História Knowledge - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias ASTRO, Bangtan Boys (BTS), EXO, G-Friend, Got7, TWICE
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Eunha, Eunwoo, Jackson, J-hope, Jin, Jinjin, Mark, MJ, Moonbin, Rap Monster, Rocky, Sana, Sanha, Sowon
Tags Anjos, Astro, Baekyeol, Binnu, Binwoo, Brigas, Bruxas, Bts, Chanbaek, Demonios, Eunbin, Exo, Gfriend, Markson, Mjin, Namjin, Romance, Sanhyuk, Socky, Twice
Visualizações 75
Palavras 1.931
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Escola


MJ POV

            O maldito despertado tocou, mas não com aquele clássico barulho e sim com a rádio local. “MUITO BOM DIA MEUS QUERIDOS OUVINTES”, quem em plena segunda feira tem esse ânimo todo? Pior ainda, em plena manhã de segunda feira. Estava preste a desligar aquele maldito, quando começou a minha música favorita do momento, “Swalla”. Meu pulo foi alto, comecei a dançar do jeito mais estranho possível e eu me esforçava para isso. Para adiantar meu lado, aproveitei para tirar a roupa e acabei ficando só de cueca e rebolando. Essa música contagia qualquer um mesmo. Sem muita demora, entrei no banho gelado, algo que eu acostumei a tomar depois de algum tempo. Não pensem besteira, não tem nada a ver com o Jinwoo. Seus mentes poluídas. Por algum motivo eu estava indeciso com qual roupar usar, então fiquei pensando e peguei várias possibilidades.

            Estava concentrado em escolher uma combinação boa, será que eu irei dizer aquela famosa frase de garota rica mimada? Eu espero que não. Eu estava entre duas peças, quando ouvi batidas na porta e eu falei entre. Jinwoo entrou falando, mas quando me viu apenas de cueca de frente para o espelho sua voz falhou e suas bochechas ficaram vermelhas. Ele estava com vergonha de me ver só de cueca? Mas nós tomávamos banho juntos antes, hormônios nunca ajudam em nada. Vou fingir que não notei nada, vamos se manter normal Myungjun.

- O que iria dizer JinJin? – Eu afirmo que gosto de provocar o coitado.

- Só... Vim... ver se... estava pronto. – Parecia que estava com a garganta entalada.

- Só estou na dúvida, qual dessas duas combinações? – Puxei ele pela mão, levando ele para perto do espelho. Ele olhou as cominações e apontou para a blusa branca, calça preta e all-star preto. A mais básica de todas. Vamos cutucar a onça mais uma vez. – Você acha que eu vou ficar bonito?

- Você já é lindo... Quer dizer, sim. – Queria rir, mas me segurei profundamente. O que eu poderia fazer para provocar ainda mais ele? Um abraço talvez? Afinal, qual a maldade de um abraço?

- Ownt, você também é lindo e fofinho. – Abracei ele por trás e comecei a bagunçar o cabelo dele, ele tentava se soltar o que fazia ele se mexer demais. Isso levou a merda do dia. Digamos que, não tem como dizer isso de forma menos ofensiva, a bunda dele acabou se esfregando no meu amiguinho. Lembrando do detalhe de eu estar apenas de cueca. Assim que ele se soltou, saiu correndo do quarto. Ai jesus, esse garoto algum dia me mata.

            Qual foi minha surpresa quando estávamos saindo de casa, ele estar em silêncio? Nenhuma. Simplesmente fomos para escola sem nenhum comentário, uma piada, um levantar o rosto, nada, nothing. Enfim, eu acho que fiz merda e quero concertar isso. Quando eu ia falar alguma coisa, ele simplesmente solta um “Está tudo bem”, disfere dois tapinhas no meu braço e sorri. Ele está a cada dia a cara do meu pai Baek, estou começando a pensar em ser um assexuado mesmo. Puxei um assunto aleatório e ficou tudo normal, nas mil maravilhas. Chegamos naquele colégio maldito, sentamos em um dos bancos da entrada e ficamos refletindo sobre a vida. Parei de refletir quando vi duas cabeleiras loiras e feições parecidas, eram os gêmeos de nomes iguais. Eu acenei para eles, eles acenaram de volta mas, apenas a garota veio de encontro com a gente.

- Vamos ser colegas de escola, mas impossível sermos da mesma classe. – Ela falou com o sorriso simpático.

- Então esteja convida para o nosso clube. – Falei sorrindo, afinal ela era legal e gente boa demais.

- Por quê seu irmão passou reto? Ele ódio a gente não foi? – Jinwoo falou em um tom de brincadeira, aposto que ele queria outro nerd para conversar sobre o que os nerds conversam.

- Digamos que ele teve uma experiência, agora quer ser daqueles sem amigos.

- Bullying?

- Não, é um motivo besta até. Qualquer dia desse eu conto para vocês.

- Aproveita que é do clube agora, conta na hora do almoço. – Falei sorrindo e ela concordou. Logo tocou o sinal, assim todos nós seguimos para nossas salas.

Sana POV

            Primeira aula do dia, ainda existia mais sete aulas para se apresentar para a mesma turma de sempre. Até que gosto de me apresentar, ouvir os garotos suspirarem e mandarem piscadas de olhos, mas explicar toda vez a diferença do meu nome para a do meu irmão, é cansativo. Não passou nem meia aula, já havia recebido três cartinhas perguntando meu número. Responder a todas? Sim, aceitar sair com eles? Não. Minha música favorita é How To Be A Heartbreaker, não irei desonrar ela nunca. Malvada? Talvez. Respondi os três bilhetes, até receber um quarto. Me surpreendi quando eu li o que estava escrito, respondi sem pensar duas vezes. Poderia correr o risco de morrer? Talvez sim, talvez não.

            A aula estava na metade, quando um garoto de cabelos castanhos apareceu ofegante e desesperado. Pensando eu que a professora iria dar um enorme esporro e mandar ele esperar, ela simplesmente falou um “entra e preste atenção”. Bicha, estou surpresa. Ele sentou atrás do Sannie, o que impossibilitou ele de olhar o quadro, assim abaixou a cabeça e acho que dormiu. Não demorou muito para a aula acabar, levando todos nos direto para a aula de matemática. A pior de todas na minha opinião, mas quando se tem um irmão que te ama e é gênio em qualquer matéria, ninguém tem medo de matemática.

            Dessa vez a professora parecia um espirito maligno, não que eu tenha visto algum, mas a aura dela era pesadíssima. Era completamente negra, cheia de dor, sofrimento e depressão. Qual foi a minha vontade de ler a mente dela? Mas papai sempre diz, “Nunca use de modo em vão”. Porém existe um ditado, o que os olhos não veem, o coração de papai não sente. Antes que comecem as perguntas, todos da nossa família são bruxos, porem papai decidiu deixar Sannie viver uma vida normal. Originalmente, era para eu não saber também mas, acabou que eu despertei os poderes cedo demais e foi impossível esconder de novo. Então por precaução, meus pais e eu lançamos um feitiço em Sannie para demorar que os poderes despertem. Estava eu ali, olhando a janela e vendo o vento balançar as árvores. Gritei mentalmente um “Foda-se”, olhei para a professora e comecei a vasculhar sua mente. Muito drama, cu doce e chatice dela. Tudo bem, suas memorias iniciais são apenas ela sendo chata, vamos mais fundo nisso. Nada de interessante mesmo, apenas ela sendo insuportável e mal amada.

- Senhorita Kim, para de me encarar como se quisesse ler minha mente. – Falou a carrancuda.

- Desculpe professora, estava apenas admirando a sua beleza e inteligência. – De algum modo ela não entendeu a ironia na beleza, mas todos da sala entenderam. SanHa cutucou meu braço e sussurrou um “Maldosa”. Sou mesmo.

            Acabou que ela passou um dever em grupo, como “elogiei” a coitada, ela deixou eu ficar com meu irmão alegando que dar azar separar gêmeos. Seria apenas uma dupla, quando o garoto afoito e que acabava de acorda levantou o braço alegando que estava sem grupo. Ele se agregou ao nosso grupo, esse nasceu com o cu para a lua. O dever que deveria ser em grupo, resumiu em SanHa fazer o dever e o garoto olhar para o papel sem entender nada.

- Qual seu nome? – Cortei o silêncio, o que para minha pessoa era chato.

- Park MinHyuk, e o de vocês?

- O meu é Kim Sana, o dele é Kim SanHa. – Ele olhou confuso, pensou um pouco. Quando eu iria começar a explicar, ele falou.

- O dele é escrito com um h no meio, né?

- Como você sabe? – Sannie perguntou surpreso.

- Tem uma pequena diferencia na pronuncia, quase impercebível. Além de que, eu acho que os pais de vocês não seriam sacanas a ponto de colocar o mesmo nome. – Meu irmão ficou surpreso, eu dei um sorriso simpático.

- Na verdade, meu pai Namjoon seria sacana a esse ponto mas, meu pai Jin não deixaria. – Ele riu e continuamos conversando sobre a vida e seus fatos, enquanto SanHa fazia todo o dever.

            Finalmente bateu o sinal indicando o horário do almoço, liberdade, vento sobre os cabelos, Set Me Free. MinHyuk se separou da gente, no final das contas ele é legal. Acreditem ou não, meu irmão falou mais de seis frases com ele. Estou até emocionada, sem contar que o garoto olhava mais para o Sannie do que para mim. Parece que temos um novo shipp no meu coração. Avistei Myungjun e Jinwoo, eles acenaram chamando a gente.

- Vou indo daqui, até a próxima aula. – SanHa ia seguindo para outro lugar, provavelmente ficar sozinho. Agarrei seu braço, praticamente o puxando para a mesa deles. Ele fingiu não estar sendo puxado, afinal meu pai sempre diz, “Vocês dois são ótimos atores”.

            Chegamos na mesa deles, todo bonitinho e sendo os gêmeos do colégio. Os cumprimentamos e sentamos junto deles, logo depois chegou uma menina de cabelo até os ombros, muito bonita por sinal e um garoto com cabelos pretos e sorriso lindo.

- Essa é Eunha. Eunha esses são Sana e SanHa. – Myungjun forçou a diferença nos nomes.

- E esse bonitão é o MoonBin. – Jinwoo terminou de apresentar.

- Então vocês são os gêmeos bonitos que estão falando? – Nossa, estamos sendo o assunto da escola, detalhe no bonitos. Somos bonitos mesmo. Os dois sentaram na mesa.

- Sana, isso não te lembra nada não? O que eu te falei? – Meu querido irmãozinho se pronunciou, me fazendo lembrar de como a sua popularidade começou.

- Acho que você está paranoico, isso sim. – A cara de “Do que vocês estão falando?” dos outros era hilária.

- Isso tem a ver com aquilo que você ia contar? – Nosso querido Myungjun jogou no ventilador, agora era só esperar.

- Já que estou aqui, vamos divertir vocês com uma história. Quando morávamos nos Estados Unidos, por incrível que parece, no meu ensino fundamental eu era o popular da escola toda. Mas o que houve? A inveja aconteceu. Um garoto mal comido deu uma de louca, fazendo aquela famosa cena de Mean Girls. Ele espalhou fofocas no meu nome, fazendo todos me odiar e eu ser expulso. – Ele contou da forma mais resumida.

- Que tipos de fofoca? – O tal do MoonBin finalmente falou alguma coisa.

- As verdades sobre as pessoas, como quem era ridícula e alguns segredos.

- Como eu disse, uma besteira. – Falei simplista.

- Enfim, prefiro não me decepcionar com as pessoas de novo.

- Não se preocupe, somos legais. Se quiser te conto uns podres. – Eunha falou animada, sentado do lado do Sannie e segurando seu braço. Certeza que essa pega intimidade muito rápido.

- Mas se você ganhar popularidade, por favor me ajuda a conquistar meu crush. – O outro com o sorriso bonito falou brincando, arrancando risos de todos.

- Se isso terminar igual Carrie, vocês são os primeiros. – Fiquei aflita, por alguns minutos.

- Dois erros na sua teoria, um você não menstrua, dois você não tem poderes sobrenaturais. – Todos sorriram, mas o meu foi de nervoso mesmo. Ele apenas não sabe que tem poderes, temos que prevenir de terminar igual esse filme.

- Qualquer coisa, a gente chama um ônibus. – Myungjun fez menção sobre quando Regina George é atropelada, seria menos pior que banho de tinta vermelha e morte por poderes sobrenaturais. Vamos torcer pelo ônibus.


Notas Finais


TheMonio: Então pessoas, como estão?
MoonBin: Eu estou lindo como sempre, mas enfim
TheMonio: Sem muito o que comentar aqui
MoonBin: Bem grande esse cap, mas fazer o que. Fizemos muita coisa
TheMonio: AAAA SIM, todos os personagens listados teram um POV. Aguardem o momento deles
MoonBin: Os Não listados, não teram POV mas podem fazer a diferença ein

TheMonio: É Spoiler isso mesmo? Enfim vamos indo por aqui


kisses de TheMonio e MoonBin


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...