de Jongin agiu mais rápido que seus pudores e quando ele viu, já havia falado.

O casal trocou meia dúzia de cochichos e então Baekhyun assentiu para Luhan, que disse com um leve sorriso persuasivo.

- Podemos chamar você se quiser brincar com a gente um dia, Jonginnie...

E, depois de Chen ter que fazer uma strip-tease e Kris agir como um passivo, depois de muitas outras verdades e depois de beijar o pescoço de Sehun, quando finalmente deitou em sua cama e o mundo girou ao redor de si, Jongin desejou que aquele dia viesse o mais rápido possível e a imagem do casal vestido como seus pets passou-lhe a atormentar quase todas as noites.

 

 

 

 

 

O tal dia chegou quando o moreno já começara a achar que aquela era uma promessa boba que Luhan e Baekhyun já haviam esquecido – mesmo com todas as provocações discretas que ele sempre tinha com Luhan no elevador e as poucas que ele conseguia trocar com Baekhyun antes que ele se fechasse em casa cheio de vergonha. Era um sábado e a terceira temporada de Friends já estava pronta na televisão, Jongin já havia tomado um banho e tinha um pedaço de pizza mais ou menos novo, quando ouviu batidas discretas em sua porta.

- Já vou... – ele resmungou, procurando uma cueca. Quem quer que fosse que havia tido a ousadia de bater em sua porta onze e meia da noite não merecia muito mais peças de roupas do que aquilo e foi apenas com a boxer azul marinho que ele foi atender o visitante. – Puta que pariu...

Baekhyun estava parado em sua porta vestindo tão semelhantemente que parecia ironia do destino. Ele tinha uma jockstrap de um rosa clarinho e muito justa cobrindo-lhe apenas a intimidade – da parte de trás saía um rabo felpudo e marrom, comprido, que combinava com as orelhas presas em seus cabelos escuros. Assim como na beirada do plug, havia um laço rosa de cetim preso em seu pescoço, amarrado caprichosamente. Seus olhos eram intensos e as bochechas estavam rosadas. Jongin sentiu o pau pulsando dentro da cueca somente com aquela visão.

- J-Jonginnie... – ele chamou com a voz manhosa. – Luhan hyung quer saber se você estaria muito ocupado e se gostaria de ver a gente brincar...

E ainda que tivesse que conhecer o presidente naquele horário, somente a visão do pequeno daquele jeito na sua frente era capaz de fazer com que desmarcasse. Uma dolorosa e potente ereção se formava sob o tecido da boxer conforme acompanhava o pequeno para dentro do apartamento do casal e ele praticamente devorava o menor com seu olhar.

- P-Pode ir lá no quarto, por favor... – ele pediu e o moreno obedeceu.

Havia uma cama de casal encostada na parede e a poltrona vermelha à frente dela. Em cima dos lençóis brancos, estava Luhan sentado sobre as próprias pernas. Apesar de corado, ele tinha um discreto sorriso malicioso e apontou a poltrona para que o maior se sentasse. Tinham orelhas felpudas de coelho com as pontas dobradas, brancas com o interior rosado, saindo de seu cabelo e da jockstrap preta também saía um rabinho redondo e felpudo. Em seu pescoço havia uma coleira grossa com uma guia que caía na frente de seu corpo. O abajur na mesa de cabeceira estava aceso e ele era a única fonte de luz no quarto.

Jongin sentou-se, ansioso pelo show, ao mesmo tempo que em Baekhyun entrava no quarto e ia até a cama junto do namorado. Cruzou as pernas, tentando conter a excitação, enquanto observava Luhan devagarinho puxando o menor pelo laço que ele usava e selando seus lábios demoradamente, suas mãos ágeis traçando caminhos pela lateral do corpo do menor que o próprio moreno queria traçar. Eles se beijaram e aquele que usava os acessórios de gatinho soltava baixos e tímidos gemidos que faziam o corpo do maior dos três esquentar.

- H-Hyunggie... – ele gemeu arrastado e baixo, expondo o pescoço ao que de imediato os lábios de Luhan foram parar ali, dando leves beijos por sua tez alva e arrepiada. Os dedos do estagiário foram parar no rabinho de gato, o acariciando e puxando bem devagarinho e o outro miou.

O moreno assistia, deixando que os dedos da mão direita descessem por seu corpo e massageassem seu pau duro por cima da calça; Luhan notou seus movimentos e fez com que Baekhyun ficasse de frente para ele, com as costas em seu peito, como se exibisse o namorado.

- Gosta do que vê, mestre? – sua voz era suave e carregada de excitação. Ele dedilhou as costelas do menor, subindo até que a ponta dos dígitos roçasse nos mamilos rosados e eriçados do pequeno, começando a massageá-los em círculos e fazendo com que o universitário gemesse manhoso e sua excitação ficasse visível sob o tecido que lhe cobria.

- Com certeza... – ele disse com a voz rouca de excitação, se inclinando para trás na poltrona.

Luhan acariciava o corpo do namorado, que tinha a cabeça tombada em seu ombro, como se o fizesse exclusivamente para prazer do convidado. Beliscou e massageou os biquinhos túrgidos, descendo a mão direita até agarrar o membro do menor sobre a cueca, o massageando, fazendo com que Baekhyun suspirasse e soltasse miados bem baixinhos. O menor se inclinou até sussurrar algo no ouvido do chinês que assentiu, deixando que ele se afastasse de seu corpo, ficando de quatro de forma que seu rosto ficasse próximo ao corpo de Luhan e seu quadril estivesse bem empinado para Jongin. Ele passou a dar leves lambidas pelo tórax de Luhan e este passou a gemer de uma forma tão gostosa e entregue que, se houvesse alguma forma de gozar sem ser tocado, Jongin acreditou que seria ouvindo aqueles gemidos e vendo a bunda empinada do menor. Ele lhe sugou os mamilos, com os olhos fechados e as bochechas coradas de vergonha; e a medida que descia, seu quadril se elevava e o moreno já conseguia ver onde o plug invadia o pequeno. Como se lesse sua mente, o estagiário se esticou sobre o corpo do pequeno e segurou o rabo felpudo, providenciando a visão o mais clara possível da entradinha rosada, um pouco melada de lubrificante, para o convidado. Ao mesmo tempo, Baekhyun deixava que seus lábios finos encostassem sobre a glande coberta do namorado, ali dando beijinhos entrecortado por gemidos quando o maior começou a mexer com o plug dentro de si.

E toda aquela visão era tão torturante e deliciosa para o jovem Kim que ele se sentia prestes a explodir e seu falo pulsava mais forte cada vez que ouvia um miado tímido ou um gemido manhoso. Ele mal podia se aguentar e tinha certeza que o casal sabia disso, pois após uma breve troca de palavras ambos pararam o que faziam e desceram da cama.

- Seus bichinhos querem brincar com você, mestre... – Baekhyun disse de forma arrastada, engatinhando até conseguir esfregar o rosto no joelho de Jongin com um miado longo e manhoso.

- Tira a roupa, mestre... – Luhan pediu, dando beijos pela coxa desnuda do maior, até quase chegar em sua virilha.

Não sendo louco de negar o pedido, o moreno se ergueu e se livrou da boxer, expondo finalmente a ereção dolorida que chegava a estar melada tamanha a excitação. Ficou em pé e não demorou muito para que os menores se aproximassem; Luhan o segurou pela base e deixou que a glande inchada tocasse seus lábios sem nenhum pudor.

- T-Tão grande... – ele murmurou com falsa inocência, dando um beijo demorado na glande.

As mãos de Baekhyun subiram e começaram uma massagem leve nos testículos do maior; seus lábios foram para a base do membro rijo e ali passaram a dar beijos e suaves lambidas.

- P-Porra... – Jongin rosnou entredentes quando Luhan o enfiou na boca e a visão dos dois ajoelhados a sua frente era a coisa mais excitante que já vira na vida.

O mais velho o chupava com gosto, os olhos castanhos sempre voltados para si e o mesmo fazia Baekhyun com lambidas que iam desde sua virilha até o períneo, explorando tudo que podia do moreno. Luhan o soltou com um baixo estalinho; um fino fio de saliva ainda o ligava à fenda melada.

- É tão gostoso, Kitty... – ele falou para Baekhyun, que imediatamente se aproximou do namorado.

E eles se beijaram, de forma lenta e demorada, deixando que o falo de Jongin entrasse no meio de suas bocas e línguas sem nenhuma vergonha. Se enroscaram, o corpo se tocando no joelho do moreno, os dois se esfregando devagarinho enquanto gemidos baixos rompiam de ambas as bocas.

- B-Bunny...

Baekhyun gemeu, se afastando e então se inclinando até que ele pudesse colocar a ereção do outro em sua boca, estreitando os lábios e afundando-os até tocarem a base de Jongin. Ele podia sentir a garganta estreita do outro se fechando ao redor de sua glande conforme ele ia e vinha com a cabeça, fazendo com que o rapaz gemesse rouco. Luhan se ajeitou atrás ao lado do namorado e começou a lamber e sugar os testículos de Jongin, sempre mantendo os olhos nele.

- Seus bichinhos querem sentir seu gosto, mestre... – ele pediu manhoso e Baekhyun aumentou ainda mais a velocidade com que o chupava, fazendo-o delirar de prazer com os olhos anuviados se deleitando na visão deles tão submissos a si.

Quando gozou, tombou a cabeça para trás com um gemido rouco e sentiu que o menor sugava até a última gota de si. Ele se afastou, tossindo e engasgando um pouco; porra escorria de um canto de seus lábios e não demorou para que o chinês lambesse ali, antes de afundar o membro de Jongin na boca e chupá-lo cheio de fome, estendendo os espasmos que percorriam o corpo do maior o máximo possível. Se deu por satisfeito e levantou, ajudando o namorado a fazer o mesmo.

- De quatro, na cama... os dois... – mandou com a voz fraca.

Os dois obedeceram, o quadril erguido enquanto deixavam as mãos penderem o máximo possível para frente, as costas bem arqueadas.

- M-Mestre... Queremos mais... – eles se contorciam, visivelmente excitados e o moreno não resistiu em dar um forte tapa em cada um; Baekhyun miou cheio de manha.

Puxou os plugs para fora ao mesmo tempo e Kitty e Bunny soltaram gemidos altos cheios de expectativa. Ele esfregou e massageou com a ponta dos dedos as entradinhas rosadas expostas para seu prazer, penetrando dois dedos de uma só vez nos dois ao mesmo tempo e começando a estocar bem devagarinho, tentando ao máximo possível conciliar os movimentos. Os dois faziam sons manhosos e, quando o mais alto achou que não poderia melhorar, eles começaram um beijo cheio de desejo sem nem ao menos mudar a posição, o fazendo sentir uma excitação gritante com a cena. Se inclinou, dando mordidas fraquinhas nas nádegas dos dois e lambendo em seguida, cheio de vontade. Então retirou os dedos e se sentou com as pernas ligeiramente abertas, apoiado na cabeceira da cama.

- Hey, sweet kitty... Vem cá... – ele deu leves tapinhas na coxa para chamar o menor.

Baekhyun se aproximou e o moreno o virou, deixando-o de costas para si, com as costas deitada em seu peito. Apalpou suas coxas firmes à medida que descia a cueca por elas, libertando sua ereção. Tomou o próprio membro entre os dedos e o fez roçar na entradinha do universitário, dando leves beijos na parte livre do laço em seu pescoço. A sensação de o penetrar era tão boa que Jongin apertou involuntariamente a cintura esguia; Luhan estava olhando tudo, vidrado.

- C’mon little bunny... – ele chamou com a voz fraca e recebeu um sorriso satisfeito em resposta – Vem cá com seu mestre...

O chinês se ajeitou na frente do namorado, ficando sobre os joelhos e o segurando pelo quadril, fazendo com que ele subisse e descesse pelo falo do moreno. Jongin, com as mãos livres, o agarrou pela guia da coleira e puxou para si até que estivesse com os lábios colados ao do mais velho, em um beijo lento cheio de luxúria com os ganidos do menor e seus miados bem próximos às orelhas de ambos. Mordeu seus lábios rosados, com gosto de gloss de morango e puxou devagarinho entre seus dentes até que eles soltassem sozinhos. Luhan gemeu e sorriu, encaixando o quadril com o do namorado e envolvendo ambos os membros juntos e começando a masturbar bem devagarinho.

- B-Bunny... – o menor dos três soltou um miado longo para em seguida pedir com a voz chorosa – P-Põe na boca...

Ele o fez, ficando de quatro na cama entre as pernas de Jongin e aproximando o rosto do membro do garoto. E o moreno assistiu cheio de prazer enquanto ele abocanhava e passava a mover os lábios por toda a extensão do outro, cheio de volúpia, como se não houvesse nada melhor no mundo do que chupar um pau. Esticando uma das mãos a frente do corpo do outro, ele segurou-lhe o laço rosa no pescoço e desfez o nó que o prendia, atacando o pescoço alvo com mordidas e chupões assim que teve o caminho desimpedido. Baekhyun gemia mais alto, completamente entregue nos braços de Jongin, empurrando devagar o quadril contra o dele a cada movimento e o fazendo ir mais fundo em seu interior quente e aveludado. Segurando no queixo do menor, fez com que ele pendesse a cabeça para trás e o beijou devagar, sentindo o próprio gosto na língua pequena e morna.

E suas mãos autoritárias buscavam qualquer centímetro de pele que pudesse apertar com desejo; molestaram as coxas com apertos e arranhões, então a cintura esguia e por fim, chegaram a parte mais sensível do pequeno: seus mamilos. Ali se divertiu, primeiro acariciando de forma tão leve e sutil que podia ver a pele alheia se eriçando em expectativa. Como era bom provocá-lo. Então, passou a fazer uma massagem leve com os indicadores, pressionando bem de levinho como se quisesse testar todos os limites do outro e por fim, segurando entre o dedo médio e o polegar, passou a beliscar ambos bem devagarinho, puxando e massageando simultaneamente. Àquela altura, Baekhyun delirava de prazer.

Não era preciso que ele falasse; Jongin podia sentir o corpo estreito se contraindo ao seu redor a cada pequeno espasmo que percorria o corpo de um Baekhyun cada vez mais próximo do orgasmo. Começou a estocar mais forte, fazendo a glande adentrar todo o corpo pequeno buscando ir cada vez mais fundo dentro dele. Seus gemidos aumentaram e ele já dizia algumas palavras desconexas entre seus pedidos por mais. Cada vez mais, mais rápido, mais forte, mais fundo e Jongin e Luhan, em sincronia, atenderam ao pedido. Jongin se movia e o puxava para si, buscando seu ponto mais doce e o chinês o levava fundo na garganta, uma das mãos livres lhe acariciando o períneo pois sabia de todos os pontos do namorado e aquele era um deles. Até que o pequeno estivesse gemendo alto de tanto prazer, até que gozasse melando a boca e o rosto de Luhan e por fim caísse todo amolecido nos braços do moreno que o segurou pelos quadris, o incentivando a rebolar em si. Mas sabia que o pequeno não aguentaria mais por enquanto e Luhan, limpando com a ponta dos dedos um pouco de gozo que lhe escorria na bochecha – e enfiando-os em seguida na boca do namorado que chupou tudo de modo um pouco exausto e obediente – se aproximou até estar novamente colado no universitário, com o rosto próximo ao de Jongin, lhe dando uma arteira lambida nos lábios.

- Mestre, seu bunny quer atenção... – a voz era manhosa e ele tinha uma expressão inocente.

Ele saiu de dentro de Baekhyun que apenas deu um gemido em reprovação por ter seu interior subitamente vazio e colocou o menor deitado, todo estirado, no colchão com a cabeça pendendo para fora e com uma facilidade incrível pegou o chinês no colo, saindo da cama e arrancando a jockstrap de seu corpo somente para jogá-la longe. Luhan ficou de pé em frente ao namorado e seu falo rijo roçou no rosto delicado deste; apesar de cansado por um orgasmo, não demorou para que Baekhyun o encaixasse nos lábios e ficasse sugando sua glande devagarinho enquanto Jongin se posicionava atrás do mais velho. Segurou seus pulsos e os puxou para trás, fazendo o corpo do chinês pender para a frente e o estocou fundo, de uma só vez, arrancando dos lábios cheios um gemido cheio de dor e malícia.

- M-Mestre... – ele choramingou, olhando para trás e se empinando ainda mais.

Baekhyun abriu mais a boca, deixando a garganta livre de forma que a cada estocada do moreno, Luhan acabava fodendo seus lábios macios. Ele se moveu, de início bem devagar para frente e para trás, sentindo cada centímetro que adentrava sendo esmagado pelas paredes aveludadas do mais baixo e em troca recebia os deliciosos gemidos, ainda que baixos e tímidos, do menor. O puxou pelos pulsos até que os ombros dele tocassem seu peito e deu beijos por sua nuca, além de leves mordidas na cartilagem da orelha que faziam o chinês se contrair. Soltou um dos pulsos apenas para poder molestar os mamilos de Luhan com leves beliscões mas logo voltou a segurá-lo, mantendo-o colado a si.

- Está gostoso? – murmurou baixo, o estocando com um pouco mais de lentidão e indo o mais fundo possível dentro dele, para então se retirar quase inteiro.

- M-Mais, mestre... – Luhan pediu com a voz manhosa.

- Eu não ouvi... – Jongin tinha um sorriso arteiro.

- Mais rápido, m-mestre... Me fode mais rápido.

Ele atendeu o pedido ao pé da letra, começando a estocar o estagiário com velocidade, chegando a fazer o despreparado Baekhyun engasgar com a súbita mudança. E então, tão de repente quanto começara, diminuiu o ritmo fazendo com que o menor o olhasse com expectativa por cima do ombro, chegando a empurrar o quadril contra sua virilha como se aquilo fosse o necessário para conseguir o que queria.

- Mestre... – ele chamou todo choroso e cheio de prazer.

- Apressado, bunny? – Jongin provocou, puxando os braços dele em sua direção de modo que todo seu membro o invadiu, arrancando dele um suspiro meio dolorido, meio ansioso.

- S-Sim... Eu quero sentir logo você, mestre... – ele pediu e se contraiu propositalmente em torno do maior, o levando ao delírio.

Então, ele voltou a tomar velocidade. O quarto todo já cheirava a sexo e não era à toa que o mais novo dos três, mesmo já tendo um orgasmo, já estava ficando excitado novamente somente com os gemidos e sons dos outros. Ele chupava cheio de vontade e, daquele ângulo, era possível ver o pau de Luhan entrando e saindo de sua garganta e a cena era deveras excitante. O som da virilha do moreno se chocando a bunda alheia ficou mais alto e frequente. O mais velho deixou a cabeça encostar no estômago do namorado e sutilmente passou a mover o quadril na direção da boca dele, acompanhando os movimentos do moreno, sentindo cada vez mais tesão. E quando Jongin tocou seu ponto mais doce, ele soltou um miado longo e satisfeito, olhando para trás com certa urgência e tentando se empurrar em direção ao outro.

- A-Aí, de novo!

Jongin sorriu e passou a investir somente naquele mesmo lugar, mirando a próstata do outro. Os espasmos começavam a tomar conta do chinês e ele se contorcia e contraía ao redor do outro. Jongin soltou seus pulsos e ele de imediato apoiou-se no colchão, as mãos ao lado da cintura do namorado e o rosto bem próximo a seu falo semi rígido. Aproveitou as mãos livres para que pudesse segurar nos quadris estreitos do outro, o penetrando com força e deixando a cabeça tombar para trás para soltar alguns gemidos; ele próprio estava muito próximo do ápice e, cheio de vontade, investiu mais força e rapidez nas estocadas na entradinha apertada do outro.

- A-Ah, eu vou...

Luhan gozou e o primeiro jato fez com que o namorado engasgasse e o tirasse da boca, virando o rosto. Seu gozo atingiu o corpo do menor, seu peito e abdome magro. Mas Jongin ainda não estava satisfeito e, evitando que o corpo pequeno caísse por falta de força nas pernas, ele o segurou pela dobra de um dos joelhos, testando a flexibilidade do mais velho ao máximo ao encaixar uma de suas pernas no próprio antebraço, o deixando tão exposto que só restava ele gemer entre espasmos enquanto o moreno metia em si com tanta velocidade que era possível ouvir o som de suas peles se chocando. Com um gemido rouco, quase um rosnado, Jongin gozou no interior do menor e o estocou até que sentisse os espasmos diminuindo; se retirou dele e deu o falo a Baekhyun que lambeu qualquer resquício ali, sugando-lhe a fenda bem devagarinho, antes de tomar um Luhan exausto em seus braços, o deitando na cama ao lado do namorado. Baekhyun se ajeitou também e deu seu último miado baixinho, satisfeito.

- Dorme aqui, Jonginnie... – eles pediram e mentalmente o moreno agradeceu.

Se ajeitou entre ambos, lembrando de antes tirar as orelhinhas que eles usavam e a coleira do mais velho. Os dois se aninharam de forma manhosa em volta de seu corpo, um de cada lado, entrelaçando as pernas às do mais alto e o abraçando delicadamente pela cintura. Jongin o abraçou contra si também; os dedos de uma mão foram parar nos cabelos de Luhan e os da outra pousaram na cintura de Baekhyun e ele fez um carinho leve em ambos antes de adormecer completamente.

 

 

 

 

 

Jongin acordou de um sonho molhado no dia seguinte e percebeu que estava quase gozando. Por breves segundos ele não reconheceu o quarto em que estava; mas as lembranças da noite anterior o atingiram e ele despertou rapidamente. Mãos quentes o tocavam e ele percebeu os sorrisos maliciosos de Luhan e Baekhyun, os dois com uma mão cada dividindo o falo rijo de Jongin entre os dedos hábeis, conciliando a masturbação conjunta com maestria como se houvessem ensaiado muito aquele movimento. Recebeu um beijo demorado de cada nos lábios, então no rosto e no pescoço, ao que Baekhyun murmurava bem baixinho em seu ouvido.

- Bom dia, mestre... – e mordia-lhe o lóbulo.

Luhan pressionou o polegar contra sua glande e sussurrou do lado oposto, um sorriso carregado de malícia tomando-lhe o rosto.

- Seus pets querem brincar, mestre...

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado e obrigada <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...