História Klaus e Rebekah - Meu (melhor) pior pecado - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais, The Originals
Personagens Camille O'Connell, Davina Claire, Elijah Mikaelson, Esther Mikaelson, Finn Mikaelson, Freya Mikaelson, Hayley Marshall, Hope Mikaelson, Joshua "Josh" Rosza, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Marcellus "Marcel" Gerard, Mikael Mikaelson, Personagens Originais, Rebekah Mikaelson
Tags Incesto, Klabekah, Klaus, Klebekah, Rebekah, The Originais
Visualizações 144
Palavras 806
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi gente, bem demorei porque eu percebi que vocês gostaram de capítulos maiores então como quis fazer um, demorou bastante porque são mais coisas pra escrever. Infelizmente eu não tenho muito tempo por isso capítulos pequenos mas eu posso passar a atualizar 2 vezes por semana com capítulos de 2.000 (ou mais) palavras. Tenho uma coisa pra falar sobre o capítulo interior nas notas finais. Boa leitura.

Capítulo 11 - Capítulo 11


Pov Narrador

Ainda era madrugada e todos estavam adormecidos. Bem, quase todos. No andar de baixo Elijah e Freya tinham uma grande e pesada conversa que envolvia não só os laços da família como os sentimentos de todos da casa. Já no andar de cima um ar pesado pairava em cada cômodo, era como se o próprio ar fosse palpável.

Kol olhava para um relógio acima de sua cabeça enquanto tentava por seus pensamentos em ordem.

Hayley olhava Jackson adormecido em sua cama enquanto tudo parecia girar, eles ficaram bem mais próximos do que deveriam. Hope era a única que dormia exausta no berço abraçada à um urso Ted dado de presente por sua tia Rebekah.

Por falar na mesma ela depois de se jogar numa banheira cheia de sais de banho,se vestir e voltar a deitar na confortável cama King ficou olhando pro teto sentindo seus braços e coxas doerem levemente. Ela não tinha pensamentos ou arrependidos, apenas olhava o teto como se tivesse algo muito interessante ali.

Bem diferente de Klaus, que após se deitar e dormir por pouca horas acordou e observava pela janela do seu quarto a floresta. Em sua cabeça vinham mil pensamentos e mesmo que ele quisesse não lembrar à dor nas suas costas denunciavam tudo, fora os arranhões em seu pescoço,peito e abdômen.

Aquela noite estava inquietante, quando Klaus percebeu estava na porta do quarto de Rebekah, hesitante em entrar, bater ou dar meia volta e voltar para seu quarto. Por motivos desconhecidos pelo loiro o órgão que deveria bombardear sangue em seu corpo estava agitado. Ele optou por dar meia volta.

Entrou novamente em seu quarto frustrado, deitou na cama decidido à dormir; Porém antes sequer dele fechar os olhos a porta de seu quarto foi aberta e depois fechada. Como ele estava virado de costas e coberto não era possível identificar se ele estava dormindo mas na concepção de Rebekah a respiração dele estava serena.

Se aproximou devagar e colocou uma das mãos nos ombros largos de Klaus o balançando levemente

- Klaus? - ela chamou baixinho, num sussurro e acendeu à luz do abajur. Klaus fingiu acordar e se virou encarando a mulher dos olhos azuis que estava em pé ao lado da cama

- O que foi? - Ele estava surpreso pela mesma estar ali, se sentou melhor na cama e bateu as mãos duas vezes acima da cabeça fazendo a luz acender automaticamente

- Precisamos conversar - uma parte do corpo de Rebekah estava autoconfiante o suficiente para dizer aquilo, mas a outra parte estava assustada, como ela era quando uma menina. Ela decidiu ignorar essa parte afinal ela não era mais uma garotinha

- Sobre o quê? - Klaus observou toda aquela confiança nos olhos azuis claros confuso. Eles tinha ideia sobre o que seria essa conversa

- Sobre tudo, sobre nós - ela se sentou na cama olhando-o e como um silêncio se fez presente ela suspirou e prendeu os cachos loiros em um coque. - Sobre tudo que aconteceu Klaus - ele acentiu absorvendo as palavras dela. Era hora deles terem "A conversa"

***

Enquanto uma intensa e reveladora conversa acontecia no andar de cima,uma outro finalização no andar de baixo.

Freya passou metade da noite tentando convencer Elijah de que tudo não passou de uma mal entendido. O pior era ter que olhar nos olhos de Elijah afim de conhecê-lo tentando passar una verdade irreal para seu irmãos mais novo. Aquilo de fato à machucava. Ele foi o único que ela acompanhou a gestação quase completa, que ajudou a fazer as roupinhas e até falava com a barriga de Esther afim de Elijah escuta-lá. Ele e Finn eram os com mais ligação há ela.

Elijah se encontrava confuso antes de chegar na casa, mas tudo tinha sido esclarecido e ele se sentia aliviado. Até feliz em saber que Rebekah estava namorando Damon Salvatore, mesmo ele não sendo o melhor dos homens ainda era melhor que a ideia dela estar com...

Ele mal conseguia pensar e, agora realmente nem precisaria. Se sentiu tolo ao não pensar que fosse uma visão falsa de Esther mas fazia sentido, ela queria uma briga e quase conseguiu uma, agora tudo voltou ao normal dentre o possível. Era isso que ele achava.

***

Pela manhã um clima diferente ecoava pelas paredes da casa. Um motor ronco de uma moto foi escutado e logo o homem de jaquetas de couro, cabelos pretos e olhos azuis esfera desceu da mesma sendo recepcionado por Freya e Rebekah.

Klaus observava do segundo andar não muito feliz a interação do lado de fora da casa, nunca foi um fã daquele garoto e agora ele seria obrigado a conviver com ele!

Tudo por um bem maior ele pensava mas sua vontade era socar alguma coisa.

Estranhamente depois da conversa algo mudou em Klaus, ele se sentia ameaçado com a presença daquele homem, com a presença de Damon Salvatore em sua casa e com sua garota.


Notas Finais


GENTE seríssimo, eu recebi alguns comentários de pessoas que gostaram assim como recebi de pessoas que não gostaram do capítulo 10, eu não julgo ninguém sério, mas eu realmente gostaria que vocês antes de qualquer coisa entendessem a situação que eu coloquei os personagens. Aqui o Klaus tem uma atração pela Rebekah à mais de mil anos então quando ele finalmente pôde tê-la seria de um forma afobada e um pouco bruta. Estou deixando isso bem claro por que eu já estou acostumada com escritas "daquela forma" (leio no wattpad) e eu realmente entendo se alguém não tiver se sentido confortável mas não quer dizer que A)Foi menos sentimental por que não foi o sexo mais romântico do mundo B)Eles ainda são seres sobrenaturais então ter uma cama ou não, não faz muita diferença. Eu só coloquei eles com dores no dia seguinte pra ficar o mais "humano" possível. Eu pretendo explorar mais do que só o desejo mas parece que —alguns de— vocês querem que eles se apaixonem da noite pro dia e não é desse jeito que as coisas acontecem, se pra nós livres e desimpedidos é difícil se apaixonar, imagina na situação deles.

Desculpem se fui grossa ou ofendi alguém essa NÃO foi a intenção, eu só precisava muito falar isso porque eu estava animada com aquele capítulo e acabou que no fim desanimei. MUITO obrigada a todos que leram, comentaram e gostaram vocês me fazem não desanimar da fic ❤ Aquilo que eu falei nas notas iniciais está valendo, capítulos maiores com 2 atualizações por semana ou como estamos indo? Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...