História Kuroka no Basket - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Akashi Seijuro, Aomine Daiki, Himuro Tatsuya, Hyuga Junpei, Izuki Shun, Kagami Taiga, Kise Ryouta, Kiyoshi Teppei, Kuroko Tetsuya, Midorima Shintarou, Mitobe Rinnosuke, Momoi Satsuki, Murasakibara Atsushi, Nijimura Shuuzou, Riko Aida
Tags Esporte, Kuroko No Basuke, Romance
Visualizações 50
Palavras 2.571
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Esporte, Harem, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero q gostem!

Capítulo 40 - Dia dos namorados!


Fanfic / Fanfiction Kuroka no Basket - Capítulo 40 - Dia dos namorados!

Hoje é um dia especial! Hoje é o dia dos namorados!! Eu estou super ansiosa para fazer o chocolate do Akashi, e como hoje é sábado, eu vou ter bastante tempo. Talvez a Riko queira fazer comigo, e como eu tenho o número do celular hoje, eu posso tentar ligar para ela. Vai ser mais divertido fazer o chocolate com uma pessoa do meu lado, ainda mais a Riko que é uma boa amiga minha. Vamos ver... cadê meu celular... (Procurei na gaveta e achei o celular) Prontinho! Agora só vou ligar para ela, espero que Riko atenda... 
  -Riko, está ai?
  -Sim, Kuroka! Que raro, você não me liga muito.
  -Claro que eu ligo para você, ainda mais para avisar que eu não vou ao trabalho ou alguma coisa do tipo.
  -Foi mal, eu não mexo muito no meu celular, haha. Mas enfim, o quê você quer, já que me ligou?
  -Eu queria saber se pode me ajudar a fazer chocolates, S-sabe que é o dia dos namorados..?
  -Me esqueci, não ligo muito para essas coisas. Mas é você que está me pedindo, então eu te ajudo! O ruim é que eu não sei onde fica a sua casa!
  -Ah, eu posso te encontrar perto do café, que tal? Não sei onde você mora, e etc
  -Ok! Mas que horas? (Olhei para o relógio e era 12:00)
  -Ás 15:00, pode ser essa hora?
  -Pode sim, não tenho nada para fazer hoje. (Isso é o que eu falaria se fosse ao contrário)
  -Até, então.
  -Até, Kuroka!  (Eu desliguei)
Bem, já tenho o encontro marcado com a Riko, agora eu preciso avisar para a minha mãe que a Riko vai vim, e espero que meu tio e minha mãe não atrapalhe. Perai, como vamos fazer os chocolates sem os ingredientes? Caramba, eu tinha me esquecido disso completamente. Eu vou ter que passar com a Riko no mercado, espero que não esteja tão cheio o mercado, eu ainda quero dar esses chocolates para o Akashi hoje. Será que ele está ocupado? Espero que não. Argh! Estou me preocupando muito! Vamos fazer tudo de cada vez e ver o que acontece, eu vou ir avisar a minha mãe. (Fui até a sala e a minha mãe estava vendo desenho animado junto com o Kuroko)
  -Mãe, uma amiga minha vai passar por aqui, a gente vai fazer chocolates. Tudo bem?
  -É claro, mas para que fazer chocolates?
  -H-hoje é o dia dos namorados, mãe...
  -Você nem me contou que tinha namorado, filha! Ele é bonito? É algum daqueles garotos que vieram aqui?
  -Mãe, está me envergonhando... Antes da gente vim pra cá, eu vou ir no mercado com a Riko.
  -Ainda não me disse quem é seu namorado!
  -D-depois eu te conto, m-mãe! O importante é que eu já te avisei. Aliás, cadê o meu tio?
  -Ele foi se encontrar com os amigos dele, pelo que me falou. Querida, poderia fazer um favor para mim?
  -Desde que não exija muito tempo, eu faço sim!
  -Poderia ficar com o Kuroko, vendo o desenho? Tenho que fazer o almoço
  -Posso sim. (Minha mãe foi até a cozinha e o Kuroko ficou me olhando)
  -Quero ver basquete.
  -Basquete? Mas não tem nenhum canal de basquete na TV.
  -Você.
  -Eu jogar? Mas não temos uma cesta no quintal, Kuroko! E também a quadra que tem nesse bairro fica um pouco longe.
  -Quero que você jogue. (Ele olhou com uma cara triste para mim)
  -Não adianta fazer essa cara, Kuroko! Tem um tempo que eu não jogo basquete.
Ele começou a chorar
  -O que foi, filha? (Minha mãe saiu da cozinha)
  -N-não é nada! Eu e Kuroko vamos sair rapidinho, ok?
  -Tá...
Eu fui correndo com o Kuroko nos braços, caminhando até a quadra. O Kuroko quando fica desse jeito, a minha mãe sempre quer saber um motivo para ele estar chorando, geralmente é assim. Ela provavelmente iria me matar se eu estivesse discordando uma coisa tão simples dessa forma, do jeito que ela é. O que mais me irritou foi que Kuroko estava rindo no meio do caminho, como se ele estivesse dizendo: ''Ganhei, ganhei!''. Enfim, eu cheguei na quadra e deixei o Kuroko sentado no banco. Como sempre, não tinha ninguém, e isso para mim é muito bom.
  -Quer que eu jogue a bola? Não quero me arrepender de ter corrido tanto para nada.
  -Sim! (Kuroko sorriu animado)
  -Não sei se você gostar de basquete é uma coisa boa ou ruim, sinceramente.
Comecei a jogar a bola e acertar as cestas, mas algumas eu errava. Kuroko ficava rindo quando eu errava, espero que quando ele crescer, não seja ruim dessa forma.
  -O quê está fazendo aqui? E com o Kuroko? (Aomine entrou na quadra, perguntando)
  -Ah! Aomine! Boa hora para aparecer. Pode fazer algumas cestas para o Kuroko ver?
  -Pode ser. Mas pra que isso?
  -Kuroko me pediu, mas acho que uma pessoa não é o suficiente... E como você é bom, então... P-por favor!
  -Pode ser. (Aomine pegou a bola da minha mão e começou a fazer arremessos.)
Eu deveria ter chamado o Midorima também, ele é bom em arremessos, e fica dizendo sobre aqueles negócios de sorte. Com todos aqui seria divertido, mas nem sempre ocorre tudo o que você quer, e também o Aomine aqui comigo é mais divertido!
  -Por que não testamos mano a mano? Eu contra você? (Aomine perguntou arremessando outra)
  -Quê? Claro que não! Você é muito bom, eu só iria ser humilhada.
  -Eu pego leve, vem. (Aomine me puxou)
  -Isso não vai dar certo. (Fico em posição de defesa)
Aomine estava pegando bem leve comigo, pelo que eu vi. Os movimentos dele estavam bem lentos, e não é comparado com o do treino na escola. Consegui pegar a bola dele e arremessei de longe, e acabou entrando na cesta.
  -Essa foi boa. (Aomine sorriu, dizendo)
  -Você pegando leve, é fácil. (Eu estava tentando driblar o Aomine, quando eu cai em cima dele)
  -Está bem, Kuroka?! (Abri os meus olhos e o rosto do Aomine estava perto do meu)
  -E-estou sim...
  -Casa. (Kuroko estava agarrando a minha mão e repetindo casa)
  -B-bem, Aomine, eu vou indo. (Me levantei e peguei o Kuroko no colo)
  -Foi divertido, até mais, Kuroka. Talvez esse garoto tenha te pedido isso, por que gosta de basquete, huh. (Aomine ficou meio sem graça no início mas depois voltou ao normal fazendo cafuné no Kuroko)
  -Sim. Obrigado por ficar comigo aqui também. Então... até.
  -Até. (Eu fui caminhando até em casa)
Eu estava caminhando normal quando eu me lembrei do encontro com a Riko. Peguei o meu celular no bolso e fui verificar que horas tinha no momento. Era 14:30, e eu fiquei assustada na hora. Eu marquei 15:00, né? Eu ainda tenho que tomar banho, pentiar o meu cabelo e escolher alguma roupa! (Eu comecei a correr e cheguei rápido em casa, deixei o Kuroko no sofá e peguei a minha roupa. Tomei um banho rapido e pentiei o meu cabelo. Amarrei ele, por que eu não tinha pentiado direito, e escolhi qualquer roupa que tinha no guarda-roupa. Minha mãe bateu na porta do quarto dizendo que o almoço já estava pronto a um tempo, e eu fui na cozinha, botei a minha comida e sentei na sala de jantar. Comi rapidamente e sai de casa com o celular na minha bolsa e o dinheiro para comprar as coisas no mercado. Em quanto eu estava caminhando até o café, eu peguei o meu celular para ver a hora, e era 15:00. Comecei a acelerar um pouco, e cheguei no café, e a Riko já estava lá.
  -Boa tarde, Riko!
  -Boa tarde, Kuroka. Vamos, então?
  -A gente vai ter que passar no mercado, eu não tenho ingredientes lá em casa.
  -Sério? Eu queria te pedir para a gente ir no mercado, mas não queria incomodar.
  -Vai fazer chocolates para alguém também?
  -S-sim... É para um amigo meu... (Riko falou um pouco gaguejando)
  -Você gosta dele, não é?
  -Claro que não! Só é um amigo meu. Olha. (Riko pegou o seu celular e me mostrou uma foto dele)
  -Pfft. Que cabelo ridículo é esse? (Comecei a rir)
  -Eu também falo isso para o Hyuuga todo o dia, mas ele ainda acha maneiro. 
  -Hyuuga? Então esse é o nome dele?
  -Sim. A gente está enrolando aqui, daqui a pouco o mercado fica mais cheio do que já tá.
  -Você passou pelo mercado?
  -Sim, ele estava bem cheio.
  -Caramba! Então vamos!! (Eu e Riko começamos a correr)
Chegamos no mercado e estava bem cheio mesmo. Eu e Riko nos separamos para pegar os ingredientes e acabei me encontrando com o Murasakibara com um carrinho cheio de guloseimas.
  -Murasakibara! Não pensei que iria te ver hoje.
  -Kurokachin... O quê está fazendo aqui?
  -Eu vou comprar alguns ingredientes para fazer chocolate. Por que tantas guloseimas?
  -Para comer... (Faz sentido)
  -Quem é ele, Kuroka? (Riko me encontrou e apontou para o Murasakibara)
  -É um amigo meu, da minha escola. Esse é o Murasakibara.
  -Prazer! (Riko disse)
  -Prazer... Kurokachin, eu vou indo... até. (Murasakibara foi embora)
  -Ele nem falou comigo direito, que grosso. (Riko não se importou, mas mesmo assim disse)
  -É. Ele deveria estar atrasado, mas ele não é desse jeito não.
  -Aquelas guloseimas, por que ele estava levando tantas?
  -Na escola ele come bastante.
  -Entendi. Vamos para a fila, Kuroka! Já peguei os ingredientes, e pelo que eu vi você também. Então vamos! (Riko me puxou até na fila)
Esperamos na fila por alguns minutos e conseguimos sair dali. Até que os caixas estavam sendo rápidos, pois não demorou tanto assim. Eu e Riko caminhamos até chegar na minha casa. Quando chegamos, entrei em casa e minha mãe estava na sala, ainda assistindo desenhos com o Kuroko.
  -Mãe, estou em casa.
  -Filha, bem vinda! Essa é a sua amiga?
  -Sim. Ela é a Riko, mãe.
  -P-prazer! (Riko disse, e parecia estar um pouco nervosa)
  -Prazer, Riko! A cozinha está livre para vocês, não se preocupem! (Eu e Riko fomos até a cozinha e tiramos os ingredientes da sacola)
  -Por que ficou nervosa para falar com a minha mãe, Riko?
  -Eu as vezes fico meio nervosa falando com adultos desse jeito... E aquele garoto do lado dela? É o seu irmão?
  -Sim, o nome dele é Kuroko.
  -Nunca me contou que tinha um irmão. E por que seus nomes são meio que, quase iguais?
  -Não sei, foi a minha mãe que escolheu esses nomes.
  -Bem, vamos fazer os chocolates!
Riko e eu passamos algumas horas fazendo, quando até que fim acabamos. Riko não era boa em cozinha, então foi meio difícil o chocolate ficar bem feito na hora, já que ela é bem teimosa e não desiste de fazer as coisas. Pelo menos conseguimos, e sobrou até alguns chocolates para comermos. Riko e eu embrulhamos o chocolate e a Riko foi embora, ela já sabia o caminho. Me surpreendeu ela ter gravado tão rapido o caminho dessa forma, haha. Enfim, vou ver que horas são e vou ligar para o Akashi. (Peguei o meu celular e era 17:00, e tentei ligar para o Akashi)
  -Kuroka, que surpresa você ligar agora. Quer alguma coisa?
  -V-você está ocupado? Eu queria te entregar uma coisa...
  -Não estou não. Quer que eu vá na sua casa?
  -Melhor nos encontrarmos na praça, não quero incomodar a minha família. (Como se eu já não estivesse incomodado com todo o barulho que fizemos na cozinha hoje)
  -Até daqui a pouco, então?
  -Sim, até. (Desliguei)
Pensando bem, eu estou bem nervosa para entregar esses chocolates para o Akashi. Eu não sei se vou ter coragem para entregar á ele, eu fico gaguejando em uma situação como essas. Eu sei que só é um chocolate, mas eu não sei se ele sabe que é o dia dos namorados, e-então... Não posso ficar pensando muito, tenho que sair de casa agora para ir até a praça.
  -Mãe, eu vou sair, já volto!
  -De novo? Pelo menos não volte tarde.
  -Tá! (Peguei o chocolate e botei em uma bolsa. Saí de casa e fui indo até a praça)
Quando cheguei na praça o Akashi não estava lá, então sentei em um dos bancos, esperando o Akashi. Dois homens apareceram e sentaram do meu lado, e os dois estavam com cheiro de bebida. Urgh, que cheiro horrível.
  -Quer se divertir com a gente? (Um dos homens perguntou)
  -Não, obrigada. (Eu me levantei do banco e estava indo para outro canto quando o outro homem pegou o meu braço)
  -Não seja tão malvada assim. 
  -Me solta. Está doendo!
  -O que esses dois estão fazendo com você? (Akashi apareceu me puxando para longe deles)
Os homens olhavam para o Akashi, como se quisessem puxar briga, quando o Akashi disse:
  -Se aproximarem dela de novo, eu corto vocês. (Akashi fez uma cara que espantou os homens, até eu fiquei um pouco assustada. E por que ele está com essa tesoura na mão?!)
Os homens saíram correndo.
  -Obrigada, Akashi. Pensei que eu que iria dar uma surra neles.
  -Haha, eu sei disso. (Akashi começou a rir um pouco)
  -E-ei Akashi, por que estava com aquela tesoura na mão?
  -Eu sempre trago, caso aconteça algo. (Que coisas poderiam acontecer para ele usar uma tesoura?
  -E-entendo... (Me lembrei do motivo de eu chamar ele, e comecei a ficar nervosa) A-akashi, eu queria te dar isso! 
Mostrei a caixa embrulhada, e o Akashi parecia estar surpreso.
  -H-hoje é o dia dos namorados, então eu queria te dar isso...
  -Obrigado, Kuroka. (Ele sorriu... Parece que ele ficou feliz mesmo)
Akashi perguntou se poderia abrir ali, e eu disse que sim. Ele tirou o embrulho com cuidado e abriu a caixa e tinha vários chocolates. Ele pegou um chocolate e botou na boca, e disse que estava delicioso.
  -Quer um? (Akashi perguntou)
  -P-pode ser... (Akashi pegou um chocolate e botou na minha boca. Estava delicioso mesmo! Ainda bem que meu trabalho duro foi recompensado)
  -Eu também queria te dar uma coisa. (Akashi pegou um presente da bolsa do casaco dele, e me deu)
  -Ahn? O-o que é isso? Eu posso abrir?
  -Pode. (Eu abri e era um enfeite de cabelo, um laço)
  -Que bonito..! Pode por em mim? 
  -Posso sim. (Akashi pegou o enfeite e botou no meu cabelo, peguei o meu celular e fui ver como ficou. Eu achei muito bonito)
  -Obrigada, Akashi!
  -Como eu imaginava, ficou mesmo bonito em você. (Akashi deu um sorriso novamente, e eu comecei a sorrir também)
Akashi chegou mais perto de mim, e começou a me beijar. Aquele foi o melhor dia dos namorados que eu já tive na minha vida, junto com o Akashi.
     (Aomine 1 pessoa: on)
Estava deitado na grama do meu quintal, quando a Momoi apareceu.
  -O que você quer, Momoi?
  -Aomine-kun, seu grosso! Somos vizinhos, não posso te visitar as vezes?
  -Pode, mas para me visitar tem que ter um motivo.
  -E-eu queria te dar isso! (Ela estava com um coração com embrulho na mão)
  -O que é isso? (Eu abri e era chocolates, e comecei a comer)
  -G-gostou?
  -Não está ruim.
  -Nem para falar um elogio melhor!
  -Hoje é o dia dos namorados, huh... Dias assim não curto muito. (Me levantei)
  -Aomine-kun... (Momoi começou a me beijar, quando eu a empurrei)
  -Não, Momoi.
  -Ainda gosta da Kuroka-kun? Mas ela gosta do Akashi, lembra?!
  -Os meus problemas não são o seu. Até mais, Momoi. E valeu pelo chocolate. (Entrei em casa)
      (Aomine 1 pessoa: off)


Notas Finais


Espero q tenha gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...